GP da Grã-Bretanha: voltas mais rápidas vs pneus

Piloto Tempo Diferença Volta Pneu
Alonso 1:34.908 41 Macio usado (2)
Massa 1:35.474 0.566 49 Macio usado (8)
Vettel 1:35.565 0.657 38 Macio usado (2)
Webber 1:35.665 0.757 49 Macio usado (9)
Hamilton 1:36.180 1.272 39 Macio usado (2)
Petrov 1:36.308 1.400 40 Macio novo (2)
Perez 1:36.656 1.748 35 Macio novo (3)
Barrichello 1:36.733 1.825 38 Macio novo (7)
Sutil 1:36.744 1.836 42 Macio usado (2)
Button 1:36.982 2.074 31 Macio usado (5)
Schumacher 1:37.034 2126 34 Macio novo (3)
Maldonado 1:37.036 2.128 41 Macio usado (6)
Rosberg 1:37.073 2.165 32 Macio usado (2)
Heidfeld 1:37.117 2.209 37 Macio novo (7)
Alguersuari 1:37.160 2.252 38 Macio novo (7)
Di Resta 1:37.936 3.028 48 Duro novo (18)
Glock 1:39.811 4.903 49 Macio usado (19)
Buemi 1:40.224 5.316 24 Macio novo (13)
Liuzzi 1:40.524 5.616 40 Macio novo (9)
D’Ambrosio 1:40.560 5.652 30 Macio usado (2)
Kobayashi 1:40.703 5.795 23 Macio usado (3)
Ricciardo 1:40.910 6.002 30 Macio usado (2)
Trulli 1:55.491 20.583 9 Inters novos (9)
Kovalainen 2:10.404 35.496 2 Inters novos (2)

*entre parênteses, quantas voltas o pneu tinha quando o piloto fez o melhor tempo

Se alguém tinha dúvidas da valia em se guardar um jogo de pneus na classificação, aí está a prova: observe como a maioria dos pilotos que fez seu último stint com o composto novo obteve sua melhor volta mais tempo depois do pit. A questão não é que o pneu novo seja mais rápido, mas ele dura voltas valiosas a mais, que permitem uma maior flexibilidade na estratégia.

Por outro lado, quem estava com pneus usados fez seu melhor tempo na segunda volta do pneu – a não ser aqueles que, como Massa e Webber, lutaram por posição até o final e tiveram que levar o último jogo ao limite.

É lógico que aí também entra a questão de poupar os pneus, pois os pilotos não forçam o ritmo como se estivessem em voltas de classificação o tempo todo com esses Pirelli, a não ser, justamente, que estejam tentando ultrapassar um adversário.

Impressionante foi o ritmo de Alonso nos últimos dois stints, a partir do momento que alcançou a liderança. O espanhol, que já vinha sendo o homem mais rápido da pista em diversos momentos na prova, não fez apenas a melhor volta da corrida com mais me meio segundo de margem, mas sim manteve este ritmo forte por uma sequência considerável de voltas, chegando a ser 1s5 mais rápido que os rivais em determinados momentos.

E, caso alguém esteja se perguntando, Di Resta foi o único piloto a usar pneus duros na corrida. E, pela confusão que se tornou seu último pit, já que o rádio o chamou, mas os mecânicos esperavam Sutil – e os pneus de um carro não podem ser colocados em outro – provavelmente foi um engano.

2 comentários sobre “GP da Grã-Bretanha: voltas mais rápidas vs pneus

  1. Por tudo que aconteceu até agora no campeonato, ver as duas Ferraris com as melhores voltas, soa estranho. Resta saber se por melhoras do carro, ou pelo difusor meia boca aliado as condições climáticas. Veremos na Alemanha.

    Curtir

  2. A evolução da Ferrari parece ser real, pelo menos as peças novas que estão produzindo estão funcionando. Falta esperar a decisão final sobre o imbróglio dos difusores aquecidos e verificar o novo equilíbrio de forças.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s