As 5 melhores corridas de Alonso na Ferrari

alonso-instragram

Depois da retrospectiva dos momentos mais marcantes dos seis anos – e quatro títulos – de Sebastian Vettel na Red Bull, chegou o momento de recordar o melhor da passagem de Fernando Alonso na Ferrari.

Enquanto já está claro que a parceria Vettel/Red Bull ficará marcada pelos triunfos – ainda que a valorização do papel do alemão nesse domínio esteja diretamente relacionada ao que ele vai conseguir fazer daqui em diante sendo testado em diferentes situações – ainda é difícil mensurar o que a Era Alonso vai significar daqui alguns anos. Será que a noção geral será de que um grande piloto desperdiçou um período precioso em uma equipe que não lhe deu chance real de ser campeão? Ou que a Ferrari é que perdeu seu tempo focando todas as suas forças em alguém que não foi um líder bom o bastante?

Seja como for, a parceira Alonso/Ferrari deu o que falar. E nos trouxe momentos inesquecíveis.

5. GP da Hungria de 2014

Essa prova ficou marcada por mais um final excepcional de Daniel Ricciardo, passando Lewis Hamilton e o próprio Alonso nas últimas voltas para vencer a segunda da carreira.

O fato do espanhol estar na liderança até três voltas do fim foi um dos feitos mais impressionantes de toda a temporada. Foram 32 voltas de excelente ritmo em um pneu macio que já fora utilizado na classificação.

Não coincidentemente, a performance veio em uma pista que neutralizava a desvantagem da unidade de potência da Ferrari e em uma prova de difícil leitura estratégica.

Leia mais: Guarde esse GP na memória

4. GP da Itália de 2010

Primeiro GP da Itália a bordo da Ferrari, primeira vitória. Mas não foi só por seu significado que o triunfo de Monza marcou. Na batalha com Jenson Button, que durou por toda a corrida, Alonso se recuperou de uma largada ruim para dar uma de Schumacher – nos tempos de Maranello – e executar com perfeição a estratégia.

Alonso largou na pole e perdeu a liderança na primeira curva para Button, que tinha um carro com bastante asa, que escapava nas Lesmo e na Parabolica, dificultando que o espanhol pegasse o vácuo. Logo ficou claro que a corrida teria de ser ganha no box. Inlap, posicionamento no box e outlap perfeitos pavimentaram o caminho para aquela que viria a ser a única vitória do bicampeão na casa italiana.

Leia mais: A volta dos que não foram – e uma decisão difícil 

3. GP da Espanha de 2013

Se ganhar um GP que só foi conquistado pelos poles em 16 dos últimos 18 anos saindo da quinta colocação já não fosse um feito por si só, a maneira agressiva como Fernando Alonso pilotou em Barcelona para sua segunda vitória no circuito catalão deixou essa prova marcada na passagem do espanhol pela Ferrari.

Tudo começou com uma largada alucinante e ultrapassagem dupla, sobre ninguém menos que Kimi Raikkonen e Lewis Hamilton, por fora, na traiçoeira curva 3. Dali em diante, quatro paradas nos boxes e pé direito cravado. Apresentação de gala daquela que viria a ser a última vitória de Alonso pelo time de Maranello.

Leia mais: Vencedores e perdedores do GP da Espanha

2. GP de Cingapura de 2010

Um momento decisivo na carreira de Fernando Alonso foi quando, aos 23 anos e ainda com apenas três vitórias no currículo, suportou uma incrível pressão de Michael Schumacher no quintal da Ferrari, em Imola, e venceu o GP de San Marino de 2005. O espanhol viria a, de certa forma, compensar aquela derrota do time italiano cinco anos depois.

E segurando outro alemão. Desta vez, Sebastian Vettel, em uma disputa de gato e rato que durou praticamente toda a prova, em um circuito escaldante e que não perdoa erros.

Curiosamente, este foi o primeiro grad chelem da carreira de Alonso, e o conquistou de forma bem mais dramática do que esse tipo de marca costuma ser: com o rival a 0s2 na linha de chegada!

1. GP da Europa de 2012

Vencer largando de fora do 10 top é feito para poucos na Fórmula 1 moderna. Descontando Cingapura/08, isso só aconteceu uma vez nos últimos sete anos, naquele GP da Europa. E logo em Valência, circuito que ficou marcado pelo marasmo em sua curta vida no calendário.

É claro que Alonso teve sorte, com o abandono de Vettel, mas primeiro ele teve de se colocar em posição de se aproveitar da quebra do rival. E o fez com uma pilotagem agressiva e ultrapassagens decididas – o que dizer sobre as manobras sobre Schumacher, Webber e Grosjean?

Mas a aura especial daquela corrida vai além disso. A Espanha vivia um momento econômico especialmente delicado em 2012 e Alonso foi um dos ícones esportivos, ao lado de Nadal, Contador e da seleção de futebol, que ajudaram a elevar o moral nacional. E o piloto nunca demonstrou aceitar esse papel de maneira tão intensa quanto no momento em que parou sua Ferrari na frente da arquibancada para vibrar com a torcida.

Leia mais: Como Alonso conseguiu e uma nova forma de encarar Valência

31 comentários sobre “As 5 melhores corridas de Alonso na Ferrari

  1. Oi, Ju,

    Aqui estou eu chorando de novo com Valência 2012. Nunca vou esquecer o orgulho que senti naquele dia e olha que minha família é de italianos e alemães, nada de espanhol. Acho que foi o momento mais emocionante que já vivenciei em qualquer esporte.

    Não sei como as pessoas vão lembrar dessa época do Alonso na Ferrari, apesar de acreditar que será sim como um piloto que deu tudo de si, mas ficou limitado ao equipamento que tinha em mãos. Talvez não aqui no Brasil, mas pelo que acompanho na imprensa inglesa, acho que é essa imagem que vai ficar.

    De qualquer forma, sei o que vai ficar para mim: as memórias de corridas difíceis, saindo lá de trás na maioria das vezes com largadas espetaculares, ultrapassagens emocionantes e acima de tudo com o coração na pista, independente da situação.

    Eu cogitei deixar de acompanhar a F1 muitas vezes, mas aí vinha esse mocinho e fazia uma corrida espetacular e eu ficava com cara de ‘como eu vou deixar de assistir coisas como essa?’. Impossível.

    Curtir

  2. Seguindo o raciocínio do post de ontem, para os detratores a passagem de Alonso na Ferrari será lembrada pelas infinitas picaretagens com Massa, pelas raras pole postions, pela falta de entrega do título, foi uma cara que teve tudo e mais um pouco da equipe e mesmo assim não conseguiu converter todo o apoio em taça. Já para os fãs foi o período que atestou que Fernando é o piloto mais completo do grid, super guerreiro, com maior capacidade de adaptação que seus pares, mais inteligente nas estratégias, com melhor visão de corrida, que consegue extrair o máximo sempre…

    Ele me parece um pouco disso tudo. Acho que ele não terá vida fácil nos próximos dois anos – a não ser que Hamilton não renove com a Mercedes e ele consiga se enfiar lá antes de 2017 – um possível tri está aparentemente cada vez mais distante.

    Curtir

  3. Alonso é muito regular. Tem muitas corridas boas, quase nenhuma ruim e listar alguma diferenciada é difícil, mas concordo com a lista.

    Também gosto de Malásia e Alemanha 2012 dele, corridas em que pilotou mais com a cabeça do que com os pés e venceu.

    Estão faltando vitórias a esse piloto.

    Curtir

  4. Malasya 2012 tambem é outra dessas. O F2012 nasceu ruim e naquela corrida ainda estava no seu estado bruto, sem nenhuma atualização que resultasse em melhora.
    Mas apesar disso e numa corrida com chuva, Alonso fez a diferença e venceu.

    “this is one of the most beautiful, we are so proud of you, so proud of you” Andrea Stella.

    Curtir

    1. Sem duvida Malasia nao podia ficar de fora,Alonso foi cirurgico naquela corrida,provavelmente a Ferrari mais capenga daquele ano e ele ganhou a prova. Acho que o Alonso entra pra historia como melhor piloto que ja correu pela Ferrari sem ter sido campeão na equipe,logo atras do Villeneuve.

      Curtir

  5. Ver o que Alonso já fez em pista e ficar falando em picaretagem me parece miopia mórbida, na boa, esse cara é o melhor e mais completo piloto após 1º maio de 94.

    Curtir

  6. Não sou torcedor do Alonso, mas sem dúvidas é um grande piloto. A maneira como ele consegue maximizar seus resultados é incrível. Ele raramente perde a oportunidade de evoluir na corrida. É um piloto que hoje está no auge da forma física e da maturidade e sabe explorar muito isso. Só acho que a saída precoce da McLaren atrapalhou na conquista de mais títulos. Sempre será respeitado como um grande piloto, mesmo que não seja mais campeão.

    Curtir

  7. Grande piloto,um dos melhores de todos os tempos porem seu caráter deixou a desejar rompendo a linha da ética fazendo de tudo para ganhar a qualquer custo não é atoa que todos vão lembrar dessa imagem assim como Schumacher muito talentoso porém de caráter duvidoso,porém acredito que todos podem mudar desde que tenham força de vontade e a vida ensina e aprende quem quer e a humildade é o primeiro passo para o sucesso.

    ” A simplicidade é o último grau de sofisticação. ”

    Leonardo da Vinci

    Curtir

  8. Alonso é bom eu admito, mas ele não é o.melhor, hamilton é o melhor porque se adapta em qualquer carro, aldo costa que o diga por intermédio de alonso foi dispensado da ferrari e agora que aldo construil esta maravilha alonso ta chorando por uma vaga na mercedes, piloto que é piloto ajuda a equipe a desenvolver o carro, hamilton na ferrari teria feito muito mais do que alonso porque o ingles sempre venceu seus companheiros em igualdades de condições e hamilton sempre teve companheiros fortes com exceção de kovaleine, se este ezpanhol fosse tão bom assim teria sido penta porque jogou três títulos fora 2007 quando teve o melhor carro e perdeu para um novato, 2010 com um carro inquebravel e não conseguil passar o petrov e 2012 que tinha o campeonato ganho e amarelou no final.

    Curtir

    1. Marcelo, entendo sua torcida por Hamilton, mas não foi Aldo Costa que projetou o motor Mercedes! Alonso não se adapta a qualquer carro? Em 2010 o carro da Mclaren era o carro mais rápido, e potencialmente teria que marcar mais pontos, e mesmo assim, possuindo um carro que não quebrava e menos rápido, Alonso terminou a frente do inglês, disputando o título até a útima corrida…bem, Alonso é o piloto mais bem pago da F1 atual e onde está Petrov? Em 2007 terminou com os mesmos 109 pontos de Hamilton, portanto uma perda relativa, ainda mais levando-se em conta que o dono da equipe falou que corriam “contra” seu próprio piloto! Bem, em 2012, Alonso perdeu o título sendo abalrroado por Grojean e ficando parado na caixa de brita de Suzuka, não tendo a mesma sorte que Hamilton em 2014, que na volta anterior da ultrpassagem por fora, perdeu o ponto de frenagem indo fora da pista mas teve o erro absolvido pela generosa área de escape asfaltada, portanto, Alonso não amarelou como vc mesmo disse. Considero a temporada 2012 de Alonso como uma das mais perfeitas dos últimos 20 anos! Ps: Alonso não sabe desenvolver carro, bem, por que será que um dos motivos da briga na Mclaren em 2007 foi o fato de Hamilton copiar os acertos do espanhol, algo confessado pelo próprio inglês, fato!

      Curtir

      1. Alonso foi muito inepto em 2007 ao ameaçar Ron Dennis para ganhar na marra a preferência na McLaren. Por isso Hamilton virou de vez o piloto da casa.

        Curtir

      2. Caro Wagner,
        Muita gente se pergunta como é que Maldanado conseguiu ganhar aquela corrida. A resposta é muito simples: Quem chegou de segundo foi o Alonso, que amarelou por voltas e voltas sem conseguir pasar aquela draga de Williams com uma Ferrari muito superior.
        Anota essa ao desastre de como perder um título em 2012.
        O piloto se conhece no combate corpo a corpo quando esta em desvantagem de equipamento. Ganhar com carro bom é moleça, duro é fazer o que fez sorriso em 2014.

        Curtir

      3. Draga de Williams? Ele largou na pole aquele dia e bateu Alonso e Kimi na pista que mais se pilota na F1. Colocou o carro no top 3 em outras ocasiões daquele ano. Não tinha nada de draga, tão pouco a Ferrari era tão superior assim aquele dia.

        Curtir

      4. Wagner, vc disse tudo, ser fã é uma coisa, mas não reconhecer que o Alonso é um piloto espetacular chega a ser burrice, o cara fez milagres com esse lixo de Ferrari por anos e os caras vem dizer que ele é ruim, agora porque o Hamilton foi campeão ele virou o Senna? Hamilton tinha mais do que OBRIGAÇÃO de ganhar este título e quase perdeu para um piloto mediano , gosto muito do Hamilton, ótimo piloto mas Alonso no momento é incomparável….

        Curtir

    2. Se formos analisar de 2010 pra ca o Hamilton pilotou carros melhores e mais rapidos que o Alonso e so ano passado ele conseguiu terminar a frente do espanhol no campeonato.

      Curtir

    3. Só para constar: Hamilton não bateu Button na Mclaren.

      E sério: aprenda a usar pontuação. Isso prejudica a leitura de qualquer um e muitas vezes seu texto é incompreensível.

      Curtir

  9. Caro vagner sempre leio seus comentário que são muito inteligentes, mas se entre 2010 e 2012 hamilton tivesse o kovaleine como companheiro ao invez do button que dividia a equipe e os pontos com ele todos iriam dizer que a mclaren era inferior a ferrari se a mclaren pontuou mais nos construtores não foi por ser melhor e sim por dar igualdade e ter dois excelentes piloto, duvido que se hamilton estivesse com o massa e o alonso dividindo a mclaren com button em 2010 o ingles não teria sido campeão ou pelo menos pontuada mais, na mclaren não existe primeiro e segundo piloto, você sabe vagner que alonso nunca teve um carro ruim na ferrari e sim seus companheiros eram projudicados por não se adaptarem ao estilo de alonso afinal ele é o unico do grid que gosta de um carro com a frente solta, dai a diferença absurda entre ele e kimi ano passado afinal kimi gosta do carro com a frente presa, a suspensão pull rod usada pela ferrari só favoreceu ao alonso o kime se adapta melhor com a push rod. duvido que alonso gostou da ideia de ter que dividir a mclaren com button afinal quem sabe se ron dennis ainda não guarda magoas e e não quer dar o troco kkkk.

    aucam cade vc sem seus comentários este espaço perde a graça.

    Curtir

  10. Grandes Marcelo Dutra e Wagner! Vocês sempre expõem fatos para embasar solidamente suas opiniões, o que torna as contestações difíceis. De cada lado, ambos esgrimindo argumentos fortíssimos e “duelando” em terreno minado, pois falar de Alonso, Hamilton e Vettel implica em aceitar riscos, hahahahaha!!!!

    Bom, não torço por Alonso, mas reconheço sua genialidade e eu – do alto da minha insignificância – não perdoo o asturiano por ter se precipitado e criado todo um clima adverso contra si na McLaren quando se viu INESPERADAMENTE confrontado por alguém (LewIIs) com habilidades no mínimo equivalentes. Repito que o bom cabrito não berra. Não perdoo Alonso por ter saído abruptamente da McLaren, privando a todos nós que amamos o automobilismo de ver um dos mais épicos combates diretos entre dois gênios, que poderia continuar nos anos seguintes àquele infeliz, estranho e maroto 2007. Desculpem-me todos os fãs do espanhol, mas foi uma “ursada” o que ele fez com todos nós, torcedores ou não dele. Braço ele tinha (e tem), faltou foi cabeça – coisa que sobra nele em corridas, mas não em escolhas e decisões pessoais (sei que falar de fora é fácil). Até o GP de Mônaco de 2007 o que se sabe é que ele tinha a preferência de Ron Dennis. O resto pertence à História, mas já li opiniões de muitos respeitados jornalistas com trânsito nos bastidores da McLaren que asseguram que Alonso só foi considerado “inimigo” bem no finalzinho da temporada, e recebia igualdade de tratamento, o que é contestado compreensivelmente pelo seus fãs, afinal automobilismo também envolve paixões, não apenas o futebol. Hoje, Alonso e Dennis são amigos desde criancinha e eu aqui, PERPLEXO, hahahaha!!!! Esportivamente, Alonso deveria se espelhar em Valentino Rossi e numa criança que já dá os mesmos sinais de grandeza do italiano nas vitórias e derrotas: o alienígena naturalizado espanhol Marc Márquez.

    Curtir

    1. Salve oh Caro Aucam. Meu presente para ir afinando os ouvidos: Uma serie de sinfonias de 87 a 2014. Pelo ano e piloto, reto a vc e a quem se habilite, a que lembre da equipe e do equipamento. Se lembrar da pista e do sector, então serã a gloria.

      Já logo logo tudo começa…

      Curtir

      1. Os Honda de 91/92 são incomparáveis, uma mistura de graves e agudos perfeitamente polidos pelos japoneses, uma mistura de rock e orquestra sinfônica. Engraçado que de 1995 em diante os motores ficaram muito parecidos, mais estridentes e agudos, até chegar em 2014 eeeeeeeeee boooom!!! Kkkkkk, me parece que os Honda 2014 veem com um pouco mais de melodia, resta saber se com os ajustes por resistência e velocidade manterão o som, aguardemos.

        Curtir

      2. Muito bom vídeo, Bruz. Sinfonia – palavra perfeita para definir esses sons maravilhosos que deixaram saudades. E que choque a comparação com 2014, hein? Corrida de carros que se preze tem que ter sim uma grande trilha sonora, faz parte do conjunto de emoções – e atiça a adrenalina.

        Bem, pelo menos no vídeo do Youtube (que aliás o Wagner postou aqui no Blog da Julianne em cima do lance), a Honda vem com um propulsor que podemos classificar como o Pavarotti do grid de 2015. Com todo aquele rugido, minha expectativa é que tenha tigres no motor, e não pôneis.

        E caramba, vendo o Frentzen com aquele desacreditado motor MUGEN me faz lembrar que um dos mais subavaliados campeões mundiais – Damon Hill – conseguiu vencer uma corrida (GP da Bélgica 98) COM ELE! E mais: quase que Damon leva à vitória um raquítico Arrows impulsionado por um insólito motor Yamaha V-10, em 97, na Hungria. Liderou 80% da corrida até 3 voltas do fim quando teve problemas com o acelerador, mas ainda descolou um 2º lugar!

        Interessantes alguns posicionamentos de câmeras já no final do vídeo, mostrando tomadas incomuns. No mais, aguardando com grande e impaciente expectativa o começo da temporada.

        Grande abraço.

        Curtir

  11. Grande amigo Aucam! Cordiais saudações! Na sábia República Juliannesca, nós, humildes súditos aprendemos , compartilhamos opiniões e crescemos com nossas diferenças: “…abrindo as portas da percepção…”, sem as drogas é claro!!! Nesse espaço de respeito e debates procuramos garimpar a verdade verdadeira desse esporte apaixonante, sempre!!!

    Curtir

  12. Em verdade, o fato de serem grandes e comtemporâneos, medirem forças e se derrotarem grandiosamente/esportivamente, a tríade atual se equivale, se completa e se valoriza!

    Curtir

    1. Sim, amigo Wagner, temos o privilégio de vivenciar uma nova Era de Ouro e creio que a esse Trio em 2015 se juntarão – consolidando-se EM DEFINITIVO como grandíssimos pilotos – Ricciardo e Rosberg. Os vencedores somos nós todos, que amamos esse esporte realmente fascinante. Espero que em 2015 todos eles tenham carros muito competitivos, à altura do que merecem.

      Curtir

  13. O único porém é que na corrida da Hungria de 2014, e algo que quase ninguém fala, é que Hamilton tinha um problema no motor no fim da prova (a própria Mercedes falou depois da corrida) e por esse motivo não tinha potência suficiente para passar Alonso e segurar o Ricciardo. O que não tira o brilhantismo da atuação do espanhol, que foi sensacional, mas ele teve uma “ajudinha” para segurar o inglês.

    Curtir

  14. Aucam concordo com vc que o bom cabrito não berra, por isso alonso vivera eternamente na sombra de hamilton por ter sido derrotado por um novato assim como agora vettel vivera na sombra de ricciardo por ter deixado a redbull e não ter ficado para provar para os fans que poderia haver uma revanche, não sou torcedor do hamilton na verdade me tornei fan do hulkenberg, uma pena que nunca recebeu um carro a autura do seu talento, com o talento que tem teria ido longe na ferrari ou até mesmo na mclaren do ano passado, mas hamilton ganhou o meu respeito porque nunca precisou de segundo piloto para ajudar na disputa do título ao contrário de alonso que por não ser um piloto veloz em classificação dependeu até do massa para fazer vácuo e sem contar a troca de cambio para alonso ganhar posições, e aquela marmelada de jogar o carro que enterrou o nelsinho, se hamilton tivesse um capacho dentro da mclaren e usasse de todas essas picaretagens que usou alonso teria ido mais longe do que foi.

    Curtir

    1. BRAVO Marcelo!!! Assim como vc, reconheço sim (apesar de não apreciar o carater) que o El-Fodon éh um dos melhores pilotos do grid! Más daí a coloca-lo no pedestal-dos-grandes me descupem, ele terá que me prova isto nesta temporada na Mclaren-Honda. Conhecendo o Ron, que tem a mais justa-politica de dar condições iguais aos pilotos e, o Lorde-Botão querendo fazer um ano-significativo pra escrever uma bonita história na F1, o Alonsito vai ter que “rebolar” pra, além de ajudar a Mclaren-Honda ser um carro competitivo vai ter de lutar com um Button determinado! Se conseguir suplantar estes obstaculos, o El-Fodon terá o meu definitivo-respeito!

      Curtir

  15. A ferrari é a equipe mais rica do grid contratou todos os engenheiros e mecânicos que o dinheiro podia pagar se o carro não evoluiu é por culpa do alonso porque não soube liderar a equipe só sabia reclamar e criticar a equipe por seus infortunos.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s