Craques e fominhas

O automobilismo não é como o futebol. Em campo, mesmo o maior dos craques precisa de mais 10 para ganhar. O piloto precisa do carro, claro, mas na pista é cada um por si. Mesmo que defenda um time e tenha um companheiro. Enquanto ninguém quer um fominha em campo, ser campeão do mundo e ser egoísta são quase sinônimos.

Schumi anda exagerando, mas continua no limite

É aí que começam os problemas. Agir como se fosse o centro do mundo na pista, como nos acostumamos a ver Senna, Schumacher e mais recentemente Alonso e Hamilton fazer, é até desejável para eles, animais competitivos por natureza. Por outro lado, ser piloto é mais que sentar e acelerar. Trabalhar junto com o companheiro de equipe, mesmo que seja seu maior rival, é fundamental para desenvolver o carro. E mesmo o maior dos craques precisa do carro.

Isso explica a aflição das equipes em negar problemas internos – como Red Bull e McLaren nas últimas semanas – e renovar contratos para evitar especulações – casos de Webber e Massa recentemente. Companheiros sempre vão se estranhar na pista, faz parte de sua natureza. Resta aos times apertar a marcação para que a briga fique na pista.

Publicado em 19.06.2010

Um comentário sobre “Craques e fominhas

  1. otimo texto! vc foi ao cerne da questão. a f1 lida com algo inerente à espécie humana, o ego. e a melhor forma de se vencer, é encontrar o equilíbrio, entre o eu e o nós.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s