Classificação de um, corrida de outro

Sebastian-Vettel-e-Kimi-Raikkonen-620x330

Um carro mais equilibrado e que parece fluir nas curvas, ao contrário do sempre nervoso F14T. Uma unidade de potência que responde aos comandos do piloto de maneira consistente. E Kimi Raikkonen voltou a saber o que está fazendo. Do outro lado dos boxes, um piloto que também sofreu em um carro com o qual não conseguiu se adaptar ano passado pode voltar a guiar como nos velhos tempos.

Mais fácil de controlar simplesmente por ser melhor, o SF15T é combina mais tanto com o estilo do finlandês, quanto com o recém-chegado alemão e traz consigo a dúvida: quem vai prevalecer no duelo interno da Ferrari?

Primeiro, voltemos aos estilos de pilotagem de certa forma similares dos companheiros de Scuderia. Raikkonen caracteriza-se pela grande habilidade em modular o acelerador e à sensibilidade aos sinais do volante. O que vimos em 2014 foi Kimi muitas vezes frear, esperar a frente se normalizar e então reacelerar. Nesse processo, perdia o embalo e, quando chamava o acelerador, a falta de tração da Ferrari ficava ainda mais evidente, junto de um decorrente desgaste de pneus.

Vettel é outro que prefere a frente presa, que lhe dá confiança para atirar o carro nas curvas e manter um nível alto de velocidade enquanto as contorna. Uma resposta mais precisa do torque do motor de 2015 da Ferrari é um ponto importante para que ele consiga impor seu estilo de pilotagem, que ficou amortecido ano passado.

Passadas as primeiras quatro etapas do campeonato, vimos um Vettel certamente mais forte em classificação e um Raikkonen, azares à parte, levemente superior em corrida (especialmente nas duas últimas etapas). Isso é facilmente explicável: a precisão que o finlandês tem ao volante, quando o equilíbrio do carro permite que ela seja aplicada, ajuda na conservação dos pneus.

Da mesma forma, como o campeão de 2007 tende a contornar as curvas de forma mais lenta e girando menos o volante que Vettel, coloca menos energia nos pneus, o que faz com que eles demorem mais a entrar na temperatura correta em uma volta lançada. E, se os Pirelli parecem ter uma característica especial neste ano, é sua estreita janela de funcionamento.

Por isso, vemos Raikkonen cometendo erros que o companheiro não faz nos treinos, especialmente nos inícios das voltas, quando a influência de pneus menos aquecidos é maior. Da mesma forma, ele tem conseguido estender seus stints nas corridas, como vimos mais claramente em sua primeira prova limpa do ano, no Bahrein, onde também controlar a temperatura dos pneus foi especialmente importante.

Em Barcelona, muito provavelmente o cenário será mais parecido ao da China: não deve fazer calor suficiente para os pneus serem um problema como na Malásia ou no Bahrein, mesmo com curvas que colocam muita energia neles. Porém, será curioso ver como o duelo interno da Ferrari será em Mônaco, com compostos mais macios, o que tende a aproximar os pilotos em classificação, mas com alta durabilidade durante a prova.

Seja como for, é uma boa notícia ver ambos os campeões com um carro com o qual se sentem mais à vontade e podem lutar pelas posições da ponta. Uma vez que o que vimos ano passado não combina muito com o que sabemos que Vettel e Raikkonen são capazes de fazer.

24 comentários sobre “Classificação de um, corrida de outro

  1. Muito bom, ainda aposto minhas fichas no Kimi, mas o Fettel tem surpreendindo,tomara que o finlandes deslanche e renove com a Ferrari por mais um ano pelo menos.

    Curtir

  2. Wow, que análise incisiva! Brilhante leitura!
    Sempre desconfiei de que o trato com os pneus fosse um dos principais condicionantes da divergência de desempenho entre Vettel e Ricciardo ano passado. O australiano passava mais da metade da prova “morno” (poupando borracha) para, no final, surgir com tudo, realizando as ultrapassagens necessárias para alcançar o pódio. Enquanto isso, o Vettel penava com a degradação, dado que exige muito dos pneus nas curvas. Tanto que lembro do Webber dizendo em algum momento de 2013 que, se ele tentasse fazer as curvas como o Vettel, iria escapar da pista todas as vezes.

    Curtir

  3. Dois grandes, sem dúvida a melhor dupla do grid, vai ser difícil saber quem vai terminar na frente à minha aposta é Vettel mais Kimi vai está junto. O ano passado Kimi não tinha o carro que combinava com ele por isso ficou tão longe do Alonso

    Curtir

    1. Nem de longe kimi e sebastiam são a melhor dupla do grid, sem duvida a melhor dupla é alonso e button, alonso melhor do que vettel e button, melhor do que kimi.

      Curtir

  4. em classificação esta 4×0 e em corrida apesar dos azares esta 3×1 pro vettel, mas kimi em corrida sempre esteve próximo demais e teve azar em duas e na ultima vettel brigou muito mas rosberg e desgastou demais os pneus,,,ficaria em 4 ou no máximo 3 se num tivesse errado tanto, tentando andar no limite o tempo todo como disse alisom assim ele acabou o pneu e perdeu a referencia em algumas freadas ele foi avisado mas preferiu ariscar …5 lugar pra ele. mas a briga vai ser boa o ano todo.

    Curtir

  5. Aucam cade vc meu velho afiqcionado esses meninos da toro rosso bem q vc falou q eram bons to gostando deles e bruz sumiu tb hehe o betão chegou bem no cavalinho rampante e kimi esta ai correndo atras da renovação …voltem a comentar aqui vcs so engrandecem esse espaço maravilhoso no blog da competente JU.

    Curtir

    1. Grande Chrystian, meu caro amigo, obrigado pela lembrança. Quem engrandece esse espaço são seus comentários sempre justos e cordiais com os demais comentaristas. Dá prazer ver que, embora preferindo o estilo de um piloto, você reconhece e não desmerece o talento de outros. Esse respeito é próprio de quem realmente ama o automobilismo e sabe apreciá-lo. Quanto a mim, eu estou preferindo ser apenas leitor do Blog. Um forte abraço.

      Julianne maravilhosa como sempre.

      Curtir

      1. Amigo seu q vc teve um enrosco com um cara ai q encheu seu saco e tal….mas num deixe naum q calem suas analises q são brilhantes…gostaria de ver suas analises sobre a temporada atual e sei q seu predileto esta no auge da forma tecnica e esta quase imbativel rumo ao tri..o ripijonas como Bruz fala rsrsrs esta la no fim da fila e a mclata acho q erraram tudo ali carro e motor esta tudo meio perdido ali e o russo vai dançar na red bull o vestappen vai ser promovido hehehe peço amigo num fike so vendo naum fala se expresse e quando chingarrem faça como eu …eu vejo o nome do nick ja pulo o comentario pq ja sei q so existe o ripijonas pra ele rsrsrsrs

        Curtir

      2. Caro amigo Chrystian, respondendo ao que você me pediu, quero um Vettel e um Alonso fortíssimos, pois isso fortalece Hamilton na mesma proporção. Também quero ver um Ricciardo com um carro competitivo, pois lamentavelmente já começo a ver comentários por aí menosprezando-o pelo mau desempenho da Red Bull.

        Quanto às velhas e incabíveis maledicências contra Vettel por não haver vencido na temporada de 2014, é aquilo que sempre digo: não existem pilotos invencíveis; obviamente, eles dependem muito dos meios que têm em mãos. E são humanos antes de tudo: TODOS ELES têm anos ou dias bons e outros ruins. A maior prova disso, no momento, é um alienígena naturalizado espanhol chamado Marc Márquez (legítimo e digníssimo sucessor do genial Valentino Rossi), que este ano até agora não está conseguindo dar conta do “velhinho” que o inspira. Análises simplistas desqualificando talentos já provados não têm cabimento. Pois bem, está ai: SebVet está de volta em grande estilo – liderando e inspirando uma Ferrari extremamente promissora – com muitos anos pela frente para esbanjar sua precocidade e adicionar novos títulos aos quatro que já possui. Sempre admirei a velocidade pura de SebVet, a precisão de sua tocada e sua frieza para dar a volta por cima em ocasiões decisivas – vide as provas que decidiram 2010 e 2012.

        Agora, maledicências são realmente um negócio sério: veja como Max Verstappen ainda não conseguiu convencer os preconceituosos que o talento se impõe à pouca idade. Até ex-pilotos de F 1 mal sucedidos o criticam por esse “pecado”. Inacreditável! Aqui neste aspecto – pouca idade – cito de novo o fulgurante Marc Márquez, o mais jovem campeão mundial da história do Motociclismo na categoria máxima, logo em sua primeira temporada, aos 20 anos de idade! E bi aos 21! Verstappen tem corrido como um veterano, é impossível não ver isso, sendo calmo e muito arrojado a um só tempo. Lá atrás, há muitos posts aqui no Blog da Julianne, quando Max ainda estava no kart e nem se falava na sua presença na F 1, fiz um comentário sobre o talento excepcional dele, dizendo que ainda se ouviria falar muito nele. É que já se falavam maravilhas sobre ele, mesmo ainda como simples kartista. E o kart dá muita base e fundamentos. Francamente, acredito que alguém como Helmut Marko – que venceu as 24 de Le Mans com o lendário e poderosíssimo Porsche 917 e pilotou na Fórmula 1, além de ter acesso a dados telemétricos – tem todas as credenciais para farejar um talento fora-de-série, daí já estar querendo levar o Verstappinho para a Red Bull. Como amigo pessoal de Jochen Rindt, Marko acompanhou de perto também a carreira daquele genial e ultrarrápido campeão mundial. Marko sabe muito de pilotos. Faço muita fé em Max Verstappen. A dimensão de sua grandeza só o tempo dirá. E destaco que Carlos Sainz Jr. também tem corrido com maturidade e velocidade em sua temporada de estréia, com apenas 20 anos!

        Agora, precisamos o quanto antes de Esteban Ocon (impressionou o pessoal da Ferrari nos testes que fez lá) e Stoffel Vandoorne na F 1.

        Também tenho gostado muito de Nasr na F1, que agora está preferindo falar (e bem) nas pistas, o lugar mais adequado para afirmar talento.
        Um abraço!

        Curtir

      3. chrystian dias,

        Se for o que estou pensando, por favor, deixe-me colocar tal “enrosco” a limpo…

        Como o ‘aucam’ gosta de comentar nos mínimos detalhes, o mesmo acaba por criar uma bíblia em 90% dos posts e, muitas vezes, repetir vários argumentos. (PORÉM É EVIDENTE QUE TAL ATITUDE NÃO É DEMÉRITO ALGUM)

        Pegando esse fato e mesclando com a febre ridícula do “panelaço” contra a Dilma Rousseff/PT, fiz uma brincadeira (sem ofensas) com ele. Infelizmente, o cara levou para o outro lado e me criticou, acabando por gerar o tal “enrosco”.

        Mas enfim, não vou me desculpar por uma brincadeira sem ofensas, tampouco chamar você e o nobre ‘aucam’ de sensíveis, pois acredito que, se entenderem a brincadeira, não verão maldade alguma.

        No mais, não deve ter sido por isso que o mesmo deixou de comentar.

        Curtir

      4. Redhorse naum me referi a vc acho q foi com outro membro o codinome ou nick era outro a num ser q se trate da mesma pessoa…eu num vi o post em questão si…mas acho q da pra nois respeitar todos se foi uma brincadeira tudo bem , mas as vezes naum estamos num dia bom e uma simples brincadeira vira um algo maior…enfim apenas como leitor e membro dos q seguem o belo trabalho da JU gostaria q todos voltassem a comentar livre sem criticas ou piadas ou brincadeiras vamos assim dizer… Pro bem de todos é fundamental q haja respeito entre todos…so isso.

        Curtir

      5. Me desculpe, chrystian dias, mas concordo parcialmente com seu comentário, pois respeito é algo que todos nós queremos. O que você quer é ditadura.

        Curtir

  6. Ju, kimi tem 16 poles na carreira, todas feitas na sua primeira passagem pela F1. Alpem de outros fatores, os pneus naquela época contribuíram muito para as poles do finlandes?

    Curtir

  7. A Ju tocou em um ponto interessante: Kimi tem muitas voltas mais rápidas (41), mas poucas poles para um piloto com sua velocidade (16). Pelo estilo de pilotagem, ele tem mais dificuldades para colocar os pneus na temperatura ideal de operação em uma única volta, que é o caso da classificação. Já em corrida isso não é um problema, pois o que importa são as sequências de voltas.

    Mas acho que Seb vai acabar prevalecendo na disputa, exatamente por ser extremamente estudioso. Em 2014 não deu certo, mas ele sabe exatamente onde estão suas falhas, e ataca cada uma delas. 2012 é a prova mais real disso.

    Curtir

  8. Pode ter sido dificil pro Kimi. Afinal o F14T era uma bosta mesmo.
    Mas o Vettel??? Ricciardo venceu 3 com a Red Bull em 2014. O carro era bom.

    Curtir

    1. 3 em corridas q a mercedes teve algum problema na corrida ou treino e ricardo estava no lugar certo e fez um belissimo trabalho…mas isso num dismerece nada do q vettel fez pela red bull…e na ferrari em 3 corridas ele ja fez mais do q todo 2014…

      Curtir

    2. A RB 2014 era muito melhor que a de 2015. Um chassi muito mais equilibrado, mas o motor era uma b@st@. O Vettel teve muita dificuldade em se adaptar. Hoje a Ferrari fez um ótimo carro. Se fosse uma draga como do ano passado o Kimi iria pedir para adiantar a aposentadoria e o Vettel um aumento de salário (pelo menos sairia com os bolsos cheios $$$$)…rsrsrrs

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s