Sujou o ventilador

Motor Racing - Formula One World Championship - Belgian Grand Prix - Race Day - Spa Francorchamps, Belgium

Quando Toto Wolff sentou na bancada do motorhome da Mercedes para sua entrevista coletiva pós-prova, cercado pelos jornalistas, questionou se poderia fazer a primeira pergunta: “O que o Niki disse? Porque precisamos ficar alinhados.” Mas já era tarde mais: Nico Rosberg já tinha decidido fazer justiça com as próprias mãos – ou a própria asa dianteira – passando por cima do comando da equipe e abrindo um precedente perigoso.

Na entrevista, Wolff deixou claro que a Mercedes estava insatisfeita com o fato de Rosberg ter jogado fora uma provável dobradinha ao tentar uma ultrapassagem em um local perigoso e ainda na segunda volta. O austríaco falava antes da reunião em que o alemão admitiria que não fez esforço para evitar a batida, pois estava infeliz com a maneira como a direção estava agindo quando era Hamilton quem endurecia as batalhas ou desrespeitava ordens.

Segundo Hamilton, Rosberg disse “que fez de propósito, que poderia ter evitado. Ele disse que fez para ‘deixar claro meu ponto de vista’.” Convenhamos: alguém inteligente como Rosberg só faria e admitiria algo do tipo se sentisse que tem um forte respaldo do próprio time para tal, impressão comprovada pela linguagem corporal do piloto nas entrevistas após a prova. E, levando em consideração a maneira como Wolff e Niki Lauda não hesitaram em criticá-lo publicamente assim que a prova acabou, esse respaldo deve vir mais de cima.

Outro ponto importante é o lado da interpretação de Hamilton. De acordo com Wolff, seus pilotos “concordaram em discordar”, após uma discussão acalorada. Rosberg achava que Hamilton deveria ter deixado mais espaço, Hamilton achava que, por estar na frente, não tinha essa obrigação. E, depois de ter evitado a batida em outras oportunidades, desta vez Nico teria feito diferente. Existe uma diferença entre essa descrição e o “bateu de propósito” a que Hamilton se referiu. Portanto, está claro que a discussão não acaba aqui.

O fato é que, desde a quinta-feira, a dupla da Mercedes não falava a mesma língua. A tensão era quase palpável. Enquanto Rosberg destacava a importância da reunião que foi feita para acertar os detalhes da relação dos dois após o GP da Hungria, Hamilton desdenhava. Aparentemente, a falta de reação da cúpula após Lewis não ouvir uma ordem de equipe e, depois, jogar duro na batalha com Nico no final, foi a gota d’água para o alemão, que decidiu que, da próxima vez, não aliviaria. E a próxima vez chegou em Spa.

É difícil saber o que vai acontecer a partir de agora. Wolff fala em ações mais enérgicas, mas não sabe dizer o que faria. Hamilton, por outro lado, diz só esperar “um tapinha na mão”. A equipe poderia tentar controlar a briga usando ordens de equipe, mas quem respeitaria? Se no início do ano as referências à briga entre Senna e Prost em 88 e 89 pareciam exageradas, é melhor revermos os conceitos.

68 comentários sobre “Sujou o ventilador

  1. Oi Jú,

    Não existe ninguém bonzinho na Fórmula 1. Mas Rosberg sempre passou a imagem de bom garoto, certinho, politicamente correto.

    Por causa desta imagem eu nem considerei como manobra proposital a rodada no treino de Mônaco. Mas agora começo a ver com outros olhos.

    Será que o “Nico criado em Mônaco” como Hamilton se referiu, estaria se transformando num novo bad boy da Fórmula 1?

    Um abraço!

    Curtir

    1. Caro Sérgio, dá uma olhada nesta parte do currículo do Rosberg:

      preste atenção bem no COMECINHO do vídeo, em 0,01segundo, no canto superior esquerdo (primeiro fez com Hamilton, muito pior que o Magnussen fez com o Alonso hoje). Depois da corrida, ainda foi reclamar de Hamilton e de Alonso, “que tentaram ultrapassá-lo fora das linhas da pista”). Não satisfeito, tentou fazer logo em seguida o mesmo com Alonso. Nico é um sabidão! Isso foi com Hamilton, no Bahrein em 2012. Nico de Mercedes e Hamilton ainda de McLaren.

      O episódio em cima do Alonso está em outro link adiante, abaixo. Vou postar de duas vezes porque o sistema não aceita dois links em uma só postagem.
      Grande abraço.

      Curtir

      1. Grande Aucan e caro Magalhães, não existe campeão bonzinho. Celebro a briga aberta na Merdez, Celebro que Nico mostre que a brincadeira acabou. No final das contas se deu muito bem. Não foi só na porrada de pontos, mas o abalo que vai causar o chega pra lá encima do Hamilton, que tinha feito barba e bigode na Hungria.
        Mas tudo isso ficou pequeno ante a improbavel e grandiosa vitoria do Sorrisos, a Red Bull tá viva. Chegou a minha esperada Monza, e acho que ainda não vou tirar a toalha.
        Por outro lado, ver o Seb fazendo o trabalho enquanto o “Rilipojas” come grama não tem preço. Já isso valia a corrida.

        Curtir

    2. Grande Aucan e caro Magalhães, não existe campeão bonzinho. Celebro a briga aberta na Merdez, Celebro que Nico mostre que a brincadeira acabou. No final das contas se deu muito bem. Não foi só na porrada de pontos, mas o abalo que vai causar o chega pra lá encima do Hamilton, que tinha feito barba e bigode na Hungria.
      Mas tudo isso ficou pequeno ante a improbavel e grandiosa vitoria do Sorrisos, a Red Bull tá viva. Chegou a minha esperada Monza, e acho que ainda não vou tirar a toalha.
      Por outro lado, ver o Seb fazendo o trabalho enquanto o “Rilipojas” come grama não tem preço. Já isso valia a corrida.

      Curtir

  2. Chega uma altura na vida que você munda os seus conceitos em relação a tudo família, profissão amigos e em relação as mudança com seus idas e voltas. Juliana, por amor de Deus por tudo que é mais sagrado, NUNCA MUDE! Seria bom que muitos dos seus colegas de profissão tivessem essa ÉTICA profissional que a Juliana demonstra desde que acompanho o seu extraordinário trabalho, já fui fanático (no bom sentido ainda que a palavra fanático, não pode caracterizar essa paixão) mas depois tanta “maracutaia” e por, e de decisões patéticas no que diz respeito a Fia, já não dou tanta importância a F1, atitude do Rosberg é um inqualificável, é demonstra um piloto que afinal de anjo nada tem, e como a própria Juliana diz “abriu” um procedente grave, e ainda porque o porque da F1 estar a perder a preferencia em relação a outros campeonatos!

    Curtir

  3. O “X” da questão éh que a F1 esta fazendo os telespectadores de idiotas! A categoria esta passando a olhos nus um atestado de vigarice de que, àquele “Circo” realmente éh tudo arranjado de véspera pelos mandatários (leia-se tio-Bernie) da categoria. Aquela vaia que a Britners recebeu do público, éh muito sintomático de qual éh a visão que o grande público têm há algum tempo da F1… Um mundial de cartas-marcadas que no seu histórico esta repleta de exemplos neste sentido. Éh por isto que eu tenho sido um ardoroso fã da moto-Gp! Pelo menos, até agora ela não foi contaminada pelo banditismo!

    Curtir

    1. As vaias sao um modo de dizer…estamos cansados das falcatruas. Esses caras estao matando a F1…fazem tudo pelo dinheiro. Tiraram o motor V8 por causa das montadoras. Nao puniram o Rosberg mas puniram o Magnussen.
      E a Mercedes que queria ver a sua imagem atrelada a uma boa imagem está caindo do cavalo…ou melhor do Toro da Red Bull…kkkkkkkkkk
      Abrcs

      Curtir

  4. Esse tipo de polêmica, ao mesmo tempo que valoriza muito a dimensão gossip news da F1 (o que é meio chato), é parte da controvérsia que faz a F1 ser o que é.

    Só lamento muito que certamente a postura do time vai mudar em relação ao duelo interno, mas não consigo imaginar como eles vão administrar a situação a partir de agora. E acho que o que é possível ler nas entrelinhas é que Rosberg de certa forma se ressentiu de uma suposta maior compreensão que o time tenha dado a Hamilton.

    Já não tenho certeza se a rodada de Mônaco não foi proposital. E enxergo em Rosberg uma frieza que nem imaginava. Resta saber como Hamilton, que é muito influenciável por contingências emocionais, vai reagir.

    Curtir

  5. Ju, não seria DIScordar ? “concordaram em discordar”, ou você quis mesmo utilizar o verbo descordar que é o ato de cortar a medula espinhal de um touro.

    Talvez dê para usar mesmo DESCORDAR, ambos tentando DESCORDAR a medula do outro.

    Curtir

  6. Julianne eu não sei qual o critério que você usa para moderar os comentário mas é estremamento chato para alguem postar um comentário sem conteudo ofensivo e não ser postado.

    Curtir

  7. Graaande exibição de Rosberg! Com um carro de outra galáxia (isso é apenas um detalhe sem importância), conseguiu a proeza de largar da pole e chegar em segundo! É de se esperar que o dia em que tiver de largar dos boxes ele não chegue em terceiro, como Lewis fez, mas sim que vença a corrida, sendo tão brilhante como é. Rosberg fez tudo certinho desde a largada e teve um desempenho magnífico, demonstrando impetuosidade, frieza e precisão em todas as tentativas de ultrapassagem e durante todas as voltas da prova (coisa de quem se garante). Nico mostrou também extraordinária visão da corrida. Além disso, também mostrou uma postura humilde e sem empáfia após a bandeirada de chegada, condizente com sua brilhante atuação na pista. Ah se ele estivesse naquela Red Bull 5.0 do Ricciardo! Não ia ter pra ninguém. . .

    Hamilton? Ora, Hamilton continua “sem amadurecer”. Os comissários não são míopes e “são sempre muito rigorosos”, então “nada” há a discutir, nem sequer cogitaram uma averiguação, foi “um incidente de corrida”. NO CANADÁ (este ano), quando Rosberg pegou a ponta e ESPALHOU em cima de Lewis uma das primeiras curvas após a largada, Hamilton RECOLHEU (é bom lembrar), o que demonstra a “falta de amadurecimento” de Lewis. No treino que definiu as posições de largada em SPA, Hamilton como sempre “abusou dos freios”, é o que se diz por aí, vitrificando um deles. Nessa linha de raciocínio, muitos disseram que o disco Brembo em Hockenheim quebrou também por culpa da pilotagem estabanada de Hamilton. . . Hoje a Brembo emitiu nota atestando que o disco foi montado de maneira inadequada para a sua geometria no carro de Lewis. . . É, Hamilton realmente precisa amadurecer, como dizem por aí. . . Francamente. . .

    Ricciardo, aquele pacato Clark Kent da HRT, mais uma vez deixando claro sua verdadeira identidade: Superman. Aqui no Blog, pelo que me lembro, devo dizer, um dos poucos que sabiam de sua identidade secreta era o Sérgio Magalhães. É, Sérgio, pois eu – nem desconfiava! Dá gosto ver esse australiano pilotando. Vitória merecidíssima, um show e uma aula de pilotagem. Sei que agora é fácil dizer, mas vou dizer: acredito que será campeão mundial quando a Red Bull lhe der um carro melhor. Ricciardo é uma duríssima realidade à qual Alonso, Hamilton e Vettel vão ter que aprender a aceitar e conviver, veio para ficar. Ricciardo definitivamente é hoje um dos grandes. Bottas vai pelo mesmo caminho do “aussie”, qualquer dia vai vencer. E Magnussen não merece ser dispensado da McLaren, merece mais uma chance no ano que vem. Já é a terceira vitória de Ricciardo com sua abóbora, sobre as carruagens da Mercedes.

    Curtir

    1. Eu acho que foi um acidente de corrida. Ambos poderiam ter evitado o acidente se quisessem.

      Mas o Hamilton precisa sim amadurecer. Quando se está atrás no campeonato (mas não muito), a principal obrigação do piloto é pontuar e impedir que a vantagem do concorrente dispare, e aproveitar as oportunidades para descontar a desvantagem. Isso significa que entre bater e permitir que o adversário faça a ultrapassagem, você deve permitir a ultrapassagem e depois tentar recuperar a posição, e mesmo que não recupere a posição é melhor chegar em segundo e fazer 18 a não chegar e fazer 0. É assim que o Alonso acumula pontos, e assim que ele sempre chega bem ao final do campeonato, e é por isso que ele é o melhor piloto. Antes de ontem, o Hamilton tinha 11 pontos a menos e 8 corridas pela frente; hoje tem apenas 7 corridas, e 29 pontos a menos…

      Curtir

      1. Jacinto, Rosberg estava ATRÁS do carro de Hamilton, nem sequer estava com o bico do carro dele na metade do carro de Hamilton. Por que Hamilton deveria se deixar ultrapassar assim tão facilmente, em um local difícil, estendendo a Rosberg um tapete vermelho? Considere que os carros são em teoria absolutamente iguais e quem está na frente tem a primazia de estabelecer a estratégia sobre a primeira parada nos boxes, o que pode ser vital para o desfecho da corrida. Hamilton se aproveitou da fraqueza de Rosberg na largada, o qual largou na pole, no lado limpo e não soube ou não teve habilidade para aproveitar essa valiosa vantagem. Francamente, largar na pole, no lado limpo, com um carro de outra galáxia e chegar em segundo revela muito. Rosberg – se era mais rápido como alegou – poderia ter esperado um local melhor para efetuar a ultrapassagem. Do jeito que procedeu, no mínimo foi uma barbeiragem mais própria de um estreante, e não de um piloto calejado. Respeito a sua opinião e não tenho a menor pretensão de muda-la e nem poderia, é óbvio, mas também tenho a minha e não a mudo: Rosberg revelou um surpreendente (pelo menos para mim) e perigoso descontrole emocional, refletido – além do affair com o Hamilton – no desenrolar da corrida, inclusive com uma avaliação errada e bisonha de frenagem, que lhe custou o estrago de um jogo de pneus. Assumiu a possibilidade, o risco desnecessário de bater naquele S, com uma manobra intempestiva. Rosberg mostrou inabilidade ou falta de amadurecimento para um piloto com a sua experiência, com descontrole emocional, é o mínimo que se pode pensar. Não merecia sequer o segundo lugar, na minha insignificante opinião.

        Curtir

      2. Por que Aucam? Matemática pura e simples.

        Se o Hamilton tivesse deixado o Rosberg ultrapassar ele – na pior das hipóteses – chegaria em segundo e somaria 18 pontos. Hoje ele estaria 18 pontos atrás do Rosberg.

        E digo “na pior das hipóteses” porque na volta seguinte, com o DRS, ele provavelmente recuperaria a posição.

        Mas impedindo o Rosberg de ultrapassar e sofrendo o acidente, ele somou 0 pontos enquanto o Rosberg somou 18.E com isso, sua diferença está em 29 pontos, uma situação muito pior do que a que ele tinha antes da corrida.

        O WDC é acumulação de pontos. Ganha quem acumula mais pontos e o Hamilton teria acumulado mais pontos deixando o Rosberg passar.

        Curtir

      3. OK, Jacinto, não vamos mesmo concordar e acho isso ótimo, que cada um tenha a sua opinião e possa expressá-la apenas com argumentos, isso é um dos diferenciais deste excelente blog da Julianne. Não concordo com os seus, reitero os meus mas tenho todo o respeito pelo seu ponto de vista diferente. Sempre digo em meus pitacos por aqui que aficionados por automobilismo tem opiniões muito cristalizadas, a meu ver, e só os pilotos e as equipes – que são os atores que nos proporcionam o espetáculo e as emoções – podem muda-las com as suas atuações na pista, e olhe lá. . .

        Um abraço!

        Curtir

  8. Guerra de palavras à parte, achei um toque normal de corrida, pois independente de ser a primeira ou última volta, apenas os dois disputam o campeonato, tamanha a diferença técnica dos carros da Mercedes. Na real, era um ponto de ultrapassagem, Rosberg estava lado a lado com Hamilton e o inglês fez a tangência normalmente, não deixando espaço, mesmo sabendo que o companheiro estava ali, portanto ambos assumiram o risco, o resto é disputa de egos. Vejo os dois pesos e duas medidas adotados pela pseudo narrativa global, afinal quando Shumacher deu um chega pra lá em Barrichello na Hungria, foi uma temeridade pacível de punição, ao passo que o chega pra lá de Magnussem em Alonso na freada da Les combes foi coisa de garoto abusado!!! Arrojo queremos ver, mas irresponsabilidade tem que ser punida.

    Curtir

    1. Wagner, Magnussen já foi punido. Se é verdade que o Nico disse que poderia ter evitado o toque, você não acha que ele deveria ser punido? Creio que a coisa – nessa filosofia de “marcar terreno” – pode se tornar perigosa, não? Como você mesmo observa.
      Um abraço!

      Curtir

      1. Como vc bem sentenciou, caro Aucam, no Canadá, Nico espalhou para cima de Hamilton, assim como Hamilton espalhou para cima de Rosberg no Bahrein e na Hungria, enfim, no meu ponto de vista gosto de disputas acirradas, mas limpas, e pra mim, essa história de espalhar apesar de aceita ‘esportivamente’, é antiesportiva…apesar de não ter vivido a época, mas a disputa mais acirrada que me lembre foi entre Arnoux e Villeneuve, em 1979, onde ambos deixavam espaço um par o outro. Não acredito que Rosberg quebraria sua asa para prejudicar Hamilton e se prejudicar, pois naquela velocidade, poderia ter um prejuízo ainda maior, com a quebra total da asa, e se pensarmos na somatória de tempos, o tempo que perdeu em desempenho aerodinâmico, mais a perda na troca da asa, lhe custaram a briga pela vitória. Sobre Magnussem, sem comentários!!! Naquela velocidade, ele e Alonso poderiam se machucar gravemente. Mas reitero, ambos, tanto o inglês quanto o alemão assumiram riscos, um fazendo o traçado como se não tivesse outro ao seu lado, como o outro querendo manter-se lado a lado, enfim, não nos enganemos, a disputa vai ficar ainda mais ferrenha, pois é 50/50, sobrará as migalhas para o resto…

        Curtir

    2. Wagner, dá uma olhada no Rosberg no Bahrein em 2012, à la Magnussen no dia de hoje, em cima do mesmo Alonso. Bem parecido, não? Depois, veja o episódio dele com o Hamilton, que postei lá em cima, em resposta ao Sérgio Magalhães. Rosberg não foi punido em qualquer dos dois episódios. E ainda chiou muito depois da corrida, dizendo que tanto Hamilton quanto Alonso tentaram ultrapassá-lo “fora das linhas da pista”.

      Curtir

      1. Aucam, são mais detalhes que você acrescenta que me faz começar a ver com outros olhos Nico Rosberg.

        Um ótimo piloto, diga-se, até porque, agora fica mais evidente que não foi por acaso que ele massacrou o Schumacher nos três anos em que correram juntos.

        Até aí parecia que Schumacher já tinha passado seu tempo, mas agora, com Hamilton, a coisa é bem diferente e ele tem se mostrado extremamente competitivo.

        Eu até fiz um comentário no blog do Livio Oricchio questionando se este novo episodio da Bélgica não seria o caso de Rosberg tentar vencer Hamilton psicologicamente numa referencia ao que Piquet fez com Mansell em 87.

        Piloto por piloto, eu, particularmente, considero Hamilton muito melhor que Rosberg, e com o mesmo carro, as chances de Lewis vencer são melhores em condições normais de corrida. E sabendo disso, será que Rosberg não estaria tentando, também, desestabilizar Hamilton com essas manobras duvidosas/propositais?

        Abs!

        Curtir

      2. Sérgio, sempre leio seus ótimos e ponderados comentários lá no Blog do Oricchio. Eu comento apenas aqui, no Blog da Julianne, mas vejo seus pitacos por aí também, não apenas no Blog do Oricchio. A opinião do Lívio, um jornalista sério e respeitado, é de que Rosberg teria que ser punido, conforme está até no título de seu post:

        http://liviooricchio.blogosfera.uol.com.br/2014/08/24/rosberg-merecia-ser-punido/

        Lívio também usou palavras corajosas em seu post acima. A minha opinião é a que digo sempre nos meus pitacos por aqui, não é de hoje: Rosberg é um piloto fortíssimo, de um modo geral sempre foi subestimado e, com um carro dominante como esse extraordinário W05, pode sim ser campeão, a Mercedes pode ficar despreocupada. Agora, as pessoas dizerem por aí que é um piloto da mesma estatura de Alonso e Hamilton fica por conta das paixões que o automobilismo desperta. Isso fica a critério da opinião de cada aficionado. Acredita quem quer. Eu – do alto da minha insignificância – não considero que Rosberg tenha o mesmo DNA de Alonso e Hamilton. Rosberg terá ainda que acelerar muito, comer muito feijão para chegar perto desses dois. Sair da pole com um carro incrivelmente dominante e chegar em segundo. . . Não dou valor demasiado a números e estatísticas. Prefiro ver habilidade natural e isso tanto Alonso como Hamilton têm de sobra, mesmo que os seus detratores não reconheçam. Mas cada um tem direito à sua opinião, e a minha, insignificante, é essa.

        Grande abraço.

        Curtir

  9. Nossa Julianne, como sempre com analises sensatas. Parabéns.
    Concordo com vc…o apoio dele vem de gente acima do Totó e Lauda. E está claro que é ele o escolhido. O Hamilton sabe disso e nada poderá fazer. Somente sentar e ver o Rosberg ganhar o campeonato. Pois mesmo que Lewis pilote como um deus. Ele vai ser boicotado (pits mais lentos, estratégias bizarras, falta de confiabilidade de equipamento etc).
    Abrcs

    Curtir

  10. “Segundo Hamilton, Rosberg disse “que fez de propósito, que poderia ter evitado. Ele disse que fez para ‘deixar claro meu ponto de vista’.” Convenhamos: alguém inteligente como Rosberg só faria e admitiria algo do tipo se sentisse que tem um forte respaldo do próprio time para tal, impressão comprovada pela linguagem corporal do piloto nas entrevistas após a prova. E, levando em consideração a maneira como Wolff e Niki Lauda não hesitaram em criticá-lo publicamente assim que a prova acabou, esse respaldo deve vir mais de cima.”

    Julianne, parabéns pela sua postura independente, lúcida, realista, imparcial e corajosa. Seu post de hoje está primoroso, o que é até uma redundância dizer isso, pois suas postagens são SEMPRE primorosas. Posso até discordar de você uma ou outra vez, isso é natural, mas você, juntamente com o Celso Itiberê, são as minhas referências, meu porto seguro como jornalistas comentaristas especializados em Fórmula 1. Agora, vou aguardar a abalizada opinião do Itiberê na coluna dele de amanhã. Continue sempre assim, Julianne.

    Curtir

  11. Nico não disse que fez de propósito.

    Quem disse isso foi Hamilton à imprensa inglesa. Ele disse apenas que poderia ter evitado. É bem diferente.

    Um mero acidente de corrida mas quando acontece com pilotos da mesma equipe é sempre muito ruim.

    No começo do ano todo mundo disse que, à medida que o campeonato for chegando ao final, a rivalidade entre os dois ficaria mais acirrada e evidente. É isso o que estamos vendo.

    Não acredito em teorias da conspiração.

    Curtir

    1. O que Toto Wolf disse:

      “Nico felt he needed to hold his line. He needed to make a point and for Lewis it was clearly not him who needed to be aware of Nico. They agreed to disagree in a very heated discussion among ourselves.
      “But it wasn’t deliberate crashing. This is nonsense.”

      Imaginar que um piloto arriscaria sua integridade, declarando publicamente uma intenção deliberada em provocar um acidente é incabível.
      A última vez que isso aconteceu foi com Piquet Jr. e foi um dos maiores escândalos da F1.

      Curtir

      1. Dizer que ele queria “make a point” é a mesma coisa que dizer que fez de propósito. Se por mostrar que vou fazer com você o mesmo que faz comigo (o que é mentira, não lembro de Lewis batendo no alemão), é a mesma coisa que dizer que eu poderia ter evitado o toque, mas não evitei. E como Hamilton disse depois da prova, não vai acontecer nada. A Mercedes não vai fazer bosta nenhuma e ele vai continuar 29 pontos atrás no campeonato. Mas vão tentar justificar qualquer coisa que o alemão faça, pq né, ele é frio e bla bla bla. Ele está sendo sujo, isso sim.

        Curtir

      2. O Ed escreveu muito bem e claro. E a sua traduçao para “make a point” está correta. Agora sou eu que nao entendi o porque dos ????

        Curtir

      3. Não concordo JL e Ed, “Make a point” não significa “fazer de propósito”. O que Toto diz é que Rosberg tem um ponto de vista sobre a sua pilotagem o qual ele tentava provar pra Hamilton. Foi a mesma explicação que o piloto deu pra todos os veículos esportivos. Ele era mais rápido, quis passar por fora, não deu e tentou por dentro. Aí houve o toque.

        Depois, vir aqui e dizer que Nico guiou mal, cometeu um erro de iniciante e arruinou a corrida de Lewis, é uma coisa com a qual eu posso concordar. Mas dizer que ele “está sendo sujo” é bobagem, né?

        Ninguém em sã consciência vai por sua vida, sua corrida e sua reputação em jogo dessa maneira. Ninguém está ali de brincadeira.

        Curtir

    1. Isso é só uma opinião, não é a “verdade”. Mesmo porque o Livio, apesar de ser bom e honesto jornalista, já errou antes – como aconteceu no episódio da contratação do Massa pela Williams.

      Curtir

  12. Tenho ficado com a impressão de que os comissários gostam que cada equipe lave a sua roupa suja em casa. E interferem quando geralmente são pilotos de equipes diferentes.
    E a hieraquia geralmente deve ser mantida. Onde já se viu um novato jogar o Alonso para fora da pista. Cresça e apareça garoto. Sua hora de jogar novatos para fora vai chegar. Mas se fosse o contrário…
    Caro Aucam, concordo com seus comentários. Por acaso, seria o Nico um lobo em pele de cordeiro? Ter cara de bonzinho ajuda muito! Mas ainda boto fé no Negão.

    Curtir

    1. Meu caro amigo Alexandre, olha que foto interessante: Hamilton em trajetória adequada, lógica e normal para negociar o “S”, À FRENTE de Rosberg, inclusive com as rodas dianteiras levemente esterçadas para a direita, o que mostra que não estava espalhando, nem fechando o caminho, e Rosberg virando o volante para a direita, ATRÁS de Hamilton. As mãos de Rosberg e o volante estão em posição de 12,30 horas. Vê-se claramente que “aquele era um ótimo lugar para tentar uma ultrapassagem” rsrsrs, ainda mais se considerarmos que se tratava apenas da segunda volta da corrida. Rosberg estava tão “mais rápido que Hamilton” (como ele próprio declarou) que já era a segunda volta e ele – Rosberg – continuava atrás de Hamilton ainda. . . Depois que houve o toque, Rosberg fez um rápido movimento para a esquerda, na direção da próxima perna do S, e também para evitar a continuação do choque e não se enroscar com Hamilton.

      Barbeiragem ou risco assumido de bater? Nesta última opção, será que não dá para considerar que Rosberg ficou desestabilizado emocionalmente depois da Hungria, de uma maneira perigosamente descontrolada?

      Curtir

  13. Velhos clássicos da F1 sendo revividos. A Ju fez menção a Senna e Prost e me veio a lembrança de uma colocação do Prost a respeito de Senna, de que esse nunca aliviava numa disputa, então a decisão de bater ou não era sempre do adversário. Ele cansou de evitar toques com o Senna, até o dia em que se cansou como foi em Suzuka 89.

    Hamilton lembra Senna nesse aspecto, e os exemplos já foram dados esse ano, como no Bahrein e em Barcelona.

    O “make a point” do Rosberg, acredito que seja nesse sentido. Se ele tiver carro mais veloz e estiver em condições de realizar a ultrapassagem como foi ontem na segunda volta, ele não vai tirar o pé e aliviar mais.

    Claro que virá uma reprimenda da equipe e tudo será revisto, mas acredito que se você quer ser campeão do mundo de F1, você tem que se impor, ainda mais se o seu adversário é um dos melhores pilotos do grid.

    E não precisamos ir tão distante para ter exemplos. Em 2010 Webber e Vettel também se tocaram na Turquia em um momento em que disputavam o campeonato palmo a palmo. Isso é inevitável.

    Curtir

    1. Sim, é exatamente isso.

      Rosberg estava apenas dizendo que não vai mais aliviar pra Lewis, como o fez no Bahrein, por exemplo. Cometeu um erro bizarro, cujo resultado foi muito ruim pra equipe.

      Agora, Hamilton foi quem “divulgou” a notícia de que Nico havia admitido.

      E vamos combinar, né? A reputação do piloto inglês não é exatamente uma maravilha, concordam?
      Rosberg já foi punido por mentir aos comissários? Pois é, Hamilton já.

      E ontem, ele veio à público, contar a conversa tida entre ele, Nico e os chefes da Mercedes. Uma conversa que foi à portas fechadas, e no meu entender não deveria ter sido exposta, sobretudo dizendo uma coisa que não é verdade.

      Curtir

      1. Aliás, Hamilton foi aquele que postou no Twitter os dados confidenciais de telemetria, pra que todas as equipes pudessem ver.

        Muito bacana essa atitude, não acham?

        Curtir

      2. Exatamente. Na pista um pilotaço, mas o cerebro as vezes esquece de filtrar certas coisas. Quem sou eu pra julgar. Cada piloto que faça sua história, estou aqui para torcer e por enquanto continuo na torcida pelo Rosberg. Tá legal essa briga agora que pegou fogo de vez!

        Engraçado foi acompanhar os treinos livres e a classificação no Sportv. O Lito o tempo inteiro elogiando o Hamilton e falando da diferença absurda de velocidade entre ele e o Rosberg. Só que na hora do “vamu vê” o Rosberg foi lá e fez a pole. Ok, o Hamilton continua com problema de aquecimento de freios, mas passou da hora dos nossos comentaristas respeitarem um pouco mais o líder do campeonato.

        Continuo dizendo que o Hamilton é capaz de encaixar novamente uma sequencia de vitórias consecutivas e ganhar o título, mas a verdade é que o Rosberg não deixa ele abrir essa diferença e os pontos em jogo estão diminuindo. São 200 para o Hamilton tirar esses 29 ( já contando a pontuação dupla de Abu Dhabi ).

        Curtir

  14. “O grande general não é aquele que combate e derrota o seu inimigo em cem batalhas, mas sim aquele que vence cem batalhas sem sem precisar de combater”, Sun Tzu.

    Certo de que a Mercedes vai ter um piloto como campeão do mundo, Nico Rosberg quer ser esse piloto, para tal ele precisa que Lewis Hamilton não esteja em condições de conseguir atingir esse objectivo.
    Nico Rosberg sabe que em talento e velocidade pura será muito difícil bater Lewis Hamilton, mas também sabe que este só consegue brilhar quando consegue ter as suas emoções bem controladas
    Assim Nico Rosberg só tem que abalar a frágil estabilidade emocional de Lewis Hamilton. E parece que ele está a fazer por isso.
    Esta F1 é uma anedota, e estes pilotos são umas prima donas birrentas e embirrentas!
    Concordo. Mas quem os pode criticar? Afinal eles cresceram vendo seus ídolos fazendo isto e pior, ganhando a qualquer preço, por cima de tudo e de todos.

    Os dois grandes amigos – Uma estória fictícia.
    Dois amigos, Nicolau e Luís, estão atravessando uma floresta quando de repente vêm um urso correndo na sua direcção.
    O urso está a uns duzentos metros e certamente vai alcançá-los.
    Nicolau pára e pede a Luís para parar; Nicolau senta-se, retira suas pesadas botas de montanha e calça uns leves sapatos de corrida.
    Luís desesperado exclama:
    – Tu estás doido? Porquê parar agora para calçar uns ténis? Temos é que correr o mais que pudermos para o urso não nos apanhar!
    Levantando-se Nicolau responde:
    – Estás errado meu amigo. Tu tens que correr mais do que o urso se quiseres safar-te. Eu apenas tenho que correr mais do que tu! Até sempre amigo.

    CG

    Curtir

  15. Por estarem em guerra há meses, creio que Rosberg usou o famoso “seja o que deus quiser”. Ou seja, não se importou com as consequências. Porém creio ser extremamente injusto falar em “proposital”. Afinal de contas, já vimos alguns acidentes desse tipo na F1. De cabeça, posso citar, por exemplo:

    * Alonso x Hamilton – youtu.be/opj_RtQLUoA?t=33s
    * Alonso x Vettel – youtu.be/25r1mov-Rs0?t=13s

    Curtir

    1. Ademais, esse Hamilton já encheu!

      Primeiro insinua que Rosberg errou de propósito em Mônaco. Depois insinua, por conta de problemas em seu carro, sabotagem por parte da Mercedes. E agora, tentando criar mais uma guerrinha, deturpa a declaração do companheiro.

      Atitude infantil e medíocre! Ainda mais vinda de um piloto que diz ser fã de Ayrton Senna (acho que nem preciso explicar o porquê).

      Curtir

  16. Bom, não tinha muita lógica comparar Senna x Prost com Hamilton x Rosberg porque no primeiro duelo eram ambos pilotos de ponta, o que não é o caso do Rosberg. Essa disputa só está acontecendo porque Nico, sabendo que não tem braço pra encarar Lewis, joga sujo desde Monaco. E por que eu falo que ele não tem braço? Porque não tem mesmo. Com a Mercedes sendo o carro mais dominante dos ultimos 10 anos, as 3 vitórias do Ricciardo foram em corridas que Hamilton não pode disputar a vitória. O australiano da RBR venceu então a um burocrático e errático Rosberg, que tudo o que sabe fazer é atrapalhar o Hamilton de todas as formas, seja em treino, seja em corrida. O pecado do ingles foi se perder emocionalmente desde Monaco. Se tivesse mantido o foco, continuaria a vencer as corridas. Mas o burocratico contou com essa reação e assim foi. Pensei que nunca mais veria um campeão tão insosso como Damon Hill, mas um campeonato todo engessado como o atual merece isso mesmo.

    Curtir

    1. Só lembrando que, nas três vitórias da RBR, Rosberg fez a pole (se quiser, pode tirar a da Hungria).

      No mais, se for verdade que Hamilton se perde emocionalmente desde Mônaco, demonstra apenas que ele não merece o título deste ano. Não sem antes crescer, saber administrar seu lado psicológico.

      Veja bem, concordo que o mesmo tem o psicológico extremamente fragilizado, porém isso vem desde a sua estreia em 2007. Logo, será que já não está na hora de assumirmos que um “bonzão” Hamilton não está à altura de um suposto “errático” Rosberg?!

      No mais, não podemos aceitar o seu “SE tivesse mantido”. Chutômetros não têm validade.

      Curtir

      1. E o engraçado é que o Hamilton já teve experiência parecida. Em 2010 ele talvez tenha perdido o título em duas colisões, uma com o Massa em Monza e outra com o Webber em Singapura. Claro que em 2010 era muito mais vital os pontos perdidos porque haviam quatro pilotos disputando o título.

        Esse ano apesar de tudo, ele continua ainda com muita chance de ser campeão, já que, com quatro vitórias seguidas com Rosberg em segundo, a diferença cai para um ponto. Basta não desperdiçar mais pontos em colisões que ele pode evitar. Essa foi só a primeira, mas outras poderão vir.

        Curtir

      2. Meu caro Alex, para o que você diz, basta o carro de Hamilton não quebrar mais, o que particularmente acho muito difícil, se considerarmos o histórico produzido ao longo deste ano. Como o carro de Nico quase nunca quebra, a lavada vai ser grande em cima de Hamilton, Nico já está com as mãos na taça. Mas, me desculpe, se as quebras continuarem a ocorrer apenas no carro de Hamilton, convenhamos que vai ficar esquisito, por mais que se imputem a Hamilton todas as barbeiragens, desequilíbrios emocionais e afoitezas possíveis, pois, como disse Caio Julio César, “à mulher de César de não basta ser honesta, ela tem DE PARECER honesta também”. Quebras estapafúrdias têm ocorrido somente com o carro do inglês. Aquela da abertura do campeonato, em Melbourne, foi demais, o carro de Lewis voou para a pole, foi para o parque fechado e JÁ largou bichado! Bastaria que Hamilton tivesse vencido aquela prova, com Rosberg em segundo, e simplesmente a vantagem hoje seria favorável a Hamilton por uma diferença de três pontos, salvo engano meu, em que pese tudo o que ocorreu. Realisticamente, como não esperar que não surjam e não prosperem Teorias Conspiratórias? Não dá para tapar o Sol com a peneira, vemos que em todos os sites de automobilismo há abundância delas, aqui e no Exterior, é só os acessarmos para vermos isso, e não é só nos sites ingleses, eu também navego por sites espanhóis e italianos e vejo Teorias Conspiratórias em profusão. Eu particularmente acho muitíssimo lamentável isso, um campeonato ganho sobre o qual pululam suspeitas generalizadas por parte de muitíssimos aficionados sobre eventual favorecimento a um dos competidores. Sinceramente, Alex, isso irá ocorrer se o carro de Nico continuar sem quebrar e o de Hamilton continuar quebrando, ou, melhor dizendo, se a “taxa de quebras” não se “equalizar”. Se essas quebras estapafúrdias apenas no carro de Hamilton – como o disco de freio Brembo montado no carro de Hamilton em desacordo com a sua geometria requerida – continuarem, será lamentável, repito, pois dará combustível a Teorias Conspiratórias, manchando o título e jogando descrédito à categoria, o que é pior. Quanto a Hamilton, seus sempre enfurecidos detratores sempre o desmerecerão em seu talento, da mesmíssima maneira como ocorre com Vettel, que a esta altura do campeonato já foi rebaixado à categoria de pilotinho por muitíssima gente. É, meu caro Alex, automobilismo também significa paixões, não é apenas o futebol que as desencadeia. Até analistas que se dizem racionais estão sempre derrapando para o emocional, deixando de lado a coerência.

        Grande abraço.

        Curtir

      3. Muito bem aucam! Pode ser que vc até torça pelo Rosberguinho… más foi muito equilibrada esta sua postagem que foi em cima de fatos e nada mais! Parabéns!

        Curtir

      4. Aucam,
        Eu ia comentar. Mas depois dessa sua reposta ao Alex, fiquei sem palavras.
        É isso aí mesmo que eu acho só que, se escrito com minhas palavras “agressivas” teriam outro entendimento. Principalmente pelo Alex.
        Eu particularmente acho o Lewis o melhor piloto do grid. O que eu vejo como postura de piloto campeão, agressividade e arrojo, outros interpretam com cagadas, cabeça fora do lugar, entre outros adjetivos.
        Obrigado Aucam por conseguir essa façanha. A de deixar o espaço da JuCera ainda melhor.

        Curtir

      5. Não, meu caro David Santos, não torço por Rosberg, torço por Hamilton, embora reconheça no alemão um piloto fortíssimo, mas não no mesmo patamar de Lewis. Pode-se gostar mais da tocada de um piloto em relação a outro ou aos outros por muitos fatores, mas entre todas as características que os pilotos podem ter em maior ou menor escala, eu pondero um peso maior a três delas: arrojo, impetuosidade e habilidade natural e, a meu ver, Hamilton as tem em quantidade maior que os demais, por menor que seja a diferença dessas três qualidades entre os considerados três grandes: HAM/ALO/VET (acho que diante do que estamos vendo, já podemos incluir o Clark Kent, digo, Superman, digo, Ricciardo, como o 4º grande, é uma questão de tempo e de números, apenas, não)?. Sempre disse em meus pitacos aqui neste excelente Blog da Julianne que Hamilton é o sal que tempera as corridas, com a sua pilotagem sempre eletrizante. Eu apenas quero ver um campeonato com uma disputa justa, em que não haja suspeitas ou teorias conspiratórias em profusão, sobre quem o vencer. E quero sim, um campeonato disputado centímetro a centímetro em cada pista, onde cada competidor doe o melhor de si, de seu empenho, mas com lisura de pilotagem (seria uma utopia?). David, gosto de uma F 1 feita de emoções, feita com adrenalina, com habilidade natural elevada ao paroxismo. Fórmula 1 de espera, de resultados, feita com ramerrames, com cerebralismos entediantes, para mim não está com nada. Só produz números e estatísticas muito boas para anuários, onde ficam lá guardados até serem superados e o são sempre, pois recordes são feitos para serem batidos, mais dia menos dia, vide a chegada de Max Verstappen à F 1, implodindo todos os recordes de precocidade. Talvez no futuro tenhamos que contabilizar precocidade não mais em anos, meses ou dias, mas em horas, no andar em que vai a carruagem. O que fica, no entanto, aliás, o que perpassa os tempos, virando lendas, são os feitos épicos, as epopéias que são protagonizadas pelos gênios. Esse é o bom automobilismo, na minha insignificante opinião.
        Forte abraço.

        Curtir

      6. aucam, valeu pelas considerações!!!

        Power, não se furte a expor suas opiniões, mesmo que agressivas, só não deixe nunca de fundamentá-las com argumentos.

        Nunca falei em cagada do Hamilton, apenas que ele com os exemplos que teve em 2010 pelo excesso de arrojo, poderia agora em 2014 fazer diferente. Alguem argumentou ali em cima que ele ao invés de fazer possíveis 18 ou mesmo 25, por não aliviar, fez 0 na Bélgica e é assim que se perde um campeonato.

        Mas nada ainda está perdido para ele e no meu modo de ver o campeonato ainda está bem aberto. Rosberg pode vir a ter problemas em uma corrida que o Hamilton vença, pois, apesar dp Crashgate e do Stepneygate, no caso da Mercedes não acredito AINDA em TC.

        Abraço !

        Curtir

      7. aucam

        E não são “esquisitas” as quebras no carro de Vettel? Aff!

        Vocês conspiracionistas me dão nojo…

        Curtir

      8. redhorse, porque seus comentários são em geral quase sempre tão agressivos? Você já observou que o clima entre os comentaristas habituais (e você é um deles) aqui no Blog da Julianne é de amizade, mesmo que não concordemos com pontos de vista diferentes uns dos outros? Por que não preservarmos esse ambiente, até mesmo em respeito à excepcional blogueira que generosamente nos oferece este espaço para trocarmos opiniões? Não vou devolver a você uma resposta no mesmo tom com que você se dirigiu a mim, isso nada constrói. Você se diz uma pessoa racional – já li um post seu lá atrás com essa autodefinição – no entanto, peço-lhe mil desculpas pela franqueza de dizer-lhe, mas você, com esse tipo de comentário, está sendo muito emocional, muito passional, em desacordo com o que apregoa. Tenho muito apreço por suas opiniões quando elas são racionais, mas lamento quando elas assumem esse tom agressivo e desnecessário. Desse atual grid que aí está, minha torcida vai para o Hamilton, cuja pilotagem apresenta em proporção um pouco maior as características mais aprecio – impetuosidade e arrojo – comparando-a com as de Alonso e Vettel – que juntamente com Lewis, são considerados os três grandes. Como você volta e meia está por aqui comentando, noto que você, se não torce, pelo menos aprecia as tocadas de Vettel (este em especial) e Rosberg. Se você tem ou tiver a paciência de ler meus comentários nos blogs do Totalrace, veja que eu reconheço ser Nico um piloto fortíssimo e que jamais desmereci o talento de Vettel, mesmo nessa surpreendente queda de rendimento que ele vem apresentando nesta temporada, muito pelo contrário, existem vários comentários meus recentes exaltando suas qualidades, justificando pela minha ótica a má fase que ele atravessa e pedindo respeito pelo seu impressionante retrospecto, portanto sua reclamação não procede, me desculpe. Você também jamais me verá desmerecendo o talento de Alonso, apesar de eu não gostar de algumas atitudes desnecessárias dele. No entanto, fico pasmo como você, que se diz racional, faz comentários tão passionais sobre Hamilton, como tenho visto aqui e no outro blog do Totalrace. Não faço desmerecimentos aos talentos deles menos por uma questão de ser politicamente correto, mas mais por uma questão de respeito a quem dá o melhor de si, se empenha arriscando a própria vida para proporcionar aos aficionados as emoções que vivenciamos assistindo a F 1. Francamente, não me leve a mal amigo, mas é desanimador ler um comentário como esse com que você me brindou, olha, confesso que até perco a vontade de expor a minha opinião. Podemos discordar respeitando-nos uns aos outros. O Blog da Julianne diferencia-se em primeiro lugar pela capacidade profissional dela, pela sua imparcialidade e independência, mas também se diferencia pelo clima amistoso entre os comentaristas ao qual já me referi e que é inclusive destacado por outros frequentadores. Aqui normalmente só tem “feras” comentando e de um modo geral as análises são muito técnicas, muito boas e bem fundamentadas. Vou torcer para que esse ambiente não se perca.

        Curtir

    2. kro Roberto! Peço desculpas mas, não foi por Hamilton ter supostamente ter se perdido-emocionalmente (que eu não creio, pelo contrário) foi a rasão dele não conseguir o resultado-máximo nas corridas… O fato éh, que ele (e nós também) pode contar numa mão, os finais de semana que não teve problemas sérios no seu W05 que comprometesse o seu resultado final, ao contrário de seu companheiro que só veio a ter um real problema no GP do Canadá (que chegou em segundo de tão-bom que éh este carro) e Inglaterra (PT). Se as “coisas” tivessem ocorrido normalmente até este ultimo GP do Bélgica, GARANTO que o Hamilton estaria na ponta do campeonato. Em tempo: A Mercedes isentou a fornecedora de freios pela quebra dos mesmos no GP da Alemanha…

      Curtir

      1. Caro Davi Santos, tocou num ponto interessante. É fato que Hamilton tem tido muito mais problemas técnicos que Rosberg, alias com uma ou outra exceção só ele tem tido problemas, algo parecido acontece com Vettel na RBR mas eu não gosto de especular sem algo sólido.
        Mas quando eu falo do fator emocional do Hamilton, na verdade eu já temia algo assim desde o que aconteceu em Monaco. Perceba que até Monaco Hamilton havia feito 4×1 em poles no Rosberg, em Monaco aconteceu aquele “acidente estranho” do Rosberg e ali Hamilton saiu disparando pra todos os lados, sendo que ele tinha talento suficiente pra bater Rosberg nas corridas seguintes como havia feito até então. A reação dele, embora tivesse razão, era no mínimo desnecessára e claramente me lembrei do Hamilton que sucumbiu a emoções e jogou fora um campeonato ganho em 2007. Pra reforçar minha percepção, logo na corrida seguinte, no GP do Canada onde ele costuma ir muito bem, perdeu a pole pro Nico, algo que pelo menos pra mim mostrava ali que o foco dele estava prejudicado. A maioria dos problemas tecnicos que Hamilton teve foram depois da classificação no Canada. Na classificação ele não teve problemas, tanto que foi o segundo. Perdeu naturalmente na classificação num GP que ele normalmente bateria Rosberg com carros iguais sem muitos problemas a meu ver.
        Claro que só o emocional do Hamilton não faria essa diferença que vemos, entra nesta conta as sacanagens de Nico e as “coisas estranhas” que tem acontecido praticamente só com o Lewis na Mercedes.

        Curtir

      2. Caro Davi Santos, tocou num ponto interessante. É fato que Hamilton tem tido muito mais problemas técnicos que Rosberg, alias com uma ou outra exceção só ele tem tido problemas, algo parecido acontece com Vettel na RBR mas eu não gosto de especular sem algo sólido.
        Mas quando eu falo do fator emocional do Hamilton, na verdade eu já temia algo assim desde o que aconteceu em Monaco. Perceba que até Monaco Hamilton havia feito 4×1 em poles no Rosberg, em Monaco aconteceu aquele “acidente estranho” do Rosberg e ali Hamilton saiu disparando pra todos os lados, sendo que ele tinha talento suficiente pra bater Rosberg nas corridas seguintes como havia feito até então. A reação dele, embora tivesse razão, era no mínimo desnecessára e me lembrei do Hamilton que sucumbiu a emoções e jogou fora um campeonato ganho em 2007. Pra reforçar minha percepção, logo na corrida seguinte, no GP do Canada onde ele costuma ir muito bem, perdeu a pole pro Nico, algo que pelo menos pra mim mostrava ali que o foco dele estava prejudicado. A maioria dos problemas tecnicos que Hamilton teve foram depois da classificação no Canada. Na classificação ele não teve problemas, tanto que foi o segundo. Perdeu naturalmente na classificação num GP que ele normalmente bateria Rosberg com carros iguais sem muitos problemas a meu ver.
        Claro que só o emocional do Hamilton não faria essa diferença que vemos, entra nesta conta as sacanagens de Nico e as “coisas estranhas” que tem acontecido praticamente só com o Lewis na Mercedes.

        Curtir

    3. Mas a comparação faz sentido sim. Todo mundo acha o Senna um piloto melhor do que o Prost.

      Contudo, nos dois anos em que o Prost e o Senna correram pela mesma equipe (88 e 89), o Prost fez mais pontos que o Senna. Em 1988, o Prost fez mais pontos que o Senna, mas o Senna se tornou campeão porque pelas regras da época, não se computavam os pontos de todas as corridas do campeonato, mas de apenas 10 ou 11 corridas.

      Curtir

  17. bom primeiro quero parabenizar a JULIANNE pelo excelente blog e a matéria esta ótima, no meu ponto de vista Ricardo ganhou pq teve a corrida limpa na ponta não gastou equipamento duelando com ninguém correu de cara pro vento e num ritmo perfeito mérito dele, mas rosberg além de perder tempo com a asa danificada e teve q trocar e perdeu tempo duelando com vettel e kimi e bottas etc…sobre a batida coisa de corrida e rosberg jogou duro mesmo como tem que ser, mas dizer q foi de proposito faz me rir ele sabia q se fosse de proposito ele poderia perde o bico e ficar fora e Hamilton continuar na corrida PODERIA ACONTECER ISSO, mas Hamilton levou a pior e se num houver quebras por parte de rosberg será muito difícil pro brilhante Hamilton leva esse caneco e se ele Hamilton perceber isso ele pode começar a se enroscar com rosberg e abrir caminho pra Ricardo que vem por fora e já li por ai que a red bull vai conversar com vettel pra ajudar Ricardo a partir de Monza, rosberg pode num ser brilhante mas é forte com um carro bom nas mãos, hamiltom pode pegar o boné e ir pra mclarem que é melhor pra ele.

    Curtir

  18. Vettel esta entre os melhores ao lado de Alonso e Hamilton, já Massa caiu para o pelotão intermediário, desde 2010 continua devendo…

    O alemão esta sofrendo para se adaptar ao carro da RBR, mas Felipe não pode dar essa desculpa. Um ano abaixo da expectativa não vai apagar as conquistas de Vettel. Bom lembrar, Lauda bicampeão consagrado na Ferrari, tomou sova(por dois anos seguidos), do mediano companheiro na Mclaren:

    Mundial de pilotos 1982:
    03) Watson, 39 pontos
    05) Lauda, 30 pontos

    Mundial de pilotos 1983:
    07) Watson, 22 pontos
    10) Lauda, 12 pontos

    Já em 1984 com um carro do “outro mundo”, Lauda foi campeão batendo a nova geração. Na Williams, Felipe não tem mais desculpas! Melhor pensar em aposentadoria, não consegue sequer superar um ‘estagiário’ com 31 corridas.

    Batalha de Grid:
    Bottas 8 x 4 Massa

    Batalha em corridas:
    Bottas 8 x 4 Massa

    Bottas é tão bom quanto Ricciardo(veloz, preciso e cerebral), mas o australiano tem o dobro de corridas, isso em início de carreira faz muita diferença na Formula Um. Massa mudou de equipe, mas a história continua a mesma, acidentes, azares, desculpas e mais desculpas…

    Rosberg mandou recado, ou Hamilton deixa mais espaço na pista, ou mais choques irão ocorrer! Lewis joga duro, tem mania de não dar espaço. Curiosamente, em época de DRS, muitas ultrapassagens são feitas sem uso da “asa”…o alemão quer espaço na pista!!!

    Rosberg não tem mais nada a perder na Mercedes, se não for campeão, pode abandonar a equipe. Se for campeão(no grito), provavelmente ganha outro prêmio, a saída imediata de Hamilton na equipe. Niki Lauda tinha razão…

    Lauda afirma que é preciso ser “canalha” para ter sucesso na F1: “Diga um bonzinho que venceu. Alonso?”
    http://www.grandepremio.com.br/f1/noticias/lauda-afirma-que-e-preciso-ser-canalha-para-ter-sucesso-na-f1-diga-um-bonzinho-que-venceu-alonso

    Rosberg agora pertence ao seleto clube de “Dick Vigarista” ao lado de Prost, Senna, Schumacher, Alonso, Vettel e Hamilton…

    Entre os grandes não existe “santinhos” na Formula Um, quem quer fazer história joga pesado. Um alemão campeão em um carro alemão seria histórico no mundial. Rosberg no mínimo foi genial, tirou Lewis da prova sem ao menos tomar punição(para a direção de prova, foi apenas um acidente de corrida). Rosberg esta em dupla vantagem, Lewis deve estar ‘explodindo’ mentalmente, e sequer pode jogar o carro em cima, esta atrás na pontuação…

    Mclaren e Alonso devem estar adorando essa briga! O espanhol visando uma vaga na Mercedes! Mclaren sonhando com a volta do piloto inglês…

    Curtir

  19. Julianne
    Bom dia.
    Estou com 2 duvidas. E acredito que vc possa responder.

    1°)Nao existe uma regra da FIA sobre trajectoria ideal ??
    Quem tenta ultrapassar nao tem direito sobre o adversario se estiver fora da trajectoria ideal. Que o que o piloto que seguia à frente, apenas tem deixar espaço para o adversario. Mas tem preferencia, pois e quem vai chegar 1º mais perto da trajectoria ideal….qualquer coisa deste tipo

    2°) Se esta regra existe, a FIA poderia punir Rosberg baseada nela ??

    Abrcs e obrigado pela atençao.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s