Treino é treino…

É fácil fazer bonito nos testes de pré-temporada. Não precisa nem andar fora de regulamento, como muita gente repete sem nenhuma base teórica. Fazer isso, aliás, seria extremamente contraproducente. E, no final das contas, não é necessário.

Imaginem que cada 10 quilos a mais no tanque de gasolina – na F1 a conta é feita em quilos, e não em litros – representa 0s3 por volta no circuito de Jerez, que abrigou os primeiros testes da pré-temporada, entre domingo e quarta-feira. Para se ter uma ideia do impacto do peso do combustível, a pole position do GP da Espanha do ano passado foi feita em 1min25s232. Com os mesmos pneus, mas de tanque cheio, o líder começou a prova andando em um ritmo de 1min32. Isso mesmo, sete segundos mais lento!

E tem ainda a questão dos pneus. Vemos ao longo da temporada que a diferença entre os pneus macio e médio, por exemplo, raramente é menor do que 1s. E nos testes não há qualquer obrigatoriedade em relação ao composto utilizado.

É por essas e outras que, quando se diz que os tempos mais rápidos das Ferrari de Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen em três dos quatro dias de treinos – e do estreante brasileiro Felipe Nasr, da Sauber – não significam muita coisa, é pra valer.

Raikkonen fechou o primeiro de três testes da pré-temporada como o mais rápido, com uma marca estabelecida com pneus macios e em uma saída na qual deu poucas voltas, indicando que não estava com muito combustível.

Que a Ferrari melhorou, não há dúvidas, haja visto que era difícil piorar em relação ao desequilibrado e lento modelo de 2014, com o qual a Scuderia passou seu primeiro ano desde 1993 sem vitórias. E o próprio Raikkonen se disse bem mais confortável no carro e elogiou os ganhos da nova unidade de potência, um dos pontos mais deficitários do ano passado. Vale lembrar que a Sauber também usa motor Ferrari.

Porém, depois de terminar a temporada mantendo uma vantagem considerável em relação à concorrência, a Mercedes também demonstrou ter dado um salto – e não precisou liderar nenhuma sessão para provar isso.

As simulações de corrida de Nico Rosberg e Lewis Hamilton chamaram a atenção: o alemão fez 24 voltas – portanto, tinha um volume considerável no tanque – com tempos entre 1min23 e 1min24, usando os pneus médios (nenhum dos pilotos da Mercedes chegou a colocar o composto macio durante o teste). Comparando com o 1min20s8 de Raikkonen e as condições em que esse tempo foi obtido, dá para concluir que os atuais campeões mundiais poderiam batê-lo. Com um pé nas costas.

 Coluna publicada no jornal Correio Popular.

13 comentários sobre “Treino é treino…

  1. Olá Julianne, parabéns pela sua coluna sempre com informações, tenho comigo você e o Livio no alto do pódio no Brasil, quando se fala em como e sobre o que escrever dentro do conteúdo F1.

    Fiz a análise abaixo sobre o uso de combustível e tempo de volta, estimando que um F1 utilize 2,4 litros de combustível e tendo a referência de 100 Kg igual a 138 litros. E pelas contas, a Ferrari está a frente da Mercedes – claro que tem que se verificar a linearidade em se obter as melhores voltas em condições de corrida para se ter o melhor. Grande abraço e o melhor em 2015 para você.

    Rosberg Tempo de Volta = 1.24 TOTAL = 24 voltas TANQUE= 50 litros

    Raikkonen Tempo de Volta = 1.20 TOTAL = 6 voltas TANQUE= 12,5 litros

    Rosberg Descontar Ganho de 0,3 s por 10 Kg = 37,5 litros = 1,38 l = 1 Kg de combustível Consumo de 2,4 l por volta, Rosberg utilizou (seco) 57,6 litros ou 41,7 Kg de combustível. Raikkonen utilizou 10,43 Kg.

    Diferença em quilos dos 2 carros = 31,27 Kg = 1 segundo / Diferença de pneu + 1 segundo.

    ROSBERG: 1’21”??
    RAIKKONEN: 1’20″8

    Curtir

    1. Vamos com calma, Jackson. É o primeiro teste e duvido que mesmo a Ferrari tenha visado performance. Não é o momento para isso ainda. Os carros ainda vão mudar muito até o último teste de Barcelona, além de evoluir na questão do acerto, que ainda está bem verde. Além disso, os motores Mercedes demonstraram que ainda têm vantagem, com diferença de quase 7km/h no speed trap.

      Vou mais na linha do Alexandre: o domínio era muito grande no final do ano passado e as regras mudaram pouco, então não seria lógico termos uma inversão tão dramática.

      Curtir

  2. Juliane você não acha o tempo de Vettel 1:20:9 feito de pneus médios representativo em comparação com as Mercedes já que o tempo de Raikkonen foi feito com pneus macios, fora o fato de que o motor Ferrari ainda vai ganhar mais cavalos de potência como bem disse o seu chefe de motores Matias Binnoto antes do GP da Austrália e pelo que eu apurei dos testes quando a Ferrari fez uma série de voltas ela também virou nos tempos da Mercedes na casa de 1:23 e 1:24, sendo que ela não simulou um GP, só uma série de voltas.

    Curtir

  3. Ju, o tempo de Vettel de 1:20.9, ainda que com pouca gasolina, foi feito com pneus médios, levando a crer que ainda há potencial para tirar do carro. Parece que James Allison, Dick de Beer e o pessoal responsável da área de motores acertaram a mão.

    Curtir

    1. Concordo acertarem a mão do motor dizem que ganhou 80HP e o responsável da área disse que vai vir mais atualizações e consequentemente o motor vai ficar mais potente não é de estranhar se ele não ganhar mais uns 30 à 40 hp até a Austrália e rivalizar com os motores Mercedes, fora o fato que o Raikkonen fez algumas saídas longas não chegou a simular uma corrida mas fez tempos muitos consistentes na casa de 1:23 e 1:24, não é a toa que ele disse que o carro é muito bom assim como o Vettel. O Rosberg disse que era para eles ficarem de olho na Ferrari ele não disse isso a toa eles sabem que esse ano deve ter concorrência.

      Curtir

    2. Não só isso Billy, há um agravante ainda maior, e é que Vettel meteu esse bozal de tempo com a pista a 10 °C, e Kimi fez 2 decimos a menos na tarde do dia mais soleado com a pista a 25 °C.

      Cabe também considerar que Vettel andou nos limites de velocidade da pista com esse chão escorregadio e menos emborrachado, por tanto tem que se falar de braço. Nada mais isso.
      Toda pista tem limites, e não importa que uma maquina melhore, porque o piloto não vai conseguir baixar isso. Ai se chega no ponto em que são os pilotos com suas peculiaridades de arrojo e performance os que vão fazer a diferença. É o que chamamos de dirigir nos limites da física.
      Vettel com esse temporal demostrou que esta de volta e animado. Basta com que a Ferrari de a ele uma caranga para chegar perto dos limites da pista que ele fará o resto.

      E sim, treino é treino. Por isso a Ferrari poderia estar provando a fiabilidade da maquina botando uns 3000 giros a mais e sem porra de fluxometro. Isso incluso explicaria a melhora do tenor nessa toda sinfonia do motor de combustão.

      Curtir

  4. Mas pq será q nenhuma outra equipe tentou dar uma volta lançada ? Pq so a ferrari, acho q se pegar os tempos da mercedes de 1.23,580 e vc tirar 1,3 do pneu e 2,5s de gasolina,daria uma media de 1.19,700 mas a marca de vettel foi de medios se baixar esse 1,3 dos pneus seria uma volta muito boa pra ser o promeiro teste em torno de 1.19 alto , mas ou menos os tempos q a mercedes daria se seguisse esses tempos, mas so saberiamos mesmo se outras equipes tivensem tentados, vamos aguardar

    Curtir

  5. Só o fato da Sauber liderar um dia dos treinos, já mostra que não se deve levar muito a sério estes tempos obtidos.

    Mas seria ótimo, a Ferrari tornar-se competitiva. Estaria o Alonso preocupado por ter tomado outra decisão equivocada na carreira?

    Curtir

  6. Acho que evolução das equipes era esperada. Agora o quanto a Mercedes está na frente e quais equipes brigarão pelo segundo posto só na Austrália. Massacro que dificilmente Hamilton e Rosberg terão um intruso na disputa do título. Um carro tão dominante não perde terreno quando o regulamento é mantido. E acredito que nem em 2016 deixarão de ganhar os campeonatos de pilotos e construtores.

    Curtir

  7. Bruz vettel tem sorte de este ano não ter o jovem ricciardo como companheiro, não espero muito de raikkonen este ano afinal ele ja esta velho e cansado e não é nem sombra do que foi outrora, vettel tem por obrigação bater kime este ano se não o fizer sua reputação ta no lixo, mas sei la bruz acho que kime ja deu o que tinha que dar e esta do geito que vettel gosta um novo webber porque vc acha que webber permaneceu tanto tempo na redbull mesmo não mostrando rendimento, por
    que a ferrari não manteve alonso e vettel e mandou kime passear, o vettel não aguenta concorrência.

    Curtir

  8. Julianne, considerando que a Mercedes provavelmente esteja melhor ainda neste ano, o domínio demonstrado na temporada pode se repetir, em escala ainda maior?

    Curtir

  9. Bruz o cara ganha 2 títulos mundias na ultima prova contra um Alonso e em uma dessas ele estava atrás na tabela e ganha e o cara ainda num aguuuuueennnta concorrência kkkkkk acho q ele vai correr sozinho em 2016 termina o contrato do kimi e a Ferrari num chama ninguém resolvido kkkkkkk

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s