Jogo de equipe na Red Bull e na McLaren: na prática, melhor para quem?

Aquele mesmo jogo de equipe sujo e fora do regulamento volta às manchetes alguns meses depois. Parece que, a duas corridas do fim, ele se torna esportivo e até necessário. E, mais uma vez, danem-se as regras. Agora Eddie Jordan, por exemplo, chama de burrice a McLaren não apoiar Hamilton e a Red Bull não focar em Webber.

McLaren: Button precisa acelerar para ajudar

No caso do time de Woking, a decisão é óbvia, pois Button, 42 pontos atrás e sempre andando menos que os rivais, precisa que uma catástrofe aconteça, e não com um, mas com 4 concorrentes. Mas o quanto ele poderá ajudar?

Desde o GP da China, a 4ª corrida do ano, raramente tem andado na frente de Hamilton – apenas em Monza (quando o companheiro errou no setup) e no Japão (quando Lewis perdeu cinco posições no grid por trocar de câmbio). Então é pouco provável que possam trocar de posição.

Hamilton, na prática, não pode contar com muita ajuda de Button

Tirar pontos do rivais? Desde as dobradinhas do Canadá e da Turquia, quando a McLaren parecia bem próxima da Red Bull – mais uma vez excetuando-se Monza – ele não consegue fazer isso.

Parece que, mesmo com toda a boa intenção do mundo, Lewis, a 21 pontos do líder e com o 3º melhor carro no momento, está sozinho nesse barco. Sua posição, apesar da diferença na tabela ser consideravelmente menor, é muito diferente da de Kimi em 2007. Sua McLaren não possibilita que o inglês brigue de igual para igual com Ferrari e Red Bull, e ele não vem em grande fase: desde que venceu na Bélgica, cometeu erros em todos os finais de semana, talvez pela obrigação de andar mais que o carro.

Red Bull: A tentação de manter Vettel na briga

A equipe com o melhor carro disparado de todo o ano, exceto Canadá e Itália, parece que não cansa de desperdiçar oportunidades. É um histórico que faz com que seja difícil imaginar, apesar do rendimento do carro permitir, que eles façam duas dobradinhas e tenham uma caminhada tranquila rumo ao título.

Não é segredo a preferência por um título de Vettel. E é o alemão que está num momento melhor. Desde a besteira da Bélgica, colocou-se como azarão e passou a andar mais que Webber – só se classificou atrás em Monza e chegou na frente em todas.

O momento é de Vettel, mas os pontos são de Webber

Contudo, Vettel não depende de suas forças, ao contrário de Webber. Explicando, se o australiano vencer no Brasil e em Abu Dhabi e Alonso for o 2º, ganha o título por 3 pontos. Mas seria esse um motivo para haver ordens de equipe, tendo em vista os altos e baixos da equipe na temporada? Será que não seria mais inteligente manter as duas cartas no baralho no Brasil, no caso de outra catástrofe como da Coréia acontecer?

Parece ser essa a postura da equipe, até para manter seu menino prodígio na briga. Uma dobradinha com Vettel à frente e Alonso em 3º diminui a diferença para 15 pontos (Webber ficaria a 8). Pela pontuação atual, a única troca de posições que dá uma vantagem considerável nos pontos é pela 1ª posição. Alguém vê Vettel, ainda com chances de título, entregar para Webber no Brasil?

Mesmo com a dobradinha “invertida”, ambos iriam para a briga em Adu Dhabi. O problema de apoiar Vettel é que, mesmo ganhando ambas as corridas, Alonso continua na frente com um 3º e um 4º lugares, o que é muito possível.

Por outro lado, uma quebra ou acidente e um dos 3 perde 25 pontos, então o raciocínio de não priorizar agora faz certo sentido. E vem bem a calhar para o raciocínio do time. Mas é arriscado.

17 comentários sobre “Jogo de equipe na Red Bull e na McLaren: na prática, melhor para quem?

  1. Jenson Button sofreu muito mais com a perda de rumo no desenvolvimento do 25 do que Lewis. Característica de pilotagem ou até mesmo talento, penso eu. Button precisa de um carro redondo pra guiar bem. Vimos bem isso no ano passado. E Lewis consegue extrair no braço mais do que o carro pode dar. E acho que um dos motivos pra Lewis estar errando tanto é o fato de ter que andar muito no limite para tentar ir atrás dos outros. Seu caminho é de fato muito mais duro do que foi o de Kimi em 2007. Não temos como saber, mas a pressa da McLaren em trazer, além do Blown Difuser, também evoluções que estavam previstas apenas para a Alemanha já em Silverstone pode ter sido a causa da queda de rendimento do 25.
    A questão é que por Button não estar conseguindo extrair tanto do carro ele não tem se classificado bem. Se ele conseguisse classificar um pouco melhor, poderia se dar bem nas provas, pelo seu estilo conservador. Foi o que vimos nas duas vitórias que ele teve na temporada. Mas do jeito que ele tem se classificado, só se não fosse obrigatória a parada pra troca de pneus ele poderia se posicionar de melhor forma na corrida para, quem sabe, ajudar Lewis.
    Eu ainda tenho um pouco de esperança de que Lewis conquiste seu bi, mas está muito mais para utopia.

    Curtir

    1. Concordo 100% em relação ao Lewis. Acho que ele foi forçado a entrar no “modo overdriving” a partir do momento em que aquelas atualizações do meio da temporada não funcionaram.
      E a McLaren, também, parece de papel, você não acha? Até aquele toquezinho no Vettel em Valência danificou a asa…
      Me parece também que eles introduziram algo – talvez para melhorar o rendimento na classificação – que vem prejudicando na corrida. O desgaste de pneus é muito mais alto que da Red Bull e da Ferrari, de Monza pra cá.
      O problema do Button é parecido com o do Massa, o que é engraçado porque são estilos completamente diferentes.

      Curtir

      1. Gostei do “modo overdriving”, hehehe…
        Concordo, a McLaren está muito sensível. A teoria é que em toque de roda traseira com roda dianteira é a dianteira que se quebra. Mas não foi o que aconteceu em Cingapura entre Lewis e Mark.
        Ron Dennis comentou isso a uns tempos: disse que os pilotos deveriam parar de reclamar que eles não tem ritmo de classificação por que o 25 é um carro feito pensando nas corridas. Mas, por outro lado, se Jenson e Lewis se classificassem sempre atrás das Red Bulls e também das Ferraris, não teriam tempo suficiente para recuperar o terreno na corrida, já que enquanto tentariam passar os F10, os RB6 já teriam disparado…

        Curtir

  2. De certa forma, a Ferrari também é assim. Foi desenhada para cuidar bem dos pneus. É uma vantagem grande – como vismos em Cingapura e em Monza – para ultrapassar/manter-se à frente em corridas decididas no box, mas isso atrapalha na classificação, tanto que o Massa não consegue colocar temperatura neles.
    Mas parece que a McLaren se perdeu mesmo no desenvolvimento, porque agora o carro não é bom nem na corrida, nem no treino. O 25 simplesmente não tem downforce e acho isso complicado até para o ano que vem, quando não vai poder ter duto.
    Sem querer te desanimar… mas o Lewis merecia coisa melhor!

    Curtir

    1. Hehehe. Que é isso. Concordo que ele merecia, mas o consolo é que, mesmo com o 25 não tendo desenvolvido todo o potencial que o próprio Lewis disse que ele tinha, Hamilton está conseguindo um bom campeonato. Imagina se aquela roda não estoura na Espanha, se não dá o problema na Hungria e se o pneu não fura na manobra sobre Webber em Cingapura? Ou se ele se segura um pouco mais em Monza? Ele está a 21 pontos mesmo com tudo isso, então dá pra dizer que tirou muito mais do que o carro poderia dar. Arriscou em vários momentos, mas esse é o estilo e a personalidade dele. Sirlan Pedrosa falou lá no Ultrapassagem algo incrível para definir Lewis: como impedir que o rio corra para o mar?
      Sempre que der um espaço, por menor que seja, Hamilton vai colocar do lado. E, assim como você disse por aqui essa semana, acredito que o saldo dele vai ser positivo ao final da carreira, mesmo em meio aos erros.

      Curtir

  3. Sobre o “Jogo De Equipe” que tanto odeio…

    Éh… Quando a Ferrari fez o que fez, abriu um precedente LEGAL para que outras equipes façam o mesmo. A máFIA que se **** agora.
    * Queria ver esse jogo entre as onze equipes restantes. Queria poder ver qual seria a reação do Jean Todt.
    Se uma equipe faz, o fogo é baixo, apaga rapidinho… Mas e se todas fizerem?
    .
    Sobre a briga do campeonato…

    Pode parecer meio estranho eu dizer isso, mas… Estou com medo do Massa no GP Brasil, medo de que ele possa ajudar o Alonso, pois aqui ele não é uma lesma.

    E não sei se é verdade, mas li uma entrevista do Horner, dizendo que ainda é cedo para ajudar o Webber. (E quando é que seria “tarde” pra ele?!)
    Eu, hein… Cada vez mais o “preferido” aparece.

    GN’R

    Curtir

    1. Claro que há jogo de equipe nas outras, mas quem liga pra disputa entre o 10º e o 11º? Na Sauber, por exemplo, o De la Rosa era impedido de passar o Kobayashi.
      E, na verdade, o procedente legal foi aberto há anos, pois o jogo de equipe nunca deixou de existir e nunca foi punido.
      Em toda a discussão do GP da Alemanha, muitos se perguntavam se o Senna, o Prost, Piquet abririram para os companheiros. Eu duvido que o Vettel o faça se ainda estiver na briga.

      Curtir

  4. E que me desculpem vocês dois (faster / Allan Wiese), mas não da pra jogar a culpa na McLaren… O Lewis errou demais, fez coisa que não deveria fazer.

    * Eu torço muito por ele, mas não da pra tapar o sol com a peneira.

    Curtir

    1. Errou, por tentar guiar mais que o carro. Para o bem ou para o mal, é o jeito dele. Não há nenhuma novidade nisso – a não ser no fato dele nunca aprender!
      Por outro lado, eu esperava muito mais da McLaren. Acho que, se eles trouxessem menos novidades a cada corrida e aprendessem a tirar o máximo do que têm, o carro ficaria mais “guiável”.

      Curtir

  5. Minha cara faster… Logicamente, estou falando do jogo “descarado”.

    OBS: Desconheço o caso “De la Rosa x Kobayashi”, mas eu sei que os jogos existem, até já lhe disse isso. Lembra?! Enfim…
    .
    E quanto ao precedente…
    O jogo que a Ferrari praticou na Alemanha, há tempos não víamos algo parecido, foi por isso que comentei “abriu um precedente LEGAL”. (Não leve tudo ao pé da letra)
    Eu sei que a máFIA apenas fala em punição, fala em proibição e etc., mas nunca pune, tirando aquelas “sanções administrativas”. Infelizmente!

    PS: Espero que tenha ficado claro desta vez.

    Abraço.

    GN’R
    .
    .
    .
    “Errou, por tentar guiar mais que o carro.”
    – De certa forma, o meu comentário se encaixa nisso.
    Mas acredito que por mais que o carro seja “redondo”, ele (se continuar com esse estilo) continuará a cometer erros idiotas, por exemplo, eu ainda não consigo ver uma “clara” diferença entre o Hamilton 2007 e o 2010.
    .
    Ah, e sem dúvida, a McLaren decepcionou legal, a cada atualização, parece que retiram uma. Meio incompreensível, frustrante.
    OBS: Dizem que incluirão mais uma para o GP do Brasil, é esperar pra ver…

    Att.

    GN’R

    Curtir

    1. Meu caro Rafael… sempre vamos discordar nesse assunto porque você se importa com a forma e eu, com o conteúdo. Para mim, não importa se dá na cara ou não, mas respeito e entendo sua opinião.
      Concordo que o Lewis erra até com carro bom. Até parto desse princípio e não acho que isso justifique 100% os erros dele. Minha decepção com a McLaren não tem a ver com isso, mas, comparando com o quanto eles desenvolveram o carro ano passado, ficaram devendo.

      Curtir

  6. Você entendeu errado, não estou aqui querendo discutir as nossas distintas opiniões, pois isso seria insuportável de agüentar, ou como você mesma diz: “sempre vamos discordar nesse assunto”. A questão é outra. Veja…

    …Eu concordo quando você disse: “Claro que há jogo de equipe nas outras”. Nem sei o porquê de você ter postado tal citação, pois já deveria saber que o “esse” na minha frase “Queria ver esse jogo entre as onze equipes restantes”, referia-se a Ferrari no GP da Alemanha, pois estava falando justamente sobre ela. Nenhuma outra equipe fez igual (escancaradamente), e é isso que eu quis dizer. [A não ser que você tenha em mãos algum vídeo que mostre outro “Massa x Alonso”, pois eu desconheço a existência de tal “fato igual” nas outras onze equipes]
    Entendeste agora? (Não quero discutir opinião!)

    # # #

    E quando você disse que o jogo de equipe, a duas corridas do fim, se torna esportivo e etc., eu comentei sobre o precedente. Está seguindo?!

    Explicando: Você estava falando desde a antiguidade, mas eu pensei que estivesse se referindo aos acontecimentos deste ano, achei que o seu “E, mais uma vez”, referia-se a Ferrari na Alemanha.
    Desculpe por pensar outra coisa, é que pra mim, cada ano é um recomeço, não importa, por exemplo, o que uma certa equipe fez em 2002 (Áustria/ EUA).

    ###

    “Minha decepção com a McLaren não tem a ver com isso”
    – Ah, tudo bem, entendi errado.
    Mas você viu como é?! Opinião/Visão é assim, você olha a trajetória que a McLaren teve ano passado e “compara” com a de “hoje”, já eu, olho somente o curso do desenvolvimento deste ano.

    ###

    Espero que você não esteja/fique brava comigo, apenas quero colocar os pingos nos “is”, e seria bom você fazer o mesmo, assim sairemos com as nossas divergências sanadas, mas se não quiser…
    Eu parto do princípio >>> Melhor do que ficar pensando outra coisa a respeito, é interpretar a verdadeira mensagem que ambos queremos passar em seu blog.
    Como já diria Axl Rose: “Need a little patience… Just a little patience… Some more patience”

    Fique à vontade em me corrigir.

    * Com toda a atenção do mundo. Cruzarei os dedos dessa vez.

    GN’R

    Curtir

    1. minha ideia é que jogo de equipe escancarado é o mesmo jogo de equipe encoberto. Encoberto por estratégias estranhas, como já mostrei da Mercedes, por aquela tentativa frustrada da Red Bull na Turquia, e por fatos que passaram despercebidos (como a da Sauber que citei, sobre a qual só “sabemos” pela palavra do De la Rosa). É isso. Para mim, não faz diferença se é descarado ou não.
      Estava sendo irônica quando disse que, faltando 2 corridas, era permitido. A regra que ninguém respeita não tem data, obviamente.
      Sobre a McLaren, é que a equipe tem recursos suficientes pra fazer um campeonato melhor que esse.

      Curtir

  7. Eu SEI a sua idéia, minha querida Faster, NÃO é isso que quis/quero dizer. Mas tudo bem, ficar explicando a você já deu na minha paciência.

    E eu sei que NÃO era o que pensava, quando você disse “a duas corridas do fim, ele se torna esportivo e até necessário”, eu APENAS comentei a SUA ESCRITA. Consegue entender a diferença?!

    OBS: A minha cruzada de dedos nada adiantou.
    “Por favor”, leia tudo outra vez até entender. Não queria que você ficasse pensando outra coisa a respeito, pois isso é muito chato, ridículo.

    Sem atenção desta vez, cansei!

    GN’R

    Curtir

      1. Pasmo!

        Sim, acredito que existe… Feito no “pianinho”, conversado antes, tipo o que aconteceu entre “Alonso x Piquet x Briatore”.

        Quando eu disse sobre querer ver esse jogo nas outras onze equipes, era o “escancarado/fato igual ao da Ferrari”.
        * Era isso que você deveria ter entendido.
        Não há o que dizer, o fato é que o “escancarado/fato igual da Ferrari” NÃO aconteceu nas outras.

        A minha “bronca” é essa, queria ver o barulho disso tudo na máFIA, pois feito às escondidas, ninguém fica sabendo, a não ser que um envolvido abra a boca, vide Piquet.

        A F1 é um mar de esgoto, com uma foto de água límpida por cima.

        Ufa! Obrigado pela compreensão.

        GN’R

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s