Dificuldade de ultrapassar custou mais caro que pitstops para Massa

Um largava em 10º e outro, em 4º. Enquanto Felipe Massa passou Heidfeld e lucrou com o acidente de Petrov e Schumacher, passando na terceira volta em sétimo, Lewis Hamilton tentou uma manobra otimista para cima de Mark Webber logo na curva 3, foi ultrapassado por Alonso e Button e cruzou em sexto. Ambos os pilotos fizeram a primeira parte da corrida juntos, sofreram com maus pitstops e acabaram separados por mais de 39s. Como isso aconteceu?

Massa e Hamilton pareciam mais rápidos que Jenson Button, mas, enquanto Lewis não conseguia encontrar uma brecha para passar o companheiro e destruía seus pneus traseiros, Felipe conseguia atacar, uma vez que o piloto da McLaren estava em posição de ativar sua asa.

Massa parecia ter mais ritmo que ambas as McLaren – a julgar pelos tempos de Alonso, lá na frente, 1s melhores – e passou Hamilton logo antes de entrar para sua 1ª parada. Ficou 0s6 a mais nos boxes, o suficiente para que perdesse a posição.

No segundo stint, Massa continuou a menos de 3s de Hamilton, ainda que estivesse num sanduíche entre Rosberg – de quem Lewis se livrou com facilidade – e Button. O quarteto já perdia cerca de 20s para o líder neste momento da prova.

O momento em que Hamilton passou Rosberg começou a decidir o destino dele e de Massa

O tempo perdido na briga, no entanto, fez com que voltasse atrás de Petrov após a segunda parada. Sem conseguir passar o russo, em 10 voltas a diferença em relação a Hamilton, que corria sozinho, aumentou para 18s, ainda que fossem 4º e 6º.

Seu terceiro pitstop pouco ajudaria, 1s5 pior que seu companheiro. No entanto, a Ferrari trabalhou bem melhor – ou menos pior! – que a McLaren, que foi 12s mais lenta no carro de Hamilton. Aí a diferença construída pelo excelente terceiro stint do inglês provou-se útil: enquanto Lewis, mesmo sendo mais prejudicado, voltou em 6º, Felipe caiu para 12º, ainda que a diferença entre ambos fosse de apenas 10s.

Clique na imagem para ampliar

Logo que saiu do box, Massa escapou na curva oito e perdeu mais 6s (em relação à outlap de seu companheiro). Foi quando encontrou Schumacher, Heidfeld, Kobayashi e companhia. Passou o alemão e ficou preso novamente atrás de uma Renault, cena que já havia acontecido com ambas as Ferrari na Turquia no ano passado. A diferença para Hamilton, que continuava em sua corrida solitária, já havia subido para 19s quando Felipe fez seu último pitstop.

Mas o pior estava por vir: 15s perdidos atrás de Petrov

Seria a pior de suas paradas. Provavelmente soltou a embreagem, o que fez com que a roda continuasse girando, e os mecânicos não conseguiram fixá-la. Perdeu 4s6 em relação a Hamilton aí, ainda que, na soma total da corrida, tenha ficado 6s a menos nos boxes. Como a corrida estava muito apertada, a parada ruim o colocou de volta três posições atrás de onde estava antes do pit, novamente na caixa de câmbio de Schumacher.

Massa passou o alemão, que estava com pneus macios, sete voltas depois para chegar em 11º. Enquanto isso, o solitário Hamilton, que só teve que se preocupar em passar seu companheiro, àquela altura sofrendo com os pneus velhos, foi o quarto. Nessas últimas 12 voltas depois das quartas paradas de ambos, abriu mais 20s de vantagem para o brasileiro, cujo ritmo passou a ser semelhante ao do companheiro quando se livrou do tráfego nas últimas cinco voltas. A melhor volta, marcada na penúltima volta, mostra o que poderia ter sido uma corrida mais prejudicada pela dificuldade em ultrapassar primeiro Rosberg, depois Petrov e Heidfeld, do que pelo trabalho no box.

6 comentários sobre “Dificuldade de ultrapassar custou mais caro que pitstops para Massa

  1. Kbça fria, idéias no lugar. Que tal uma mea culpa Massa? A Ferrari errou (grande novidade!), mas o carro italiano, rendeu mais que as Mclaren no fim de semana, e pelo visto, Hamilton, tão ou mais prejudicado, fez o diferencial, atacou! Simples! Mts taxaram Alonso de barbeiro na Malásia, quando tentou passar Hamilton, mas fica a pergunta: cair tentando, ou por omissão? Prefiro a primeira alternativa. Após mts anos, achava que Senna tinha errado infantilmente em Mônaco 88, tentando dar uma vota no 2º colocado Prost, mas pensando friamente, estava certo, afinal quem sabe faz a hora, não espera acontecer!

    Curtir

  2. O pior é que muita gente ainda compra o peixe vendido pela Globo. O próprio Massa, que não era muito disso, deu para arrumar desculpas para tudo. Mas o fato é que durante o pit stop mais demorado de Massa dava para ver a roda traseira girando quando o carro estava suspenso. Daí a dificuldade do mecânico em encaixar o novo conjunto roda-pneu. Qual seria a contribuição do piloto nesse caso? Freio não acionado corretamente? 1ª marcha engrenada antes da hora? Ou seria um problema do carro?

    Curtir

    1. Na transmissão da BBC (devo postar o comparativo das transmissões amanhã) Brundle e Coulthard viram na hora a roda girando e afirmaram que ele deve ter soltado a embreagem e continuado a acelerar.

      Curtir

    2. Franco e Julianne,

      Acredito que seja mais correto supor que o Massa não pisou no freio. Como as paradas são mais rápidas, os pilotos mantém os carros já engrenados e segurando a embreagem.

      Diferente de um carro de rua, existe um botão no volante ( mais um! ) para regular a altura da embreagem. Durante os treinos de 6ºFeira e Sábado os pilotos procuram o ajuste que melhor se adapta ao asfalto do circuito para que se tenha a melhor largada possível, com isso a embreagem fica sempre no limite raspando. Vocês já perceberam que sempre que um piloto engrena a 1ª marcha o carro dá um leve tranco para a frente? É por causa do ajuste da embreagem.

      Nos anos 80 o ajuste era feito pelo mecânico no box, por isso era comum o motor “apagar” na largada se o piloto bobeasse e deixasse o giro abaixar. E se a largada fosse cancelada, os pilotos desligavam o motor rapidamente para não “queimar” a embreagem.

      A largada é um dos pontos fortes do Massa, então ele deve ser bem agressivo nessa regulagem. Já o Barrichello volta e meia se perde nesse ajuste e tem problema na largada. Mas como hoje tem o recurso do anti-stall o câmbio passa para Neutro automaticamente e o motor não “apaga”.

      Independente do que ocorreu com o pit do Massa, se ele tivesse pisado nos freios, as rodas não girariam.

      Curtir

    1. Não sou eu, são os números. Só fiquei curiosa porque na hora da corrida não consegui seguir porque, de uma hora para a outra, Massa passou da briga com Hamilton, Button e Rosberg para lutar com Schumacher e Kobayashi.
      Fico imaginando como fica a cabeça do piloto durante a corrida. Eles não devem entender nada quando estão no meio da confusão como o Felipe nessa prova.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s