Do jeito que Bernie gosta

Em meio a dúvidas sobre a realização do GP da Coréia, a BBC fez uma matéria que mostra a quantas anda o circuito que sediará o GP da Índia, em outubro do ano que vem. Na verdade, nem podemos chamar o local de circuito ainda, tendo em vista que há um lago onde seria uma curva.

Mas a discussão aqui é outra. É fácil apontar o dedo para as falhas dos outros, tripudiar sobre o desespero coreano, mas o fato é que Bernie Ecclestone estipulou, pensando em suas finanças e justificando com a logística das equipes, que o calendário da F1 deve ter 20 corridas no ano.

Chegaremos a esse número ano que vem, com a prova indiana. No entanto, há uma série de locais na fila para entrar no calendário. O contrato com Austin, nos Estados Unidos, estaria fechado para 2012, há fortes boatos sobre uma prova nas ruas de Roma e até a Tailândia quer entrar na festa. Resultado: alguém terá que sair.

A fome por novos mercados já vitimou pistas tradicionais, como Magny Cours e Imola. Já nos fez ver corridas absurdamente tediosas, como em Valência. Mas salvou a categoria em tempos de crise na Europa. Se alguém duvidava que ter 7 corridas na Ásia era necessário, já não o faz.

A China é uma forte candidata a sobrar. Apesar de representar um mercado potencialmente gigantesco, não vingou. A Turquia, outra. Interesse zero e circuito em meio ao nada têm mais peso que um bom traçado – o contrato foi renovado, mas nada que alguns milhões não revertam. Hockenheim, que sofre com prejuízos, é outro na corda bamba. Até o mítico Spa tem seus problemas.

A F1 se expande para locais em que a pista é um mero detalhe

E há o GP Brasil, classificado como um dos dois piores – junto de Montreal – paddocks do ano. Perto de Abu Dhabi ou Malásia, mais parece uma tenda de campanha. A viagem é longa, o circuito é longe e não vejo muitas oportunidades de negócio para a F1 aqui – vide o “grande” número de empresas nacionais que apoiam os pilotos brasileiros. Massa, por exemplo, conta com o suporte das brasileiríssimas Fiat e Santander para tocar o projeto de categorias de base.

Interlagos não pode esperar que a qualidade indiscutível da pista em si faça a cabeça de Bernie, vide o exemplo recente de Silverstone, que está construindo um novo paddock para receber a nova F1. Corrida boa não garante dinheiro para ninguém. Pode-se dizer que a chegada de Cingapura é emblemática: em três anos, tornou-se o melhor lugar para fechar negócios no calendário. Tem CEO dispensando Mônaco para procurar oportunidades no oriente. Perguntado sobre qual o maior bem que tinha feito em todos os seus anos na categoria, adivinhe qual a resposta de Ecclestone? “Essa corrida noturna”. Isso ilustra perfeitamente que tipo de pensamento pode tirar a etapa daqui.

 

Anúncios

6 comentários Adicione o seu

  1. andre melo disse:

    cingapura eu acho uma boa corrida mesmo, mas esses outros palcos de novos ricos são muito chatos e sem charme. se tirarem spa e interlagos do calendário, pela primeira vez eu vou pensar em desistir de ver a F1. mas o bernie ecclestone tem razão quando diz que interlagos precisa melhorar muito as instalações. a reclamação das equipes é muito grande.

    Curtir

    1. faster F1 disse:

      Cingapura e Malásia são exemplos que deram certo. Abu Dhabi e Bahrein, o contrário. Mas muito provavelmente o que o Bernie acha que “deu certo” leve em consideração outros fatores…
      Deram um “tapa” do paddock de Interlagos e recapiaram a pista. Era o mínimo que poderiam fazer – em Silverstone vão até mudar a reta de lugar pra poder acomodar melhor as equipes. Preocupo-me com as Olimpíadas e a Copa acontecendo aqui, se eles não vão negligenciar o GP. Não deveriam, pois é o maior evento da maior cidade do país no ano.

      Curtir

  2. SennaCeccotto disse:

    Julie

    A F1 vai atrás do dinheiro “não há dinheiro não há palhaço” e não chamam isso de Grande Circo..O único Grande Prémio romántico é Monte-Carlo..

    Sabe alguma coisa da Korea,se faz ou não?

    Curtir

    1. faster F1 disse:

      parece que nas coxas, mas “estaremos” na Coreia. Parece que, se um circuito não for entregue, perde 2 anos de corrida, então eles vão dar um jeito. Acho que vão ser os malabaristas… rsrs

      Curtir

  3. SennaCeccotto12 disse:

    Tem resposta rápida e com substancia..
    Vai ver Schopennhauer tava mesmo enganado…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.