Malásia, a hidratação e o marketing nas garrafas

Quando se fala do GP da Malásia, o assunto que logo vem à cabeça é o desgaste físico dos pilotos. Também, pudera. O clima no país lembra o de cidades brasileiras próximas à Linha do Equador, como Manaus ou Belém. Um calor de rachar seguido de uma bela pancada de chuva. E mais calor.

No ano passado, os treinos livres foram disputados com 35º de temperatura ambiente, 52º de pista e umidade relativa do ar de 58%, o que aumenta ainda mais a sensação térmica. Dentro do cockpit, as temperaturas passam dos 60º. E isso é algo que os pilotos enfrentam “devidamente” trajados com três camadas de tecido, entre macacão e roupas anti-fogo.

button australia
Cada piloto escolhe um tipo de composto para repor as energias

O grande risco de desidratação, que causa queda na performance muscular e de concentração a partir do momento em que se perde 1 ou 2% do peso corporal, faz com que os profissionais tomem um cuidado adicional com a ingestão de líquidos. Quem nunca viu pilotos  com seus squeezes, tomando uns goles mesmo durante as sessões de treinos? Pois, bem, a melhor maneira de repor líquidos é ingeri-los em pequenas porções, continuamente, por isso as garrafinhas ficam sempre à mão.

É lógico que as fabricantes de bebidas viram ali um filão altamente lucrativo para expor suas marcas. Logo, a Red Bull estampou seu logo na garrafa de seus pilotos e outros, como Felipe Massa com o Guaraná Antártica, conseguiram até patrocínios pessoais com isso.  Não coincidentemente, quando acabam uma sessão de classificação, mal saem dos carros e os três primeiros já correm para pegar seus squeezes e gerar exposição às marcas nas fotos que rodarão o mundo.

Isso não quer dizer, no entanto, que Vettel beba energético ou Massa ingira guaraná antes de uma prova. Os pilotos consomem água ou algum repositor eletrolítico/bebida isotônica. Isso porque estão tentando não apenas restaurar os estoques de água em si, como também de sais minerais, como sódio e potássio, que perdemos com o suor.

massa alonso button gp da itália 2010
Massa e sua inseparável garrafinha de guaraná, mas sem guaraná dentro!

Publicidade à parte, para ajudar na hidratação durante a prova, os pilotos contam com um reservatório de 1 a 1,5l de água dentro do carro. Ativado por um botão (sempre um botão!), o mecanismo leva a água até o piloto por meio de um cano acoplado ao capacete.

Mas, é claro, este sistema pode falhar. Quem foi vítima de uma quebra em péssima hora foi Fernando Alonso durante o GP do Bahrein de 2009. Por estar no deserto, sem a umidade relativa do ar tão alta como na Malásia, a corrida barenita não é tão desgastante. No entanto, as temperaturas são muito altas e o suadouro, grande.

Sofrendo não apenas com uma falha no sistema de hidratação, como também no isolamento do calor que passava da traseira do carro ao cockpit, o espanhol perdeu perto de 6kg em líquidos durante a prova, cerca de 10% de seu peso corporal. Pálido e com queimaduras nas costas, deu algumas entrevistas e desabou ao final da corrida.

A cena não deve se repetir nesse ano, com os pilotos afirmando que o ritmo mais lento imposto pelo pneu Pirelli faz com que o desgaste seja menor. Mas isso não torna a Malásia menos quente: as garrafinhas continuarão mais que presentes.

11 comentários sobre “Malásia, a hidratação e o marketing nas garrafas

  1. Julianne,

    Muito bem escolhida a última foto. Para mostrar o produto só faltou apontar para a logomarca tal o cuidado em deixar voltado para as câmeras.

    Mas isso também é possível de se ver ao final da corrida quando cada piloto veste seu relógio momentos antes da premiação.

    Acredito que os pilotos devam até ser proibidos de beber qualquer coisa que possa ser considerada como doping, afinal Red Bull é um estimulante.

    Aliás, os pilotos coletam amostras para exame anti-doping após a corrida como no futebol?

    Pois pelo comentário geral, Red Bull já deu asas flexíveis demais à RBR e Vettel tem voado baixo…

    Curtir

    1. Sim, há controle antidoping.

      Não haveria ganho algum em tomar um estimulante com doses altíssimas de cafeína que aumenta os batimentos cardíacos antes da corrida. Na verdade, todo o treinamento cardiovascular que os pilotos fazem busca justamente o efeito inverso.

      Curtir

  2. Não consigo entender o porque de nao criarem um pequeno
    sistema de refrigeração. Consumiria tanta potencia assim em
    motores com centenas e centenas de cavalos?

    Curtir

    1. A resposta é peso, se não me engano a cada 10 kg de peso adicional se perde cerca de 0,1s por volta.

      Então, deixa o cara passar calor…

      Curtir

  3. Julianne,

    Quando acaba a sessão de classificação, os pilotos sempre se pesam na balança da FIA, com todos seus equipamentos.

    Sempre achei que eles dão atenção demais ao fato, pois observam atentamente o valor registrado.

    Nos anos anteriores havia reabastecimento durante a corrida, então havia a questão de quantos quilos de combustível cada um largava e assim era possível prever o momento da parada.

    A classificação já é feita com toda a gasolina que será utilizada na corrida, ou existe algum reabastecimento descontando o peso do piloto?

    Curtir

    1. Ricardo,
      A pesagem do piloto não tem a ver com o combustível, mas sim com a inspeção da FIA. Ao final das sessões, os comissários fazem diversos testes para determinar se os carros estão dentro do regulamento. Dentre eles está a pesagem. E, como o que vale para o regulamento é o conjunto carro + piloto, eles fazem essa medição logo após os pilotos saírem dos carros, com Hans e capacete. Para esse ano, o peso mínimo é de 640kg.

      Curtir

      1. A classificação é feita com o carro totalmente preparado para a corrida, mas sem o combustível. Depois do Q3, os carros ficam sob o que são chamadas de “parc femmé conditions” e poucas modificações podem ser feitas. É como se ficassem sob tutela da FIA.
        Espero ter respondido suas dúvidas.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s