De volta. Com classe

Motor Racing - Formula One World Championship - Austrian Grand Prix - Race Day - Spielberg, Austria

Voltas finais do GP. Companheiros de equipe andando junto. Vitória decidida na pista. A história está longe de ser novidade nas últimas etapas, fruto de uma circunstância bastante rara, em que não há uma diferença de prestígio interno entre os dois pilotos, a vantagem é clara o suficiente para o título não corra risco se os pontos se dividirem e o marketing positivo de liberar a disputa é bem-vindo pela Mercedes.

Porém, no GP da Áustria, o gosto é diferente. Afinal, foi lá que uma prática tão velha quanto a Fórmula 1 foi escancarada para o público de uma forma incrivelmente escancarada. Tanto, que até Michael Schumacher, que sempre viu o jogo de equipe com uma naturalidade racional, ficou sem graça. Junto dele, a categoria também ficou, como se estivesse surpresa de ver a reação negativa do público a um “deixe Michael passar pelo campeonato” (na quinta etapa do ano).

A ordem de equipe faz parte, ela às vezes é necessária, como vimos com a Force India justamente nesta prova: com estratégias diferentes, Perez e Hulkenberg perderam menos tempo “se ajudando”. Mas há jeitos e jeitos de fazer isso, até pensando em espectadores mais ocasionais. E esses mais de 10 anos desde que a F-1 foi ao fundo do peço na Áustria, a lição foi aprendida – ainda que tenhamos visto um ou outro tropeço. E ver uma dobradinha justamente em Spielberg, mas de um jeito bem mais saudável, é um alento.

No mais, olhando de fora, a Williams pareceu jogar como time pequeno. Na retranca. Limitou-se a responder ao que a Mercedes fazia, como se soubesse que lutava por uma batalha perdida. E, para Felipe Massa, o pódio mais claro do ano novamente ficou nos boxes. Se é algo ligado ao processo da própria equipe ou se o piloto tem de ser mais preciso ao parar em suas marcas, é algo que tem de ser avaliado internamente – e certamente está, pois vários pontos já foram jogados fora dessa maneira.

Alguém pode resmungar: mas Massa foi 1s mais lento no pit, perdeu 3 posições e teve a corrida toda para se recuperar e não o fez! São fatores estratégicos (demora para responder à parada de Rosberg, retorno à pista no tráfego) aliados ao oportunismo de Hamilton, que aproveitou que Massa estava com os pneus frios, que complicaram a corrida do piloto em um momento capital. Depois, se por um lado o retorno da Áustria foi sucesso de público e agradou o circo em geral, ficou clara a dificuldade em se ultrapassar no Red Bull Ring.

No mais, quem me impressionou foi Alonso. O ritmo forte e impressionantemente consistente estavam lá como sempre, mas é de se admirar que ele consiga isso com um carro visivelmente instável e difícil de pilotar.

59 comentários sobre “De volta. Com classe

  1. Boa corrida, porém vale ressaltar que essa vitória foi decidida no pit stop do Hamilton que demorou 4 segundos e o do Rosbreg feito em 3 segundos, essa diferença foi vital para a vitoria do Rosberg, pois com equipamentos iguais, tirar essa diiferença torna-se mais complicado.

    Essa diferença contou muito, eu acho;

    Curtir

    1. Mas Lewis voltou da segunda para a uns 4 segundos de Rosberg, e rapidamente estava a menos de 2. Só que aí o Nico apertou e ele não conseguia tirar mais, tanto que ficou pedindo por rádio por orientações para melhorar. Então acho que não faria diferença.

      Curtir

    2. hamiltom passava ali 500 voltas e num passava …rosberg passou umas 15 voltas atrás de perez e num passou so conseguiu quando o pneu do mexicano acabou …é difícil ultrapassar um carro rapido de reta e andar atrás toda hora aqueci demais acho q Hamilton se contentou com o 2° ele sabia que num dava pra passar rosberg tinha ritmo pra reagir e dominou a carrida a vantagem ta subindo 29 já sei naum o negão vai ralar pra tirar tudo isso

      Curtir

  2. Oi, Ju

    Essa deficiência de trabalho da Williams em atender com a mesma precisão os dois pilotos em suas paradas é algo que me remete aos 80 quando eu ficara furioso com as falhas que eles cometiam nas paradas de Piquet e Mansell.

    Não querendo ajudar um e atrapalhar o outro. Mas o time de Frank Williams nunca foi eficiente como normalmente é uma Ferrari, McLaren, Red Bull ou agora a Mercedes.

    E mais uma vez Massa acabou sendo vitima. Por outro lado, faltou aquele pelinho para ser tirado no braço quando ele comboiava um valente Bottas caçando Rosberg que estava na alça de mira de Hamilton.

    Quanto ao Alonso, agora fica mais claro de a gente entender o quanto ele é bom. Porque o que Raikkonen fez nestas 8 etapas é bem menos do que Massa fazia. Então o problema não era o piloto, e sim a capacidade de Alonso em extrair tudo e um pouco mais de um carro deficiente.

    Um abraço!

    Curtir

    1. Eu nunca ouvi tanta besteira, um monte de gente dizer que alonso anda acima do limite do carro, isto é fisicamente impossivel, um piloto pode andar perto do limite mas nunca no limite, porque teoricamente sempre poderia haver outro piloto que tirase alguns milemos a mais nos tempos com o mesmo carro, kimi ja deu um titulo a ferrari coisa que o espanhol não deu nem nunca vai dar, a ferrari trabalha só para alonso, não existe igualdade na ferrari, alonso só foi bicampeão pela reneaut porque schumi quebrou em suzuca.

      Curtir

      1. Respeito seu comentário, mas então porque Kimi não consegue andar nem próximo do espanhol? Só pelo fato de a Ferrari trabalhar para Alonso?

        Será que numa Red Bull como a do ano passado, ou uma Mercedes deste ano ele já não seria tri, tetra, penta hexacampeão?

        Qual Ferrari ele pilotou, tirando a de 2010 foi um carro pra ganhar campeonato?

        Curtir

      2. Respondendo sua primeira pergunta, alonso joga sujo ele tentou sabotar hamilton em 2007, até tentou chantagear ron dennis, imagine agora com o poder que tem na ferrari, se kimi fosse tão ruim não teria deixado as duas mclarens, uma ferrari e uma redbull para tras em 2012. Em 2012 a ferrari teve o melhor carro em varias corridas mas, mas vettel soube evoluir o carro e tirar a diferença.
        Segunda pergunta, se alonso tivesse numa mercedes este ano sem privilégios ia tomar um pau do rosberg, se tivesse na redbull desde 2010 não iria muito longe, porque ele não consegue desenvolver o carro, teve o melhor carro em 2007 e tomou uma surra de um novato.

        Curtir

      3. Loxivaldo, qual campeão de Fórmula 1, desde 1950, teve uma carreira limpa?

        Algum piloto bonzinho foi campeão algum dia?

        Curtir

      4. Bem, o que seria surra loxivaldo? Em 2007, Alonso tinha 26 anos e Hamilton 22, nada demais…Hamilton antes de estrear, pelas informações da Ju, tinha rodado ‘míseros’ 10.000 km para se adaptar ao carro/pneus (seria tão novato assim?) e após o GP da China, o próprio Dennis disse que a Mclaren corria contra Alonso, daí vem a pergunta: será que o equipamento do espanhol era o mesmo? Relembrando que mesmo com erros em 2007(GP Brasil), acelerou o quanto quis, ao passo que Alonso(sem erros) terminou em 3º, a ‘míseros’ 60.7 seg do vencedor! Fica a dúvida; pra quem disputou palmo a palmo o título com a Ferrari, o equipamento estava ‘normal’ para uma disputa de título?

        Curtir

      5. Sergio,

        So respondendo tua ultima pergunta, 2012. Alonso tinha carro p/ ganhar aquele campeonato, mas como sempre – na minha opinião – ele afina na hora ‘H’.

        Curtir

      6. Mugello, eu nem estou defendendo o Alonso, até porque não sou fã dele, como pessoa o acho uma espécie de Alain Prost, aquele cara que te agrada pela frente e puxa o tapete por trás.

        Mas não nego que é um dos melhores pilotos da atualidade, o mais inteligente e completo. O problema é que a Ferrari depois do Dream Team, Todt, Brawn, Byrne, Marmorini, virou uma draga, e aí, no automobilismo não se faz mágica. O único que eu vi fazer alguma mágica morreu a 20 anos.

        Abs.

        Curtir

      7. O melhor piloto da corrida foi peres saiu de 15º para 6º Alonso sai de 4º pra 5º nessa corrida peres foi um monstro de piloto. a ferrari é melhor que a forceindiam veja a classificação kimi não é parametro devido a enorme dificuldade que ele tem com um carro construido para a pilotagem de Alonso.

        Curtir

  3. Oi Juliana, achei que o circuito teve varios momentos de ultrapassagens, talvez apenas em 2 pontos. Nas duas retas que vem depois das retas dos boxes. Apesar disso achei que aconteceu muita coisa la. Voce poderia detalhar mais o porque voce achou claro a difculdade de ultrapassar nesse circuito? Obrigado ee abraco

    Curtir

    1. Digo pelas próprias declarações dos pilotos (Hamilton, Massa e Alonso foram alguns dos que destacaram isso) e por alguns exemplos de pilotos que vinham com ritmo bem superior e, quando chegavam a menos de 1s, “travavam” porque o carro ficava muito instável na freada. Um exemplo muito claro foi o próprio Alonso, que estava 0s5 mais veloz que o Massa no final, mas não conseguiu ficar a menos de 0s8.

      Curtir

  4. Julianne, me parece que a Willians, caso fosse mais radical nas estratégias, conseguiria manter seus 2 carros a frente das Mercedes. Eles eram muito rápidos de reta.

    Curtir

  5. se alonso estivesse na redbull desde 2010 não teria ido longe porque na redbull é igual para igual, sem contar que a equipe teria afundado porque alonso não sabe fazer o carro evoluir, se estivesse na mercedes estaria levando uma surra do rosberg, não se esqueça que hamilton o derrotou uma vez e hamilton esta perdendo para rosberg, o espanhol só funciona se a equipe girar em torno dele, o espanhol é fraco em classificação, tanto rosberg quanto hamilton iriam enterrar de vez o espanhol.

    Curtir

    1. na redbull é de igual para igual? Então você vai la perguntar pro webber o que é multi 21 ou aquele episodio que o vettel quebrou a peça dele e deram a peça nova do webber pra ele.
      E outra, não é obrigação do Alonso fazer um carro que foi mal concebido virar uma maravilha. Eu nunca vi nenhum piloto hoje em dia pegar um carro lixo e transforma-lo. É so ver o desempenho do Vettel com um carro cheio de problemas. As equipes são responsáveis pelo desenvolvimento do carro muito mais que o proprio piloto.
      O que eu acho engraçado é que todo ano é a mesma desculpa, que o alonso sempre é beneficiado e por isso seus companheiros vão mal. Eu queria ver se o Alonso fosse companheiro de equipe de todos os pilotos do grid qual seria a desculpa que iriam dar. Obviamente que quando o Alonso estava na mclaren o Hamilton foi o piloto que mais deu trabalho pra ele, mas já está na hora de reconhecer que ele sabe trabalhar muito bem com carros porcarias, e isso não tem nada a ver com gostar ou não do Alonso como piloto.

      Curtir

    2. Man.
      Respeito a sua opinião, mas Rosberg é um piloto comum que só ganha com melhor carro, e bem fraco.
      Piloto comum que só ganha do Hamilton na falcatrua ou pelo psicologico.
      Quanto ao ALonso, acho ele um dos melhores do grid, e que se estivesse na RBR, não sei se teria faturado 4 como Vettel, mas 3 eu garanto que sim.

      Curtir

      1. você não entende nada de f1 outra coisa se você for primeiro tenente eu sou a rainha da englaterra, aqui não é lugar para se mostrar e sim fazer comentàrio e críticas .

        Curtir

  6. Rosberg não é gênio e sei que ele bateu num Schumacher já velho e pós acidente de moto. Mas o alemão venceu a GP2 com o pé nas costas assim como Hamilton. Ele é bom em classificação e largada, não tão rápido de forma constante quanto o Lewis, só que vai dar trabalho até o fim.

    A saída para o Hamilton é parar de errar em qualificações. Só que os erros em momentos cruciais no Canadá e no RB Ring podem significar que Nico está num grande momento e Lewis tem que forçar demais para superá-lo.

    Curtir

  7. Achei uma corrida mt parecida com aqueles trenzinhos típicos da era Bridgestone…sei não, mas se não aumentarem a aderência mecânica(com o aumento da superfície de contato dos pneus), sempre teremos reclamações quanto a dificuldade de ultrapassagem, mesmo sem difusor, asas menores, etc. Sobre Alonso, fico estarrecido em não reconhecerem a capacidade do espanhol! O referencial da pilotagem do ferrarista pode ser o comparativo com Massa, que por todo fim de semana teve mt mais carro, largou da pole e terminou a apenas 1.1 seg do brasileiro. Essa história de desenvolver carro e contraditória, afinal, em uma categoria que não possui testes, onde um carro mal nascido é quase um atestado de óbito, como afirmar com certeza o dedo do piloto no desenvolvimento do carro? Ora, é o piloto que desenha as peças? É o piloto que faz as maquetes e as leva para o túnel de vento? É o piloto que desenha o carro? Na real, o túnel de vento/projetistas/projeto/pilotos de simuladores influenciam bem mais do que os pilotos oficiais. Em 2010 Alonso disputou o titulo com o 3º melhor carro, e em 2012, teve 3 contra 5 vitorias de Vettel, disputando o título pela regularidade, pois nunca teve um carro dominante como a RBR na fase asiática, com Vettel emplacando 4 vitórias seguidas. O domínio da RBR na fase asiática era tão avassalador, que os pódios do espanhol eram sempre na casa de 10, 15 segundos atrás de Vettel, ou seja, inalcançável. Sobre o famoso ‘pau’ que tomou de Hamilton, acho meio relativo, afinal terminaram com os mesmos 109 pontos…enfim, não reconhecer a grandiosidade de Alonso, é querer tapar o sol com a peneira. E como gosto cada um tem o seu, digo que ‘pra mim’, guiando por várias equipes e equipamentos, o espanhol é o piloto mais completo que passou na categoria após a morte de Senna. Gosto duvidoso ou não, é minha opinião, e nem por isso acho que ‘tenham’ que concordar comigo.

    Curtir

    1. A Ferrari é a equipe mais rica da f1 tem muitos engenheiros altamente qualificados, e um caminhão de dinheiro para gastar todo ano, eu sei que não é o piloto quem projeta o carro, mas o carro é projetado com auxílio e de acordo com o estilo do piloto, force Índia, Williams, e Lotus são equipes medianas, McLaren tá em decadência, aí quando Alonso chega em quarto ou quinto ficam dizendo que ele tirou coelhos da cartola, se a Ferrari não consegue resultados e culpa do espanhol.

      Curtir

    2. A Ferrari tive o melhor carro durante várias provas em 2010, Alonso tinha um capacho que não tiveram a ponto dele, já a McLaren tinhas a melhor dupla de pilotos mas de longe um carro melhor que a Ferrari, em 2010 a Ferrari tinha o maior orçamento da f1, se vestem foi campeão foi por mérito dele, porque a redbull não dava privilégios para ele.

      Curtir

      1. pô eu estava escrevendo usando o celular com pressa deveria entender, não é por não saber escrever.

        Curtir

    3. A Ferrari teve o melhor carro durante várias provas em 2010, Alonso tinha um capacho que não tivava pontos dele, já a McLaren tinhas a melhor dupla de pilotos mas de longe um carro melhor que a Ferrari, em 2010 a Ferrari tinha o maior orçamento da f1, se vettel foi campeão foi por mérito dele, porque a redbull não dava privilégios para ele.
      (Responder

      Curtir

  8. eu acho Hamilton mais piloto que rosberg mais muito mais piloto. mas veja a diferença de rosberg pra Hamilton e de Hamilton pra rosberg é sempre muito próxima o carro é muito bom e equilibrado e um piloto num sobra sobre o outro …como vettel fazia com webber era gritante a diferença e como a diferença de kimi pra Alonso esse ano ta difícil pra kimi pq na segundo volta o engenheiro já pediu pro cara poupar freios ai é sacanagem com kimi. Alonso foi bi na sorte pq campeão tem q der sorte tb como vettel teve no tri de rodar ali e ninguém bater nele e tirar ele da corrida faz parte mas Alonso é um baita piloto mas num será tri se fikar na Ferrari tem q mudar num sei pra onde mas na Ferrari já deu o q tinha q dar

    Curtir

      1. Paulo me referi a sorte pq teve uma corrida no japão que o schumi quebrou e se naquela corrida o schumi num tivesse quebrado Alonso não seria bi faz parte da corrida só isso acho Alonso uma baita piloto mas essa de tirar leite de pedra a me não me engana não , única equipe q ele correu e num teve privilegio levou uam sova do estreante Hamilton deu piti e saiu pela porta dos fundos e ate hoje ele coloca uma causúla do contrato pra num ter Hamilton ou vettel como companheiro

        Curtir

  9. Hamilton começou a perder o campeonato já na prova de abertura, em Melbourne, com aquele “cabo de vela mal apertado”. De cara, precisou vencer 4 provas seguidas para voltar a liderança. Continuou a perder o campeonato com aquela pole marota de Rosberg em Mônaco. Nico sempre foi subestimado, nunca teve um décimo do endeusamento do outro Nico, o Hulkenberg, apesar de ser muitíssimo melhor, nem dá para comparar os dois. Como Nico Rosberg não é de entregar a rapadura, ao contrário do outro Nico, o Hulk (Interlagos 2012), acho que já se pode dar o título para ele, pois para reassumir a liderança Lewis teria que vencer agora não mais 4, mas 5 provas seguidas. Considerando-se que o carro de Rosberg NUNCA quebra, só o de Hamilton, a superação dessa diferença fica muito longe, lá na linha de um horizonte envolto pela névoa do imponderável, pois OUTRA quebra no carro de Lewis também é possível. Como fazem falta para ele aqueles 25 pontos ABSURDAMENTE perdidos na prova de abertura! Inclusive do ponto de vista emocional (o carro voou para a pole, foi para o parque fechado e JÁ largou bichado!). Francamente, ficarei muito surpreso se Hamilton for o campeão, pois ele vem tendo contra si até agora uma série de imponderáveis adversos. No entanto, Hamilton continuará sendo o sal das corridas, veja-se o que fez agora na Áustria, largando em 9º e alcançando o 4º lugar antes de se completar a primeira volta! Corrida sem Lewis é corrida insossa, quem gera adrenalina é ele.

    Nico Rosberg, um piloto alemão campeão mundial numa equipe alemã campeã mundial. Será que ele vai ser renegado por muita gente como Vettel foi (e continua sendo, sem dó nem piedade)? Ou será aclamado como um grandíssimo campeão? A situação é igual, ambos dirigindo carros dominantes (é impossível ser campeão ou ganhar corridas com uma Marússia ou uma Caterham, vide Alonso e sua Ferrari também). O pau que bateu (e ainda bate) no pobre Chico, digo, Vettel, tem que bater também no Francisco, digo, Rosberg, para haver coerência. Detratores de Hamilton e de Vettel certamente vão dizer que Hamilton é melhor que Webber, esta é a diferença que certamente alegarão para chancelar a grandeza de Rosberg e continuarem diminuindo o talento incontestável de Vettel, ainda mais agora, que Ricciardo vem revelando de maneira inconteste um insuspeito talento, até com potencial para ser campeão do mundo.

    O estreante Magnussen deu uma sova no campeão mundial Button nessa corrida, FATO TAMBÉM (aliás, desde os treinos).

    OUTRO FATO: corridaça do apedrejadíssimo e execradíssimo Sérgio Pérez, não tomando conhecimento do endeusadíssimo e injustiçadíssimo Hulkenberg (este é melhor que Rosberg e que Vettel?). Pérez sustentou por muito tempo sem cometer erros a liderança, aguentando sem errar a formidável pressão exercida pelas Mercedes e Williams. Hulk e Perez podiam até estar em estratégias diferentes, mas Pérez teve uma largada brilhante, é preciso reconhecer e não esquecer isso. Além disso, largou em 16º lugar. Fatos: resultados e performances excepcionais têm sido fornecidos por Pérez, já o substancioso feijão com arroz SEM SAL quem fornece é o elogiadíssimo Hulk, que aliás neste GP da Áustria levou uma belíssima ultrapassagem do raçudo Ricciardo. Hulk – correndo com uma poderosa PU Mercedes – entregou a rapadura para Ricciardo, que estava com uma anêmica PU Renault nas mãos.

    Horner acaba de declarar que as PU Renault estão inaceitáveis.

    http://www.gptoday.com/full_story/view/491615/Horner_Renault_unacceptable/

    Quanto a Massa, sempre digo aqui no blog que é o piloto mais desconcertante do grid. Acusam-no de não ter ritmo nas corridas, no entanto no primeiro stint ele detonou todo mundo, correu com muitíssima velocidade, sem dar chances aos adversários. A mim me parece que ele sempre perde a concentração do meio para o fim da corrida, inexplicavelmente. Por que? Não sei. Seria algum tipo de cansaço mental pós-molada? Existem nitidamente dois Massas: um pré-molada, que tinha ritmo de corrida e outro pós-molada, que não consegue apresentar constância em seu desempenho. Foi prejudicado pelo primeiro pit stop, demorado. É difícil avaliar Felipe sem o risco de queimar a língua, vide a brilhante pole. Massa não é nem nunca foi genial, mas está e sempre esteve longe de ser um mau piloto.
    E Valteri Bottas? Simplesmente vem da Finlândia, um notável país que com pouco mais de 5 milhões de habitantes já produziu 4 campeões mundiais de Rally (Hannu Mikkola, Ari Vatanen 2 vezes, Tommi Makkinen 4 vezes, Juha Kankkunen 4 vezes, além dos excepcionais e lendários Rauno Aaltonen, Marku Allen e Henri Toivonen), 3 campeões mundiais de F 1 (Keke Rosberg, Hakkinen e Raikkonen) e um fantástico campeão mundial de motociclismo (Jarno Saarinen). Se isso serve de recomendação. . .

    Fico imaginando aonde já estaria Fernando Alonso com essa Williams. Alonso se perde pelas suas atitudes (até que este ano ele está em low-profile, hahaha). Apenas pilotando ele é um colosso. Essa Ferrari de 2014 já era. O negócio é pensar desde agora em 2015 (ou em 2027, se for para cumprir uma seca como aquela pós-Schekter). Alonso precisa abrir o olho urgentemente.

    Curtir

      1. Whoquembreca, hahahahahahaha, vejam essa, Alexandre e Bruz! Muito boa! E na McLaren agora ele é conhecido por Hulkenbeg, depois de ter levado um não. O que eu fico impressionado, meu caro Muguello, é que Hulk até hoje não apresentou mais que uma tocada mediana na F1, mas é reconhecido pelas massas como um talento acima da média, já vi comentarista formador de opinião coloca-lo no mesmo plano do Trio de Ouro, veja só! Pérez com a mesma alegada “tranqueira” que Hulk dirige já cravou um pódio este ano (e ontem fez um corridaço, largando bem atrás do alemão, suplantando-o ainda na largada e chegando 3 posições na frente dele). Essa hipnose coletiva em torno de Hulk é realmente inacreditável, um fenômeno, o cara é o Rei dos 5ºs.Lugares, nunca beliscou um 3º sequer, apesar de já ter tido não apenas essa chance, mas a oportunidade de ter vencido o GP do Brasil em 2012 e tê-la jogado fora com uma rodada bisonha para quem é tido como gênio.

        Estou pessimista com relação às chances de Hamilton, Muguello. As quebras só acontecem com o carro dele e Rosberg não é o Hulk, não é de entregar a rapadura.

        Curtir

  10. Aucan vc falou tudo especialmente com relação a Peres ele foi o melhor de todos nessa corrida e por incrível que pareça nehuma citação.

    Curtir

  11. aucam vc resumiu bem a corrida massa depois que voltou atrás perdeu o animo sei lá, bottas foi constante e rosberg dominou o negão nessa sempre mantendo o controle da situação sei não mas ainda tem muita corrida e a ultima vale 50 pode chegar mas vai ter que ser já em silveston pra mostrar que ta vivo e o perez eu gosto dele faz tempo arrojado a vai pra cima corridaça dele.

    Curtir

    1. Amigo Chrystian, não vejo problemas em mano-a-manos de Hamilton com Rosberg, é claro que o inglês pode perder algumas, pois não existe piloto invencível e Rosberg é fortíssimo, o que acho preocupante é que as quebras e adversidades só ocorrem com Lewis. Ora, com o mesmo dominante, uma única quebra é um desastre, representa a necessidade de quatro vitórias seguidas, considerando-se que o outro piloto chegue em segundo. Essa quebra da primeira corrida realmente foi devastadora, veja como ela faz falta. Ainda que Hamilton tivesse sido batido em Melbourne (dificilmente o seria, pois largou da pole), se ele tivesse chegado em segundo seriam hoje 18 pontos a mais. Então, 29 – 18 = 11 pontos, o que seria razoável já que ambos tem o mesmo carro dominante. No Canadá Rosberg teve problemas, mas conseguiu levar 18 pontos para casa e Hamilton levou apenas seu carro para a garagem, rsrs. . .Veja, com mais uma quebra de Hamilton a coisa vai ficar para quem acredita em Papai Noel.
      Abraço.

      Curtir

      1. mas quebras acontece com vettel já é a 3 foras os problemas das engenhocos da rennault que não tiram da corrida mas prejudica, rosberg é osso duro pq é constante e joga dura firme o tempo todo acho que se na próxima rosberg tivet ne frente o negão vai pra cima mesmo q bata pq é melhor ninguém soma ponto do q aumentar mas 7 rsrrsss a equipe já ganhou o construtores mesmo rsrsrs mas so quebra o do Hamilton se uma sabotagem alemã? ou só coicidencia?

        Curtir

  12. Chegada providencial a sua neste post Aucam.
    Parece que o troféu está caindo no colo do Rosberg e seu carro inquebrável. Mas continuo na opnião que mesmo o Nico sendo um ótimo piloto, o Hamilton consegue um algo a mais. E para encarar Vettel e Alonso com carros parecidos é preciso este algo a mais. Mas o pessoal da Mercedez deve saber o que faz.
    Mas o Hamilton baixou bem a bola depois do pity de Mônaco. Ou será que baixaram a bola dele? Se não voltar a largar na frente, não chega nem com esperança da pontuação dobrada da última prova.
    Qual Mercedez vai perder posição no grid primeiro por usar mais de cinco dos componentes da unidade de potência, nome chic que não combina com corrida de automóveis.
    Mais uma excelente e consistente corrida do Perez. Agora me rendi totalmente sobre o Whokemberg ser apenas mediano.
    Antes de Silverstone, vamos torcer para o Valentino domingo.

    Curtir

    1. Valeu, Alexandre. A meu ver, com um carro tão dominante, a Mercedes não precisa mais de Hamilton. Precisaria muitíssimo se a Ferrari e a Red Bull dispusessem de carros que pudessem peitá-la, pois para enfrentar Alonso e Vettel em igualdade de meios, em uma situação na qual aquele ínfimo é indispensável, só mesmo com Lewis, pois Rosberg, apesar de fortíssimo, não seria capaz de obtê-lo para bater esse trio, em minha opinião (aliás, podemos até alinhar Ricciardo ao lado deles).

      Em não precisando mais de Hamilton, Rosberg terá (ou já está tendo sub-repticiamente) mais atenções que o inglês, afinal um campeão alemão numa equipe campeã alemã seria algo inédito, seria a exibição de um domínio alemão de ponta a ponta na F 1, algo somente comparável à época de Rudolph Caracciola (aqui não me refiro a qualquer conotação política, mas sim à excelência em si, ao orgulho natural de uma nação pelos seus feitos, como o seria uma Copersucar campeã com Emerson, e não com Keke, ou uma Renault campeã com Prost, ambas as façanhas tentadas sem êxito, como sabemos).

      E olha, quando me refiro ao Trio de Ouro, estou professando também minha fé em Vettel, que passa por surpreendentes maus momentos pela falta de adaptação a esses carros feitos sob esse novo regulamento. O psicológico é muito importante para quem lida com centésimos de segundos em sua vida profissional: Lewis experimentou desconforto e falta de confiança com os freios em sua primeira temporada na Mercedes (venceu só uma vez e Rosberg duas), e Alonso também foi afetado pelo aspecto psicológico quando se deparou com um Hamilton estreante inesperadamente muito forte em 2007. Stewart teve até uma úlcera no estômago em 1972, quando foi batido por Emerson Fittipaldi (isso valeu uma capa da Autosprint na época). Vettel estava por demais acostumado com um carro ajustado para a sua pilotagem, agora está tendo que fazer um caminho inverso, tem que ajustar a sua pilotagem a esse tipo de carro. Nada que ele não consiga superar, já fez até uma corrida de remontada este ano, e fico até surpreso de ele estar tendo esses problemas de adaptação. Tem tido muita falta de sorte também, as PU Renault estão inaceitáveis não só em desempenho como em confiabilidade. Button ali pelo meio da temporada de 2012 também apanhou muito do carro da McLaren, não conseguia entende-lo. Creio ser normal períodos de altos e baixos para qualquer campeão e, neste ponto de adaptabilidade, temos que fazer justiça a Alonso, pois sempre consegue tirar tudo de um carro ainda que não esteja ao gosto dele. Quando justifico Vettel não desmereço o desempenho magnífico e inesperado de Ricciardo: ele se transformou numa dura realidade com a qual não apenas Vettel, mas também Hamilton, Alonso e Rosberg terão que conviver daqui para a frente. Em suma, falta apenas mais nivelamento entre os carros, pois alguns novos e ótimos valores estão chegando além de Ricciardo, como Kvyat, Bottas e Magnussen. Vergne também vem comendo pelas beiradas, com atuações de se prestar atenção, e não podemos esquecer Grosjean também, apesar de seu calvário com a Lotus. Quero ver Pérez relançando sua carreira, sempre pilotou com muita garra e arrojo.

      E concordo com você sobre esse negócio de PU e poupanças, eu também prefiro uma F 1 mais voltada às raízes, à sua essência: com tanta cibernética e informática, hoje não vejo mais a F 1 como tão fundamental como laboratório avançado, ainda mais em uma época em que os testes contraditoriamente são cada vez mais escassos.

      Seguimos agora para Assen, onde Valentino brilhou mais que todo mundo ano passado.

      Abraços.

      Curtir

      1. Olha isso, Alexandre:
        http://www.gptoday.com/full_story/view/491820/McLaren_approach_Hamilton/

        Creio que Dennis vai cozinhar até o último instante que puder uma eventual contratação de Alonso, pois por tudo que sabemos sua preferência é por Hamilton, (aliás em 2012 Whitmarsh pisou na bola não renovando com ele e dando preferência velada a Button, conforme reclamaram muitíssimos internautas em fóruns ingleses).
        Está na hora de Alonso não ser tão exigente quanto a privilégios e aceitar encarar Rosberg (na minha opinião ele se imporia a Rosberg), até porque a Ferrari atravessa uma perigosa seca (a última grande estiagem durou 20 anos, pós-Schketer). Alonso tem que fazer tudo que é possível para segurar essa vaga da Mercedes.

        Curtir

      2. aucam,
        Você escreve razoavelmente bem, não obstante, escrever bem nada tem a ver com escrever “consistência e embasamento”.
        No que tange ao Hamilton, você se arvora em conhecer o “imponderável” e o “futuro”, sem elencar as razões por fazê-lo.
        Se você é um oráculo tão competente e não trabalha a F1, você não passa de um avestado. Outrosim, se você é mesmo bom no que alega (conhecimento do futuro), porque vive esta vida tão modesta, apagada e sem reconhecimento?
        Não creio na sua capacidade cognitiva que supere em larga escala o esforço empreendido por anos em pesquisa, engenharia e gestão a equipe Mercedes e seus quase 1000 funcionários.
        Civilizado, seja índio. Procure o seu lugar.

        Curtir

      3. Mais dois parágrafos imersos em arcaísmos tolos somados a conjecturas frágeis e muito débeis.
        Não adianta falar muito, se você fala muita bobagem.
        Suas ilações implícitas de natureza difusa sobre a equipe alemã vencer com sangue puro alemão é verborragia pobre e burra.
        Você é por acaso um nacional alemão que pensa que a F1 é um campeonato de nações?
        Deixa de ser tosco!

        Curtir

      4. Magno, estou aqui para aprender e trocar opiniões com pessoas que, como eu, gostam de automobilismo e expressam seus pontos de vista com educação e com argumentos. Não estou aqui para ofender quem quer seja, nem vou devolver seu comentário no mesmo tom que você usou comigo. Respeito opiniões contrárias e posso concordar com elas, refazendo meus pontos de vista, se eu estiver errado. Não sou o dono da verdade, nem tenho essa pretensão. Não entendo você usar de agressividade GRATUITA a priori, este blog até aqui sempre teve o nível de comentaristas muito alto, podemos divergir uns dos outros, mas sem ofensas. Gostaria que você observasse esse nível, até em respeito à competente e atenciosa blogueira. Uma dos aspectos em que o blog da Julianne diferencia-se dos demais – além da imensa competência dela, em primeiro lugar – é justamente por isso, pelo respeito que se vê normalmente por aqui, ainda que haja discordâncias, que são normais e inclusive desejáveis, pois, no calor das paixões, às vezes não percebemos coisas que estão diante de nós. Se você não gosta de meus comentários, por favor não os leia, pule-os, não perca seu precioso tempo.

        Quanto ao meu comentário objeto de sua incompreensível (para mim) ira, creio que você não o interpretou da maneira que eu quis expressar meu ponto de vista, talvez por deficiência da minha redação: eu não fiz qualquer afirmação peremptória de que Hamilton não será campeão, e sim divagações pessoais sobre acontecimentos adversos que só vêm ocorrendo com ele, dificultando cada vez mais sua disputa pelo título. Quando falo em imponderável, refiro-me que 5 corridas que ele necessita vencer para voltar à liderança é um horizonte envolto por uma névoa muito grande de incertezas, tanto para ele como para Rosberg, apenas que no caso de Hamilton um imprevisto desastroso como uma quebra o deixará ainda mais longe do título. Uma eventual quebra será muito mais desastrosa para Lewis do que para Rosberg, dada a enorme vantagem que este leva: pode inclusive perder uma etapa e ainda assim continuar na frente, ainda que o inglês vença. Hamilton, pelo estilo de sua tocada, tem sempre a minha torcida preferencial. Não sou oráculo de coisa alguma, se você frequenta o blog da Julianne há algum tempo você deve ter percebido que eu tenho plena consciência de minha insignificância, existem muitas coisas que eu gostaria de ver diferentes na F 1 e no mundo e nada posso fazer (nem sei se as minhas soluções e os desejos seriam os melhores, tenho apenas a CERTEZA de que TODO o meu pensamento vai SEMPRE na direção do Bem, sem querer ser melhor que ninguém). A Humanidade ainda precisa evoluir muito no sentido da solidariedade e do respeito entre os indivíduos, povos e nações.

        Por último, digo-lhe de antemão que não vou polemizar com você, cada qual tem direito à sua própria opinião e eu não tenho a menor intenção de modificar a sua, aliás, nem poderia, é claro. Não considerando sua agressividade gratuita, seus comentários em geral são muito bons (leio-os também em outros sites), embora eu discorde aqui e ali de alguns pontos, mas isso é normal, não existem duas pessoas que pensem absolutamente iguais, penso eu.

        Curtir

      5. aucam

        É mister pontuar que essas divergências, muito embora, restritas a um campo ideológico, podem atingir as pessoas por trás de suas posições. Nesse sentido, peço-lhe desculpas por minhas palavras em tom muito ríspido relativo a um particular do seu comentário.
        Quando alguém escreve mal um raciocínio truncado e obtuso, normalmente ignoro, mas se o faz com um ótimo texto, quase não resisto, pois seus efeitos são sentidos e compartilhados.
        Em muitos episódios do conflito humano esses contíguos confrontos de natureza difusa, e porque não dizer quase que irrelevantes pois são opinativos, dado ao fato de que nós torcedores, dispondo de apenas fontes secundárias e de inteiro domínio público, esquecemos que nossas opiniões acabam – por vezes – sucumbindo na própria fogueira de nossas próprias torcidas.
        Não tomemos uma parte pelo todo.
        Reagi com excesso às suas colocações, ao que reitero meu pedido de desculpas.
        Conquanto, receba minha crítica com serenidade e bom-ânimo. Talvez alguma coisa boa com realística ponderação possa ser pinçada da minha ênfase tonal e intenção de discurso.
        Por embaraçosa que seja esta situação, haveremos por evoluir, você e eu, daqui em diante, estudando mais criteriosamente nossos pontos de vista, evitando – sobretudo – não emprestar quaisquer traços sinistros às opiniões de outrem sob rubrica de nossa torcida pessoal.
        Especulo ser o peso das chamadas “opiniões gerais”, sob as quais sobejamente dobramos o joelho, as forças que manobraram para que confrontasse um ou outro comentário – aqui e ali – com mais ênfase e pendor.
        Mas não poderia me furtar em colocar em ordem de marcha quando leio algum texto com ilações ou alegações do tipo “puro sangue” e afins, pois toca numa questão nevrálgica que aqui não cabe.
        Será sempre um erro permitir que o absurdo ou a adivinhação ou a paixão ou a ansiedade ou associação manipulativa, seja tomada por mentora de nossas principais resoluções.
        É igualmente possível que todas as opiniões em derredor de nós se façam contrárias, entretanto, é razoável e transitável conservar a paciência e certa dose de urbanidade, mesmo que uma consistente argumentação em contrário possa fragilizar muitas colunas de sustentação argumentativa.
        Vamos travar o bom combate.
        Um abraço,

        Curtir

      6. Grande Magno, agora reconheço você, pois costumo ler seus bem fundamentados comentários também em outros sites, VAMOS VIRAR A PÁGINA sem ressentimentos, até gostaria de tentar esclarecer alguns pontos de vista meus que não tenham ficado claros para você por uma redação truncada da minha parte, ou por eu não ter sabido desenvolvê-los, mas prefiro não fazê-lo, pois de repente posso continuar sem conseguir expor claramente as minhas preocupações com relação a Hamilton, (piloto que tem a minha preferência por eu ponderar um peso maior para arrojo e impetuosidade, características que eu aprecio). Também não adianta muito eu ficar elaborando hipóteses e fazer elucubrações. Sei reconhecer o grandíssimo valor de Rosberg e não quis tingir com qualquer conotação política meus comentários, me desculpe se assim lhe pareceu.

        Discorde de mim sempre que eu estiver errado ou você tiver uma visão diferente, aprendo com discordâncias quando estão revestidas de razão, o clima aqui no Blog da Julianne é de amizade entre os comentaristas, sentimo-nos em casa.

        Grande abraço.

        Curtir

      7. Respeito seu ponto de vista, caro, Magno, mas não me leve a mal, vivemos em um mundo tão corrompido pela violência, seja implícita ou explícita, que acho que temos que ser ponderados 101% das vezes…entendo sua discordância, mas me pareceram demasiadas suas críticas. Paixões a parte, na discordância sadia crescemos, fica a dica.

        Curtir

      8. Vagner, obrigado pela solidariedade expressa em seu comentário lúcido e ponderado, como sempre. Creio que o padrão dos comentários aqui no Blog deve ser como você sugere, e que também sempre constatamos ao longo da existência dele. Você é um dos comentaristas com quem tenho prazer em debater e trocar opiniões, posto que sempre ancoradas em bons argumentos e respeito nas eventuais e saudáveis divergências.

        Curtir

    2. Se Hamilton é muito mais muito mais piloto que Rosberg, então porque ele ta tomando um pal do Rosberg , ah já sei você vai dizer que Hamilton quebrou, mas ano passado rosberg teve problemas mecânicos e teve dois abandonos nas quatro primeiras corridas, confira a tabela abaixo:
      rosberg Ret 4 ret 9 =14
      hamilton 5 3 3 5 =50

      sem contar a segunda corrida que a equipe não deixou Rosberg passar Hamilton, deixando bem claro que Hamilton era o privilegiado, mas a partir da quinta corrida Nicoli deixou bem claro que tava para ser segunda e a partir dai foi uma verdadeira surra confira a tabela abaixo:
      Rosberg 6 -1 -5 -1 -9 -19-4 -6 -4 -7 -8 -2 -3 -9 -5 =157
      Hamilton 12- 4 -3 -4 -5 -1 -3 -9 -5 -5 -Ret -6 -7 -4 -9 =139
      rosberg somou a partir dai 157 pontos e hamilton somou 139, a diferença se deu porque rosberg abandonou duas corridas no começo e hamilton foi privilegiado. no final rosberg terminou com 171 e Hamilton com 189 pontos.
      E não venham dizer que Hamilton tava em desvantagem pelo fato de Rosberg já estar a mais tempo na equipe, porque isso é conversa para boi dormir a Mercedes investiu pesado em Hamilton para ajudar no desenvolvimento do carro, Hamilton nesse ponto eu concordo que ele contribuiu porque ele trouxe muitos acertos e muitas novidades usadas na sua Maclaren para a sua nova equipe e Rosberg começou em desvantagem .

      Curtir

  13. Ainda sobre Don Mimadon.
    Fico feliz que muitos dos que comentam entendem o piloto espanhol da mesma maneira.
    A mídia (toda ela o que é impressionante) rende as maiores homenagens ao dito.
    Ruim ele não é. Tanto que eu estava em Interlagos quando ganhou o título em 2006 e vibrei muito.
    Mas, logo “Prosteneou” passando a exigir toda atenção para si.
    Enfim, hoje em dia não passa de um enganador. Notamos que seu carro está sempre em dia e o de Kimi aquela bosta de sempre (quando anda).
    Se Mimadon fosse do ramo teria passado o russo Petrov em 2010 sagrando-se campeão.
    Amarelou e preferiu xingar o russo.
    Creio que está na hora da mídia parar e pensar um pouco.
    Esta unanimidade em rotular Alonso como gênio cheira a burrice (parodiando Nelson Rodrigues).
    Luiz

    Curtir

  14. Caro, luiz, seguindo seu raciocínio, Alonso é privilegiado, e portanto não merece créditos, as casualidades de problemas no carro de Raikkonen, podem ser comparadas então aos mesmos problemas que ocorrem nos carros de Hamilton e Vettel, ou seja, seu pensamento simplista tem que acomodar mais dois pilotos protegidos e mimadões: Rosberg e Ricciardo. Pensando como vc, a F1 virou uma farsa, pra que perder tempo…

    Curtir

  15. carro quebrar faz parte e só o do Hamilton que ta quebrando e vai quebrar dinovo na frente quando começarem a usar peças já usadas que ainda estará valendo das 5 unidades de potencia… mas acontece no trabalho que eu trabalho ontem quebrei ou deu o prego na minha mão foram duas maquitas e na obra tem 3 uma de cada pedreiro e as duas que quebraram nenhum era a minha kkkkkk se fosse na f1 seria sabotagem kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s