Quem se complicou na estratégia em Suzuka

É fácil criticar a decisão de Button de largar com o pneu duro depois de terminada a corrida de Suzuka. O inglês acabou mais ou menos onde esperava, ajudado pela falha no câmbio do companheiro. Mas dá para entender em que o atual campeão estava pensando.

Na sexta-feira, mesmo os pneus duros tinham muita degradação. No treino do domingo de manhã, a tendência continuou. Algumas equipes, como a Force India, a Toro Rosso e a própria Ferrari tiveram problemas com os pneus macios. A decisão de Button, portanto, foi baseada na possibilidade – no domingo de manhã, muito provável – de que o option duraria muito pouco.

O rápido emborrachamento da pista fez com que a tendência não se concretizasse na corrida. As paradas dos líderes, depois de 25, 26 voltas, acabaram com a vantagem do inglês, que saiu do carro questionando a decisão da equipe de deixá-lo por tanto tempo na pista. Talvez, parando junto de Alonso, teria alguma chance de pressionar o espanhol, já que estaria com os pneus macios. Mas sabemos que passar é outra história – a não ser que você seja o Kobayashi e não tenha nada a perder, é claro!

A estratégia poderia funcionar se Button tivesse feito apenas uma volta no Q3. Seu melhor tempo, 1’31.378, veio na 1ª de 3 voltas rápidas. Descontando o peso do combustível, que representa perda de 0.08s por volta em Suzuka, o desempenho do carro permitiria que roubasse até o 3º posto de Kubica, que marcou 1’31.231.

 

Mercedes prejudicou Schumi, quem diria!

Outra decisão estranha foi da Mercedes. Rosberg largou mal e mudou de estratégia ao fazer o único pitstop na 1ª volta. Quando seu companheiro parou, voltou logo atrás e não conseguiu passar, embora seu engenheiro tenha dito que, apesar de não haver ordens de equipe, Rosberg fora informado que não deveria dificultar.

Com isso, Michael passou 23 voltas atrás de Nico, perdendo suas melhores voltas com pneus novos e a chance de capitalizar com o problema de Hamilton.

Analisando o momento da parada de Schumi, não há explicação para a equipe tê-lo posicionado logo atrás do companheiro. A diferença entre os dois quando o heptacampeão parou era de 18.3s, ou seja, cerca de 3s menor que o necessário para que voltasse à frente. Como seus tempos de volta eram 0.5s mais rápidos, a Mercedes poderia ter esperado alguns giros e colocado Schumacher à frente.

A única “explicação” seria a tentativa de aproveitar o abandono de Massa e dar o máximo de pontos a Rosberg, para que ele ultrapassasse o brasileiro na tabela. Com o acidente de Nico no final da prova, ambos acabaram zerados.

 

9 comentários sobre “Quem se complicou na estratégia em Suzuka

  1. Julianne, a questão é que a decisão foi de Button.

    Na melhor das hipóteses, a equipe o deixou fora mais tempo realmente para “segurar” os Bulls e Alonso, mas isso seria desastroso por causa da falha de câmbio de Lewis.

    A questão é que, como o James Allen disse, eu creio que Button talvez tenha tentado fugir da disputa direta com os outros por talvez saber que, no fundo, não daria conta do recado.

    Mesmo assim, se se for olhar pelo outro lado, Button já quase não tem nada a perder e sua estratégia talvez tenha sido de fato um ato de “cojones”…

    É uma pena que Vettel tenha lhe arrancado 18 pontos em Spa. Button merecia estar na disputa até o fim.

    A propósito, que belo blog você tem. Parabéns pelo conteúdo de qualidade! Estou adicionando-a aos favoritos do meu blog.

    Abçs!

    Curtir

    1. Também vi o texto do Allen. Acho que o problema foi a classificação (como sempre). Isso desencadeou uma série de decisões que fizeram a estratégia não funcionar. E, se a equipe decidiu usá-lo como escudeiro pro Lewis, foi um erro muito grande, já que claramente as Red Bull tinham mais ritmo e sobrariam a hora que quisessem.
      De fato, parece que ele não consegue ir pro confronto direto. Ele passou o Alonso na largada, assim como quase passou o Lewis em Cingapura, mas nas duas vezes freou cedo e perdeu as posições.
      É uma pena a batida de Spa, ele é o único que não cometeu erros nas corridas, mas falta um pouco na classificação. Acho que podemos dizer que isso lhe custou o bi.
      E obrigada pelos elogios. Volte sempre!

      Curtir

      1. Juli, a classificação não foi um problema de maneira nenhuma.

        A volta de Button foi estupenda e, mesmo com os compostos duros, ficou a apenas cinco décimos do Vettel e 26 MILÉSIMOS atrás do Alonso.

        Ele realmente se deu muito bem com os pneus duros e os tempos de volta da corrida demonstram que ele estava bastante consisitente.

        O problema todo foi que os pneus moles não se desgastaram tanto quanto ele esperava, com mais uma desvantagem de ter havido um SC logo na primeira volta.

        As duas coisas juntas acabaram fazendo com que sua estratégia o deixasse exatamente onde deveria ter estado caso tivesse os pneus macios, ou seja, quarto, com um eventual terceiro se ele conseguisse bater Alonso na largada (contando com a falha na roda de Kubica tb).

        Ao meu ver, Button fez uma corrida muito sólida dentro do que se propôs. A questão foi que a sua estratégia realmente não foi a melhor.

        Paciência. A Coreia vai dar o que falar daqui a duas semanas.

        Curtir

  2. Quando falo da classificação, é porque essa volta foi a 1ª de 3, o que leva a crer que, já que a perda é de 0.08s por volta pelo peso, se ele tentasse só uma volta rápida, largaria em 3º. Não é pelo desempeho dele.

    Curtir

  3. Julie mais uma vez parabéns que qualidade tem esse blog há muito tempo?

    Parece que o Martin Whitmarsh declarou, depois de criticado pelo Christian Horner, que era verdade tinham usado o Jenson para parar os RedBull e permitir que o Hamilton se “chegasse” neles. Julie não lhe parece, que usar o Actual Campeão do Mundo para que o companheiro de equipe se aproxime dos rivais, um pouco de estultícia?
    Um piloto que neste Campeonato nunca errou, é verdade que pouco arrisca, ser utilizado como tampão..o único “failure” que o cara sofreu foi aquela de motor explodindo por causa da não retirada da cobertura, coisa menos que risível para a McLaren..Nesta vida está-se sempre vendo coisa inédita..menos criticável seria o contrário, já que o Hamilton tinha problema com o câmbio..
    Assim..
    Bacci

    Curtir

    1. Tenho muito claro que a McLaren faz tanto jogo de equipe como qualquer outra, e não apenas no final do campeonato, mas adota uma postura “puritana” por questões de imagem – eles querem ser a antítese britânica à Ferrari, também no mercado de carros de passeio.
      Também vi o Mika, o Kimi e o Lewis serem beneficiados seja contra quem fosse. Não será o “easy going” Button que vai mudar isso. Já tinha achado estranha a largada de Cingapura…
      É uma pena, como vc disse, pelo ótimo campeonato que ele está fazendo, mas acho que eles encontraram nele um ótimo 2º piloto pro Lewis que ajude muito no campeonato de construtores.
      Comecei o blog em junho, mas parece que faz anos!

      Curtir

  4. Julie ( me desculpe um pouco de Saramago a mais dá nisso de usar poucas vírgulas..)

    A frase perceptível é

    Julie, mais uma vez parabéns,que qualidade!Tem esse blog há muito tempo?
    Bacci

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s