Posições de chegada entre companheiros

Button 1 x 3 Hamilton
Schumacher 2 x 2 Rosberg
Vettel 4 x 0 Webber
Massa 2 x 2 Alonso
Barrichello 4 x 0 Maldonado
Heidfeld 2 x 2 Petrov
Sutil 2 x 2 Di Resta
Buemi 4 x 0 Alguersuari
Kovalainen 1 x 3 Trulli
Liuzzi 0 x 3 Karthikeyan
Kobayashi 3 x 1 Perez
Glock 1 x 3 d’Ambrosio

Diferenças no GP da Turquia*

Vettel (4) x Webber (4) = 8s807
Hamilton (4) x Button (3) = 19s199
Massa (4) x Alonso (4) = 69s748
Rosberg (4) x Schumacher (4) = 37s905
Petrov (4) x Heidfeld (4) = 7s311
Barrichello (3) x Maldonado (4) = 20s545
Di Resta (4) x Sutil (3) = abandonou
Kobayashi (3) x Perez (4) = 12s010
Buemi (3) x Alguersuari (4) = 31s248
Kovalainen (3) x Trulli (3) = 2s496
D’Ambriosio (2) x Glock (0) = abandonou
Liuzzi (4) x Karthikeyan (3) = 2 voltas

*Entre parênteses, o número de paradas, incluindo drive thourgh

A diferença de cerca de 20s entre Hamilton e Button mostra o prejuízo das três paradas para Jenson, que acabou perdendo pouco mais de 40s em rendimento em relação ao companheiro, enquanto Maldonado chegaria muito mais perto de Barrichello não fosse o drive through no final da prova.

Na classificação, 5 pilotos ainda estão zerados em relação a seus companheiro de equipe (Webber, Massa, Schumacher, Trulli e Karthikeyan) mas, em resultados de corrida, a situação é mais igualada. A não ser para Webber, por alguns motivos levantados no post de ontem e outros ainda nebulosos, especialmente aos sábados.

2 comentários sobre “Posições de chegada entre companheiros

  1. Como foi dito pelos pilotos durante a pré-temporada, quando acabam, os Pirelli são radicais. Mt me estranhou a permanência de Button 3 voltas a mais na primeira parada, algo tentado por Alonso na China, o que ocasiona a volta no meio do pelotão. O lema dos Pirelli é claro, não adianta insistir. Fica a dúvida: será que compensa melhorar um pouco mais a resistência do pneu mais duro?. A sensação que fica, é que assim como os Bridgestone, que eram mt parecidos tanto em velocidade quanto durabilidade, é que os Pirelli macio e duro, se desgastam igualmente rápido, apesar da diferença de velocidade. Cabe ao fornecedor, tentar achar uma diferença de durabilidade que mantenha a diferença de velocidade, aí sim, compensará fazer estratégias diferenciadas, onde permanecer em pista, mesmo que mais lento, seja compensado pela durabilidade e desempenho. A equação matemática está para ser achada, chamem o Einstein! outro fato interessante, não sei se é ilusão de ótica, mas parece que os aerofólios traseiros das RBR, levam menos asa. Será a eficiência aerodinâmica?

    Curtir

    1. Já para a Espanha, eles vão estrear um pneu que deve durar 3 ou 4 voltas a mais. Será o suficiente para acontecer isso que você falou.
      Sobre a asa, falarei mais sobre isso semana que vem!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s