Complicou para a McLaren, mas Red Bull não pode sossegar

Com a dupla que mais bem pilotou durante todo o ano, levando em consideração o tanto que tiveram que compensar um carro longe de ser o melhor do grid, e um pitwall que tomou decisões certeiras, a McLaren teve uma temporada de sobrevivência. Pontuou mais que o desempenho permitia, sugerindo que a competência do conjunto seria o diferencial contra a genialidade de Adrian Newey.

Outro fator que permitiu que a equipe tivesse Button e Hamilton líderes do campeonato (o campeão de 2009, inclusive, por boa parte do ano, até Spa), foram os problemas que a Ferrari enfrentou – por falhas de estratégia, de seus pilotos e polêmicas com os comissários – até a metade do ano. Quando o time italiano se acertou, a partir do GP da Alemanha, ficou claro que a pontuação da McLaren era irreal e que eles teriam outro forte concorrente para brigar pelos pontos que a Red Bull desperdiçava.

A McLaren tem tantas dobradinhas quanto a Red Bull, mas a última foi no Canadá

Se olharmos para trás, é possível dizer que apenas na Espanha, Turquia e Canadá os prateados foram claramente mais rápidos que a Ferrari e só na Turquia, Canadá e Itália, foram melhores que a Red Bull. Na maioria das vezes, a McLaren conseguiu maximizar os pontos quanto tinha vantagem e minimizar as perdas quando era 3ª força.

No entanto, parece que o fato do time ter se perdido quando tentou a introdução do difusor-escapamento na Inglaterra – uma prova depois da Ferrari – marcou o divisor de águas da temporada.

Depois de duas etapas ruins, na Alemanha e na Hungria (quando terminaram a 26s e uma volta do vencedor), vieram Spa e Monza, os melhores circuitos em teoria para os McLaren. Mas, desta vez, o time de Woking não maximizou seus pontos – teve dois abandonos, uma vitória e um 2º lugar – e viu, tanto a Ferrari pontuar mais (43 a 52), quanto a Red Bull não cair tanto como o esperado (fez 38). Foi uma inversão de papéis que expôs Button e Hamilton a uma posição de ataque, pois sabiam que as provas seguintes não os favoreciam.

A McLaren só tem visto a traseira da Red Bull ultimamente

Mais uma vez, a equipe não se encontrou nos updates e resolveu recuar, tanto em Cingapura, quanto no Japão, e o resultado em Suzuka, claramente o ponto mais frágil da Ferrari até o final do ano, decepcionou. O objetivo era classificar ambos os carros à frente de Alonso – e eles tinham ritmo para isso, mas a aposta de Button e os problemas de Hamilton (o 1º no câmbio, ainda fruto da batida de Cingapura), impediram que isso acontecesse.

Com Hamilton a 28 e Button a 31 pontos da liderança, com 75 em jogo, a McLaren sabe que o campeonato está fora de suas mãos. Eles precisam voltar a maximizar sua pontuação e confiar em deslizes dos rivais.

De certa forma, é o que Alonso está fazendo. Com 14 pontos de desvantagem, o espanhol sabe que, se tudo correr normalmente, não tem chances. No entanto, leva em consideração que 2010 tem nos surpreendido. “Das 16 corridas até agora, 15 beneficiavam a Red Bull, mas eles venceram 7”, apontou o piloto da Ferrari. “Acho difícil que eles façam 3 dobradinhas até o final, porque parece que sempre alguma coisa acontece. E, se acontecer, temos que aproveitar a oportunidade”.

Essa parece ser a tônica do campeonato: as oportunidades perdidas. Aconteceu com as 3 equipes e deve se repetir nas últimas 3 provas, em que a Red Bull não deve repetir o domínio do Japão, que, aliás, já foi bem menor em relação à Hungria (quando Vettel colocou 1.3s em Alonso e 1.8s em Hamilton na classificação), outro circuito que parecia feito para os bólidos de Newey.

Nem ao menos Webber pode ficar tranquilo. Vettel se classificou a sua frente nas últimas 3 provas e está a uma distância que permite ser campeão vencendo, mesmo que o australiano seja sempre 2º.

9 comentários sobre “Complicou para a McLaren, mas Red Bull não pode sossegar

  1. Olá Julianne.
    Acho difícil que esse título saia das mão da RedBull.

    Alonso é o melhor piloto do grid mas errou muito esse ano e ainda usou de métodos duvidosos pra vencer a prova alemã. Por justiça não merece o título.

    A equipe dos energéticos passeou em Suzuka, tinham carro de sobra, tanto que Weber fez a volta mais rápida no final.

    A McLaren atravessa uma fase bem ruim nesse fim de campeonato e não vejo uma recuperação milagrosa. É claro que estamos falando de McLaren, mas mesmo assim…

    Vettel está com a moral alta depois do Japão e Weber ainda é o líder. Torço pro australiano. Será sua última chance e foi sempre constante. Na minha humilde opinião está merecendo.

    Abraços

    Curtir

  2. Não sei se vai ter a prova na Coréia. Ouvi na reportagem do JN com Reginaldo Leme que vai se decidir na quarta-feira 13/10.

    Pois bem. Vendo o desenho do circuito, acho ser a chance ideal do Alonso colocar pressão nos energéticos. O circuito-Tilke é propício àquilo que a Ferrari é forte: potência de retomada.

    No setor intermediário e final talvez a Red Bull se dê bem. Mas acho que é hora deles minimizar perdas aí.

    Curtir

  3. Legal, legal… O Hamilton e o Button estão a 28 e 31 pontos de diferença, respectivamente, mas tirando o Webber da disputa, estão somente a 14 e 17.

    Por que eu digo “tirando o Webber”?!
    – Não acredito no título do Australiano, torço muitíssimo por ele, mas acho que quem leva é o Vettel, e mesmo se o campeão for o Marc Webber, essa disputa não irá terminar com 14 pontos de diferença, muita coisa pode rolar, assim sendo, a McLaren pode sorrir no campeonato. (É difícil, eu sei, mas…)

    E eu já acredito que a RBR manda, entre aspas, nos 3 circuitos que faltam, não tãããoo assim como na Hungria, pois aquilo foi “anormal”, mas como no GP Suzuka, por exemplo. (‘Tá’ bom, um pouco menos que Suzuka.)
    O GP em que o Alonso e CIA podem se sair melhor, na minha humilde opinião, é o de “Abu Dhabi”, onde será tipo “Cingapura” que, com um carro mais fraco, e em um circuito de difícil ultrapassagem, o Alonso conseguiu vencer, pois saiu na frente.
    Mas na Coréia e Brasil, aposto nas Red Bull. (Claro, isso sem contar os erros, chuva e etc.)
    [Bom, mas pensando bem, podemos colocar o GP da Coréia juntamente com o de Abu Dhabi. Enfim… Indefinido o campeão até o último GP.]

    * O futuro é incerto, e muitas vezes, por mais que possa não parecer, acaba nos enganando. *

    PS: A RBR era anormal no treino, mas na corrida, parece que tudo ficava meio “normal”.

    Curtir

  4. No papel, é mesmo difícil a Red Bull perder, mas se olharmos para trás, eles foram dominantes a temporada toda, menos em Montreal e Monza, e só têm 3 dobradinhas.
    Acho que a parte das atualizações que a McLaren levou pra corrida funcionou: o Hamilton, na mesma estratégia, parecia mais rápido que o Alonso e foi mais rápido na classificação. O Button, sem apostar nos pneus duros, provavelmente também seria. Resta saber se é uma questão de pista ou de melhora real.
    Bruno, há quem diga que a Coreia é melhor pra Red Bull, há quem cite a McLaren pelas retas. É esperar pra ver. Acho que vamos correr lá, sim, mesmo que não esteja perfeito.

    Curtir

  5. Também acho que o GP da Coreia vai ser realizado. Tem muitos interesses em jogo.

    Parabéns pelo post, ótima análise da situação da McLaren. O bom de tudo isso, é que o Hamilton, a 28 pts da liderança, não tem nada a perder e vai pra cima com tudo agora. O entretenimento está garantido.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s