Chuva + DRS complicam a vida dos engenheiros

O que ficou mais claro nesta sexta-feira de chove e para em Spa-Francorchamps foi a dificuldade dos times estabelecerem suas configurações de asa para não comprometer, nem a classificação, nem a chuva.

São vários os fatores que contribuem para tanto. Spa já é um circuito difícil para o acerto – nos primeiro e o último setores a prioridade é para as retas e, portanto, a melhor configuração é uma asa mais reta e baixa, enquanto no segundo a história é inversa.

A DRS dificulta a escolha porque pode ser usada o tempo todo na classificação, mas não na corrida – onde só poderá ser ativada no primeiro setor. Além disso, como é largamente usada em classificação em Spa – perdendo apenas para Monza – é difícil decidir até que ponto vale a pena acertar o carro para se aproveitar ao máximo dela no sábado e acabar perdendo no domingo.

Para jogar mais lenha nessa fogueira, a expectativa é de uma classificação com chuva e uma corrida com mais períodos no seco (a chuva não está descartada). Como equacionar asa e relação de marchas – para que os pilotos não batam no limitador na reta antes da Les Combes – com tudo isso em jogo?

É uma pergunta que a sexta-feira pouco respondeu. A impressão é de que a Ferrari priorizou o segundo setor e a Red Bull trabalhou nas duas direções – Vettel foi um dos mais rápidos no speed trap, algo incomum para a equipe anglo-austríaca, enquanto Webber voou nas curvas de alta. Um erro pode comprometer a possibilidade de ultrapassar durante a corrida ou jogar fora a classificação.

Como os ponteiros não fizeram stints de mais de quatro voltas seguidas e as condições de pista mudavam a todo instante, não é possível tirar conclusões da ordem entre as equipes. Apenas fica claro pelas voltas combinadas que Vettel esteve fora de posição – ainda mais por não ter saído com pneus macios. Outros que não fizeram seus melhores tempos foram Alguersuari, Buemi, Kovalainen e Petrov (o russo só andou de intermediários).

Melhores voltas combinadas
(computando os três melhores setores registrados)

Pos Piloto Carro Volta combinada Dif. Dif p/ melhor
1 Mark Webber Red Bull 1’50.145 0.176
2 Fernando Alonso Ferrari 1’50.201 0.056 0.260
3 Jenson Button McLaren 1’50.529 0.384 0.241
4 Lewis Hamilton McLaren 1’50.838 0.693 0.000
5 Sebastian Vettel Red Bull 1’51.028 0.883 0.762
6 Nico Rosberg Mercedes 1’51.122 0.977 0.120
7 Felipe Massa Ferrari 1’51.218 1.073 0.000
8 Nico Hulkenberg Force India 1’51.351 1.206 0.374
9 Paul di Resta Force India 1’51.510 1.365 0.241
10 Sergio Perez Sauber 1’51.568 1.423 0.087
11 Michael Schumacher Mercedes 1’51.606 1.461 0.316
12 Pastor Maldonado Williams 1’52.395 2.250 0.355
13 Sebastien Buemi Toro Rosso 1’52.457 2.312 0.552
14 Jaime Alguersuari Toro Rossoi 1’52.667 2.522 0.244
15 Kamui Kobayashi Sauber 1’52.780 2.635 0.000
16 Rubens Barrichello Williams 1’53.047 2.902 0.109
17 Bruno Senna Renault 1’53.794 3.649 0.041
18 Jarno Trulli Lotus 1’54.844 4.699 0.207
19 Timo Glock Virgin 1’55.436 5.291 0.058
20 Heikki Kovalainen Lotus 1’55.584 5.439 0.618
21 Vitaly Petrov Renault 1’55.972 5.827 6.262
22 Jerome d’Ambrosio Virgin 1’56.751 6.606 0.065
23 Vitantonio Liuzzi HRT 1’57.235 7.090 0.215
24 Daniel Ricciardo HRT 1’57.573 7.428 0.039

3 comentários sobre “Chuva + DRS complicam a vida dos engenheiros

  1. Com estes ingredientes, aliados ao fantástico traçado, o GP da Bélgica tem tudo para ser o melhor do ano. Torço por um ótimo desempenho do Bruno e arrisco-me a dizer que, diante das condições climáticas imprevisíveis, o Button desponta como um dos nomes do final de semana.

    Curtir

  2. Julianne,
    Vc tem acesso a informação sobre com que tipo de pneu os pilotos conseguiram sua melhor volta (ou a combinada, pois é improvável melhores trechos com pneus diferentes – embora possível) ?
    Dadas as mudanças de condição acho que o número de voltas do pneu nem é relevante, apenas o tipo.
    Vc citou os que ficaram nos intermediários, mas acho que alguns não usaram os macios.
    ats,
    vicente.

    Curtir

    1. Oi Vicente,
      O único que fez sua melhor volta nos intermediários foi o Petrov. Como está no texto, ficaram nos médios Vettel, Alguersuari, Buemi e Kovalainen. Os pilotos da Toro Rosso, inclusive, fizeram suas melhores voltas em stints mais longos de, 7, 8 voltas, o que é animador para a equipe.
      Quanto às voltas combinadas, teria que cruzar alguns dados mas, tendo em vista a dinâmica do treino, todos os que colocaram macios viram os tempos caírem bastante, então é pouco provável que haja melhores trechos com pneus diferentes.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s