Faltam mais três meses para entender os nervos de Kubica

De um lado, Niki Lauda e Mika Hakkinen, que voltaram depois de acidentes sérios e foram campeões do mundo. De outro, Karl Wendlinger e Didier Pironi. Na próxima sexta-feira, o acidente de rali que tirou Robert Kubica desta temporada de F1 completa três meses, e ainda é cedo para afirmar qual caminho o polonês seguirá. Recém saído do hospital em que passou por cirurgias na mão, cotovelo, ombro e perna direitos após ser atingido por um guard rail numa batida durante o Rali de Andorra, em fevereiro, o piloto ainda tem um bom período de recuperação pela frente.

De acordo com o diretor de ortopedia do hospital em que Kubica esteve internado, Dr. Francesco Lanza, os médicos não podem garantir a volta do piloto, nem afastá-la. “Sua recuperação funcional nos surpreendeu: se vai permitir que ele faça algo tão específico como pilotar um carro de Fórmula 1, ainda é muito difícil dizer.”

O motivo para tode esse cuidado são as lesões nos nervos. O piloto quase teve a mão amputada devido a uma lesão bastante extensa no antebraço. Portanto, estamos falando de ossos, músculos, tendões, articulações, ligamentos… e nervos. Cada um desses elementos exige um processo – e tempo – de recuperação diferente.

Um nervo é uma espécie de cabo condutor de eletricidade, encarregado de carregar impulsos nervosos da medula até os músculos e também, em sentido inverso, transmitindo informações nervosas vindas da pele, músculo, articulações e órgãos internos até a medula. Assim, no caso de lesão de um nervo, todos os músculos inervados pela parte afetada sofrerão paralisia.

A maioria dos nervos das extremidades é mista, ou seja, quando afetados, provocam a perda de sensibilidade em uma parte da pele e de força, em determinado grupo de músculos. Por exemplo, nas lesões do nervo radial no braço – não foi divulgada que parte do antebraço de Kubica foi particularmente atingida –, o indivíduo perde a capacidade de estender a mão e os dedos, além da sensibilidade em parte do dorso da mão entre o primeiro e segundo dedos.

Quando há uma lesão grave nos nervos, que requer cirurgia, a reconstrução não dá um resultado imediato. Os chamados cotos são religados, mas a função dos nervos é reconstituída aos poucos. São os axônios, parte do neurônio responsável pela condução dos impulsos elétricos, que têm que se reconstruir, e seu crescimento é em torno de um milímetro por dia. Por isso, o período de recuperação após a cirurgia pode durar de um a quatro anos, dependendo do nervo lesado e do local da lesão.

Nesse período, a fisioterapia é particularmente importante para previnir que os tendões se ‘encurtem’. No caso de Kubica, esse trabalho também é fundamental para curar as demais lesões.

Imagem impressionante do buraco feito felo guard rail

“Lembre-se de que suas maiores lesões foram nos nervos, que levam mais tempo para curar. Poderemos fazer a primeira avaliação da recuperação seis meses depois do acidente”, lembra o médico, que destaca a motivação do piloto. Como em qualquer processo de recuperação, manter-se confiante é imprescindível.

Agora, a recuperação do piloto está nas mãos de Riccardo Ceccarelli, dono da clínica especializada em treinamento esportivo Formula Medicine. E adivinha qual a maior preocupação do médico?

“A reconstrução dos nervos é a parte mais longa do processo, então é difícil entender os primeiros seis meses de como será a recuperação. Ele tem boa sensibilidade, mas não em todos os lugares. Mas a mão está lá e vamos recuperar a funcionalidade”, explicou.

Já abordamos aqui a importância das mãos do piloto, tanto em relação à força – diretamente ligada à capacidade dos nervos enviarem os impulsos – quanto da sensibilidade – novamente, função deles. Isso explica a preocupação e a cautela dos médicos. Três meses depois do acidente, recuperando-se a um milímetro por dia, ainda é leviano fazer previsões.

6 comentários sobre “Faltam mais três meses para entender os nervos de Kubica

  1. Quando visualizei o título do 2º vídeo, me assustei, achando ser o on board do carro do Kubica. Sabemos que as imagens existem, mas por questão de ética, é racional a censura. Ter sobrevivido, foi um verdadeiro milagre, mas o fato de ser um esportista renomado, com qualidades físicas/psicológicas diferenciadas, somando-se a isso o excelente trabalho dos médicos, acredito na volta do polonês. Tudo conspira a favor, mas quem sabe apartir desse acontecimento, a sorte que lhe faltava na carreira, dê o ar da graça! Torcer é o máximo que podemos fazer.

    Curtir

    1. A informação não procede, Luis Antonio. Presumo que o texto do IG seja uma tradução do post que o James Allen fez sobre a entrevista, pois utiliza os mesmos trechos. O Allen fala (da própria boca, não o médico) que considera um milagre se Kubica voltar.
      A entrevista do médico é essa:
      http://www.422race.com/2011/il-dott-lanza-a-422race-com-kubica-siamo-ottimisti/
      Em NENHUM momento ele crava que Kubica não volta ou fala em milagre.

      Curtir

  2. Torço muito pra que Kubica volte a pilotar um F1 novamente. A categoria não pode prescindir de um talento como ele.

    Acredito que durante o processo de recuperação ele possa se sentir motivado pelo progresso dia a dia, mas é preciso muito mais que motivação à medida em que os limites passam a ser mais difíceis de ser ultrapassados.

    Ele vai precisar de uma força sobre humana pra que a sua volta a F1 aconteça de fato.

    Curtir

  3. Jú, faltou vc citar o Alessandro Nannini, companheiro de Piquet na Benetton, que apesar de ter sofrido um acidente de helicóptero onde teve seu braço amputado e reimplantado, ainda assim pode voltar ao automobilismo. Não mais na F1 mas no Turismo italiano e depois na DTM, vencendo diversas provas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s