Vida de Minardi

Fernando Alonso on the grid.
Fernando Alonso on the grid.

“Estamos parecendo amadores”. A frase de um Fernando Alonso, irritado após “três ou quatro” alertas para economizar combustível ainda nas voltas iniciais do GP do Canadá foi um prato cheio para quem estava esperando o primeiro deslize para especular que a paciência do espanhol com a McLaren-Honda está prestes a acabar.

Depois da prova, o bicampeão até tentou ver o copo meio cheio e explicou que só reagiu daquela forma porque tinha um plano, iria aproveitar que estava no meio do pelotão para fazer tudo o que podia para segurar a concorrência mesmo com um motor menos potente, e depois economizaria.

Na verdade, deve ter pensado: ‘por que economizar se não vou acabar a corrida mesmo!’. Pelo menos teria motivos para isso. Seu campeonato até agora se assemelha de maneira impressionante com seus primeiros GPs na categoria – 12º, 13º, abandono, abandono, 13º, abandono, contra abandono, 12º, 11º, abandono, abandono, abandono. E, ainda que a expectativa de melhora seja muito mais presente no projeto atual, é o próprio Alonso que não tem mais tempo de ver a abóbora se transformar em carruagem.

Segundo Ron Dennis, este final de semana da Áustria e o próximo serão palco de um grande salto. Difícil é saber de onde ele vem. Muito se especula, mas pouco se sabe exatamente sobre quais são os problemas da McLaren. A imprensa espanhola cogita 60% motor e 40%, enquanto há ingleses que garantem que o chassi é tão bom quanto o Ferrari, pelo menos. É difícil crer nessa teoria, uma vez que a McLaren há tempos não faz um bom projeto aerodinâmico e teve relativamente pouco tempo de pista para desenvolver o modelo inovador que adotou neste ano. Além disso, não é de se ignorar a diáspora de engenheiros que o time teve nos últimos anos, perdendo profissionais principalmente para a Mercedes (levados por Paddy Lowe) e Red Bull.

Ninguém nega, é claro, que a grande fonte de problemas é a unidade de potência, lenta, pouco confiável e muito beberrona. Basicamente, falta muito para os japoneses conseguirem a eficiência de Mercedes e Ferrari na recuperação de energia, o que interfere nestes três setores. E ninguém esconde na equipe que esperava-se que mais soluções tivessem sido encontradas após sete etapas.

Esse cenário desolador, é claro, abre especulações. A aposentadoria de Button no final do ano é dada como certa pelos ingleses, e a ideia de que Alonso poderia apostar em um ano sabático perdeu força com a renovação de Hamilton. O jeito, para ambos, é encarar a vida de ‘amador’ em 2015 e esperar por uma reação que, neste momento, seria surpreendente.

6 comentários Adicione o seu

  1. Lúcio Dantas disse:

    Ué Alonso não tirava leite de pedra da ferrari aquela carroça vermelha, os torcedores do espanhol dizem que ele corrimãos que o carro tira leite de pedra tal porque não 5ira desse da mclarem independente da confiabilidade. Tinha gente que dizia que Alonso na marussia pontuava e tal. Isso só prova o que todo mundo não existe t sem carro top o resto é conversa fiada o que diferencia um do outro e tem uns os top que tira tudo do carro outros não.

    Curtir

  2. Eltontoptec disse:

    Se por um lado pode-se presumir que a situação da MicNardi Honda só tende a melhorar por não ter tido ano pior em toda sua história, por outro dizem que nada é tão ruim que não possa piorar, vide a Renault. E se realmente for tomar como base os últimos três carros deles, não se pode esperar nada bom nem mesmo para 2016.

    Curtir

  3. Ta feia a coisa pra mclarem

    Curtir

  4. Alexandre disse:

    Não se discute a qualidade do Alonso como piloto. Mas Parece que fora do carro não manda tão bem assim. Vide a saída conturbada da McLaren. Como Vettel e Hamilton são do mesmo nível dele, cada um com suas particularidades, acabou ficando sem alternativas. Já sem clima na Ferrari, acabou sobrando apostar na parceria McLaren-Honda. Agora é torcer e muito para o carro e o motor,UP, serem tão bons quanto dizem. Econegócio desenvolver o carro este ano.

    Curtir

  5. Hehehe o espano embarcou numa canoa furada, haja 7 décimos. Eu sempre achei que ele fala mais do que pilota, não que seja de todo ruim. Só está longe de ser o el fodon que seus torcedores apregoam.
    O Dennis contratou o estrelão pra fazer o projeto vingar e o que se vê é que a McLaren não tem um piloto pra liderar a bagunça, nem equipe técnica.
    Mas que é bom pra quem acorda pra secar o asturiano, ver ele tomar bronca do kimi pra sair da frente com um carro lento. Isso é. Tá pagando o que fez com o Petrov!!!

    Curtir

  6. Martinho disse:

    Até concordo que ele extrai mais do que um carro oferece. Mas será que ele sabe acertá-lo? Durante sua permanência na Ferrari os carros pioraram, ficaram difíceis de guiar.
    Claro que a Ferrari os construiu conforme as preferências dele, Alonso. Massa sofreu com os carros projetados para o estilo do Alonso. Kimi também penou.
    Na McLaren atual, como o carro estava pronto, Alonso não teve tempo de interferir. Tanto é verdade que Button está ganhando por 3×2 nas classificações. E andar rápido em classificação nunca foi o ponto forte do inglês. Parece que Alonso tem o dom de “piorar” os carros que só ele consegue pilotar.

    Curtir

Deixe uma resposta para Alfredo Aguiar Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.