Revolução de 2014 segue a pleno vapor

Bicos baixos e aerofólios menores voltarão em 2014

Há alguns meses, a declaração de Adrian Newey de que a aerodinâmica se tornaria muito menos importante na Fórmula 1 a partir das mudanças nas regras de 2014 fez muita gente sonhar com uma nova revolução como a que desbancou Ferrari e McLaren em 2009. Porém, uma decisão recente da FIA falava em “reverter as mudanças que seriam feitas na carenagem para diminuir o downforce e o arrasto para a especificação de 2012”. Estaria a entidade voltando atrás?

Parece que não. O projeto do motor V6 turbo, mesmo com as críticas de Ecclestone e Montezemolo, segue adiante, o que já provocará uma série de adaptações. E, falando especificamente da aerodinâmica, as novas regras continuariam mexendo em dois aspectos fundamentais hoje: O fluxo de ar na asa dianteira e (sempre eles!) os escapamentos.

A partir do momento em que a Brawn descobriu que era possível ganhar muito do que fora perdido em termos de pressão aerodinâmica com as regras de 2009 usando o ar que passava no difusor, todos os grandes carros passaram a tentar isso de alguma maneira. A Red Bull criou a engenhosa solução de usar os gases do escapamento para este papel, o que foi teoricamente proibido neste ano (por meio de novas regras para posicionamento dos escapes e mapeamento de motor), mas obtido, mesmo que em menor escala, com o efeito Coanda – que usa a curvatura da carenagem para direcionar o ar do escapamento para baixo, gerando pressão aerodinâmica.

Novas regulamentações, que afastam ainda mais a saída do escapamento da parte traseira do carro, farão com que seja impossível reproduzir o efeito Coanda em 2014, em mais uma tentativa de evitar ganho aerodinâmico nesta área. Será que agora a moda acaba de vez?

Nas asas dianteiras, a mudança mais clara será no fim da era dos bicos altos, por questões de segurança (devido ao risco em colisões frontais). Pela regra atual, a altura máxima do bico é de 550mm em relação ao assoalho, o que vai cair drasticamente para 185mm. Outra mudança será nas asas dianteiras, que vão perder 150mm. Isso fará com que elas terminem mais “para dentro” que os pneus, o que dificulta a condução do fluxo de ar. Ainda mais porque as end-plates, estruturas das extremidades das asas, serão restritas. Como a asa representa o primeiro contato com o ar, dá para entender por que qualquer mudança nesta área afeta todo o carro.

Quando a FIA fala em “retornar a 2012”, na verdade desiste apenas de uma nova revolução. A ideia inicial era aumentar ao máximo a eficiência desses carros, torná-los mais “verdes”, mas o projeto esbarrou, tanto nos custos, quanto nas simulações, que apontavam bólidos mais que 5s mais lentos que em 2010, superando o que fora estipulado como margem mínima pela entidade. Ainda assim, são medidas significativas, que deverão, junto dos novos motores, alterar a relação de forças entre as equipes.

41 comentários sobre “Revolução de 2014 segue a pleno vapor

  1. Esteticamente, achava mesmo os bicos baixos bem mais elegantes que os altos. Essa é uma medida muito boa.

    Em termos de desempenho, isso deve dar uma ótima chacoalhada na disputa e o carro deve ficar mais “nervoso”, pois haverá menos estabilidade. Vai dar uma boa melhorada na disputa.

    Curtir

  2. 5s mais lentos q 2010 significa 10 ou 12 segundos mais lentos q carros 2005.
    F1 está ficando bizarra. Vai virar qnto em interlagos no começo da corrida com tanque cheio ? 1:30? Um GT2 é mais rapido q isso.

    Curtir

    1. “A ideia inicial era aumentar ao máximo a eficiência desses carros, torná-los mais “verdes”, mas o projeto esbarrou, tanto nos custos, quanto nas simulações, que apontavam bólidos mais que 5s mais lentos que em 2010″

      Curtir

      1. Sim, “esbarrou” e está descrito no comunicado da FIA.
        Fiz apenas um comentario quanto a perda de velocidade da categoria nos ultimos 4/6 anos. Se custos não fossem um problema, não duvido que seguiriam em frente. Hoje, LMP1 e Indy já são mais rapidos do que F1 naqueles 25% iniciais da corrida.

        Curtir

      1. “have reverted to 2012 specification.”

        Por hora nada muda.

        Os carros serão os mesmos usados nesse ano de 2012 com a tampa no bico de ornitorrinco.

        Tudo que você coloca no texto foi descartado.

        Sobre carros mais verdes:

        The requirement for cars to be driven exclusively under electric power in the pit lane has been postponed until 2017.

        Foi postergada as mudanças pra 2017.

        Curtir

  3. Claudemir desesperado porque deve ter mundaças de rendimento em 2014

    http://www.bbc.co.uk/sport/0/formula1/20640255

    esse site, confirma tudo que a Ju postou no texto, goste você ou não, haverá muitas mundaças

    haverá mudanças nas asas dianteiras, não terá mais efeito coanda, haverá mundança de peso no carro e outras coisas que mudarão os carros radicalmente

    essa questão de dizer “retornar a 2012” é enganosa, engangou Claudemir pelo visto

    Curtir

    1. Caro Rodrigo.

      Olha o link do site antes de achar algo.

      O que eu postei foi do site da FIA datado de 05/12/2012 (BBC ou SkySports não ditam as regras) que rege as regras da categoria. Nessa data o conselho se reuniu e definiu os parâmetros técnicos para a categoria em 2014.

      Leia e você entenderá onde está o engano.

      E o Andrew Benson é o mesmo que afirmou que o Vettel passou o Vergne em bandeira amarela. Sabe muito não?

      Curtir

  4. “retornar as especifiações de 2012” é apenas para cortar custos

    As principais mudanças visuais e filosóficas que foram planejadas para os carros em 2014, foram mantidos.

    só a mudança da asa dianteira que será reduzida em largura afetará drasticamente a aerodinâmica

    Curtir

    1. Inclusive, Rodrigo, deixaremos de ter muitos pilotos com os pneus furados acidentalmente…Às vezes o retrocesso é salutar, pois com a aerodinâmica dominando, surgiram as aberrações de KERS e DRS. Enfim, uma competição um pouco mais mecânica.

      Curtir

    1. Seria mais baixo, acredito que na linha pré-Benetton bico de tubarão. As regras foram mudadas em 2001 e em 2005 para subir os bicos, aumentar a resistência do ar e diminuir as velocidades em curvas. Agora, o caminho é o contrário para compensar outras perdas.

      Curtir

      1. Hehe, ôo dúvida cruel, kkk, tipo Wiillians 91/92? Ps: se for esse, será muito legal, pois aquele Willians possui as linhas mais harmônicas que já vi! 😉

        Curtir

  5. Em meio às discussões, e como não posso opinar com precisão sobre termos técnicos, apenas diria que prefiro ver carros horrorosos (arg!) em disputas incríveis, como em 2012, a carros bonitinhos e corridas monótonas como em 2002, por exemplo. E bico alto, bonito mesmo, só os da Benetton na década de 1990.

    No entanto, acho que a segurança aumentou e que os carros poderiam ser mais rápidos. Ouço locutores “vibrarem” quando o carro numa única reta de não sei quantos metros, chega a 310! Oh!

    Abr.

    Curtir

    1. Mas é aí que está, Moises, afinal, a aerodinâmica é tão massacrante hj, que temos que ter KERS e DRS para compensar, além dos freios superpotentes…Na realidade, a aerodinâmica superrefinada que estraga, afinal como contornam as curvas com tanta velocidade e grip, quem vem atrás pega o ar sujo e instável, e com os carros menos dependentes da aerodinâmica, dá para pegar o vácuo e ultrapassar. Hj isso é tão crítico, que vemos a RBR ter as menores velocidades de reta e detonar nas corridas. Hj, com os efeitos do grip do ar, as velocidades dependendo do circuito não importam tanto. Some-se ao seu comentário, as limitações de desenvolvimento e duração de câmbios e motores. Na realidade, quando vc cita 2002, não nos esqueçamos do carro perfeito da Ferrari, além do reabastecimento, que dava uma “falsa” impressão de velocidade e disputa, mas não nos esqueçamos que muitas das vezes, as disputas não eram por posição, devido as táticas de parada, e aí tinhámos pilotos brigando, mas não por posições “verdadeiras”…Além dos indestrutíveis Bridgestone, que podiam terminar corridas com todo gás, acabando com a imprevisibilidade de táticas e pit stops.

      Curtir

  6. Saudades dos motores dos 80 que soltavam as linguas de fogo nas trocas de marcha. Se bem que agora as trocas sao tao rapidas que nao veremos isso.

    Julianne, parabens pelo trabalho. Sou um desocupado que le noticias sobre F-1 em varias fontes ao redor do mundo em varios idiomas. Seu trabalho merece elogios ferrenhos pelo altissimo nivel, desde o portugues ate a parte tecnica. Sem passar por patriotismo desnecessario nem criticas desmedidas a piloto a, b ou c.

    Keep it up girl.

    Curtir

  7. Há tempo que eu digo que Hamilton deu o “pulo do gato” na hora certa. Vai pra Mercedes ano que vem e, quando houver as mudanças nas regras de 2014, deverá ter o melhor carro do grid. A Mercedes tem um dos motores mais potentes(se não for o mais potente) da categoria mas sofre muito com a parte aerodinamica. Mas é uma gigante, que tem muito dinheiro pra gastar e já trabalha no carro e nos motores de 2014 desde 2011, e a própria contratação de Hamilton(um piloto veloz que tende a se dar bem melhor com a velocidade do que com a aerodinamica do carro) faz parte do processo. 2013 é só um ano “sabático” pra se adaptar a equipe e, a partir de 2014, pra mim desde já é o grande favorito ao título.

    Curtir

    1. Tem toda razão, até mesmo nas palavras da Julianne, os carros estarão mais “nervosos”, e nesse tipo de carro o Hamilton sempre manda bem demais. É por esse quesito que o Alonso o elogia tanto. ai sim veremos se Vettel é um grande piloto ou um refem da máquina.

      Curtir

  8. Claudemir, não é a BBC que faz as regras e muito menos você

    apenas é uma interpretação das regras, bbc não está a criar nada, você aceitando ou não o grid vai choacalhar sim como disse a Ju acima

    Wagner, certamente meu caro, menos pneus furados, pneus mais pesados, tomara que a época mecanica retorne^^

    Curtir

    1. A FIA publicou o regulamento de 2014 na íntegra em seu site hoje. Em relação ao que tinha adiantado, a única ressalva é que o texto final prevê uma diminuição menor do que o previsto para a asa dianteira, com máximo de 275mm. De qualquer forma, é praticamente metade da regra atual e mexe bastante em uma área muito importante aerodinamicamente. As demais mudanças previstas estão mantidas no texto.

      Curtir

  9. Ju, vendo essa foto da Mclaren, e somando-se todas essas mudanças aerodinâmicas, fica a dúvida: mexerão no assoalho? Será que ainda continuará a prancha de madeira? Seria mt legal os fundos planos e suas fagulhas espetaculares, hehe…

    Curtir

  10. Juliana, mesmo com as principais mudanças mantidas para 2014, o revertimento para as especificações aerodinamicas para 2012, significa que quem já começou a projetar o carro de 2014 ( A Mercedes por ex) tem que dar um passo pra trás no que ja foi feito ?

    Curtir

    1. Foi pedido que as equipes fizessem simulações para determinar o tempo de volta dos carros com as mudanças propostas anteriormente e é nisso e, obviamente, nos motores, que se trabalhou até agora. Certamente ninguém começou o projeto em si sem a definição exata das regras.

      Curtir

  11. A adoção dos novos motores já me parece certo. Acredito que todas as fábricas envolvidas atualmente com a F1 já estão desenvolvendo os V6 (ou seja, muita grana já foi investida), inclusive a Ferrari, a mais “chorona” de todas; lembro que na época que os V8 foram impostos, ela também reclamou e tal, mas estão ai até hoje.

    Essa onda de “downsizing” está a pleno vapor na indústria automobilística e acho que não seria sensato que a F1 ficasse de fora desta tendência.

    Já o Bernie Ecclestone demonstrou uma preocupação com o som que estes motores terão. Vai ser diferente, não tem muito jeito. Mas nunca será como o som dos V10 (ou V12).

    Sobre os bicos, a impressão que tenho é que ficará algo parecido com o McLaren MP4/13 (1999).

    Curtir

  12. entendu Ju

    é que vi em sites alemães Ross Brawn afirmando ainda na metade do ano de 2012 que Geoff Wills ja estava a trabalhar no carro de 2014, como sou fã de lewis hamilton temi que tudo que teoricamente Geoff tinha feito até 7 dias atrás tenha que jogar fora

    mas obrigado pelos esclarecimentos, você é muito sensata em seus comentários e são de grande util informação

    Curtir

    1. Há muito mais a trabalhar no carro de 2014 do que a aerodinâmica justamente pelo novo motor. Willis não trabalha diretamente no motor, mas acredito que na parte mecânica, que terá de ser alterada para casar com o novo propulsor.

      Curtir

  13. lembro que no inicio de 2012, a RBR passara algumas dificuldades e você cravou que nem por isso as asinhas dos austríacos foram cortadas, e quem achou que os taurinos tinham se enfraquecido por causa dos problemas no inicio, estavam enganados e voce acertou

    RBR venceu até os construtores, de novo

    Curtir

  14. Nossa olhando essa foto me lembro de como os F1 em 93/94 eram lindos…
    principalmente esse Mclaren mp4/8 o mais lindo F1 que ja vi…
    Bom eu realmente espero que ano que vem os carros fiquem próximos a isso.
    Porque da medo ver esse limpa neves de hoje…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.