Onde colocar domínio de Vettel frente a Mansell em 1992 e Schumacher em 2002 e 2004?

Se pudermos listar os anos com os maiores domínios da F-1 moderna, a temporadas praticamente perfeitas de Michael Schumacher em 2002 e 2004 na Ferrari, e a grande Williams de Nigel Mansell de 1992 logo vêm à mente. É claro que a forma arrasadora como a McLaren conquistou os títulos de 88 e 89 não poderia faltar na lista, mas o duelo Senna x Prost acabou distribuindo melhor os números finais.

E são os números que serão comparados aqui: onde estaria a performance de Sebastian Vettel em 2011 frente a esses três conjuntos carro-piloto imbatíveis em seu tempo?

Olhando os números absolutos, parece que o ano de Vettel foi tão dominante quanto 92 para Mansell e 2002 e 2004 para Schumacher, tanto em pontos, quanto em poles, vitórias e voltas lideradas – o que talvez seja a estatística mais impressionante do ano, pois trata-se de uma das maiores médias da história mesmo com problemas nas últimas duas provas.

Mas o curioso é observar como tamanha vantagem foi construída prova a prova. No ano do título de Mansell, por exemplo, foram nove vitórias, sendo seis dobradinhas. Nas vezes em que a Williams ocupou as duas posições mais altas do pódio, a diferença média para o terceiro colocado foi de incríveis 50s95. Nas classificações, era comum termos mais de 1s de diferença para os carros “mortais”.

Tal domínio pode apenas ser comparado com o das McLaren em 88/89, campeonatos que só não foram decididos com bastante antecedência pela luta interna entre Senna e Prost – a média de vantagem para o terceiro colocado também era superior a 50s.

Não foi o que se viu mesmo nas melhores temporadas da Ferrari, cujo sucesso também teve uma bela pitada de maximização dos resultados, pois a vantagem do carro, ainda que grande, era consideravelmente menor.

Nº dobradinhas/ vitórias Vantagem média para 2º colocado Vantagem média em dobradinhas*
1992 6/10 (60%) 25s2 50s95
2002 9#/15 (60%) 9s2 25s6
2004 8##/15 (53%) 8s15 26s6
2011 3###/12 (25%) 7s45 15s7

#Em quatro delas, Barrichello venceu
##Em uma delas, Barrichello venceu
###Em uma delas, Webber venceu
*diferença para o terceiro colocado

Os dados também mostram que, nas provas mais apertadas, com menos de 10s de vantagem em relação ao adversário, Schumacher seguia em primeiro, mas não acompanhado do companheiro Barrichello, que esteve junto dele nas dobradinhas quando a vantagem para o terceiro colocado superava 20s, com exceção dos GPs da Itália de ambos os anos computados.

Já os números da temporada de Vettel mal apontam um domínio de equipamento. É claro que o regulamento hoje apresenta restrições ao uso de motores e câmbios, o que leva ao gerenciamento do ritmo e a uma dúvida a respeito do real desempenho da Red Bull em determinadas corridas, mas o fato é que a maior vantagem do alemão foi obtida na prova de abertura: 22s2.

É mais um dado que aponta para o sucesso da maximização dos resultados de um pacote que não era tão superior aos demais. A força do RB7 esteve mais na adaptabilidade a todos os tipos de circuito e na excecução praticamente perfeita dos vários fatores que compõem um final de semana de GP, que vão desde o equilíbrio entre o acerto do carro para a classificação e para a corrida, até a largada, os pit stops, a estratégia e a condução do piloto, entre muitos outros.

Campeões com mais pontos na história

Ano Piloto Provas % de pontos possíveis Pontos*
2011 Sebastian Vettel 19 82,5 392
2002 Michael Schumacher 17 89,4 380
2004 Michael Schumacher 18 81,5 367
2001 Michael Schumacher 17 76,9 327
2005 Fernando Alonso 19 67,7 322
2006 Fernando Alonso 18 71,3 321
2000 Michael Schumacher 17 67,2 286
1992 Nigel Mansell 16 69,7 279
1988 Ayrton Senna 16 68,7 275
1991 Ayrton Senna 16 68,6 274.5

*pelo sistema adotado a partir de 2010

 

Número de vitórias em uma temporada

Ano Piloto Vitórias/Provas % de vitórias possíveis
2004 Michael Schumacher 13/18 72,2
2002 Michael Schumacher 11/17 64,7
2011 Sebastian Vettel 11/19 57,8
1992 Nigel Mansell 9/16 56,2

 

Número de pole em uma temporada

Ano Piloto Poles/provas % de poles possíveis
2011 Sebastian Vettel 15/19 78,9
1992 Nigel Mansell 14/16 87,5
1988 Ayrton Senna 13/16 81,25
1989 Ayrton Senna 13/16 81,25
1993 Alain Prost 13/16 81,25

 

Número de voltas lideradas em uma temporada

Ano Piloto Voltas Total % na liderança
2011 Sebastian Vettel 739 1133 65,23
1992 Nigel Mansell 694 1036 66,99
2004 Michael Schumacher 683 1122 60,87
1994 Michael Schumacher 646 1046 61,76

7 comentários sobre “Onde colocar domínio de Vettel frente a Mansell em 1992 e Schumacher em 2002 e 2004?

  1. Esses quadros comparativos dão mais informações pra uma opinião minha: o Mansell não pode ser colocado no mesmo patamar de qualidade do Vettel, Schumacher, Alonso, Prost ou Senna. Apesar dos vários anos com carro superior (Williams ’86, ’87 e ’92, pelo que me lembro, teve mais?), só reverteu a vantagem violenta de equipamento em título uma vez.

    Curtir

  2. É algo que tenho dito em alguns fóruns: Sem dúvidas a Red Bull foi o melhor carro em 2011, mas não tão superior como Williams de 1992 ou Ferraris de 2002 e 2004. Willians e Ferrari fizeram o campeão e vice facilmente. Neste ano o Webber só foi terceiro ao apagar das luzes, tendo sorte de Vettel ter tido problema no câmbio na última corrida senão ficaria em quarto no campeonato.

    Curtir

  3. Isso mostra uma coisa MUITO interessante, como o carro da Mclaren era absurdo, muito melhor que a ferrari do schumacher, e muito melhor que a rbr do vettel. Senna foi campeão em um carro muito melhor que todos os outros, era um excelente piloto, mas a fama que ele tem, é muito maior do que a realidade, era simplesmente impossivel não ser campeão naquele carro, até o Massa seria campeão naquele carro. Isso serve pra provar, que senna apesar de um exímio piloto, ainda sim, é uma farsa.

    Curtir

    1. Acho que vc está errado, é verdade que a Mclaren de 88 era superior, mas o Senna teve que enfrentar o Alan Prost um super piloto que massacrou o Mansell na Ferrari, massacrou o Keke Rosberg na Mclaren, ganhou do Hill na Williams, existem indícios que o Mansell não é um grande piloto, ele perdia feio na Lotus para o De Angelis, perdia por pouco para o Keke na Williams, empatou com o Berger na Ferrari, empatou com o Piquet na Williams, apanhou do Hakkinem na Mclaren inclusive abandonando a F1. Ele só foi mais rápido que o Ricardo Patrese. Não devemos esquecer que o Mansell ganhou com um carro que tinha um câmbio que não errava mais marcha, além de controle de tração e suspensão ativa muito mais desenvolvida. Aí ele virou um grande piloto, mas acabando com a eletrônica ele voltou a ser um mau piloto, e saiu da Mclaren alegando mau desempenho do carro em 1995. Eu pergunto e se o Piquet e o Mansell, estivessem na Mclaren em 1988, e o Senna ou Prost na Ferrari? eu apostaria meu dinheiro no Prost e no Senna, eles eram muito superiores ao Piquet e Mansell.

      Curtir

  4. É imprescindível um bom carro minimamente para ser campeão, fato! Não sei se seria uma análise muito superficial, mas os problemas principalmente com o kers de Webber nas 5 primeira corridas, me pareceram uma forma da RBR manter naquele momento, o único carro que poderia brigar com Vettel, a uma distância “confortável” do alemão. O aprendizado de 2010 para a RBR, mostrou que uma aposta focada, quando se tem um carro muito bom, é a melhor escolha.

    Curtir

  5. Os carros da Red Bull são superiores, mas a superioridade é pequena, méritos do Vettel, a própria Mclaren de 1988 era muito boa de treino graças ao motor Honda de 650 cavalos aliado ao peso de 540 kgs peso mínimo dos turbos, mas nas corridas eles usavam só 590 cavalos, só nas retas é que eles colocavam os 650 cavalos, por que nas corridas tinham que gastar só 150 litros, um rival forte das Mclaren seriam os Benetton aspirados que no meio do ano davam 620 cavalos com um peso de 520 kgs (o regulamento dizia que o peso mínimo dos aspirados era para ser 500 kgs, portanto a Benetton estava 20 kgs acima do regulamento), mas os Benetton podiam gastar combustível a vontade. O próprio Steve Nichols projetistas dos Mp4-4, da a entender que se a Benetton tivesse pilotos melhores teria incomodado muito a Mclaren na corrida de 1988. Méritos do Prost e do Senna. Já as Ferrari de 2002 tinha como arma a exclusividade do uso dos pneus Bridgestone (a Ferrari fez um acordo com a Brid proibindo o uso deste pneus em equipes grandes, tipo Mclaren, Williams e Renault), agora o Williams de 1992 foi sem dúvida o melhor carro de todos os tempos ele não era um carro convencional, mas cheio de tecnologias eletrônicas tais como câmbio automático (a Ferrari também tinha), controle de tração e principalmente suspensão ativa do tipo eletrônica e com barras estabilizadoras, esta suspensão é bem diferente da que o Piquet usava nas Williams 87, ela era hidráulica e sem barras estabilizadoras, já as suspensão ativa da Lotus de Senna de 1987 era muito pesada e consumia 40 cavalos do motor, além de não ser eletrônica. Mérito é do engenheiro Paddy Lowe que desenvolveu o sistema, acredito que qualquer piloto seria campeão naquela Williams de 1992. O carro nas corridas era 2,0 segundos mais rápido.

    Curtir

  6. Schumacher, Vettel, Alonso, Senna e Prost são pilotos de outra turma, é verdade que o Schumy ganhou em 2000-2005 com um super pneu exclusivo (só a Ferrari entre as grandes podia usar este pneu Bridgestone), é verdade que o Schumacher tem o dobro de corridas de Senna e nunca correu com um piloto forte ao seu lado…mas 7 títulos são prova de sua qualidade…Já Vettel também me impressiona porque as suas vitórias foram com pneus iguais para todo mundo, é verdade que o piloto n°2 eram fracos, mas os motores Renault a partir de 2010 é muito semelhante aos Mercedes e Ferrari em função do limite de giros em 18 mil rotações…o mérito do Vettel é do ótimo projetista Adrian Newey um projetista que conseguiu fazer um monte de pilotos médios serem campeões como Mansell (este piloto perdia para um monte de companheiros de equipe) Hill também não era o bicho era bem mais lento que Prost e Senna, além de ter levado desvantagem na Jordan contra Fretzen, o Newey também consagrou o fraco Villeneuve (perdia para Hill na Williams, perdia para Massa na Sauber e perdia para Button na Bar), mas eu admiro o Vettel por ser campeão tão jovem…O Alonso é outro piloto extraordinário mas que nunca (exceção 2005) teve o melhor carro…Senna dispensa comentários muito rápido principalmente na chuva e nos treinos, mas cometeu vários erros, é muito importante para ser campeão ter equipes fortes e motores de fábrica Senna só teve motores de fábrica em 1986 (em 1985 os melhores motores Renault iam para a própria Renault, em 1987 Senna usou motores Honda de especificação inferior as Williams, o mesmo aconteceu em 1993 com os Ford na Mclaren que eram inferiores aos Benetton…Senna só teve motores de fábrica em 1986, 1988, 1989, 1990, 1991, 1992 e 1994. Motores de fábrica são fundamentais para ser campeão não só por ter o melhor motor, mas por causa da ajuda econômica da fábrica acredita-se que a Honda dava mais de 100 milhões de dólares anuais para a Mclaren durante a parceria, o mesmo aconteceu com a Renault em ajudar as suas parceiras Williams e Red Bull. Quem não se lembra que o salário de Piquet teve ajuda tanto da BMW como da Honda e também da Ford…já Prost é um grande piloto admiro o fato dele ter ganho vários campeonatos correndo com grandes pilotos aos seu lado sem regalias nenhuma e quase sempre Prost levou vantagem…mas uma crítica a Prost sempre teve carros bons…e sempre com apoio de fábrica assim como Schumacher.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s