Vettel, Senna e mais marcas do GP da Hungria

1437924070_extras_noticia_foton_7_0

“Acho que Ayrton não é lembrado por suas vitórias e por seus campeonatos, mas por seu estilo, que é único.” Foi assim que Sebastian Vettel reagiu ao fato de ter igualado o tricampeão em número de vitórias. Comparações à parte, é de se reconhecer o trabalho de um piloto que, em 149 largadas, chegou ao terceiro posto entre os maiores vencedores da história da Fórmula 1.

Em uma época em que as falhas mecânicas eram mais comuns, como dá para ver na tabela abaixo, Senna precisou de 158 largadas para chegar no mesmo número. Já Alain Prost atingiu as 41 vitórias depois de 174 provas e Michael Schumacher, 140.

Sebastian Vettel

 

Ayrton Senna

149

Largadas

161

14

Abandonos por quebras

33

45

Poles

65

73

Pódiuns

80

4

Campeonatos

3

1964

Pontos (sistema atual)

1881

A vitória do último domingo também foi a primeira de Vettel na Hungria. Agora, o alemão só não venceu em três provas do atual calendário, sendo duas que estrearam ou voltaram ano passado: Áustria, Rússia e Hockenheim.

A pista húngara também era ‘maldita’ para a Ferrari, que havia vencido pela última vez em Budapeste em 2004, uma de suas sequências mais longas da história. E foi logo uma vitória convincente, na primeira vez desde o GP do Brasil de 2006 em que um piloto ferrarista liderou pelo menos 68 em uma mesma prova.

Aliás, o GP da Hungria tem uma característica curiosa: nos últimos 15 anos, em apenas duas oportunidades (ambas com Schumacher, em 2001 e 2004) o campeão da temporada também foi o vencedor do GP.

Glória para Marko

A Red Bull pode estar em baixa, mas os quatro primeiros colocados do GP da Hungria – Vettel, Kvyat, Ricciardo e Verstappen – vêm de seu programa de desenvolvimento de pilotos, comandado por Helmut Marko. E poderiam ser os cinco primeiros, caso Carlos Sainz não tivesse tido problemas em sua Toro Rosso. Falando no time, o quarto lugar de Verstappen foi o melhor resultado desde o GP do Brasil de 2008, última prova de Vettel pela equipe.

Foi, claro, o melhor resultado do holandês na carreira, o mesmo acontecendo com Kvyat, que fez história para a Rússia, com o primeiro segundo lugar da história do país na F-1, superando o terceiro posto de Vilaty Petrov no GP da Austrália de 2011. O piloto só não conseguiu bater Vettel como o mais jovem a subir ao pódio – por três meses.

Ricciardo e Fernando Alonso também conquistaram seus melhores resultados do ano, sendo a McLaren teve a melhor prova em mais de um ano, desde o GP da Grã-Bretanha de 2014. Enquanto isso, a Mercedes não tinha um resultado tão ruim, marcando 12 pontos, desde o GP do Brasil de 2013. Com isso, o time deixou de bater o recorde de 10 corridas com ambos os pilotos no pódio. E Hamilton parou na segunda maior sequência de pódios da história, com 16, três a menos que Schumacher, e em 18 GPs liderando pelo menos uma volta. Este, um recorde histórico.

12 comentários sobre “Vettel, Senna e mais marcas do GP da Hungria

  1. De fato, Vettel possui todas as credenciais para ser considerado um dos grandes. Talvez as estatísticas sejam infladas pelas circunstâncias, mas não há dúvidas que ele seja fora de série e extremamente rápido e oportunista. Os resultados deste ano são excelentes e fazem 2014 parecer apenas um ano ruim ao invés do fim do encanto.

    É justo que seja comparado a outros grandes.

    Curtir

  2. Jú, até onde puxei pela memória, a última vez que dois pilotos da Ferrari lideraram uma corrida em condições de dobradinha foi no GP da Alemanha de 2010, aquele do famoso “Fernando is faster than you”. É isso mesmo?

    Ótimo post este das estatísticas!

    Abs

    Curtir

  3. Galvão secou tanto a dobradinha q kimi teve problemas.
    JU vai rolar o post das transmições? Se for faz um esforço e coloca a galera da sportv o lito deu cada uma q eu rachei de rir… Os numeros estão e quando vettel tiver um carro ferrari a altura de brigar de igual pra igual com mercedes o bicho vai pegar pq o sonho dele de ganhar um titulo com a ferrari é enorme e vai ser osso de tirar dele.

    Curtir

  4. Ola Julianne, tubo bem? Você acha que esses pilotos que estão por aí hoje (Hamilton e Vettel) indo um pouco além do Senna, eles consiguiram chegar no numero de vitorias do Schumacher?
    Olhem o vídeo incrível que achei do Schumancher… tocada sensacional!!!

    Obrigado e abraços.

    Curtir

    1. O número de vitórias de Schumacher é muito impressionante. Pense que ele chegou às 41 ainda no início de seu período de domínio na Ferrari – e mesmo assim com menos GPs que Vettel tem hoje. Seu compatriota é quem tem maiores chances, pela idade, mas ainda assim seriam necessários carros incríveis por várias temporadas.

      Curtir

  5. Boa tarde, Julianne! Fiquei com uma dúvida: a segunda volta de apresentação não contaria para a primeira volta da corrida? Se sim, Hamilton teria liderado e não quebrado a sequência de corridas liderando pelo menos uma volta.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s