A terceira chance de Bruno Senna

A ideia nesta semana no blog era escrever sobre as perguntas que 2011 deixou, começando pela chacoalhada nas forças dentro da McLaren, passando pelas decepcionantes temporadas de Webber e Massa e por aí vai. Mas a contratação de Bruno Senna pela Williams também tem tudo para dar pano pra manga neste ano.

É fácil presumir que a decisão do time de Grove tenha o dinheiro como grande motivação e esse não deixa de ser um dos fatores na rara terceira chance que Bruno Senna está tendo. No entanto, a preocupação demonstrada no comunicado oficial da Williams em frisar que o motivo da demora na escolha foi devido ao período que o brasileiro passou sendo avaliado dentro da fábrica da equipe aponta para outro lado.

Conversa fiada de marketing? Se lembrarmos que as palavras de Frank Williams – “acima de tudo, Bruno demonstrou a capacidade de aprendizado e de aplicar esse conhecimento de maneira rápida e consistente” – coincidem, e muito, com o que os engenheiros que trabalhavam com o brasileiro na Renault já opinavam, parece que a equipe preferiu correr um risco de certa forma calculado com um piloto que traz consigo garantias financeiras. Afinal, se Senna demonstrou em seu um ano e meio de F-1 uma certa dificuldade especialmente em encontrar a consistência no ritmo de corrida, ao menos convenceu os engenheiros da Williams de que tem condições de encontrar o caminho.

É fato que Senna terá sua primeira chance, digamos, normal na F-1. Estreou na Hispania, sem pré-temporada e com um carro que não evoluiu nada da primeira à última etapa do ano. Voltou no meio da temporada na Renault, missão especialmente inglória em tempos sem testes.

No entanto, o brasileiro muito provavelmente terá de se contentar em superar Pastor Maldonado, o que, aliás, Rubens Barrichello teve certo trabalho para fazer, ao menos em classificação, ano passado. A Williams tem motor novo e está se reestruturando do ponto de vista técnico, mas se levantar do abismo que se formou em relação à concorrência pode demorar mais tempo do que Senna tem para mostrar serviço.

Maldonado teria mais um ano de contrato, tem mais dinheiro e precisa ser superado com convicção para se tornar carta fora do baralho. E o reserva finalndês Valtteri Bottas, que participará de treinos livres em 15 GPs justamente no lugar de Bruno, vem apadrinhado por um dos acionistas da equipe, Toto Wolff. Mais do que nunca, a capacidade de aprendizagem de Senna terá de se traduzir em resultados.

13 comentários sobre “A terceira chance de Bruno Senna

  1. Julianne,
    Antes de mais nada queria dar o prabens por tuas colunas e post que sao excelentes,
    Qto a essa historia de testes e avalicoes se o Bruno tem todo esse potencial por que ele foi dispensado da Renault e promoveram ao Grosjean ?
    Entendo que o Bruno renderia muito mais tendo ao seu lado um companheiro mais experiente,
    Bom, agora eh esperar e ver se ele segue tomando pau dos comapnheiros de equipe e as pessoas seguem insisitindo que ele tem que aprender antes de ser avaliado,
    Acho toda essa historia bull shit, o Senna esta na Williams pelo, $, potencial de MKt do Nome Senna e nao por que ele eh um piloto com potencial, senao ele teria dado pau em todos serus companheiros onde passou e ao menos teria alguns titulos e vitorias , o B Senna eh um Pedro Paulo Diniz com historia no automobilismo, too bad , so sad….

    Curtir

    1. É claro que essa rara terceira chance tem a ver com os fatores que você apontou, mas não dá para julgá-lo com as experiências que ele teve. Há pilotos, assim como em todas as áreas, que chegam dominando, e outros que têm um processo de amadurecimento mais lento. Que o Bruno não dá a pinta de gênio é inegável, mas simplesmente não dá para saber qual seu limite, toda sua carreira é muito incomum.
      Quanto ao Grosjean, pelo que se sabe o Bruno tinha o apoio dos engenheiros, mas o francês também demonstrou um bom trabalho, muita evolução em relação a 2009 e é o principal garoto-propaganda da Gravity do Boullier. Ou seja, é mais ou menos a mesma situação do Bruno: um piloto que não chegou arrasando, mas mostra potencial e conta com apoios fortes.
      Lembro-me de ter compilado uma vez que me foi pedido os resultados do Bruno em relação aos companheiros que teve na Hispania e o saldo foi bem diferente do “pau” que alguns dizem que ele tomava. Tentarei resgatar isso.

      Curtir

  2. Beleza , muito obrigado por responder,

    Levantei o tema do Grosjean por que a Williams segue nessa tecla de potencial e se a Renaulti tivessie visto todo ees potencial no Senna acho que ele estaria la, potencial por potencial eles preferiram o frances… 🙂

    Curtir

    1. Também penso assim. Esse propalado talento associado aos ditos trinta milhões, boa parte da carteira do “aiqui”, não foram suficientes para segurar o antigo emprego.
      Com todo o respeito, acredito que o primeiro sobrinho só está onde está por causa do “budget”.

      Curtir

    2. Não só o francês mais em especial a Total.

      Ela patrocina a equipe e é a fornecedora de combustível e lubrificantes dos motores Renault. Até aonde eu sei ela desenvolve suas tecnologia em parceria com a Lotus, e a Lotus não podia perder um parceira como ela ainda mais sendo também patrocinadora.

      E a Total que fez a diferença maior na hora da escolha de pilotos.

      Curtir

  3. Olá, Julianne!

    Eu diria 3ª chance e talvez definitiva para as pretensões do B. Senna na F1.

    Pelo que ele mostrou até agora, não deixou nenhuma grande impressão, fora o sobrenome e o brilho na classificação em SPA, no ano passado. É muito pouco.

    Não dá para esperar muita coisa do próximo carro da Williams, devido às mudanças técnicas decorrentes da troca do motor, estruturais da equipe, restrição orçamentária e a própria inexperiência dos dois pilotos.

    O verdadeiro rival do Bruno será o Maldonado. O venezuelano é apenas um piloto comum, e se o Bruno mantiver o padrão de pilotagem que teve no ano passado em comparação ao Petrov ( outro piloto comum), alternando resultados bons e ruins, apenas mostrará que é um piloto mediano e não terá chance futura em uma equipe competitiva.

    O ano de 2012 será muito difícil para Senna, pois não terá as 6ª feiras por causa do Bottas, não terá treinos extras e ainda por cima terá um companheiro com maior quilometragem na equipe.

    Mas ainda assim, será uma chance de ouro para ele.

    Curtir

    1. Ele cita isso como um fator que o ajudou. Ele pode trazer informações, por exemplo, do mapeamento de motor utilizado pela equipe Renault. É possível que tenha pesado mas não acredito que seja decisivo.

      Curtir

  4. Essa argumento de “conhecer motor Renault” é muito fraquinho. Basicamente os motores são iguais e “sobreviver” e ter algum resultado com o motor Cosworth é que foi experiência. Motor bom é que nem uma refeição boa, não precisar estar preparado para aproveitar ……

    Curtir

  5. Em que mundo uma equipe assumiria que contratou piloto por causa do dinheiro? Em que mundo vai falar mal de si mesma e de seus pilotos?

    Toda equipe cita que tem a melhor dupla do grid, melhoramentos significantes e bla bla bla

    O Bruno Senna está errando em insistir que HRT não pode ser considerada, que o meio do ano na Lotus também…

    Eu acho que ele vai sofrer nas mãos do Maldonado, que na minha opinião foi muito bem no primeiro ano, tirando algumas zicas e trapalhadas aqui e ali.

    Curtir

  6. aqui so tem especialista em F1, puts! só se ver comentarios “solidos” de “experiencia” propria no automobilismo, ngn ver a trajetoria que o b.senna passou, so querem ver ele no podium, sem ritmo, com um carro sub-desenvoldido (lotus), pegando so as 8 provas finais! PQP, AE GALERA NA MORAL, faz merda nao vlw? se voces preferem o pé de chinele, comedor de batata (ruffles) ENTÃO diga, q assim é!
    melhor que dar uma de cego. veja q o bruno de fato so começa a pegar pre temporada e estrutura agora em 2012 na willams!
    SIMBORA BRUNAO! é tudo nosso!
    p.s ele ainda nao vai pegar os treinos livres, mesmo colocando essa grana q todos dizem que é o unica razão dele ta no pit!
    abracos!

    flavio

    Curtir

  7. Bela J. Cerasoli:

    Gostei do seu blog, mas a verdade é uma só: o Bruno Senna é um piloto apenas mediano. Perdeu, na Williams, para o “ruim de braço” Maldonado, além de ter sido rotulado “como piloto pagante com sobrenome famoso”. Lamento.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s