Ensinamentos

Motor Racing - Formula One World Championship - Abu Dhabi Grand Prix - Preparation Day - Abu Dhabi, UAE

Mesmo que o dia tenha sido apenas de confirmações em Abu Dhabi – desde os anúncios da Ferrari sobre a saída de Alonso e a chegada de Vettel, até pela postura dos postulantes ao título, com Hamilton falando em correr para vencer e Rosberg gorando o máximo que pode o inglês, sabendo que, mesmo que ganhe a prova, a lógica diz que o título não será seu – ficou um clima de balanço final na parceria do espanhol com o time italiano.

Já falei sobre o assunto por aqui. Por mais que seja lógico dizer que cinco anos de uma parceria sem títulos não pode ser considerado um sucesso para nomes de tanto calibre, não foi exatamente piloto que faltou. Pelo menos dentro da pista.

Dia desses, li a análise do jornalista italiano Léo Turrini – fã confesso (e ultimamente frustrado) de Kimi Raikkonen, diga-se de passagem – sobre a passagem de Alonso pela Ferrari, comparável, para ele, com outros nomes que acabaram passando “em branco” por Maranello, como Gilles Villeneuve, e encontrei uma passagem interessante:

“Alonso teria precisado, e falo de 2005-2006, de pessoas ao lado que o ajudassem a compreender que não era uma grande ideia falar a respeito da Ferrari como uma organização bandida ou algo do tipo.

“Alonso teria precisado de pessoas ao lado que, depois do escândalo de espionagem de 2007, o ajudassem a compreender que era de bom tom dizer: ok, eu não sou o centro dessa história suja (e obviamente não era), e então sinto muito por ter tido um papel nisso.

“Alonso teria precisado, nestas cinco temporadas, de pessoas a seu lado que o ajudassem a entender que sempre ressaltar, nos momentos de dificuldade, a diferença entre seu enorme talento e os limites da Scuderia não era o melhor modo de garantir a simpatia de quem, por ele e com ele, trabalhava.”

Já que Alonso gosta de dizer que aprendeu tanto como piloto e como pessoa nestes cinco anos de Ferrari, já passou a hora de colocar os ensinamentos em prática.

30 comentários sobre “Ensinamentos

  1. Simplificando.

    Alonso não é essa figura que a imprensa vende.

    Não é esse super piloto.

    É um bom piloto? Claro que sim. Acima da média? Claro que sim.

    Mas nada de espetacular, de fora de série.

    Tomou diversas decisões erradas durante a carreira.

    E, talvez, tenha tomada mais uma…

    Curtir

  2. Rosberg gorando o máximo que pode….kkkkkk…boa Ju. Mais verdade que essa nao existe…kkkkkk
    Em relaçao ao Alonso ele tem que enteder que só o piloto nao ganha o campeonato. Apesar de que 2 vzs ele ficou no quase…principalmente 2012, se ele nao tivesse se enroscado com o Kimi no GP do Japao, teria os pontos necessarios pra ser campeao. Mas só isto nao basta. Vms ver…na McLaren (provavelmente) como será.
    Abrçs

    Curtir

  3. Muito bom Ju. Con seu permiso vou pingar um link
    Hoje na roda de prensa esteve Alonso. Fala Alonso ¿Como se sente liberarse da Ferrada? Nossa, to quase chorando, estou orgulhoso de tudo que fissemos… mas agora quero ganhar corridas…. (pois é Mugello, eu também duvido que troque. W o Leo Turrini ta no certo)

    http://www.caranddriverthef1.com/formula1/noticias/2014/11/20/102898-alonso-el-ano-pasado-dudas-2014-exprese-deseo-irme-septiembre

    Curtir

  4. A pilotagem de Alonso em 2012 beirou a perfeição. O erro de Suzuka foi sim primordial na disputa do título. 01 erro na temporada toda. 01. Se olharmos por outro lado poderemos lembrar da largada que o Grosjean fez em SPA que por pouco não mata o Alonso. Lá, que não foi erro do espanhol, ele também perdeu pontos que lhe dariam o título. Foi o melhor piloto daquele ano sem sombra de dúvidas, sem ter o melhor carro. Falta vontade das pessoas aceitarem que, embora de difícil trato, ele é sim o melhor piloto do grid, ainda.

    Curtir

  5. Dentro da pista, onde os pilotos devem ser julgados, Alonso para mim, é o piloto mais completo que vi após a morte de Senna. Talento não se discute, se aprecia e o que esse cara já fez em pista, é maior do que seus erros extrapista, fato.

    Curtir

  6. Fora o excesso de pista, kkkk, o pensamento é por ai mesmo, kkkk, assim caminha a humanidade, com o dedo nervoso no enter, kkkk, como diz nosso amigo Aucam(direitos autorais reservados);-)

    Curtir

  7. Legal Ju, e minha opinião é a mesma do Wagner ali em cima, depois do Senna, Alonso é o piloto que mais me enche os olhos, apesar do talento excepcional do Hamilton e do Vettel.

    Não sei até quando o Alonso vai manter esse nível altíssimo de pilotagem, mas uma pena que nesses cinco anos ele não tenha conseguido seu título pela Ferrari.

    Fica agora a expectativa da comparação inevitável entre Vettel e Kimi, independente de adaptação, estilo de pilotagem e qualquer outro fator, o que vai contar é quem largou mais na frente e quem fez mais pontos.

    Curtir

  8. Ah se a cabeça de Alonso fosse tão hábil quanto seus braços e pés! Alonso é vítima de si mesmo. Daqui a muitos anos, Fernando será mais lembrado em textos do que em quadros estatísticos de anuários e, para mim, na minha insignificante opinião, é o que é mais importante – claro que números contam, mas só os superlativos perduram mais, e assim mesmo, são batidos. Uma história brilhante não apenas perdura mais tempo, será sempre recontada. Em seu comportamento, Alonso deveria se espelhar em seu compatriota Nadal e agora em Marc Márquez, que tão jovem já lhe dá uma lição, pela maneira simples e tão fácil de admitir quando não foi bem por sua própria conta, aspecto este em que Marc se espelha em Valentino Rossi, cuja humildade é diretamente proporcional à excepcional grandeza do multicampeão italiano, sempre demonstrada na elegância e alegria com que trata seus adversários, nas vitórias ou nas derrotas. Gostaria de poder lembrar aqui e agora as exatas palavras com que Rossi se referiu a Casey Stoner ao reconhecer que o australiano entendeu a alma da Ducati de uma maneira que ele próprio não conseguiu, ao explicar porque não conseguiu leva-la ao título, apesar de todo o seu empenho. Ele reconheceu isso com tanta simplicidade e humildade! Talvez o meu amigo Bruz as tenha lido e as recorde. Todos devemos ser simples, por isso admiro muitíssimo o Doutor.

    Curtir

    1. Claro que lembro velho amigo. Rossi por cima de tudo é uma figuraça, por cima do idolo é o cara que todos querem de amigo. Simpatico ate mais não poder e muito humilde a pesar dos 9 títulos e toda sua genialidade em pista. Muito contrario ao que todos sentian por Stoner, e mesmo assim o Dotore nunca deixou de dar todos os meritos ao Aussi.

      Se o fluxómetro do blog me permitir, aqui te paso esta apasionada entrevista do Valentino justo no inicio da temporada, onde ele diz que a primeira impresão ao dirigir a Ducati foi: “Mierda, estamos jodidos” e souve que tinha se equivocado, para terminar concluindo que Stoner realmente era muito dificil de bater e era porque ia no limite para conseguir os resultados que ele não pudo com a Ducati.

      Vele a pena sua leitura
      http://www.motocuatro.com/index.php/motogp/7067-valentino-rossi-a-casey-stoner-le-echo-de-menos-en-la-pista-fuera-de-las-pistas-no

      No final disse que falaria com Lorenzo e Marc, para deixar uma para Danny, hahahahaha, mas acho que Marc se espelha no Rossi na humildade, mas não chega ser tão simpatico não, hahahahaha

      Nem passou um mes e já tó com sindrome de falta dos centauros.

      Curtir

    2. Claro que lembro velho amigo. Rossi por cima de tudo é uma figuraça, por cima do idolo é o cara que todos querem de amigo. Simpatico ate mais não poder e muito humilde a pesar dos 9 títulos e toda sua genialidade em pista. Muito contrario ao que todos sentian por Stoner, e mesmo assim o Dotore nunca deixou de dar todos os meritos ao Aussi.

      Se o fluxómetro do blog me permitir, aqui te paso esta apasionada entrevista do Valentino justo no inicio da temporada, onde ele diz que a primeira impresão ao dirigir a Ducati foi: “Mierda, estamos jodidos” e souve que tinha se equivocado, para terminar concluindo que Stoner realmente era muito dificil de bater e era porque ia no limite para conseguir os resultados que ele não pudo com a Ducati.

      Vele a pena sua leitura
      http://www.motocuatro.com/index.php/motogp/7067-valentino-rossi-a-casey-stoner-le-echo-de-menos-en-la-pista-fuera-de-las-pistas-no

      No final disse que falaria com Lorenzo e Marc, para deixar uma para Danny, hahahahaha, mas acho que Marc se espelha no Rossi na humildade, mas pelo visto no campeonato, não chega ser tão simpatico na pista não, hahahahaha

      Nem passou um mes e já tó com sindrome de falta dos centauros.

      Curtir

      1. E que pesadelo essa foto hein Aucam. No meio de DOIS Marquez 93!!!, um na frente e outro atrás, hahahahahaha, Vai ver se acontece já em 2016….

        Curtir

      2. Bruz, o fluxômetro não registrou minha resposta, vou repetí-la. Eu acho que essa foto vai virar realidade já em 2016. Obrigado pelos links e pelo testemunho que lhe pedi.

        Curtir

    3. E como o título do post é ENSINAMENTOS, e o Aucam faz referencia a que Alonso precissa uma dose de “Vale”….
      Lembremos do jeito que saiu da McLatas e com as pompas que chegou na Ferrada, e todos os reclamos que fez na scuderia, e agora toda essa frescura de novo para sua nova montura…
      Como comparação, Lembremos do ató de amor de Valentino ao sair pela porta grande da Yamaha. Aquele beijo na cara da moto…
      Logo nunca jogou a culpa na Ducati e só se comparou ao feito por Stoner. e quando terminou seu inferno, insistiu que ele não pudo e ainda agradeceu a equipe, para chegar na Yamaha declarando que ele respeitava o numero 1 de Lorenzo e agradeceu não ser vetado pelo campeão espanhol.

      Fala Vale!! ao anunciar sua volta a Yamaha para 2013

      «Las cosas han cambiado mucho. Lorenzo es ahora el número 1 de Yamaha, así que sé el reto que me espera. También sé que formaremos un gran equipo. Jorge (Lorenzo) me ha respetado siempre, como yo a él. Sé que entre nosotros no habrá muro alguno en el boxe. Ha llegado el momento de demostrarme a mí mismo si soy capaz de pelear con él y los favoritos por la victoria».
      «¿Sueña con su título nº 10?», le preguntaron inmediatamente. «No parece este el mejor momento de hablar de eso ¿verdad? Pues no estoy en condiciones de plantearme semejante conquista», insistió el más humilde de los Rossi, que ya ha cumplido los 33 años. «Primero he de recuperar el tiempo perdido y saber si puedo estar delante, pelear por el podio, por la victoria y, al final, por el título».
      Rossi agradeció a la firma Audi, nueva propietaria de Ducati, la estupenda oferta y programa que le ofrecieron para renovar. «Pero había llegado el momento de decir basta. Lo siento, ni yo ni mi equipo técnico hemos sabido mejorar la moto y convertirla en ganadora. Me duele, pero he de reconocer ese fracaso».

      Pois é Aucam e caros colegas invisiveis, tanta grandesa e humildade juntas só existem no 46
      Aprende FERNANDO!!

      Curtir

  9. Gente, existe uma diferença tão grande entre a imagem que o piloto quer passar e a imagem real, pelo menos para olhos mais sóbrios.

    Não entendam mal por favor, milhões de pessoas se inspiram em livros de auto ajuda para superar dificuldades de qualquer sorte, pessoas comuns por assim dizer, sem o hábito e habilidade para lidar com grandes pressões, emocionais ou sociais, mas um homem que está num dos ambientes de trabalho mais tensos e exaustivos do mundo e precisa desse tipo de recurso para se manter “equilibrado” não deveria receber tanto crédito – e agora voltando – na imagem forjada na mídia e principalmente nas redes sociais. Duendes, samurais, frases de efeito (isso é terrível) e uma incansável e patética necessidade de auto afirmação que escancara sua insegurança juvenil. Viva o “stone milker”!!!

    Curtir

  10. como pode alguém que está a mais de cinco anos numa equipe com todas as regalias, passar ileso de responsabilidade por seu fracasso. e ainda tentam arranjar justificativas para tal desiderato. o determinado piloto não passou seus cincos anos numa Marussia da vida, e sim numa das maiores equipes em termos financeiro e a maior vencedora da f1. valorizam ou sobre valorizam como se a regularidade por si só fosse algo fenomenal. desculpem aos que apreciam o estilo burocrático, mas não agrada.

    Curtir

  11. Alonso é um piloto fora-de-série, como pouco que passaram pela F1. Mas geriu muito mal sua carreira. E por isso tem “apenas” dois títulos. Com ele a “ma´xima de Luxemburgo” é real: eu ganho, nós empatamos, vocês perdem.

    Curtir

  12. Excepcional a análise desse italiano, hein?

    O que me faz perguntar: Julianne, o Alonso ainda é empresariado pelo Briatore? E por acaso o Briatore também tinha (ou tem) uma função de conselheiro/apoio extra pista, como, no caso do Hamilton, o Lauda ou o pai?

    Interessante a comparação com a situação atual do Vettel, que resolve suas negociações ou seus “conflitos” sem auxílio de empresário.

    Acho que vale o ditado “Antes só do que mal acompanhado”…

    Curtir

    1. Não sei exatamente qual o papel do Briatore. O contato próximo existe, mas o empresário do Alonso é o Abad. E o Hamilton agora está sem agente também.

      Curtir

  13. Julianne você sabe dizer se Alonso recebera a multa recisória equivalente aos dois anos de contrato?
    E porque que a ferrari não demitiu Kimi que fez uma temporada medonha ao invez de Alonso?

    Curtir

    1. Não se sabe exatamente, mas como ele passou o fds inteiro dizendo que pediu para sair (o que responde a segunda pergunta), deve ter aceitado que a rescisão partiu dele mesmo.

      Curtir

    2. Palavras de F. Alonso:

      “Provavelmente eu estava muito velho quando ele tentou renovar comigo até a corrida de Monza, e mesmo assim ele continuou tentando e tendo conversas, até mesmo no último momento, com telefonemas e e-mails que ainda tenho no meu computador”.

      Ou seja, foi o próprio quem pediu a rescisão.

      No mais, esta atitude do Alonso em querer escachar o que aconteceu nos bastidores da Ferrari, dizendo “…com telefonemas e e-mails que ainda tenho no meu computador”, me fez lembrar a temporada 2007, quando o mesmo também guardou e-mails que, posteriormente, foram utilizados pra ameaçar a McLaren.

      Deve ser um “fetish” do espanhol, vai saber…🙂

      Curtir

  14. Juliane eu sei que o tema que eu vou comentar foge do titulo do post mas você saberia dizer se as fabricantes de motores da f1 estão fazendo alguma coisa em relação ao aumento do som dos carros de f1, como por exemplo duas saídas de escape.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s