As incógnitas de 2010: a pressa de Schumacher

GP da China, o 4º da temporada. O céu fechado, um chove não molha. Era a hora de Schumacher brilhar. Sempre foi nestas condições que o Kaiser se sobressaiu. Mas, desta vez, foi a chance do mundo da F1 enfim se dar conta de que o esporte mudara demais em 3 anos, até para um gênio. O alemão destruiu seus pneus e virou presa fácil, levando nada menos que 8 ultrapassagens, enquanto seu companheiro ia ao pódio. Quem diria, seria um ano de aprendizado depois dos 40.

As explicações são muitas e passam pela falta de treinos e adaptação aos pneus slick, sendo os dianteiros mais estreitos. Mas é de se estranhar que o dono de 7 títulos mundiais, que voltou de um grande acidente em 1999 antes do previsto e fazendo pole, tenha demorado tanto para se adaptar. Antes das férias de agosto, com 12 etapas disputadas, o placar entre Schumi e Rosberg era amplamente favorável ao piloto que estreou na F1 em 2006, com direito a diferença média na classificação de 0.262s. Mesmo assim, ele ainda estava lá e decisões acertadas em largadas mostravam isso:

Nico X Michael
93 Pontos 38
10 Classificação 2
6.6 Posição média de largada 9.3
Melhor resultado
6.2 Posição média de chegada 9.2
3 Pódios 0
1 Abandonos 1

Nas 7 provas seguintes, no entanto, vimos traços do velho Schumacher de volta. Classificou-se por 3 vezes à frente de Nico, sendo uma delas por mais de 0.5s, justamente num chove não molha em Interlagos. Nessas corridas, a diferença média de classificação caiu para 0.101s.

Nico X Michael
49 Pontos 34
4 Classificação 3
8.7 Posição média de largada 11
Melhor resultado
5.2 Posição média de chegada 7.6
0 Pódios 0
2 Abandonos 1

Fora isso, vimos corridas mais ao estilo Schumacher, sem afobação – a não ser em Cingapura, provavelmente seu ponto mais baixo no ano, junto com Xangai. É bom lembrar que, a partir da metade do ano, a Mercedes parou de desenvolver o carro, trabalhando apenas com o refinamento do setup. Foi a partir desse momento que o alemão cresceu.

As lutas por posição encarniçadas também não deixaram dúvidas a respeito de quem estava ao volante. Kubica, Massa e Barrichello que o digam.

Mas, convenhamos, levar tempo de um piloto que, apesar de talentoso, não tem a experiência de lutar por vitórias na F1 e, ainda por cima, também fazia seu primeiro ano na equipe, ainda é pouco para o Kaiser. Não na sua opinião, é claro. Como vemos nessa entrevista a Niki Lauda, ele afirma que não é qualquer um que enfrenta a garotada de igual para igual como ele.

E isso nos leva à questão da idade, talvez a única que explique o sofrimento em se readaptar. Schumacher completa 42 anos hoje, dizendo que 2010 foi apenas o 1º de um projeto de 3 anos, nos moldes do que ele fez com a Ferrari entre 1996 e 2000, formando uma equipe decadente à sua maneira até chegar ao título. Contudo, chegou ao time italiano logo depois de se tornar o bicampeão do mundo mais jovem da história, não aos 41 e vindo de 3 anos de aposentadoria.

Michael conta com a mão hábil de Ross Brawn e com a esperança de que o fato da Mercedes ter começado cedo a dar 100% de atenção ao projeto de 2010 o faça economizar tempo. E ele precisa ter pressa. Somente 5 vezes na história a categoria teve um campeão com 42 anos ou mais – todas na década de 1950. Na F1 moderna, quem chegou mais perto foi Nigel Mansell, com 39.

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Thiago Raposo disse:

    Lá vem você não ser carinhosa com ele…
    Poxa, é aniversário dele… rs

    Curtir

    1. faster F1 disse:

      desculpa, devia ter esperado amanhã para postar… a consistência dele no ritmo de corrida ainda está lá, pelo que foi o final da temporada, parece que ele vai andar junto do Nico nesse ano. Mas você não acha que o caminho até a Red Bull é muito grande para 2 temporadas? Não é culpa dele, só me parece otimista demais.

      Curtir

  2. Dé Palmeira disse:

    Schumacher ainda é um super piloto, mas F1 não é só isso. É preciso ter um super carro, e uma equipe muito motivada.

    A Mercedes ainda não chegou lá e nem sabemos se vai chegar, ser campeão de F1 depende de muitas coisas mas Michael topou o desafio e isso é que é bacana.

    Só não suporto quando vem a imprensa e põe em dúvida a habilidade de uma cara que já venceu tantos títulos.

    Dêem o carro de Webber para o Schumacher pra vocês verem o que acontece. A temporada acaba com cinco provas de antecedência.

    Curtir

  3. wagner vieira alves disse:

    posso queimar a língua, mas algo me diz que shumacher vai tomar tempo de rosberg em 2011, hehe!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.