Abu Dhabi em números: das sequências quebradas de Vettel à coleção de troféus de Alonso

Alonso aos 22 anos, posando com seu primeiro troféu, do GP da Malásia de 2003

Alonso já havia avisado antes do GP da Europa, em Valência, que seu objetivo na temporada, uma vez que o carro da Ferrari não lhe permitia brigar pelo campeonato, seria completar sua sala se troféus: das provas do atual calendário, o espanhol não havia feito pódios em três circuitos – justamente o de Valência, obviamente Índia e Abu Dhabi.

Atingiu a meta. No entanto, ao contrário do que declarou após a prova – e retificou na segunda –, dificilmente conseguirá completar sua coleção contabilizando todos os circuitos em que correu em seus 10 anos de carreira. Fica faltando apenas o de A1 Ring, em que correu em 2001, de Minardi, e 2003, abandonando em ambas as oportunidades.

Falando em pódios, segue a seca de Felipe Massa, que dura desde o GP da Coreia de 2010. O brasileiro está a um GP de se tornar o primeiro piloto da Ferrari a não se classificar entre os três primeiros desde Didier Pironi em 1981, mesmo tendo disputado todas as provas do ano – Ivan Capelli chegou perto em 1992, mas foi substituído a duas corridas do final. O brasileiro tem tantos top 6 quanto Alonso tem em número de pódios em 2011. O espanhol, aliás, contabiliza 20 pódios em 40 provas pela Ferrari

Pódios na temporada

Vettel 16
Button 11
Alonso 10
Webber 9
Hamilton 6
Petrov 1
Heidfeld 1

Curiosamente, em três destas seis vezes em que Hamilton esteve no pódio foi no ponto mais alto. O GP de Abu Dhabi marcou sua 17ª vitória na carreira, colocando-o em 15º entre os maiores vencedores da história. O inglês se tornou ainda o 17º piloto a liderar mais de 1000 voltas na carreira. Ao contrário do que se poderia esperar, no entanto, o ano em que Lewis passou mais tempo na frente não foi o de seu título.

Ano Voltas na liderança
2007 321
2008 294
2009 182
2010 100
2011 150
Total 1047

Mesmo assim, o piloto da McLaren não conseguiu evitar algo que já vinha se desenhando: pela primeira vez na carreira, fez menos pontos e se classificou atrás do companheiro de equipe em uma temporada. Isso, porque tem 28 pontos de desvantagem para Button com 25 em jogo. Automaticamente, está fora da luta pelo vice.

O último pódio de Massa coincide com a última vez que a Red Bull ficou fora das três primeiras posições e que Vettel abandonou

A vitória provavelmente só foi possível com o abandono de Vettel, que acabou com a possibilidade de conquista de alguns recordes em 2011. E logo em um final de semana em que tudo parecia encaminhado, após o alemão ter igualado a marca de Nigel Mansell em número de poles em uma temporada – 14 em 18 GPs (o feito do inglês foi obtido em 16 provas). Falando na classificação, no terceiro GP disputado em Abu Dhabi, é a terceira vez que a primeira fila é fechada por Vettel e Hamilton.

Vettel agora não pode mais alcançar o recorde de Michael Schumacher, de 2004, de maior número de vitórias em uma temporada (tem 11, contra 13 do heptacampeão) e a porcentagem de voltas na liderança de Jim Clark em 1963 (71,47%, enquanto o piloto da Red Bull só pode chegar a 66,94%), ainda que lidere em números absolutos – 711 contra 692 do mesmo Mansell em 1992.

O abandono ainda marca o fim de uma sequência de 19 provas nos pontos, a segunda maior da história, superada apenas pelas 24 corridas nos pontos de Schumacher entre 2001 e 2003. Vettel era o único piloto que havia completado todas as provas até aqui. Agora, se junta a Webber, Alonso e Di Resta entre os que cruzaram a linha de chegada em 17 GPs no ano.

Falando em Webber, o australiano pode estar devendo neste ano em termos de resultado, mas levará ao menos um prêmio de consolação: maior número de voltas mais rápidas de 2011. Curiosamente, é um dos poucos quesitos em que os pilotos que estão atrás no campeonato nos times de ponta superam seus companheiros:

Piloto Voltas mais rápidas
Mark Webber 6
Lewis Hamilton 3
Jenson Button 3
Sebastian Vettel 3
Felipe Massa 2
Fernando Alonso 1

No entanto, a velocidade de Webber não lhe garantiu o pódio, fazendo com que, pela primeira vez também desde o GP da Coreia do ano passado, nenhuma Red Bull ficasse entre os três primeiros.

Pastor Maldonado ultrapassou Lewis Hamilton como o piloto mais penalizado do ano. O venezuelano levou três punições apenas no GP de Abu Dhabi – duas por ignorar bandeiras azuis durante a prova e uma por usar o nono motor – e agora tem sete no ano, contra seis do inglês.

As trocas de motor, tanto de Maldonado, quanto de Barrichello, fizeram com que a Williams amargasse sua pior posição de largada da história – 23

º e 24º – superando o GP dos Estados Unidos de 1975, quando Jacques Laffite e Lella Lombardi ocuparam a 21ª e 24ª posições no grid. Um final de ano emblemático para a equipe que vive seu pior ano na F-1.

4 comentários sobre “Abu Dhabi em números: das sequências quebradas de Vettel à coleção de troféus de Alonso

    1. Sim, ele e Alguersuari tiveram 20s acrescidos a seu tempo final após a prova por aquela disputa bem na frente de Massa e Webber, além do drive through pago durante a corrida.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s