GP da Malásia em dados: pitstops

Pitstops na Malásia

(pilotos que completaram a prova)

Piloto Voltas dos pits Tipos de pneus Tempo perdido
Vettel 3 13, 25, 41 Macio/macio/duro 1:07.225
Button 3 13, 23, 38 Macio/macio/duro 1:07.354
Heidfeld 3 13, 26, 39 Macio/macio/duro 1:09.723
Webber 4 10, 22, 32, 43 Macio/macio/duro/duro 1:28.793
Massa 3 13, 27, 38 Macio/macio/duro 1:14.658
Alonso 4 14, 26, 41, 46 Macio/macio/duro/duro 1:38.040
Kobayashi 2 17, 36 Macio/duro 46.722
Hamilton 4 12, 24, 37, 52 Macio/duro/duro/duro 1:33.011
Schumacher 3 14, 28, 42 Macio/macio/duro 1:07.064
Di Resta 3 11, 24, 37 Macio/macio/duro 1:09.169
Sutil 3 1, 16, 32 Macio/duro/macio 1:16.290*
Rosberg 3 15, 29, 40 Macio/macio/duro 1:10.070
Buemi 3 15, 20, 32 Macio/duro 1:20.562*
Alguersuari 2 16, 32 Macio/duro 46.472
Kovalainen 2 15, 34 Macio/duro 52.420
Glock 2 17, 34 Macio/duro 49.046

*Buemi perdeu 29s843 num stop and go por excesso de velocidade nos boxes, enquanto Sutil trocou a asa dianteira na primeira volta em 31s694. Ambos adotaram a estretégia de 2 pitstops.

O que fica cada vez mais claro é que o ganho de performance dos pneus macios supera a maior durabilidade do composto duro. Primeiro, porque ela não é tão grande e segundo, porque vem a um custo muito alto em termos de velocidade.

Isso faz com que seja ainda mais importante usar o menor número de pneus macios possível durante a classificação. Como vimos num post anterior, os pormenores da regra de distribuição de jogos de pneus durante o final de semana faz com que as equipes tenham apenas três sets do composto prime e outros três do option (nessas primeiras corridas, duro e macio, respectivamente).

Equipes com ritmo de classificação ruim têm usado mais jogos de pneus macios aos sábados que as demais e, inclusive, sacrificando uma das tentativas no Q3 para guardar borracha – na Malásia, apenas Red Bull e McLaren usaram dois jogos na última parte do treino.

schumacher malásia 2011 pitstop
A Mercedes com Schumacher foi a que melhor trabalhou nas paradas

É com detalhes como esse que uma boa estratégia pode começar a fazer a diferença já no sábado. Ferrari e Renault encontram-se na situação de ter que usar pneus macios já no Q1. No entanto, enquanto os pilotos da Scuderia deram 14 (Alonso) e 13 (Massa) voltas, Heidfeld e Petrov fizeram apenas 9 durante toda a sessão (três em cada parte). Com eficiência, descontam um pouco da vantagem que os italianos têm em ritmo de corrida.

Por outro lado, vimos a corrida de Hamilton ser destruída pelos 2 sets de pneus duros que usou nos 3º e 4º stints. Além do fato disso não ter permitido que ficasse mais tempo na pista, seu ritmo, especialmente no 4º stint, quando foi facilmente alcançado por Alonso – que calçava o mesmo composto, só que 4 voltas mais novos – começou a piorar, ao contrário do que seria o natual em consequência do consumo de gasolina.

É muito provável que Hamilton tenha usado apenas dois jogos de pneus macios pelo desgaste excessivo na classificação, levantando a questão: se você tem um carro que pode lutar pela pole, compensa gastar mais pneu, arriscar, e ser obrigado a adotar um ritmo mais lento na corrida? Pelo menos nas condições da Malásia, não funcionou para o inglês.

9 comentários sobre “GP da Malásia em dados: pitstops

  1. O fim do seu post é intrigante. Fica a dúvida: por ter um carro bem equilibrado, seria esse um dos motivos pelo qual a RBR não faz tanta questão de utilizar o KERS em grande parte da corrida, por imaginar que sua utilização contribua fortemente para a degração dos Pirelli? Não se esquecendo que não utilizando o Kers na pole, a tendência é preservar os pneus para a corrida, teoricamente. Será?

    Curtir

    1. Não, Wagner, as equipes são unânimes em afirmar que não há vantagem alguma em dispensar o Kers. Só o faz quem tem problemas de confiabilidade com o sistema.
      Ao que tudo indica Vettel usou o Kers pra fazer a pole, na largada, e na corrida até lá pela volta 30. Depois pediram para ele não usar mais.
      Segundo o de la Rosa (acabei de assistir a corrida na TV espanhola agora), o Webber usou o Kers no sábado também, mas logo após o treino Christian Horner já admitia que a unidade dele preocupava. Pela largada ruim, não deve ter usado a corrida toda.

      Curtir

  2. Ju, vc acha que a estratégia da Sauber foi eficiente?
    Se fossem 3 paradas, num ritmo mais forte, não daria na mesma ou seria até melhor?

    Abraço

    Curtir

  3. Oi eu estava procurando os dados dos tempos de parada no pit nao o total do pit lane, mas nao achei
    pois em uns dos pits stops da RBR eles fizeram 2.8 sec, queria achar estes dados pra confirmar isso, se for verdade a equipe esta numa preparaçao absurda para troca de pneus

    Curtir

    1. É muito difícil determinar isso, Fernando. Na transmissão, o que eles fazem é calcular o tempo de perda total, depois subtraem um tempo de perda padrão no pitlane. No entanto, isso pode mascarar um eventual bom/mau trabalho do piloto na entrada/saída do pit.
      Por exemplo, se um piloto derrapa na hora de sair do box ou freia muito forte antes de entrar no pitlane, pode perder muito tempo. E isso entra na conta.

      Curtir

      1. isso é verdade, mais eles ainda mostram o tempo do pitlane e da parada mesmo lembro que tinha dado isso, vamos ver agora nos proximos pitstops da RBR, a ferrari que deveria reaprender como se faz um bom pitstop como fazia na epoca do schumi

        Curtir

      2. Então, o tempo que eles mostram na transmissão como sendo o da parada é justamente o resultado da conta perda total – perda estimada sem a parada. Por isso, não é confiável.
        Não sei se expliquei direito, é meio difícil de explicar!

        Por exemplo, em Monza ano passado, segundo os gráficos, Alonso teria passado o Button nos boxes por uma parada 0s6 mais rápida da Ferrari. Depois, a Ferrari divulgou o tempo de parada de fato, e era mais alto do que o gráfico indicou. Ou seja, Button tinha perdido a posição por uma entrada e saída mais lentas.

        Curtir

      3. E sim, a Ferrari fez 3 paradas lentas com Alonso (ele perdeu a posição pro Button por isso) e uma muuuito lenta com o Massa.
        Para se ter uma ideia, a perda do Alonso em relação ao Vettel, por exemplo, nos 3 primeiros pits foi de 3s6. O Massa, só na 1ª parada, perdeu 6s. Imagine quantas voltas são necessárias para tirar isso na pista!

        Curtir

  4. Entendi sim, e é verdade eu nao tinha pensado neste lado, as vezes tem tempos que nao sao contabilizados na hora da freiada para entrar no pit e na saida qdo o pirulito sobe,
    acredito que é por isso entao que nesses ultimos anos incluiram nas transmiçoes o tempo total do pitlane.

    Obrigado julianne, gostei do seu blog primeira vez q acesso

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s