Fazendo barulho

image3.img.640.medium

Muita gente no paddock da Fórmula 1 não escondeu a desconfiança quando a Toro Rosso escolheu Max Verstappen, com apenas 17 anos e um ano de experiência em carros de corrida, como piloto titular para a temporada de 2015. Não que se questionasse o talento do holandês. Mas, sim, sua maturidade.

Não demorou para, logo na primeira vez que o piloto ‘colocou suas asinhas de fora’, os ataques virem de todos os lados.

Verstappen vem chamando a atenção desde sua primeira corrida pela agressividade com que luta por posições e já fez ultrapassagens dignas de um grande piloto. Mas – como costuma acontecer às vezes com pilotos que andam no limite – no GP de Mônaco passou do ponto. E não voltou atrás.

A postura arrogante do holandês não caiu bem entre seus pares. Todos deixaram claro que entendem o erro em si, mas não engoliram sua postura. Em Mônaco, Verstappen não julgou bem a diferença de capacidade de freada que seu carro tinha em relação à Lotus de Romain Grosjean, que tinha pneus bem mais desgastados, e bateu na traseira do francês. Ao sair do carro, acusou o francês de ter freado mais cedo de propósito para provocar a batida. E, mesmo após os comissários estudarem as telemetrias de ambos os casos e puni-lo, manteve sua postura.

O prório Grosjean foi o primeiro a admitir que também já fez muita besteira na Fórmula 1 – que o digam Alonso, Hamilton e Perez, pegos em meio ao strike que causado pelo francês no GP da Bélgica de 2012 – e que hoje se sente um piloto melhor. Em parte, porque aprendeu com seus erros.

Difícil é encontrar algum piloto que não tenha dado suas escorregadas na Fórmula 1 – e isso se estende a profissionais de qualquer área. E também é fato que, entre as qualidades que se busca em um piloto campeão do mundo, a de relações públicas não costuma ser das mais essenciais. Porém, a postura de Verstappen e a reação – até certo ponto incomum, devido à intensidade – de seus pares pode fazer com que o jovem e veloz holandês acabe ficando marcado pelos comissários, como ocorreu em determinados momentos com Lewis Hamilton e com Pastor Maldonado.

Para a Fórmula 1 em si, não é nada mal de uma figura com uma postura “eu vou para cima mesmo e esse é meu jeito”. Afinal, o excesso de diplomacia é uma das queixas dos fãs.

Mas isso também pode ser um perigo para o holandês. Afinal, Max tem de quem herdar o estilo “tudo ou nada”: seu pai, Jos, sempre teve a carreira marcada pela grande capacidade técnica e os parafusos a menos. Não coincidentemente, chegou à Fórmula 1 como uma grande promessa e saiu pela portas dos fundos. E seria um desperdício ver essa história se repetir.

7 comentários sobre “Fazendo barulho

  1. A rápida ascensão dele basicamente demonstra que os carros atuais são dóceis e guardam pouco segredos. Não é preciso mais ser um ás rápido e frio para extrair o máximo do equipamento. Esse novo paradigma deixa os veteranos desprotegidos, uma vez que seus salários são elevados e sua experiência traz pouca vantagem sobre um novato rápido e promissor (e com patrocinador forte, no caso do Max).

    E por isso que o erro – natural/normal/aceitável para quem está ainda se ambietando à categoria – do Max se tornou tamanha oportunidade para que veteranos massacrem o novato.

    Curtir

  2. Juliane, acho que é uma choradeira enorme isso, o Massa, devia ficar bem quietinho e olha para o próprio umbigo, pois vez um monte de lambança no primeiro ano dele.

    Curtir

  3. Concordo com o Érico e o Rodrigo, mas o potencializador de tudo (reação dos pilotos e contra-reação do Max) é a pouca idade do cara. Com 17 anos o piloto é alvo de uma desconfiança maior que a normal por parte dos colegas, e por outro lado a tal contra-reação exagerada, sem nenhum sinal de auto análise, é típica de um adolescente.

    a propósito, já ouvi falar de gente (pesquisador do comportamento humano) que considera que a adolescência de hoje vai até os 25 anos… mundo estranho esse de hoje.

    Curtir

  4. Legal, Ju, então este é o seu novo espaço? Muio legal! Sucesso pra vc!!

    Só um comentário off-topic: a fonte utilizada é ruim de ler na tela (talvez impressa seja ok), isso na minha opinião de leitor e designer gráfico.
    Para mim, esta fonte com serifas e espessuras distintas (na mesma letra), faz com que o texto “pulse”, causando um certo incômodo aos olhos e à visão periférica durante a leitura.
    Acho melhor usar uma fonte sem serifa, mais homogênea na espessura e menos estreita (seria melhor uma mais arredondada).

    Mas esta é apenas minha opinião…

    Abs!

    Celso

    Curtir

  5. Olá Julianne,

    Parabéns pela casa nova. Ficou com um layout muito charmoso e agradável. Vida longa!

    Sobre o post. Não me incomoda, nem um pouco a postura de Max. Acho que a categoria precisa de um pouco disso, do anti-ídolo, do não diplomata. Para o bem e para o mal, perfis assim mudam a história e introduzem rivalidade. Enquanto ele continuar correspondendo nas pistas, isso não deverá ser um problema.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s