Placar de posições de chegada entre companheiros

Vettel 14 (0) x 1(1) Webber
Hamilton 6 (2) x 6 (2) Button
Alonso 11 (1) x 2 (2) Massa
Schumacher 5 (5) x 5 (2) Rosberg
Senna 1 (0) x 2 (2) Petrov
Barrichello 5 (3) x 5 (5) Maldonado
Sutil 7 (2) x 6 (2) Di Resta
Kobayashi 5 (2) x 4 (3) Perez
Buemi 5 (3) x 5 (4) Alguersuari
Kovalainen 5 (5) x 3 (4) Trulli
Ricciardo 4 (2) x 1 (2) Liuzzi
Glock 7 (2) x 4 (2) d’Ambrosio

*apenas computando as provas que ambos completaram. Entre parênteses, os abandonos de cada um.

 

Nada de Kers ou DRS. O que fez diferença no GP da Coreia foi a degradação dos pneus. Em um dia em que ser mais rápido em termos de performance não garantia ultrapassagens, quem adotou a melhor estratégia e soube lidar melhor com a equação pneus/combustível se deu bem.

Destaque, como tem sido relativamente comum a partir do GP do Canadá, para Jaime Alguersuari. Em sua segunda temporada completa na F-1, o espanhol de apenas 21 anos vem crescendo junto de sua Toro Rosso, que no momento compete com a Force India pelo posto de quinto carro do grid – posição que, no campeonato de construtores, é da Renault mais pelo início brilhante que pela falta de consistência das últimas provas.

Outro que brilhou em Yeongam foi Kovalainen. O piloto comprovou a evolução da Lotus, que ficou pela primeira vez na volta do líder no Japão e agora superou ambas as Sauber na Coreia – e, com mais uma volta, chegaria na frente da Renault de Bruno Senna também.

Na ponta, atuação irrepreensível de Hamilton – e olha que ele foi “provocado ao erro” por Webber mais de uma vez. Uma conversa no rádio, no entanto, chamou a atenção e evidenciou algo que é latente na carreira do inglês – e que talvez tenha dado espaço para Button crescer na equipe. Lewis perguntou à equipe se eles tinham mexido na asa dianteira em seu pit e ouviu um “claro que mexemos”. A impressão é de que, ao invés de ser o líder, ele precisa que a equipe o guie. Já que é hora de rever o que está errado em sua abordagem, eis algo que poderia entrar no pacote!

Falando em liderança desde o cockpit, foi interessante a solução que Alonso encontrou para passar um Massa cujo ritmo de corrida impressionou: sem achar espaço na pista, economizou pneu e, muito provavelmente, combustível para fazer três voltas voadoras após a segunda parada do brasileiro e passar a andar 0s6/volta mais rápido que todos os rivais no retorno. Que Webber e Red Bull, cuja decisão de parar na mesma volta de Hamilton tornou praticamente impossível a dobradinha, tomem nota para o futuro.

 

9 comentários sobre “Placar de posições de chegada entre companheiros

  1. Vettel e Alonso estão quase aposentando os companheiros.
    Maldonado, Di Resta e Perez pressionam os companheiros mais experientes.
    Acredito que Alguersuari vá ser o escolhido da Toro Rosso para o ano que vem, junto com o Ricciardo que deve aposentar o Liuzzi.
    Quanto ao Hamilton, a impressão que deu vendo a corrida foi que ele continuou com os mesmos problemas antes da parada e por isso quis se certificar se a equipe tinha feito o combinado, mexer na asa dianteira.
    De resto, achei que esse circuito é muito ruim.

    Curtir

    1. Vejo principalmente Perez impressionando. Hoje andou a corrida toda à frente de Kobayashi também, mas teve de parar a 3 voltas do final com um desgaste anormal dos pneus.
      Me refiro à resposta do engenheiro, não à pergunta de Hamilton, que faz sentido. Em várias ocasiões vimos a equipe tratá-lo como se ele só servisse para acelerar. Ação ou reação? Só alguém de dentro da equipe para responder.

      Curtir

      1. Ok. A impressão que tenho é que esse humor do Hamilton é devido ao clima ruim dentro da equipe e não à vida fora da F1 como andam falando. Parece que ele quer sair a todo custo. Não à toa foi falar pessoalmente com a Red Bull, fez um comentário esquisito sobre a corrida de número 700 e vem pilotando assumindo muitos riscos. Não me surpreenderia dele ficar um ano fora, esperando a vaga da Red Bull ou da Ferrari para 2013.

        Curtir

      2. Se ele realmente quer sair do time que o patrocinou a vida toda (vale lembrar que ele declarou várias vezes que se aposentaria na McLaren) é mais um sinal de que a cabeça não vai bem. Se ele quer sair porque a equipe não lhe deu um carro competitivo, por que ele não assume o mesmo papel que Schumacher assumiu em 1997 e Alonso este ano? E mais, o clima ruim dele com a equipe foi criado por ele mesmo, que agora está cuspindo no prato que comeu.

        Curtir

  2. ola ju, como disse anteriormente eu amo seus comentarios e suas analises, há alguns dias te pedi a sua opiniao sobre a temporada de 2007, e confesso que pela primeira vez me senti um pouco decpcionado com vc, pois te achei muito neutra na resposta. Entretanto pra te mtirar de cima desse muro, gostaria que vc enumerasse por ordem os 10 melhores pilotos atualmente na sua opiniao, e se nao for muito abuso tb queria saber sua lista dos 20 melhores de todos os tempos nao se esqueça de colocar na ordem e se quizer analisar cada um dos escolhidos, entao acredito que terei uma das melhores leituras da minha vida.

    Curtir

  3. Oi Juliana, comento pouco, mas leio sempre.
    Venho agora só para discordar da sua versão da solução encontrada por Alonso.

    Felipe tinha mais voltas pra fazer, anteciparam sua parada. Seu pneu macio, não duraria tão poucas voltas a mais que o super macio, considerando ainda a entrada do SC.

    Foi antecipada calculadamente pela Ferrari para que ele voltasse atrás do tráfedo e Alonso não. Foi aí que Felipe perdeu 2s atrás de um carro e mais 2s atrás do segundo. Sem contar que sua parada foi lenta.

    Abraço,

    Curtir

    1. Justamente um dos pontos interessantes deste GP foi o fato dos pneus macios terem comportamento semelhante aos supermacios. Percorrendo as voltas de parada dos demais pilotos que utilizaram a mesma estratégia de Massa, que parou nas voltas 14 e 34, o padrão é o mesmo: 14 e 33 para Webber, 10 e 31 para Barrichello e por aí vai. Outro fator a ser observado é a estagnação dos tempos do brasileiro começando três voltas antes da parada – o que indica que o ganho de performance vindo do consumo de combustível não superava o desgaste dos pneus. E também temos de lembrar que as ordens de equipe estão liberadas.
      Por isso – e pelo ritmo de Alonso após a parada, que para mim indica que ele economizou combustível, além de pneu, antes, pois a Ferrari não é 0s6 mais rápida que Red Bull e McLaren em condições normais – não é de se estranhar o momento do pit.
      Nada disso tira o mérito de uma das corridas mais consistentes e combativas que Massa fez nos últimos tempos, mostrando um ritmo bastante bom. Como você frisou, ele teve azar com o tráfego em ambas as paradas – na primeira, dentro do box com Schumacher, e na segunda voltando atrás de Di Resta.
      Obrigada por comentar!

      Curtir

  4. Impressiona o quanto Vettel e Alonso estão melhores que Webber e Massa respectivamente. Gostaria de esperar um pouco mais de tempo para dar o devido valor a Vettel, um grande piloto, mas com um carro perfeito nas mãos. Fica a grande dúvida: será que o carro de Webber recebe o mesmo tratamento? será uma questão de adaptação? será mesmo diferença de habilidade? ou a diferença de idade? Difíicil! Na Ferrari, que tem um carro abaixo da crítica, Alonso parece sobrar. Buscam para qualificar de superpiloto Vettel, o campeonato medíocre de Webber! Será? Creio que o carro de Vettel especificamente, seja o melhor disparado, nada contra o alemão!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s