Perez x Kobayashi: a façanha em que nem a Pirelli acredita

Kamui Kobayashi Sergio Perez
Posição na classificação 13º
Tempo da Classificação (Q2) 1’25.405 (-0.703) 1’26.108
Posição na corrida 8º* 7º*
Voltas 58/58 58/58
Pit stops 2 (16, 32) 1 (23)

*são as posições de chegada; foram desclassificados após a prova

Sergio Perez protanozinou a estreia dos sonhos até 3h após a prova, quando foi desclassificado junto de seu companheiro Kamui Kobayashi por irregularidades na asa traseira de seu Sauber. Isso não tira o valor de seu feito: nem mesmo os especialistas da Pirelli acreditavam que o mexicano de 21 anos havia conseguido completar a prova com apenas um pitstop. Achavam que a TV e a organização não tinham captado a segunda parada do novato.

Mas essa foi apenas uma parte da façanha de Perez, que tem a carreira cuidada pelo milionário do ramo das telecomunicações Carlos Slim desde os 12 anos e é membro do programa de desenvolvimento de pilotos da Ferrari. O mexicano ficou a menos de 0s1 de Kobayashi no Q1 e se disse atrapalhado por Nico Rosberg no Q2, quando foi cortado.

Largou em 13º e sofreu com uma pane no rádio durante a volta de apresentação, logo quando o engenheiro passa vários parâmetros a serem acertados no volante e dados sobre a temperatura dos freios.

Perez estreia gp da australia 2011
Antes da largada, a impressão era de que Perez estava feliz só em fazer parte do grid

Solitário com os pneus duros, perdeu uma posição na largada e depois foi ultrapassado por Barrichello e Maldonado. Chegou a rodar até 2s mais lento que Kobayashi, mas, com a degradação do composto macio que o japonês usava, os tempos de equilibraram. Para pela única vez 7 voltas após o companheiro. Até aí, a ideia era fazer 2 paradas.

Mas o rendimento de Perez com os pneus macios foi incrível. Além de aguentar 35 voltas com um composto que suportava de 10 a 16 voltas na concorrência, ainda fez seu giro mais rápido na prova – o 6º melhor da corrida – na 16ª volta do pneu!

Com os pneus iguais aos de Kobayashi – ainda que mais novos – foi Perez quem passou a andar 1s, 1s5 mais rápido que o companheiro. E, quanto o japonês parou pela segunda vez na volta 32, o mexicano seguiu firme e, com isso, foi subindo na classificação até a 7ª posição, logo à frente do outro carro da Sauber. Nas últimas 13 voltas, o japonês tirou um pouco a diferença, mas Perez ainda teve fôlego para fazer dois giros seguidos em 1min30s8 nas voltas 52 e 53, sendo o 5º mais rápido da pista naquele momento.

12 comentários sobre “Perez x Kobayashi: a façanha em que nem a Pirelli acredita

  1. Todo mundo falou disso esses dias, foi realmente impressionante.

    Mas terá sido isso um fato isolado devido ao alfalto australiano ser menos abrasivo, e com o decorrer da prova a pista ficar mais emborrachada ou será que Perez conseguirá façanha parecida em outras pistas?

    Curtir

    1. Pelo que li da repercussão, foi uma combinação de fatores: Perez tem essa característica de cuidar bem dos pneus, a Sauber se mostrou eficaz nesse sentido na pré-temporada, a temperatura não era tão alta, o asfalto não era tão abrasivo e parece que a Pirelli deu uma melhorada nos pneus.
      Mas ninguém aposta que isso se repita na Malásia. Falam em 3 ou 4 paradas lá.

      Curtir

  2. O bom de acompanhar as categorias de base é que todos estes nomes que as pessoas vão conhecendo e aprendendo a respeitar, já sabemos muito antes do potencial.

    O Perez, por exemplo, acompanho desde 2008 quando ele perdeu o campeonato da F3 Inglesa para o Jaime Alguersuari.

    Curtir

  3. Se ele pertence ao programa da Ferrari, fosse eu um certo piloto brasileiro, estaria bastante preocupado com meu emprego no final do ano.

    Curtir

      1. Acho que não houve um só dia na vida de Felipe Massa na Ferrari em que ele não tenha sido ameaçado por boatos e falatórios. Ele já deve estar bastante acostumado com tudo isso.

        Mas com certeza essa situação só tende a se agravar caso seu desempenho permaneça no mesmo nível do ano passado.

        O que me deixa impressionado é que ele passou a pré temporada inteira falando da diferença dos novos compostos, e que o problema de não conseguir aquece-los devidamente estava solucionado.

        E depois, um qualifying medíocre e ainda a facilidade com que Alonso o ultrapassou, mesmo depois de Felipe ter dado um trabalho imenso pro Button.

        Curtir

  4. É mt agradável ver um moleque rápido, ainda mais tendo testado tão pouco. Espero que seja uma constante, afinal no contexto, equilibra as atenções entre o fundão e a ponta. Seria bom que esse resultado expressivo da sauber, não fosse apenas obra das peculiaridades de Albert Park. O detalhe da pane do rádio mostra que o garoto é do ramo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s