Webber nunca vai esquecer da Coréia

Como gols no futebol, pontos num campeonato de F1 têm o mesmo valor, do início ao final da temporada. Mas uma virada nos instantes finais tem um valor inestimável. E diz muito sobre um piloto.

Há quem insista na inócua discussão de merecimento quando é difícil argumentar contra um piloto que, com o carro 3º colocado no mundial de construtores, chegou à etapa final liderando o campeonato. Na mesma medida, o que dizer de quem teve quebras em duas provas que liderava com facilidade e ainda contou com outras falhas no meio do caminho? Mas, pelo menos até essa última etapa, muitos consideravam que Webber “merecia” ser campeão.

Olhando superficialmente, é compreensível. Afinal, o australiano começou o ano com todos apostando que ele não seria páreo para o talentoso Vettel. A idade avançada – 34 anos –, a possibilidade desta ser sua grande chance e o fato da equipe estar moldada ao redor do alemão fazem com que a simpatia pelo azarão seja quase imediata.

Ainda mais após o GP da Bélgica, quando Webber, depois de colecionar belas apresentações na Espanha, Mônaco, Inglaterra e Hungria, assumiu a ponta do campeonato, com Vettel a mais de uma vitória de distância. O contraste com os erros dos rivais, principalmente do companheiro e de Alonso, salientava ainda mais sua regularidade. Para completar, nas corridas seguintes, seria Hamilton quem cederia à pressão e daria ainda mais razão para quem acreditava no título do australiano.

Mas, na parte final de campeonato, Vettel colocou ordem na casa. Nas últimas 5 provas, classificou-se à frente do companheiro, descontando 49 pontos na tabela. E deixou uma pergunta no ar: como um piloto que teve o melhor carro o ano todo, não sofreu com falhas mecânicas nas corridas e ainda não conseguiu fazer mais pontos que o companheiro pode merecer o mundial?

Sorry Mark, but I'm faster than you

Vettel errou muito? Sim. Perdeu, por baixo, 62 pontos – 2 segundos lugares pela batida na Turquia e pela briga desnecessária na largada da Inglaterra, a vitória na Hungria desperdiçada por um drive through infantil, um 3º na Bélgica que virou colisão com Button e uma raspada no muro que lhe custou a pole e a vitória em Cingapura – porém, ao contrário do companheiro, sofreu com problemas mecânicos. Foram 4, contra nenhum de Webber, que lhe custaram nada menos que 66 pontos – Bahrein, Austrália, Espanha e Coréia.

Nas contas do australiano, são 32 pontos perdidos por falhas – um possível 3º lugar em Valência com a ajuda do Safety Car, caso não tivesse batido com Kovalainen, e o 2º (que seria, na verdade, um 1º) na Coréia. Isso sem contar más classificações (Bahrein, Cingapura, etc.) e largadas (Bélgica, Itália, etc.).

Mesmo errando muito menos e sem as falhas técnicas que assombraram o companheiro, Webber ficou devendo na hora da verdade, o que ficou claro na classificação de Abu Dhabi. “Eu não conseguia tirar a performance minha ou do carro. Foi a 1ª vez que olhei para o pitboard e pensei: ‘não consigo chegar nesse tempo’”. Não poderia haver hora mais errada para isso. E perdeu sua chance de ouro pela 2ª vez. A primeira, aos 40’ do 2º tempo, na batida boba na Coréia. A segunda, aos 45’, ao ser mais de meio segundo mais lento que o companheiro na classificação mais importante da sua vida.

Números de Vettel x Webber

Vettel Webber
Vitórias 5 4
Voltas na liderança 382 317
Poles 10 5
Diferença média na classificação -0.04s +0.04s
Média de posição no grid 2.04 2.5
Pódios 10 10
Média de posição de chegada 3.65 3.97
Voltas mais rápidas 3 3
Voltas completadas em corrida 1066 1043
Abandonos por falhas mecânicas 2 0
Abandonos por acidentes 1 2

6 comentários sobre “Webber nunca vai esquecer da Coréia

  1. bem Ju, acho que a diferença está entre o assento e o volante! webber em sua carreira, não alcançou o degrau de excelência dos fora de série! vettel, bem menos experiente, possui o dom! a sorte, não pode ser descartada, mas com um carro deste porte nas mãos, errar é mais difícil! na minha modesta opinião, por possuir um carro tão superior, deu direito a seus pilotos errar e recuperar, o mesmo não podendo ser dito da ferrari, que hoje, inferior, errou grotescamente, não possuindo poder de reação!

    Curtir

  2. Torci pelo Webber, mas fiquei feliz pela conquista do Vettel… Isso calou as reclamações do Australiano.

    Sorry Mark, but I’m faster than you (x2)
    * O que eu disse há um/dois meses?! > O título está mais para o Vettel.

    E assim como Jack Brabham, acredito que esse ano foi a última chance do Webber. Infelizmente!
    * Em 2011, ele irá pegar um Alemão já lapidado, dificilmente o baterá.

    Gn’R

    Curtir

  3. Bons Dias Meus F1 Freaks Like Me

    Wagner a diferença não está só entre o volante e o assento..que também está..Ganhar contra piloto favorito de scuderia (estou falando de todas quando falo dA Scuderia ponho maiúscula)é uma arara preta..Único piloto que o conseguiu foi o Nelsão ganhou da Williams e do piloto favorito Nigel Mansell..e infelizmente para ele o Aussie nunca vai ser um Nelson Piquet Tri-Campeão Mundial..

    Um Abraço

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s