Quem levou a melhor?

A temporada 2012 marcou o fim de um cenário dos mais incomuns: os quatro times de ponta com as mesmas duplas de pilotos por três anos consecutivos. E, com um universo de 58 corridas, trata-se de um momento oportuno para tentar desvendar quem se deu melhor em cima do colega de box.

Na leitura dos números, aproveito para lembrar que os placares de classificação não consideram eventuais punições e os de corrida contabilizam apenas provas completadas por ambos os pilotos. O nome antes de cada placar indica quem levou a melhor. Aproveitei para destacar alguns números que me chamaram a atenção.

Vettel x Webber

2010 2011 2012
Classificação VET 12 x 7 VET 16 x 3 VET 11 x 9
Corrida VET 10 x 5 VET 15 x 2 VET 11 x 6
Vitórias VET 5 x 4 VET 11 x 1 VET 5 x 2
Poles VET 10 x 5 VET 15 x 3 VET 6 x 2
Pontos VET 256 x 242 (51%) VET 392 x 258 (60%) VET 281 x 179 (61%)

Se o duelo aparentemente apertado de 2010 teve muito a ver com os mais de 60 pontos perdidos por Vettel devido a quebras, a lavada de 2011 também foge à regra – lembrando que a dupla da Red Bull entra no quinto ano de parceria em 2013.

Os dados do ano passado, porém, mostram algo interessante: tanto Vettel, quanto Webber, são conhecidos por classificar muito bem, certo? A diferença a favor do alemão é justamente que ele não é só isso. Enquanto más largadas e ritmo inconsistente marcam a carreira de Webber, Vettel vai caminhando para se tornar um piloto completo. Assim, mesmo em seu “pior” ano em termos de classificação, conseguiu a maior margem percentual em pontuação em relação ao companheiro neste ano. Maior, até, que no passeio de 2011.

Hamilton x Button

2010 2011 2012
Classificação HAM 14 x 5 HAM 13 x 6 HAM 17 x 3
Corrida HAM 9 x 3 7 x 7 HAM 9 x 4
Vitórias HAM 3 x 2 3 x 3 HAM 4 x 3
Poles HAM 1 x 0 HAM 1 x 0 HAM 7 x 1
Pontos HAM 240 x 214 (52%) BUT 270 x 227 (54%) HAM 190 x 188 (50%)

Era de se esperar que o único duelo que colocou dois campeões do mundo frente a frente nestes três anos fosse o mais equilibrado. Porém, a balança só pendeu para Button em 2011, ano marcado por diversos erros de Hamilton. Muito da superioridade de Lewis tem a ver com as classificações, nas quais foi bastante superior ao companheiro.

Por outro lado, é curioso observar que, embora tenha ampla vantagem em posições de chegada em 2010 e 2012, Hamilton não consegue transformar isso em pontos, fazendo com que, no total dos três anos, Button o supere nesse quesito. Tudo bem que as quebras de 2012 quando estava na liderança pesaram contra nesta temporada, mas não é uma tendência que vem de hoje. Será que ter ficado com o “come queito” Button como líder após a saída do virtuoso Hamilton não foi um negócio tão ruim para a McLaren?

Alonso x Massa

2010 2011 2012
Classificação ALO 15 x 4 ALO 15 x 4 ALO 17 x 3
Corrida ALO 13 x 3 ALO 13 x 2 ALO 17 x 0
Vitórias ALO 5 x 0 ALO 1 x 0 ALO 3 x 0
Poles ALO 2 x 0 ALO 0 x 0 ALO 2 x 0
Pontos ALO 252 x 144 (63%) ALO 257 x 118 (68%) ALO 278 x 122 (69%)

Em classificação, Massa não tem um desempenho tão aquém em relação a Alonso comparando os números de Button contra Hamilton, mas o abismo entre as performances dos dois é bem maior porque o brasileiro não consegue recuperar o terreno perdido em corridas, nas quais o companheiro é especialista.

A impressão é de que, quando está seguro com o carro, Massa consegue andar pelo menos no ritmo de Alonso; o problema é que a grande característica do espanhol é sua consistência, ou seja, quando o brasileiro não está em um bom final de semana, o prejuízo é grande. Causa ou consequência, é difícil culpar a Ferrari pelos claros jogos de equipe, que afetam alguns comparativos em corrida e na pontuação: eles sabem com quem, dia sim, dia também, podem contar.

Schumacher x Rosberg

2010 2011 2012
Classificação ROS 14 x 5 ROS 16 x 3 10 x 10
Corrida ROS 12 x 2 ROS 7 x 6 MSC 7 x 3
Vitórias 0 x 0 0 x 0 ROS 1 x 0
Poles 0 x 0 0 x 0 ROS 1 x 0
Pontos ROS 142 x 72 (66%) ROS 89 x 76 (53%) ROS 93 x 49 (65%)

Ainda que muita gente esperasse um Michael Schumacher, no mínimo, mais competitivo nestes três anos de sua volta, ao menos dá para dizer que o alemão não ficou estacionado na mediocridade no período em que foi companheiro de Nico Rosberg. As performances relativas do heptacampeão frente ao compatriota foram melhorando a cada ano, com destaque para os resultados em corrida nesta temporada. A pontuação só não reflete isso porque todas as cinco falhas mecânicas da Mercedes no ano ocorreram no carro de Schumacher.

É difícil saber o que era de se esperar de Schumacher voltando em uma equipe bem menos estruturada do que a Ferrari em seus dias de glória, com novas regras que mudaram a cara da competição, mais velho e após três anos parado. Tão difícil quanto entender o calibre da competição que enfrentou com Rosberg, que terá contra Hamilton a partir de 2013 – e com a promessa de outros três anos de parceria – seu maior desafio da carreira.

10 comentários sobre “Quem levou a melhor?

  1. Excelente e esclarecedora síntese! As diferenças entre os companheiros de box parecem bem mais atenuadasque à primeira vista. E nesse jogo “milimétrico”, de muito equilíbrio, chama a atenção a dupla HAM – BUT, sempre rondando os 50%. Seria o “fiel da balança”, na verdade, o conjunto da equipe? Pensando em tantas quebras de Hamilton em momentos decisivos, nesse quadro, não pareceria acertada sua troca de equipe?
    Só especulando sua análise, Julianne, e apostando em um 2013 surpreendente…

    Curtir

  2. Nem vou falar dos “passeios”, só da comparação mais intrigante, equilibrada e polêmica; Button x Hamilton. Olhando apenas as corridas terminadas, pode passar a falsa impressão de muita diferença entre eles, principalmente em 2010 e 2012. Mas o fato é que Hamilton arrisca mais do que Button e, por isso mesmo, tem tanto bem mais chances de terminar a corrida na frente caso complete a prova como também de não completar a prova, como de fato aconteceu muito.
    E isso explica porque as diferenças nas classificações e nas provas completadas não se traduziram em pontos a mais na conta de Hamilton.
    Button tem seu estilo mais burocrático. Se ele como líder da equipe será bom ou não pra McLaren só saberemos ao longo de 2013.

    Curtir

  3. Ju, não sei se estou sendo passional, mas penso que Vettel, Hamilton e Alonso fazem os caminhos serem menos tortuosos, são geniais! Comparar Button com Prost (como alguns fazem) me parece heresia, afinal o francês andava muito rápido quando queria (com restrições em corridas com chuva), inclusive nas brigas por poles…Era genial em dosar um equipamento pouco competitivo, algo que Button só faz quando tem o carro sobrando, como nesse fim de temporada. Button nunca atacará como Hamilton fez com Vettel nos EUA em 2012 (hehe, o GP do Canadá de 2011 foi uma excessão em sua carreira burocrática, kkkk). Especulando, acho que Button terá vida dura com Perez, Alonso continuará batendo Massa, Vettel continuará ganhando de Webber, e se o carro for bom, imagino que Rosberg poderá incomodar Hamilton, mas o inglês provavelmente vencerá o companheiro alemão, kkkkk, chega de chutômetro!

    Curtir

  4. É isso aí que vocês disseram, Wagner e Tramarin, e os números compilados pela Julianne refletem bem a situação entre os companheiros de equipe. Button é muito frio ao lidar com situações adversas, a meu ver, e por isso no conjunto não deve ser superado por Perez, mas eu estou esperando algumas atuações brilhantes e até vitórias do mexicano, que é rapidíssimo. Admiro pilotos agressivos e que arriscam, (mas sem fazer strikes ou jogar adversários contra o muro), acho que F 1 é 100 m rasos, por isso abomino pilotos cerebrais, aqueles que ficam cozinhando o galo em banho-maria e se apresentam para a vitória depois que os outros “se mataram” lá na frente. Automobilismo para mim é adrenalina e emoção. Estratégias são emocionantes em jogo de xadrez, mas reconheço que do jeito que a coisa está montada na F 1 com os farelli, até que elas estão dando colorido e movimentação às corridas. Mas gosto de gente como o Mansell, por exemplo, que perguntado como conseguia fazer a Peraltada “flat” e do jeito que fazia, respondeu que “fechava os olhos na entrada e só os abria na saída”, hahahaha!!! Esse negócio de “poupança” é para corridas de longa duração!

    Curtir

  5. Julianne,

    O mais interessante é mesmo a comparação entre Button e Hamilton. E constatar que é o mais equilibrado.

    Lembro que quando anunciaram que o Button iria para McLaren, feudo do Hamilton, muitos decretaram que seria um massacre em favor de Lewis. E depois de 3 temporadas, verificar que isso passou longe de ser uma realidade, com exceção das classificações, conforme citado por você, e ainda por cima ver a saída do Hamilton da equipe.

    O estilo burocrático do Button não faz sucesso entre os torcedores, mas é um piloto maduro, frio, muito inteligente e que erra pouco, que soube trabalhar em cima das fraquezas do Hamilton.

    Sim, Julianne, na minha opinião, a McLaren fez um bom negócio em deixar o Hamilton ir.

    Curtir

  6. Julianne, interessante a tabela da performance entre companheiros de equipe. Na minha opinião parece clara uma aposta dessas equipes em ter um piloto dominante para lutar pelo título de pilotos e um outro que ainda consiga trazer pontos para a equipe pensando no campeonato de construtores. O campeonato de pilotos é interessante do ponto de vista do público, possibilitar escolher um piloto e torcer por ele. Do outro lado o campeonato de construtures, não muito interessante ao público em geral, mas que vale muito as equipes pois gera fundos para as enormes despesas que tem de gerir. Tem um texto interessante em

    http://joesaward.wordpress.com/2012/10/09/the-value-or-lack-of-it-of-f1-pay-drivers/

    Ele me ajudou a pensar como deve ser as estratégias das equipes para tentar maximizar os resultados.

    Continuando nessa linha, penso que nesta temporada Alonso e Vetel conseguiram maximizar os pontos ganhos pois mesmo largando em posições não tão a frente na largada, ainda assim conseguiram bastante pontos para as respectivas equipes. Considerando que mais pontos acabam resultando em mais dinheiro para as equipes, também dá para ter idéia da pressão ao Felipe Massa por não estar marcando muitos pontos no início da temporada.

    Curtir

  7. Você tocou em um ponto interessante. Quase todos falam sobre a incompetência do Schumacher em sua volta, mas poucos cogitam a meritocracia de Nico Rosberg nessa história.
    O duelo com Hamilton será para mim a confirmação das qualidades de Keke Jr. Imagino equilíbrio semelhante ao que foi com Button nestes anos de Mclaren.

    Curtir

  8. Otima analise das duplas de pilotos! Mas como voce n contabiliza punições, o schumacher deveria aparecer com uma pole em 2012. Em monaco ele so nao largou da pole por causa do acidente com senna na corrida anterior. Alias essa punição foi o maior azar do shumacher na temporada passada, sendo monaco e estando em 1º lugar, eram grandes as chances dele conquistar uma vitoria.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.