Bienvenue au Québec: As vítimas do muro dos campeões

Quando chega o GP do Canadá, em Montreal, é mais uma questão de “quem” do que de “se alguém” vai perder o carro na chicane de entrada na reta principal para encontrar a irônica placa de “Bienvenue au Québec” (Bem-vindo a Quebéc, província em que a cidade está localizada) no muro.

Os acidentes são tão comuns que, em 1999, ele ganhou o apelido de “muro dos campeões”. Naquele ano, Michael Schumacher, Jacques Villeneuve e Damon Hill, todos detentores de títulos da Fórmula 1, bateram no local.

Os campeões do atual grid, no entanto, estão razoavelmente intactos. Lewis Hamilton, Fernando Alonso e Kimi Raikkonen ainda não escaparam na chicane. Porém, mantendo a tradição, Jenson Button e Sebastian Vettel já aprontaram das suas no “muro dos campeões”. Relembre quais foram algumas das outras vítimas:

Jacques Villeneuve (1997 e 1999): a maior vítima do muro dos campeões é logo o dono do único título canadense da história da Fórmula 1. Correndo no circuito que leva o nome de seu pai, Gilles, Jacques nunca andou bem, tendo com melhor resultado um segundo lugar logo em seu ano de estreia. Na temporada em que foi campeão, em 1997, bateu justamente na saída da chicane quando era segundo e abandonou.

Dois anos depois, já longe da disputa pelas vitórias, na equipe BAR, o canadense bateu novamente durante a corrida, abandonando. Aquele, inclusive, foi um dos 11 abandonos consecutivos que teria naquela temporada.

Michael Schumacher (1999): O heptacampeão liderava o GP em 1999 com a Ferrari quando bateu sozinho, entregando de bandeja a vitória para o rival Mika Hakkinen, da McLaren. Mas o erro acabou não custando tão caro: os dois lutavam pelo campeonato até que o alemão sofreu um forte acidente em Silverstone, um mês depois, e perdeu várias provas devido a uma fratura na perna.

Damon Hill (1999): O campeão de 1996 já estava longe da briga por vitórias quando sua Jordan escapou de frente e se chocou contra o muro dos campeões. Alguns dias depois, o inglês anunciou sua aposentadoria das pistas. Hoje, é comentarista da TV britânica.

Rubens Barrichello (2001): Mesmo sem título na F-1, Barrichello encontrou o famoso muro de Montreal durante a classificação da prova de 2011. Como o regulamento da época permitia o uso de um carro reserva, o brasileiro acabou se classificando em quinto. Na prova, bateu novamente, mas em outro ponto do circuito.

Jenson Button (2005): Antes de ser campeão – venceria o título em 2009 – Button providenciou uma batida no muro dos campeões. Pilotando pela BAR em um ano de vacas magras, o inglês voltava às pistas depois de três provas de suspensão da equipe por infringir o regulamento técnico. Logo de cara, fez a pole. Mas a corrida foi um desastre: perdeu a liderança na largada e acabou com sua prova na batida.

Kamui Kobayashi (2010): Houve acidentes no muro dos campeões nos últimos três anos. Em 2010, foi Kamui Kobayashi que viu de perto a placa “bem-vindo a Quebéc”. Largando em 18º, bateu logo na primeira volta. Mas parece que o acidente fez bem ao japonês: depois de marcar um ponto nas oito primeiras provas, o então piloto da Sauber deslanchou e pontuou em quatro das cinco corridas seguintes.

Sebastian Vettel (2011): O último dos campeões a bater foi Sebastian Vettel. Em uma temporada em que foi praticamente perfeito, vencendo 11 das 19 provas, o alemão cometeu uma série de erros em treinos livres – Turquia, Japão, Abu Dhabi e… Canadá, indo parar justamente no muro dos campeões. Na corrida, deu uma escapada na última volta e permitiu a vitória de Jenson Button.

Pastor Maldonado (2012): Depois de vencer o GP da Espanha, o venezuelano passou por momentos difíceis, envolvendo-se em incidentes em sete corridas em sequência. A segunda delas foi no Canadá, exatamente no muro dos campeões.

E neste ano, quem será que vai estrear o “Bienvenue au Québec”?

8 comentários sobre “Bienvenue au Québec: As vítimas do muro dos campeões

  1. eheheh…esse ano tá o Quebecoriginal….kkkkk.
    Muito legal vc falar sobre o Bienvenue au Quebec, pois aqui toda hora q. vc tem algum azar ou qq coisa q. aconteça q. nao seja benefica, a piada q. o povo usa é justamente essa – “Bienvenue au Québec”. Por exemplo, vc está andando no inverno e toma um tombo no gelo, alguem vai te falar – “Bienvenue au Québec”…ou qdo o guarda dá uma multa de transito, na hora de entregar o ticket eles falam – “Bienvenue au Québec”….ehehe.
    Abrçs

    Curtir

      1. Esse muro é famoso, aqui eles chamam de “Mur du Québec”, todo mundo q. visita o circuito tem q. tirar uma foto lá…kkkk
        Opa…Vou os 3 dias..ehehe. E este ano fui até na reuniao da FOTA-formula one teams association.
        Uma das coisas que gosto aqui em Montreal é justamente este envolvimento da cidade com a F1, principalmente pra gente que gosta.

        Curtir

      2. Opa…vou os 3 dias..eheh. Este ano fui até na reuniao da FOTA – Formula One Teams Association. É muito legal o envolvimento da cidade com a F1, principalmente pra nos que gostamos. 🙂

        Curtir

  2. É incrível a evolução do vettel ano após ano,visivelmente ele esta cada vez melhor a cada ano sua consistência aumenta e ele vai crescendo sobre si mesmo ele não tem o carro que melhor cuida dos pneus mais esta sempre entre os primeiros e comparando seu desempenho com Webber é notavel o seu nível de evolução e essa diferença entre os dois vai crescendo ano após anos e essa evolução deve incomodar muito a um tal Fernando Alonso que notavelmente sabe do enorme potencial do jovem tricampeão com sede de vitória e comparando Vettel com Hamilton Vettel é tão rápido quanto Lewis e tão inteligente quanto Fernando e não comete erros assim como Kimi e uma coisa é certa os números não mentem por trás de vários recordes existe sempre um DNA destinado a dominar,vencer e um grande campão se faz com um conjunto de várias qualidades.

    Curtir

  3. Sigo na linha do comentário do Beto, Vettel não precisou mudar para um time de ponta-vencedor pra ser campeão. Muito menos precisou “emprestar” carro campeão pra chegar aos títulos(isso faz diferença dentro da F-1). Digo entre os engenheiros e chefes de equipes….a dor de cotovelo, claro, fica entre os pilotos.

    Alonso tem que falar menos na mídia e mostrar mais RESULTADOS! O espanhol pegou um rival extremamente regular. Pra piorar, Vettel é veloz, preciso e cerebral, piloto pra vencer corridas, disputar títulos e bater recordes. Oportunista, o tricampeão não joga nada fora, bem que Christian Horner alertou:

    “Seb é fantástico, mas acredito que ainda não vimos todo o melhor dele”
    http://www.gazetaesportiva.net/noticia/2013/05/formula-1/chefe-da-reb-bull-acredita-em-um-desempenho-ainda-melhor-de-vettel.html

    Quando tem carro veloz o alemão não deixa escapar poles ou vitórias, quando não vence…faz pódios! Quando não tem carro para chegar ao pódio…pontua da melhor forma. Vettel não é perfeito(piloto assim NUNCA existiu na F-1, e sem pachecada por favor), mas quando tem dia ruim, o alemão trabalha novamente em silêncio pra recuperar o prejuízo! Complicado superar um piloto desse calibre! Lembrando que, Vettel é fantástico também em final de campeonato. Em 2009 tirou o vice-campeonato de Barrichello, em 2010(depois de uma pixotada na Bélgica), sobre grande pressão virou o jogo levando o primeiro título na última prova, em cima de um Bicampeão e um companheiro que foi “osso” dentro do time. Em 2012 novamente virou o jogo quando Alonso tinha grande vantagem de pontos. Newey entregou um grande carro entre as provas de Cingapura e Índia 2012, mas o alemão não jogou oportunidade no muro. Um abandono por pixotada naquele domínio, seria adeus ao campeonato na pontuação!

    Depois de seis provas em 2013 Vettel tem uma média de 17,83 pontos por prova, uma marca expressiva comparada a 2010/12. Já Alonso, com um grande carro vive perdendo pontos importantes com desempenhos pífios, errou feio na Malásia ao danificar a asa na primeira volta, depois a Ferrari completou a besteira mantendo o espanhol na pista(mas primeiro o erro veio do piloto). No Bahain, o espanhol não teve culpa, mas sorte também faz parte do jogo, basta ver Kimi em Mônaco. Na corrida do principado, Alonso foi simplesmente ridículo, o carro não tinha ritmo, mas ser ultrapassado três vezes foi responsabilidade do piloto. Em Mônaco só passa se o da frente bobear.

    Mercedes deu maior força segurando o ritmo em Mônaco, em vez de ganhar posições, Alonso perdeu várias…

    Se a RBR sofre com os pneus em 2013, então Vettel esta melhor do que nunca(com o mesmo equipamento Webber esta sendo um desastre). Bom lembrar, o alemão é muito superior ao espanhol em classificação, isso também faz muita diferença nas corridas e pontuação. Reparem que Vettel esta sempre na briga. Se o espanhol não diminuir a diferença nas próximas corridas, vai começar as críticas a equipe.

    O tricampeão, esta melhor do que nunca…se vira espanhol!

    Tabela do campeonato de pilotos 2010:
    1-Mark Webber,78
    2-Sebastian Vettel,78
    3-Fernando Alonso,75
    4-Jenson Button,70
    5-Felipe Massa,61

    Tabela do campeonato de pilotos 2011:
    1-Sebastian Vettel,143
    2-Lewis Hamilton,85
    3-Mark Webber,79
    4-Jenson Button,76
    5-Fernando Alonso,69

    Tabela do campeonato de pilotos 2012:
    1-Fernando Alonso,76
    2-Sebastian Vettel,73
    3-Mark Webber,73
    4-Lewis Hamilton,63
    5-Nico Rosberg,59

    Tabela do campeonato de pilotos 2013:
    1-Sebastian Vettel,107
    2-Kimi Raikkonen,86
    3-Fernando Alonso,78
    4-Lewis Hamilton,62
    5-Mark Webber,57

    Abaixo, estatísticas da temporada 2013! Alonso é fera, mas também não é nenhum “Deus” ao volante. Em termos de eficiência, Vettel esta tirando mais resultados(isso vale muito, basta ver a temporada de Prost em 86 ou 89).

    Pelo carro eficiente que tem, Alonso e a equipe estão devendo, o espanhol era para estar na cola do alemão nos pontos. Alonso pode até se recuperar e levar o título, mas se for campeão…la na frente ele não pode só lembrar de Newey.

    Gosto do espanhol dentro da pista, mas fora já encheu o saco, esta falando demais!

    Vitórias:
    1-Vettel,2
    2-Alonso,2
    3-Raikkonen,1
    4-Rosberg,1

    Poles:
    1-Rosberg,3
    2-Vettel,2
    3-Hamilton,1

    Melhor Volta:
    1-Vettel,3
    2-Raikkonen,1
    3-Perez,1
    4-Guitierrez,1

    Pódios:
    1-Vettel,4
    2-Raikkonen,4
    3-Alonso,3
    4-Hamilton,2
    5-Webber,2
    6-Grosjean,1
    7-Massa,1
    8-Rosberg,1

    Só pra lembrar, quando Toro-Rosso e RBR eram times fracos(2007-2008), nem Alonso ou Hamilton foram atrás do fantástico Newey, agora ambos vem choramingar que o alemão só ganha graças ao projetista? Leite quente e cama para os dois. Vettel foi BUSCAR tudo isso quando o time estava em baixa, tanto na Toro como RBR, não pegou nada pronto!

    Lewis e Alonso começaram 2007 com time pra ser campeão, deu no que deu!

    Lewis foi campeão “raspando” em 2008, já em 2010 jogou suas chances em uma bela pixotada no GP de CIN e ITA. Alonso teve sua chance na reta final de 2010(acabou jogando grande parte da culpa em Petrov). Em 2012 o espanhol tinha uma grande vantagem sobre o alemão(ainda esnobou na mídia que seria campeão a todo custo), mas não segurou a dupla da RBR.

    Alonso era o único que podia ser campeão antecipado em Interlagos-2010, em 2012 viu 49 pontos de vantagem serem reduzidos a pó…

    Vettel ajudou a erguer RBR até os títulos, Lewis na Mercedes e Alonso na Ferrari que façam o mesmo! Schumacher pra ser heptacampeão teve que superar Williams e Mclaren de Newey, em nenhum momento Schumacher diminuía os feitos de Hill, Villeneuve, Hakkinen, Raikkonen por terem Newey ao lado.

    Alonso e Lewis a todo custo dão a entender que Vettel não é tudo isso, que, quem faz a diferença é o projetista. Então, Schumacher foi fenomenal, bateu Newey por sete vezes…

    Bom lembrar, Senna entre 92-93 vivia choramingando que as Williams eram imbatíveis…do outro lado, na mediana Benetton um jovem alemão trabalhava duro com Ross Brawn e Rory Byrne para superar os carros de Newey…conseguiram o feito em 94-95.

    Brawn e Byrne quando conheceram Schumacher sequer tinham títulos, e o piloto alemão era apenas um novato. Já Senna deixou a Mclaren na mão pra correr com o melhor carro da época, dessa vez as Williams do fantástico Newey. O “herói” nacional já tinha feito o mesmo entre Lotus e Mclaren…assim é fácil chegar aos recordes e títulos.

    Se Ayrton podia escolher trabalhar com projetistas consagrados como Murray, Nichols e Newey, outros pilotos também tem esse direito…

    Outro detalhe, Toro-Rosso e RBR só começaram a vencer depois que teve Vettel ao volante(RBR já tinha pilotos experientes antes do novato alemão chegar).

    Nem com Newey no comando, Webber e Coulthard deram conta do recado…

    Curtir

  4. Marcelo,vc já reparou o histórico do vettel todos os anos na fase asiática em diante,é muito interessante a sequencia de poles e vitórias, o incrível dele é que a partir da segunda metade do campeonato ele eleva o nível fica ainda mais forte e notavelmente ele esta tendo um dos melhores inicio de temporada imagine a segunda parte.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s