Veja quem trabalhou melhor nos pits na Malásia

Cenas não muito usuais marcaram a tarde da McLaren

Não foi exatamente da maneira como todos esperavam, mas as estratégias de box acabaram sendo decisivas para o GP da Malásia. Junto delas, a execução de cada uma das 75 paradas feitas durante a prova decidiu o destino de muitos pilotos, que se seguraram bem na pista mesmo em condições bastante adversas.

Tivemos poucas rodadas ou escapadas, considerando as condições. A mais decisiva, claro, de Perez, a seis voltas do final, obrigando-o a desistir da luta por uma vitória que seria das mais inesperadas da história. Não, é claro, que o triunfo de Alonso fosse dos que pagavam menos nas casas de apostas – para se ter uma ideia, a expectativa da Ferrari antes do início do GP era de perder 0s7 por volta em relação aos líderes.

Uma série de fatores fez com que o ritmo do F2012 fosse semelhante ao da McLaren de Hamilton mesmo no seco, em dados que analisaremos com mais cuidado no post sofre estratégia. Como aperitivo, ficam os dados fornecidos, respectivamente, por FIA e Pirelli a respeito das paradas.

Pit Stops

Os tempos dos pits, desta vez, são menos representativos, já que contabilizam a perda total e, portanto, penalizam pilotos que tiveram de esperar o tráfego passar pelo pit lane, uma vez que em vários momentos da prova houve verdadeiras invasões nos pits. Um desses casos foi Hamilton, preso por quase 28s na parada em que perdeu a liderança da prova, em parte por uma demora com o pneu traseiro direito, completada pelo trânsito de Felipe Massa. Button, que tinha a vantagem de ter parado uma volta antes, também teve um pit lento, o que ajudou o espanhol a voltar na ponta.

Outra variável é que, no molhado, é mais difícil para os pilotos acertarem suas marcas no box e qualquer deslocamento que os mecânicos tenham de fazer é tempo perdido.

Só faltou a lama

O padrão que vimos na Austrália, com a Ferrari sendo absoluta e seguida pelos suspeitos de sempre, Red Bull e Mercedes, ganhou “intrusos”, enquanto a McLaren pode ser o carro mais rápido na pista, mas cometeu uma série de erros em Sepang – ao todo seu piloto mais bem classificado, Hamilton, perdeu 8s5 em relação a Alonso e 4s para Perez. Por outro lado, uma das equipes mais rápidas nos pits acabou sendo a única a colocar seus dois pilotos nos pontos, a Force India, uma mescla de competência e sorte, a marca de corridas caóticas como a da Malásia.

Caos que lembrou outra prova com ingredientes semelhantes, na Coreia: chuva, Safety Car, bandeira vermelha, ameaça de escuridão pelo horário adiantado da largada, Button se perdendo em condições que seriam ideais para ele, Vettel com má sorte e um certo Fernando Alonso escapando de todas adversidades e levando um carro que não era o melhor do grid não apenas à vitória, mas à ponta do campeonato. E o fato de já termos espanhóis – vou entregando um pouco do que vem pela frente no post de transmissões – pedindo o fim do campeonato mostra o quanto dá para confiar na atual situação da tabela.

Piloto Equipe Tempo Dif. Volta
1 Pastor Maldonado Williams 21.621 14
2 Michael Schumacher Mercedes 22.163 0.542 39
3 Paul di Resta Force India 22.175 0.554 39
4 Fernando Alonso Ferrari 22.534 0.913 40
5 Daniel Ricciardo Toro Rosso 22.610 0.989 25
6 Paul di Resta Force India 22.856 1.235 14
7 Fernando Alonso Ferrari 22.864 1.243 14
8 Sebastian Vettel Red Bull 22.998 1.377 40
9 Nico Rosberg Mercedes 23.050 1.429 26
10 Felipe Massa Ferrari 23.130 1.509 27
11 Mark Webber Red Bull 23.195 1.574 39
12 Nico Rosberg Mercedes 23.231 1.610 39
13 Jean-Eric Vergne Toro Rosso 23.343 1.722 40
14 Nico Hulkenberg Force India 23.358 1.737 40
15 Pastor Maldonado Williams 23.409 1.788 39
16 Jenson Button McLaren 23.477 1.856 39
17 Jenson Button McLaren 23.509 1.888 24
18 Nico Hulkenberg Force India 23.549 1.928 15
19 Daniel Ricciardo Toro Rosso 23.648 2.027 37
20 Kamui Kobayashi Sauber 23.662 2.041 40
21 HeikkiKovalainen Caterham 23.782 2.161 38
22 Bruno Senna Williams 23.824 2.203 39
23 Nico Hulkenberg Force India 23.856 2.235 4
24 Pastor Maldonado Williams 23.974 2.353 15
25 Paul di Resta Force India 23.988 2.367 2
26 Felipe Massa Ferrari 24.034 2.413 3
27 Sebastian Vettel Red Bull 24.057 2.436 15
28 Michael Schumacher Mercedes 24.094 2.473 14
29 Jean-Eric Vergne Toro Rosso 24.216 2.595 15
30 Lewis Hamilton McLaren 24.271 2.650 5
31 Jenson Button McLaren 24.305 2.684 4
32 Felipe Massa Ferrari 24.420 2.799 14
33 Sergio Perez Sauber 24.520 2.899 15
34 Daniel Ricciardo Toro Rosso 24.539 2.918 14
35 Sergio Perez Sauber 24.543 2.922 41
36 Mark Webber Red Bull 24.569 2.948 5
37 Fernando Alonso Ferrari 24.653 3.032 4
38 Vitaly Petrov Caterham 24.718 3.097 4
39 Michael Schumacher Mercedes 24.831 3.210 5
40 Kimi Raikkonen Lotus 24.927 3.306 13
41 Bruno Senna Williams 24.980 3.359 13
42 Kimi Raikkonen Lotus 25.041 3.420 40
43 Timo Glock Marussia 25.096 3.475 3
44 HeikkiKovalainen Caterham 25.130 3.509 14
45 Nico Rosberg Mercedes 25.199 3.578 13
46 Timo Glock Marussia 25.390 3.769 39
47 Daniel Ricciardo Toro Rosso 25.470 3.849 4
48 Pastor Maldonado Williams 25.535 3.914 5
49 Nico Rosberg Mercedes 25.600 3.979 5
50 Sebastian Vettel Red Bull 25.658 4.037 5
51 Timo Glock Marussia 25.660 4.039 13
52 Sergio Perez Sauber 25.671 4.050 1
53 Sebastian Vettel Red Bull 25.884 4.263 47
54 Jenson Button McLaren 25.922 4.301 13
55 Kamui Kobayashi Sauber 26.255 4.634 13
56 Bruno Senna Williams 26.269 4.648 7
57 Mark Webber Red Bull 26.337 4.716 14
58 Lewis Hamilton McLaren 26.338 4.717 41
59 Felipe Massa Ferrari 26.934 5.313 38
60 Kimi Raikkonen Lotus 27.602 5.981 5
61 NarainKarthikeyan HRT 27.700 6.079 37
62 Lewis Hamilton McLaren 27.961 6.340 14
63 Kamui Kobayashi Sauber 28.122 6.501 5
64 Pedro de la Rosa HRT 28.483 6.862 39
65 Charles Pic Marussia 29.317 7.696 3
66 Vitaly Petrov Caterham 29.359 7.738 13
67 Vitaly Petrov Caterham 30.335 8.714 39
68 Bruno Senna Williams 31.006 9.385 1
69 Charles Pic Marussia 32.224 10.603 39
70 HeikkiKovalainen Caterham 32.670 11.049 4
71 HeikkiKovalainen Caterham 34.109 12.488 23
72 Jenson Button McLaren 36.517 14.896 15
73 Charles Pic Marussia 36.542 14.921 15
74 NarainKarthikeyan HRT 36.876 15.255 15
75 Pedro de la Rosa HRT 38.887 17.266 16

Tipos de compostos

Em geral, a corrida foi decidida mais pelo momento e rapidez das paradas do que pelo tipo de composto utilizado. No entanto, duas apostas de Sergio Perez e da Sauber se mostraram bastante efetivas, sendo a última bastante curiosa: chuva extrema logo ao final da primeira volta e duros no último stint, o que, ao contrário do esperado, não lhe trouxe problemas de aquecimento no início, mesmo com a pista úmida, e ainda lhe garantiu um excelente rendimento até o final da prova. Pena que dois erros, ao não parar para colocar slicks junto de Alonso – esse, o mais custoso em termos de tempo – e a escapada na volta 50, lhe roubaram a vitória.

Stint1 Stint2 Stint3 Stint4 Stint5 Stint6
Hamilton Interm. (5) Chuva (9) Interm. (27) Médio (15)
Button Interm. (4) Chuva (9) Interm. (2) Interm. (9) Interm. (15) Médio (17)
Schumacher Interm. (5) Chuva (9) Interm. (25) Duro (17)
Webber Interm. (5) Chuva (9) Interm. (25) Médio (17)
Vettel Interm. (5) Chuva (10) Interm. (25) Duro (7) Médio (9)
Grosjean Interm. (3)
Rosberg Interm. (5) Chuva (8) Interm. (13) Interm. (13) Duro (17)
Alonso Interm.(4) Chuva (10) Interm.(26) Médio (16)
Perez Interm. (1) Chuva (14) Interm. (26) Duro (15)
Raikkonen Interm. (5) Chuva (8) Interm. (27) Duro (16)
Maldonado Interm. (5) Chuva (9) Chuva (1) Interm. (24) Médio (15)
Massa Interm. (3) Chuva (11) Interm. (13) Interm. (11) Médio (18)
Senna Interm. (1) Chuva (6) Chuva (6) Interm. (26) Médio (17)
Di Resta Interm. (2) Chuva (12) Interm. (25) Duro (17)
Ricciardo Interm. (4) Chuva (10) Interm. (11) Interm. (12) Médio (19)
Hulkenberg Interm. (4) Chuva (11) Interm. (25) Duro (16)
Kobayashi Interm. (5) Chuva (8) Interm. (27) Médio (6)
Vergne Interm. (10) Chuva (5) Interm. (25) Médio (16)
Petrov Interm. (4) Chuva (9) Interm. (26) Médio (16)
Glock Interm. (3) Chuva (10) Interm. (26) Médio (16)
Pic Interm. (3) Chuva (12) Interm. (24) Médio (15)
De la Rosa Chuva (16) Interm. (23) Duro (15)
Karthikeyan Chuva (15) Interm. (22) Duro (17)
Kovalainen Interm. (4) Chuva (10) Interm. (9) Interm. (15) Médio (17)

9 comentários sobre “Veja quem trabalhou melhor nos pits na Malásia

  1. Oi Julianne,

    Bom dia.

    Neste GP a estratégia de corrida foi crucial para a ambição das equipes, o momento de parada para realização da troca de pneus foi importante, mas o velho acerto de carro para as condições de pista também favoreceram os resultados, o estilo de pilotagem dos pilotos juntamente como acerto certo ou errado, favoreceu alguns pilotos, vejamos:

    O desempenho do Perez e do Kobayashi, onde o mexicano levou a melhor durante toda a prova, a mesma situação pode ser comparada entre Bruno Senna e Pastor Maldonado, onde o brasileiro esteve até muito mais atrás que o seu companheiro durante a corrida e na estratégia e no braço, terminou a frente.

    Para o Senna de agora em diante, será vital aperfeiçoar o seu Qualify para largar a frente do bolo de carros do meio do grid, para almejar resultados como Sérgio Perez, e já na próxima corrida já veremos um Bruno mais motivado e aguerrido na pista, qualidade que faltaram ano passado na Renault.

    Gostaria de ressaltar aqui os resultados dos garotos da GP2, vamos torcer para estes dois carinhas andarem bem nesses próximos dois anos, para que alguma equipe grande leve eles para 2° piloto.

    Só esperam que nenhum dos dois caiam na besteira de ir pra Ferrari, uma grande Scuderia mas tem um animal pilotando o primeiro carro.

    Um abraço.

    Curtir

  2. Não vou tirar os méritos do Picareta das Astúrias, apesar de torcer contra, ele é realmente um dos melhores do grid, porém, o fator sorte foi preponderante para que ele conseguisse a vitória e, bem pesado e bem medido, com todas as circunstâncias que fizeram parte do GP, o feito do espanhol é inferior, por exemplo, ao feito de Jenson Button no Canadá ano passado, por isso não vejo motivos para decretar sua superioridade sobre os outros bons pilotos desta temporada (Hamilton, Vettel, Button, Schumy, Raikonnen).

    Ele foi consistente e regular durante toda a prova, fez algumas das voltas mais rápidas da corrida, porém, ganhou a corrida na estratégia perfeita empreendida pela Ferrari (seja por sorte ou competência) e não em um combate com outros postulantes, que, devido a erros próprios e de suas equipes foram ficando pelo caminho.

    Foi espetacular pelo fato do carro da Ferrari ser nitidamente inferior em condições normais, porém, não era o caso ontem e, não fosse a brutal incompetência da Sauber em não mandar Perez seguí-lo no pit stop, ele teria certamente perdido a posição.

    Quanto à desconfiança em relação ao singelo “recado” dado pelo engenheiro da Sauber que, no mínimo, desestabilizou o seu piloto, se é verdade que o erro de Perez pode ter sido apenas um infortúnio obra do acaso, pelo histórico da categoria, e, principalmente de Alonso e Ferrari, não pode ser descartada a possibilidade de maracutaia, ou seja, jornalistas defendem que não houve maracutaia, mas, é inteiramente possível e sustentável que milhões de espectadores acreditem que houve.

    De tudo fica a certeza de que a F1, pelos interesses envolvidos e dinâmica de disputa, definitivamente não é um esporte, porém, pode ser igualmente apaixonante.

    Curtir

    1. Também faço parte do time não gosta do Alonso, mas que admite que ele é um grande piloto e está tirando muito mais do que aquele carro parece poder entregar. Daí, concordo com o Magico da plaqueta. E, para mim, é esse tipo de mágica que faz uma corrida ser apaixonante.

      Ou seja, eu acompanho esse (não) esporte por causa de alguém que eu não gosto… vai entender… Bem, não é só por ele e, pela minha sanidade, ainda bem.

      Curtir

    1. Vou pegar uma carona nessa pergunta. Acabei de rever a corrida (agora acordado) e chama a atenção o péssimo desempenho das duas Mercedes, o Button reclamando dos pneus intermediários e imensa diferença entre o desempenho do Alonso e do Massa.

      Vou tomar como “ideal” a estratégia de 1º stint com intermediário, 2º com chuva – obrigatoriamente, 3º com intermediário e 4º com o menos duro.

      Dos quatro, Schumacher é o único que faz todo o 3º stint com o intermediário, mas no final era patinho na lagoa. Senna passando Schumacher só foi interessante pelos nomes envolvidos… e faz a última perna com pneus duros, provavelmente para combater o desgaste.

      Button, Massa e Rosberg perdem tanto rendimento no que seria o 3º stint ideal de intermediários que trocam de pneu no meio. Massa e Rosberg na 13 volta, Button na 9.

      A diferença é que para Button começou a funcionar. O 5º stint dele foi bem bom (ou eu muito me engano, mas é fácil verificar na tabela de tempos). Imagino que, além de trocar os pneus, houve algum ajuste de asa que deu certo. Massa e Rosberg continuaram sofrendo.

      Então, a minha carrona é essa: Tinha 3 Mercedes na pista e 1 Ferrari?

      Que as duas Mercedes prateadas não encontrassem um setup descente para o consumo de pneu é compreensível. Mas, a “Mercedes” vermelha podia pelo menos copiar o setup do Alonso, não é, não?

      Curtir

  3. Hehe, muitas constatações após a corrida. Ficamos tão acostumados a ver “carros” e não pilotos serem o diferencial em corridas, que quando vemos um piloto ganhar uma corrida no “braço”, não acreditamos, pensamos que é pura sorte, ou falha dos mais fortes, ora, ou alguém acha que a Ferrari de ontem era um super carro! Sem desmerecer Perez, mas a Sauber na atualidade, possui mais carro que a Ferrari, pois em vários momentos da corrida, Perez chegou a tirar 1,3 segundo por volta!!!! Isso é só braço??? Sobre a Mercedes, me parece o carro mais rápido no qualyfiyng, pois Shumacher do alto de seus 43 anos, ficou a menos de 2 décimos das poderosas Mclarens, embora o carro da Mercedes tenha herdado o problema do carro do ano passado, detonando os pneus em corrida. A Mclaren me parece a RBR de 2010, onde anda muito em treino, mas em corrida por gastar razoavelmente os pneus, tem a companhia de RBR, Lotus e mais atrás, Ferrari, Sauber e Willians. A Lotus depende exclusivamente de Kimi. Ju, sobre o fato desse ano as estratégias da Ferrari terem melhorado, além dos bons pit stops, podem ser creditados a Pat Fry? Na casa da especulação, pelo fato do carro italiano ter nascido ruim, vc acha que um carro b pode brigar pelo campeonato? Daria tempo?

    Curtir

  4. Espero responder as perguntas de todos no post de estratégia, que deve sair na quarta. Se ficar alguma coisa para trás, por favor me avisem.

    Curtir

  5. Independentemente de quaisquer considerações sobre problemas de pneus, Rosberg este ano parece estar sendo atacado pelo Mal de Massa. . . Não consigo me convencer que será um piloto para muitas vitórias, quanto mais para disputar um título.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s