Novidades para 2011

Várias questões que estavam travando os projetos de 2011 foram decididas hoje. A FIA escolheu a Pirelli como fornecedora de pneus, anunciou a volta da regra dos 107% – quem se classificar com um tempo 7% acima da pole não pode largar – e introduziu as asas traseiras ajustáveis para dar mais chances de ultrapassagem, além de outras mudanças.

107%: precisa?

A regra de performance parece uma vitória da Ferrari (e não estou sozinha nessa), grande crítica das equipes novas. Sempre quis saber de onde vêm os 107%. Quando descobrir, posto aqui. Caso esse número mágico tivesse em vigor, teríamos alguns grids mais enxutos nesse ano.

A dificuldade com retardatários faz parte

É uma contradição, já que a abertura de vagas para as equipes estreantes se deu justamente para aumentar o número de carros e sabe-se que F1 não é brincadeira e que eles demorariam para chegar ao nível das outras. Imagine ter um desempenho apenas 7% pior que uma McLaren com o orçamento 300% menor e sem o know how? E como, sem testes, essa equipe pode melhorar se não correr?

Outro detalhe é que, quando a regra era utilizada, até 2002, a classificação não era separada em 3 partes, como ocorre hoje. Qual é a chance de ficar dentro dos 107% se a sessão começa com chuva e termina no seco?

Quem seriam os degolados caso a regra dos 107% estivesse em vigor em 2010:

Piloto Não largaria
Lucas di Grassi Malásia
Bruno Senna Bahrein, Malásia, Barcelona
Karun Chandhok Bahrein, Malásia, Canadá

Asas ajustáveis: resolve?

Ross Brawn anda animado com as tais asas ajustáveis – e ele deve saber do que está falando. Elas só poderão ser usadas durante as ultrapassagens – e pelo piloto de trás. Isso é controlado pela centralina padrão e selada que os times são obrigados a usar. A ideia é reduzir a turbulência que a aerodinâmica do carro da frentre causa no que persegue. Artificial demais para mim – e tem gente achando que vai parecer o joguinho Mario Kart.

Será que veremos mais cenas como essa?

Peso: anima?

O limite de peso do carro + piloto passa de 620kg para 640kg. Isto, para encorajar as equipes a adotar o KERS, pesado sistema que transforma energia de freada em potência para o motor, que muito provavelmente volta em 2011 como forma de tornar a F1 mais ecológica.

2 comentários sobre “Novidades para 2011

  1. penso que os retardatários são um mal necessário. cito dois exemplos: qual seria a graça de uma disputa, onde o cara que é perseguido, tem mais habilidade que o seu perseguidor para lidar com o tráfego, ou vice-versa?; -como não se lembrar daquele gp dos EUA, onde correram apenas 6 carros!!! foi uma das corridas mais monótonas da história que me lembro, portanto, os figurantes fazem diferença, para o bem ou para o mal! MARIO KART! HEHE! essa é a Ju de brincadeira! hehe!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s