Sentindo o calor

Feat2

Ele defende que foi mais uma questão de adaptação às condições climáticas do que o sinal de que a Ferrari chegou na Mercedes, mas foi o ritmo de Kimi Raikkonen que mostrou do que a Scuderia era capaz em comparação com os alemães no GP da Malásia.

O finlandês chegou a ocupar a penúltima colocação, na terceira volta e, mesmo tendo dando um giro inteiro com o assoalho batendo no chão, o que nunca ajuda a performance do carro, chegou em quarto. A 53s8, é verdade, mas em quarto. Isso, em uma corrida na qual não era possível adotar um ritmo forte demais nem para aqueles que fizeram mais paradas.

Enquanto o companheiro abria caminho com 13 ultrapassagens no meio do pelotão e um segundo stint de 20 voltas impressionante, Sebastian Vettel relembrou seus velhos tempos. À vontade com o carro, como ressaltou em sua entrevista ainda no pódio, o alemão foi ao mesmo tempo rápido e suave com os pneus para construir, da 1ª à 17ª volta, quando fez sua primeira parada, a vitória que, pelo menos por duas semanas, vai calar aqueles temerários por mais um passeio das Mercedes.

Pelo menos duas semanas porque a Ferrari não tirou meio segundo por volta em duas semanas e talvez teremos de esperar até o GP da Espanha para entender se a temporada será mais para o lado do que vimos na Austrália ou na Malásia. Afinal, Raikkonen pode mesmo ter razão ao apontar o calor malaio como favorável à Ferrari, cujos últimos carros foram marcados pelo trato leve com os pneus – tanto, que por muitas vezes seus pilotos tiveram problemas para aquecê-los. Na própria corrida malaia em meio à draga do ano passado, a Scuderia se mostrou a terceira força.

Mas que foi bonito ver a emoção de Vettel regendo o hino da Itália, isso foi.

Por outro lado, se na Austrália a Williams tinha deixado a impressão de que estava atrás da Ferrari, a dúvida virou certeza. Talvez a diferença não seja tão grande quanto na Malásia, mas ficou claro que o time não pode depender de sua vantagem na velocidade de reta – que ainda existe, mas não é tão grande quanto antes. O FW37, que já evoluiu bastante em relação à pressão aerodinâmica, precisa se equilibrar melhor para recolocar Massa e Bottas na luta real por pódios.

Mas quem vem chamando a atenção nesse início de temporada é a Toro Rosso. Tanto, que a equipe, que tem um orçamento menos de cinco vezes menor que a Red Bull, está na frente dos tetracampeões. Parte tem a ver com o carro, claro, e a boa interação com a Renault, mas também deve-se às performances consistentes da dupla mais jovem da história. Parece que esse tal de Helmut Marko sabe das coisas. Simplesmente um quarto do grid veio de suas mãos.

A McLaren também impressionou neste final de semana. Em plena Malásia, sob circunstâncias que tinham tudo para trazer muitos problemas para o projeto extremamente compacto do motor Honda, o time conseguiu, ao menos, competir. E, nas curvas, deixa claro que o fim dos dias de vacas magras é uma questão de tempo.

Quanto a Nasr, o brasileiro agora já experimentou os dois lados da moeda na Fórmula 1: quando tudo se encaixa e quando ele simplesmente ficou perdido do começo ao fim. É pela maneira como ele vai trabalhar esses inevitáveis altos e baixos que mostrará se será aquele estreante que veio para ficar.

29 comentários sobre “Sentindo o calor

  1. Ju, a Ferrari me lembrou aquela Lotus de 2012, que fazia sempre uma parada a menos que todos, justamente projetada pelo mesmo Allison agora da Ferrari. Este sabe fazer carros que tratam bem os pneus.

    Curtir

  2. parabéns para a Ferrari e a Vettel, fizeram uma ótima corrida, principalmente na estratégia que deu um banho na Mercedes que parecia perdida em suas escolhas, optaram por uma estratégia errática, e não se deram bem. espero que não seja uma vitória de afagos para acalmar o rebanho, perante as criticas do ultimo GP. que venha a próxima etapa, vamos ver se Ferrari mantem o mesmo nível.

    Curtir

    1. Julianne, sei não, mas fiquei com a pulga atrás da orelha. penso que a Mercedes deu uma de amadora com o ultimo jogo de pneus de Hamilton, Liwiis não digeriu muito bem. mas como existe o politicamente correto na formula 1, após a corrida falou que a equipe fez um ótimo trabalho e que precisa melhorar. espero que não tenha sido uma vitória de afagos, mimos. sei não em. contudo não tira o mérito da Ferrari que fez uma estratégia impecável.

      Curtir

  3. Perfeita análise Ju, mas, mais que a vitória do Vettel, que de certo modo é um pouco surpreendente, devido as condição que aconteceu, ou seja, limpa e sem depender de problemas nos carros da Mercedes, o que realmente me surpreendeu mesmo foi ver esses carros da McLaren correndo no ritmo que correram, só fiquei com dúvida, se ainda estão correndo com a potência reduzida do MGU-K, como foi na Austrália, sabe de algo Ju?

    Curtir

  4. Ju, podemos dizer que Rosberg neste ano pode ser comparado a Mark Webber na Red Bull? Depois de disputar o título em 2010, o australiano foi engolido completamente pelo companheiro de equipe.

    Tudo bem que ainda é cedo, mas Rosberg fez duas provas muito burocráticas, sem qualquer expectativa de reação contra Hamilton. Muito me impressionou no treino classificatório que ele pedisse “sugestões” para seu engenheiro sobre qual traçado seguir na chuva. Algum outro leitor cujo nome não lembro levantou a tese de que ele tenha se perdido depois que a FIA resolveu limitar as informações via rádio do engenheiro para o piloto. Rosberg parecia ser muito dependente disso.

    Curtir

    1. Fiquei pensando nisso. É algo a se observar. Em 2013, Hamilton chega sofrendo com um carro desenvolvido para o Schumacher. À medida que ele e a equipe vão se conhecendo ambos vão melhorando muito e a capacidade maior em relação a Rosberg vai ficando mais clara ao longo do tempo. Veremos se isso se mantém, pois vejo Nico como um cara mais estudioso, com mais condições de mudar o quadro do que Webber.

      Curtir

  5. Sensacional vitória do Vettel. E a Ferrari, equipe que mais evoluiu em relação ao ano passado, parece que volta abstêmios que dava um banho em estratégia. Parece que começa um grande casamento.
    Já a Mercedes continua a melhor equipe, mas fez uma estratégia confusa. O Hamilton tinha que fazer a última parada mais tarde um pouco e voltar com médios novamente para voar com o último jogo de pneus.
    A Willians deve ser mesmo a 3a força da temporada, enquanto a McLaren não se acerta.
    E o Ricciardo, sorrindo bem menos, deve ter lembrado os tempos da Toro Rosso.
    Ju vai fazer um post bem legal sobre estratégia.

    Curtir

  6. Perdi 50 minutos da prova, kkkk, mas me surpreendeu a Ferrari estar na frente…na Austrália, fiquei com a dúvida se o tráfego da Willians tinha contribuido para a diferença de 30 segundos da Mercedes sobre Vettel, resta saber se em uma prova normal, sem tráfego e safety car os italianos mantem o rítmo parece que estão mais próximos, com um long run mais sólido, resta saber se suficiente para bater os alemães. Sobre Rosberg, sua pilotagem nunca me entusiasmou, ao contrário de Hamilton, que mesmo no calor da disputa questionou a estratégia da equipe, coisa de quem tem fome de vencer sempre, digno de fora de série. Que a Ferrari está melhor não há dúvidas, fato demonstrado pela escalada de Raikkonen, ficará ainda melhor com a chegada da Mclaren, merecemos esse espetáculo. Vettel teve uma boa corrida, maximizando as oportunidades e fazendo o que se espera de um piloto fora de série, que é dar espetáculo…o esporte agradece!

    Curtir

    1. Também fiquei pensando nisso. Mas creio que terceiro era o lugar natural do Vettel na Austrália, mesmo. O que acho que a Ferrari evoluiu sua aerodinâmica da Austrália para a Malásia, conhecendo melhor o próprio carro.

      Curtir

    2. pelo que entendi hamilton naum voltou de médios pq eles só tinham os usados ,naum tinha um jogo novo e se colocasse o usado teria q fazer mas uma parada e perderia a 2° posição….num foi erro de estratégia no meu ponto de vista o calor prejudicou mas o ritmo das mercedes,,,entre as voltas 42 a 50 por exemplo Hamilton e vettel de pneus duros a diferença entre os carros era de 2 décimos pra Hamilton e sempre ali diferença pouca a vantagem dos 9 ou 10 segundos sempre se mantei ate o fim…achei que o ritmo das ferraris no calor judiou bem menos dos pneus

      Curtir

  7. A estranha rodada de Ericsson foi tudo o que a Ferrari precisava pra embaralhar as cartas e usar a vantagem de terem um carro gentil com os pneus e correndo de cara pro vento.
    E usaram essa vantagem de maneira brilhante. Vettel correu como gosta.
    Se vai ser assim daqui pra frente eu não arrisco dizer

    Curtir

  8. Sem contar esta estratégia da Mercedes. Acho que eles estavam confiantes demais q. eram os tais…agora tomaram um banho de realidade. Espero que melhorem.

    Curtir

  9. ju belíssima matéria como sempre e ate eu que torço pro vettel fiquei surpreso com a vitória que veio antes do que eu esperava , estava esperando na fase europeia que eles trazem muitas coisas novas e acho q a Ferrari é a equipe que tem mas condição de evoluir pq tem muita grana, mas a mercedes ainda esta na frente bem na frente, mas pra f1 foi uma vitória boa…a Ferrari voltar a vencer é sempre bom pro esporte, kimi foi brilhante ,vettel impecável e os meninos da toro rosso deram show hoje, o vestapen é bom de chuva e isso eu gosto muito esses meninos vão dar trabalho esse ano. massa fez o previsto, red bull bem abaixo do esperado e a mclarem na hora q acerta vai esta bem na fita é questão de tempo ,quanto tempo num sei mas o projeto é ambicioso.

    Curtir

  10. A estranha rodada de Ericsson embaralhou o grid e pereceu encomendada pra deixar a Ferrari e Vettel na posição privilegiada de poder usar a vantagem do conjunto gentil com os pneus e correr de cara pro vento. Nessas condições, Vettel pilotou como gosta e foi impossível alcançá-lo.

    Foi uma demonstração de que o time italiano é muito diferente daquele que estávamos acostumados. Uma equipe capaz de produzir um carro e principalmente capaz de arriscar no no momento certo.
    Hamilton era pura frustração nas voltas finais ao rádio com seu engenheiro.
    Kimi precisa mandar benzer o carro principalmente o lado traseiro esquerdo.
    Massa entregou no final mas o pega foi bom.

    Curtir

    1. Nao sei Palmeira….nao faz sentido se encomendada. Pois como eles saberiam que a Mercedes chamaria os 2 carros para os boxes ??? Pois antes da rodada o Hamilton estava liderando e abrindo em relaçao a Vettel. E se a Merc nao tivesse chamado os 2 na hora do SC o Rosberg teria passado o Vettel e o Lewis abrido mais a vantagem.
      O que favoreceu o Vettel foi os 2 terem entrado nos boxes no SC e perdido tempo atras do pelotao. Pois depois q. eles passaram o pelotao, a diferença pro Vettel sempre caia…de maneira lenta, mas caia.
      Abrçs

      Curtir

      1. Vettel estava em 2º na quarta volta, quando Ericsson tentou fazer uma curva aberta, espalhou de forma canhestra e ficou com os traseiros atolados na brita. Um erro muito difícil de cometer, mesmo pra um piloto medíocre como ele. Quase como o de Nelson Piquet em Cingapura.

        Com o agravante da Sauber ser cliente da Ferrari e passa por sérias dificuldades financeiras.

        A equipe italiana sabia desde os treinos livres que o desgaste de pneus em seus carros era menor do que nas Mercedes.

        Com o SC, a aposta era que Hamilton e quase todo o resto do grid entraria pra trocar, Sebastian poderia assumir a ponta e abrir uma boa diferença. O que realmente aconteceu.

        Vettel correndo de cara pro vento é inalcançavel, as Ferrari têm mais velocidade final que as Mercedes e ainda economiza mais pneus. Sob o calor de reator nuclear que estava fazendo em Sepang foi impossível que Hamilton e Rosberg conseguissem chegar perto. Ou seja, arriscaram e se deram bem.

        Obs: Tudo isso é piada, ok JL?🙂

        Sou totalmente anti teorias da conspiração.

        Curtir

      2. Kkkkk, poxa De, kkkk, vc bate e assopra, kkkk. Como vc mesmo ja citou aqui no blog, “a F-1 é o espelho da vida..”, não podemos descartar! A categoria sempre foi farta de especulações, como não se lembrar quando em 2012 na mesma Malásia “disseram” que Perez foi instruido para não atacar Alonso, ou até mesmo disseram que Alonso comprou vaga na Ferrari com o apoio do Santander, kkk, enfim, alguns fatos podem ser de mais fácil comprovação, outros não…bem, se Alonso com seu imenso talento, comprou vaga na Ferrari, por que não levou o mesmo Santander para a Mclaren? kkkk, algumas verdades aparecem no final, outras ficam na imaginação, como o problema da falha mecânica ou humana em Barcelona, a batida proposital ou não do “Sony Ericsson” para favorecer a Ferrari, enfim, a F-1 copia a vida, em virtudes e defeitos, kkkk Ps: Malásia Gate? Prefiro Sony Ericsson Gate, kkkk, assim caminha a humanidade.

        Curtir

      3. Dé,

        A unica coisa que poe em duvida essa possibilidade eh a competência de Ericsson para conseguir atolar no lugar e momento certo!!!

        PS: To indo na onda da piada, OK?🙂

        Curtir

      4. Boa Mugello, mas será que isso exigeria alguma habilidade extra de Ericsson? Na época do escândalo de Piquet em Cingapura ele disse que a coisa mais fácil do mundo é rodar com um F1.
        Ericsson nem precisaria ficar atolado na brita. Bastaria cortar o motor assim que o carro parasse.

        Peter Sauber devé ter recebido um belo desconto no preço dos motores.
        KKKK

        Curtir

      5. JL, Hamilton estava a 0.8s (ou seja, na zona de ativação do DRS) quando o saftey-car foi acionado.

        Quando Hamilton se livrou do tráfego, estava a pouco menos de 10s de Vettel. E a diferença na linha de chegada foi de aproximadamente 8.5s, tendo Vettel feito “zigue-zague” para comemorar a vitória, e perdido ao menos 1s nisso. A verdade é que o ritmo de corrida de ambas as equipes se igualaram em Sepang. Ico explica isso melhor aqui: https://www.facebook.com/blogdoico/posts/360217437510411:0

        Curtir

  11. Ju, ótima analise, especialmente quanto à perda de competitividade da Williams em relação à Ferrari, essa que e coloca como a segunda força no grid e bem mais capaz de aproveitar as oportunidades – pequenas e raras – de se colocar frente aos carros da Mercedes.
    Duvida: o Nasr disse no treino que um problema no diferencial impediu de melhorar a posição no grid, mas confiava na corrida. Pois bem, tivemos um Ericsson agressivo nas primeiras voltas até que rodou e ficou na brita, mas realmente dava a impressão de que tinha m carro combativo até ali, todavia em nenhum momento achei o carro do Nasr mostrar esse mesmo potencial na corrida. O problema de diferencial não foi resolvido ou – se foi – a Sauber não tinha carro pra fazer mais do que ele fez na prova?

    Abs

    Curtir

    1. O Felipe se mostrou um pouco perdido depois da prova em relação ao que deu errado. Talvez fosse mais que o diferencial. Foi um tipo de final de semana difícil para entender qual o melhor acerto por causa das condições da pista x pneus – até a Mercedes sofreu nesse ponto – e por algum motivo os pneus dele não funcionaram bem.

      Curtir

  12. Bom, primeiro que não, não muda nada, por enquanto, a expectativa de passeio da Mercedes. Eles estão andando bem melhor que a concorrência o tempo todo. Na Malásia especificamente era esperado alguma dificuldade por causa do desgaste de pneus.
    Ai que entra em cena o bom carro da Ferrari que fez Kimi(da volta 15 a 35) e Vettel(da volta 18 a 38) andarem 20 voltas com pneus médios, e isso foi fundamental pra vitória de Vettel, que foi impecável, fez com perfeição tudo o que precisava pra aproveitar a chance de vencer uma corrida esta temporada.

    O suposto erro da Mercedes foi a parada com SC, mas na verdade o que fez diferença foi o tempo que Hamilton perdeu com os 4 pilotos entre ele e Vettel, cerca de 10 segundos, sendo que ele chegou a 8,5 segundos atrás no fim da prova.
    Quanto aos pneus duros no fim da prova, Hamilton teve que trocar os médios que usara das voltas 25 a 39, 14 voltas, e os engenheiros da Mercedes devem ter informações que seria extremamente arriscado fazer o carro ficar 17 ou 18 voltas com os médios. Puseram médios no carro do Rosberg na volta 42. 14 voltas com médios, mais que isso poderia comprometer as Mercedes.

    Curtir

  13. Bom Dia, Jú!
    A corrida da Malásia foi bem melhor que da Austrália, foi muito bom ver a Ferrari e o Vettel de volta, pois o Adrian Newey não está lá e ele venceu, a Mercedes ainda é a favorita, mas é muito bom termos essas surpresas.
    Pergunta para o Credencial: Qual fator pesou mais para a ascensão da Ferrari do ano passado para esse ano? Troca total de comando? Mudança de Pilotos? Tempo do Allison trabalhar realmente no carro? Ou todas as anteriores?
    Um abraço à todos

    Curtir

  14. Então na quarta volta Ericsson roda e a Mercedes comete seu primeiro erro ao mandar seus dois pilotos pararem para a primeira troca, enquanto seus pneus de composto médio ainda estavam bons. A Ferrari fez o certo e manteve Vettel na pista. Quando a corrida recomeçou Vettel estava em primeiro, Hamilton em sexto e Rosberg em nono.Vettel então aproveitou e começou a abrir do pelotão, que era 1.5s mais lento por volta. Hamilton e Rosberg – ambos agora com pneus duros e mais lentos – tinham evidentemente certa dificuldade em ultrapassar. Quando Hamilton se livrou de Hulk e assumiu a segunda posição, Vettel já estava 10s à frente e com pneus mais rápidos que os do inglês. Os pneus de Vettel não eram mais rápidos apenas por serem mais macios, mas também porque Vettel estava o tempo todo de cara para vento, enquanto Hamilton esquentava demais seus pneus duros atrás de carros mais lentos.O resultado disso é que Hamilton não conseguiu diminuir a diferença para Vettel,nem naquele momento e nem depois, quando colocou pneus médios. Em sua última parada, a Mercedes colocou pneus duros novamente no carro de Hamilton, que chegou a dizer no rádio que a equipe havia colocado os pneus errados em seu carro. A Mercedes realmente estava muito confusa, não percebeu o óbvio – que Vettel era tão rápido quanto seus pilotos –e disse a Hamilton que ele chegaria em Vettel 5 voltas antes do fim da corrida. Pior, disse isso num momento que ambos viravam praticamente o mesmo temp

    Curtir

  15. JU se for abrir uma eseção para o post das transmições coloca a sportv eles se perderam todos kkkkk confundirão kimi com vettel na parada o lito so acreditou q vettel ganharia já perto da volta 50 parecia num acreditar depois de ver a Ferrari andar 50 voltas um ritmo forte foi engraçado

    Curtir

  16. Ju, a observação sobre a McLaren é pertinente.

    No momento, eles parecem no mesmo nível dos motores do ano passado em início de temporada, aparentemente com o mesmo ano de atraso. Só que, como ainda não estão rodando as PU em modo de segurança, a coisa pode evoluir consideravelmente ao longo do ano. Não acredito que serão piada o ano todo.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s