Hamilton poderia ter vencido em Interlagos?

rosberg-hamilton

Lewis Hamilton terminou o GP do Brasil no segundo lugar e na bronca com a equipe Mercedes por não ter lhe dado ferramentas estratégicas para tentar bater o companheiro Nico Rosberg. Pela segunda corrida em sequência, o inglês sente que tem mais ritmo que o alemão, mas não consegue tentar sequer uma ultrapassagem, em filme que já vimos outras vezes com os papeis invertidos. Mas será que ele está certo em reclamar?

No caso do GP do Brasil, é difícil imaginar que ele conseguiria bater Rosberg com uma estratégia diferente. Sua única chance teria sido economizar pneus no segundo stint para pleitear ficar na pista por mais tempo e ter a chance de colocar os pneus macios no final. Porém, querendo mostrar à equipe que tinha ritmo, ficou colado em Rosberg e destruiu sua borracha. A exemplo do que ocorrera no México, o timing das paradas do próprio alemão foi determinado pela degradação dos Pirelli de seu companheiro.

Para nós, foram divertidas as ocasiões em que a Mercedes permitiu, logo no início de seu domínio, que o piloto que vinha em segundo tivesse uma chance, geralmente pela inversão de compostos no último stint. A épica briga do Bahrein, por exemplo, foi um destes casos. Porém, muita coisa mudou desde então.

As táticas passaram a ser idênticas a partir de uma polêmica na Hungria, quando Hamilton, que largara no fim do pelotão por um problema na classificação, acabou tendo uma estratégia melhor e terminou na frente. Durante a prova, o inglês se encontrou com o alemão e negou as ordens para deixar o companheiro passar, o que seria bom para a estratégia de Nico, mas não de Lewis. Para evitar mais complicações do tipo, a farra acabou.

Além disso, a relutância em fomentar a briga interna tem a ver com o crescimento da Ferrari. No GP da Espanha, outro exemplo em que foi dada a Rosberg a chance de contar com pneus macios para atacar Hamilton, o terceiro colocado, Daniel Ricciardo, chegou a quase 50s de distância. No Brasil, Sebastian Vettel estava a 15s.

E era justamente da Ferrari que o time teve de se defender. A grande expectativa antes da prova era de que o time italiano tentasse uma tática distinta para bater as Mercedes. Portanto, sabendo que tinham ritmo melhor, quando Vettel parou na volta 32 e colocou pneus macios, indicando que iria a três paradas, os alemães logo responderam, copiando a tática. De fato, ainda que a Ferrari ainda não consiga brigar de igual para igual com a Mercedes, eles já começam a pautar as estratégias do rivais – e, por que não, dar um bom motivo para congelá-las.

Falando em ritmo de corrida, o GP do Brasil deve ter gerado preocupações na Williams. O time, que chegou a 41s das Mercedes ano passado, com Massa em terceiro, levou uma volta com ambos os carros, o que significa mais de 73s. No caso doo brasileiro, as dificuldades com o equilíbrio do carro foram tantas que ele sequer conseguiu superar a Red Bull de Kvyat, mesmo tentando o undercut no meio da prova.

A tentativa, curiosamente, acabou ajudando a Force India a selar o quinto lugar entre os construtores, praticamente garantindo o sexto lugar de Nico Hulkenberg na prova. Isso porque a opção da Red Bull era esticar ao máximo o segundo stint de Kvyat para se aproveitar do fato de que a Force India tinha arriscado ao chamar Hulk aos boxes logo na volta nove. Mas o russo teve de responder à parada de Massa e acabou não conseguindo chegar no alemão.

Voltando ao caso Mercedes, aparentemente sem chance de volta aos dias em que as estratégias diferentes eram aprovadas internamente, resta a Hamilton abaixar a cabeça e trabalhar para melhorar em classificação. Afinal, o dono de 11 poles na temporada não pode esquecer de que já foi ‘protegido’ em várias provas justamente devido ao congelamento das táticas da Mercedes.

29 comentários sobre “Hamilton poderia ter vencido em Interlagos?

  1. Caramba! E continuam os elogios!!! Vejam o link lá embaixo, de hoje. JULIANNE, antes que alguém reclame que estou fora do tema do post, eu creio que não estou, pois ainda são ECOS da corrida em Interlagos e do show que Max Verstappen deu lá.

    Dito isto, sempre tem aqueles que são céticos, e em comentários de leitores de outros sites tenho lido comparações do Verstappinho com o Jean Alesi, que despontou dando canseira em Ayrton Senna e ao final de uma longa carreira só ganhou um GP. . . Creio que esses são céticos profissionais mesmo

    Como aficionado de LONGUÍSSIMA data, apaixonado por automobilismo em geral e por F 1 em particular, a minha experiência e a minha intuição me dizem que estamos presenciando o surgimento de um piloto fora-de-série, que de jeito algum pode ser comparado a Jean Alesi. Estamos vendo História na F 1! Sabe aquilo que sempre enfatizo, da extrapolação das Leis da Física com a máquina? Max é um desses pilotos. Quem é que saiu do kart QUASE DIRETO para a F 1 e fez o que Max vem fazendo? Sem conhecer TODAS as pistas?Com tão pouca idade? Max Verstappen é o que se pode definir como alguém que “chegou chegando”! E ele tem um EXCELENTE parâmetro para comparação: Carlos Sainz Jr., um talento, também.

    Se eu mandasse nessa bagaça da F 1 colocaria Max Verstappen JÁ em 2016 ao lado de Lewis Hamilton! Ambos de Mercedes!

    http://www.gptoday.com/full_story/view/547040/Verstappen_defies_physics/

    Quanto ao que está ocorrendo com Hamilton nessas últimas corridas, preciso ver o desempenho dele em Abu Dhabi para amadurecer melhor a minha opinião. Ele agora vem se queixando que não está confortável no carro desde Cingapura. Reflexo dessas novas calibragens de pneus? Não sei. No entanto, sem dúvida, Rosberg conseguiu melhorar muito ultimamente em classificações, que muitas vezes são determinantes para o resultado final da corrida.

    Por último, mais uma vez, NENHUM piloto é invencível! (Desculpem eu ser repetitivo).

    Curtir

    1. Ah, enquanto o mundo queima, nos pensamos no Max, aquele que desafia leis da fisica. Depois falam do Galvao (nao foi ele quem falou do chute do Roberto Carlos que desafiava leis da fisica?).

      Eu vou ter mais cuidado antes de falar que ele (Max) pode andar sobre agua em estado liquido. Mark Webber, Alesi, Berger, Ralph Schumacher, Montoya…. KIMI, tanta gente que empolgou no comeco e dai deram naquilo que sabemos em termos de resultados. Ah, um tal de Felipe Massa quando comecou na F-1 empolgava a todos na Europa. Bons tempos. Agora deixara de legado um punhado de corridas ganhas e um vice. Campeao por 500 metros. Igual ao Zequinha Barbosa.

      Ate agora os indicativos (palavra estranha) sao otimos. O menino (18 anos!) parece ser otimo, mas vai que nao se adapta a um estilo de carro, motor, aerodinamica…. etc etc. que podem vir no futuro (aquele mesmo que promete melhorar a categoria, mas nunca chega).

      Saludos generales.

      Curtir

  2. Julianne bom dia!

    Gostaria de sua opinião a respeito de uma questão que eu tenho observado, não sei se eu estou sendo otimista demais, vamos a ela.

    A diferença hoje entre a Mercedes e a Ferrari, principalmente depois do GP dos EUA está basicamente apenas no motor ou seja em termos de chassi elas estão no mesmo nível, porque que eu estou dizendo isso, pelo ritmo apresentado pela Ferrari principalmente nos GPs do México enquanto o Vettel esteve na pista e agora na prova do Brasil onde ele conseguiu chegar a menos de 15 segundos do vencedor da prova o que da uma média de 2 décimos por volta ao longo das 71 voltas do GP do Brasil.

    Desde já agradeço a sua resposta.

    Abraços.

    Curtir

  3. Parabéns Ju Belas belissímas analises
    1° daria pra lewis ganhar na pista, num conseguiu passar.
    2° sobre as estrategia acho q a mercedes esta correta, no bahrein 2014 o ultimo stint era compostos diferentes mas lewis so ficou sobre ataque por conta da interversão na corrida q juntou todos (belissima disputa)
    na hungria como como ju falou pra fazer estrategias diferentes pode um se beneficiar e lewis naquele momento num “ajudou” rosberg na estrategia…lewis disse se estava mas rapido pq num me passou?
    Olha o mundo girando e lewis dizendo q estava mas rapido e num passou tb.
    O q forçou a mercedes a fazer 3 paradas foi a ferrari de vettel , então a mercedes reafiu e fez certo.
    Lewis sabe q largar na pole ou fazer a primeira volta na ponta ja é 50% da vitoria encaminhada e hoje reclama do q em muitas vezes ele mesmo ja se beneficiou pq o acordo é esse.
    O q falta a lewis é aprender a perder sabe dizer o cara hoje foi melhor ,fez um trabalho incrivel e mereceu ponto final, e naum ficar dando desculpa esfarrapada q num dar pra passar em interlagos, quantos corridas antologicas ja tivemos em interlagos.
    Aucam vestappen pra mim chegou chegando tb gostei do muleke. Sainz tem talento tb mas p carro quebra demais….vou aguardar mas um ano rsrsrs afinal o sorrisso q destruiu o vettel, hoje veem sofrendo frente o kvyat então vamos dar tempo pra avaliar mas esse fututo garoto prodigio q ate aqui esta sendo 10.
    Mas colocar vestappen ao lado de lewis ainda acho cedo ,deixe ele fazer como o schumi, fazer seu caminho sem peitar de cara um mostro na mesma equipe, acho q pra ele 2017 com as mudanças do regulamento ai sim será epico ao lado de lewis ou vettel na ferrari.
    Agora se a ferrari chegar de veiz na mercedes ai sim a mercedes vai ter q dividir estartegias e ai sim os muidos ou mimimis serão grandiosos dos dois lados da garagem.

    Curtir

    1. Então Chrystian, a diferença entre o Rosberg (Hun/14) e o Hamilton (Bra/15) é que o Hamilton não pediu passagem, pediu uma estratégia diferente.

      Curtir

      1. Felipe eu sei….so q estrategias diferentes pode acontecer como na hungria….se lewis num consiguei passar pra vencer, imagina ter q passar pra fazer uma uma estrategia funcionar…entende o q quero dizer tem q fazer estrategias diferentes, mas q impessa q um cruze o outro em determinado momento se naum a estrategia vai por agua abaixo

        Curtir

    2. Amigo CHRYSTIAN, entendo sua cautela com o Verstappinho, mas eu sou mais ousado! E por que sou ousado? Porque em anos e anos, muitíssimos anos, vendo essas “baratinhas” passarem debaixo de minha janela, já vi muitas coisas fantásticas! Não sou o dono da verdade nem tenho essa pretensão, posso me equivocar, ninguém é infalível, mas me amparo no fato de, POR SER VELHO, ter sido e vir sendo contemporâneo de praticamente toda a História da F 1, na qualidade de um aficionado apaixonado e INCONDICIONAL, esteja ela em boa ou má fase (mesmo que todos estejam pretendendo pular do barco, STILL I REMAIN!). Por toda essa longa caminhada, já vi muitas façanhas incríveis!

      Você se lembra como um LEGÍTIMO e PRECOCE bicampeão mundial, que tinha acabado de derrotar um heptacampeão mundial, foi SURPREENDIDO por um estreante, que de experiência de F 1 majoritariamente só tinha mesmo treinos de simuladores? O fora-de-série (sem favor algum) Alonso foi simplesmente DERROTADO por um Lewis Hamilton estreante! Sim, derrotado porque o título de VICE-CAMPEÃO ficou com Hamilton, no critério da FIA de desempate de pontos por qualidade. Isto não é apenas argumentação, É UM FATO! E até Mônaco de 2007 a preferência da McLaren era nitidamente por Alonso. De Mônaco em diante há controvérsias até hoje, e nem vale a pena dissertar sobre assunto de polêmicas intermináveis e fatos sabidos POR TODOS, naquele ano Mandrake de 2007.

      Vi um tal de JOHN SURTEES, um multicampeão de motociclismo na categoria máxima, o único cara que que venceu consecutivamente 3 vezes o TT da Ilha de Man (a última em 1960) sair das DUAS rodas e naquele mesmo 1960 estrear no automobilismo – LOGO NA F 1 (!) – e chegar (de Lotus) em segundo lugar na sua SEGUNDA corrida em QUATRO rodas (GP da Inglaterra) e fazer a POLE na terceira (!) corrida – o GP de Portugal, à frente de nomes como um certo Jim Clark, Jack Brabham, Phil Hill, Graham Hill, Von Trips, Stirling Moss e de um cara que dizem que era o ÚNICO que Clark sempre temeu: DAN GURNEY, o americano ultraveloz! E esse cara – SURTEES – que saltou de 2 para 4 rodas em apenas 4 anos, se tornou Campeão Mundial de F 1!

      Vi JIM CLARK ASSOMBRAR os americanos e DOMINAR com aquele “carro engraçadinho” de motor Ford traseiro os poderosos carros de motor Offenhauser dianteiros, que por décadas reinaram no altar oval do templo de Indianápolis, iniciando uma revolução irreversível por aquelas paragens.

      Vi VETTEL, ainda um novato, deixar todo mundo atônito e estupefato ao vencer debaixo de um dilúvio em Monza, com um carro altamente improvável, prenunciando os 4 títulos avalassadores que viria a obter tão precocemente!

      E lamento a Fórmula 1 não ter visto o desabrochar em sua plenitude do imenso talento de um VERDADEIRO Rei Alemão, STEFAN BELLOF!

      Então, daí toda a minha ousadia em querer ver Max a curtíssimo prazo na Mercedes com Lewis (pode ser na Ferrari também, medindo-se com VETTEL).

      Poderia continuar enumerando muitas outras coisas fantásticas, todas prenúncio de grandes páginas que seriam escritas na História da Fórmula 1, por isso intuo que estamos vivenciando o surgimento de um piloto fora-de-série, que é o Verstappinho. E digo isso NEM TANTO PELAS COLOCAÇÕES QUE ELE OBTEVE ATÉ AQUI, MAS PELA MANEIRA COMO ELE PILOTA! Com tão pouca ou praticamente nenhuma EXPERIÊNCIA!

      Max usa linhas inteligentes e inesperadas em seus traçados. JIM CLARK era assim. COLIN CHAPMAN dizia que os ingredientes imprescindíveis para um grande piloto compreendem 25% de HABILIDADE NATURAL e 75% de EXPERIÊNCIA.

      Você já pensou, amigo CHRYSTIAN, quando Max Verstappen ATINGIR esses 75% de experiência? Em quanto tempo os atingirá? Ele melhora em progressão geométrica! Na F 3, saindo direto do kart, deu um “banho” na pista molhada em Ocon e Blomqvist, o que fez Marko imediatamente contratá-lo. MAX já declarou que SERIA CAPAZ DE VENCER COM UMA MERCEDES (aí subentendendo-se ele como COMPANHEIRO de Hamilton ou de Rosberg). Essa declaração em outro estreante/novato eu classificaria como BRAVATA! No entanto, observando a sua pilotagem, seu progresso, acredito que ele seria sim capaz de vencer corridas em cima de qualquer dos dois pilotos atuais da Mercedes (assim como em cima de Vettel na Ferrari). Daí a ousadia da minha opinião. Max alia agressividade e arrojo com consistência, que são coisas meio que inconciliáveis (vide como criticam tanto Hamilton pelos erros cometidos por sua agressividade natural).

      Eu sempre estou olhando as categorias de base, desde o KART. Por isso, HÁ MUITO TEMPO, quando ainda NEM se falava em Max Verstappen, sequer se cogitava de MAX na F 1, eu fiz um comentário aqui no Blog de que todos ainda iriam falar muito nele. É que todo mundo já se dizia maravilhas de Verstappen, e ele apenas as foi CONFIRMANDO INEXORAVELMENTE, num passo a passo muito rápido.

      O QUE NÃO OCORRE HOJE, por exemplo, com dois KARTISTAS muito badalados na Inglaterra, o britânico ENAAM AHMED e o indiano JEHAN DARUVALA, este pertencente ao programa junior da FORCE INDIA, que a meu ver não estão confirmando o que prometeram. Particularmente, ainda acho ENAAM AHMED melhor que DARUVALA, mas, por deficiência ou não de equipamento, eu esperava mais de ENAAM AHMED na MSA – categoria de monopostos da Ford, na qual correu em 2015. Veja o link lá embaixo sobre as expectativas acerca dele.

      http://www.skysports.com/f1/news/12433/9553657/enaam-ahmed-the-young-karting-world-champion-tipped-to-become-the-next-lewis-hamilton

      Por último, meu caro Chrystian, você falou no Kvyat e eu arremato dizendo que ainda vai se falar MUITO neste “bebê” TAMBÉM! Pode anotar! Dietrich Mateschitz (ufa, finalmente aprendi a grafar o nome dele!) não poderia ter um assessor melhor que HELMUT MARKO!

      Curtir

      1. CORREÇÃO (vírgula fora do lugar):
        E esse cara – SURTEES – que saltou de 2 para 4 rodas em apenas 4 anos, se tornou Campeão Mundial de F 1!

        Leiam: E esse cara – SURTEES – que saltou de 2 para 4 rodas, em apenas 4 anos se tornou Campeão Mundial de F 1!

        Curtir

  4. Acho que o Hamilton vai ter de focar-mais se desejar o título de 2016! Esta claro que o Rosberg éh um piloto inferior! Más nem por isto ele se acomoda. O kra trabalha, e muito com os seus engenheiros pra evoluir em algumas áreas em que, teoricamente seja possível igualar e/ou anular a vantagem do Hamilton. Éh como eu digo: O Rosberg éh o melhor segundo-piloto que a F1 já viu! Más se o Hamilton quer ser o primeiro-britânico a ser tetra, então vai ter de trabalhar muito com os seus engenheiros para encontrar aqueles décimos de segundo para na maioria dos casos estar na frente do Rosberg (em classificação e corrida).
    E viva o Verstappinho! Que as portas da Ferrari ou Mercedes se abram, a médio praso, para esta nova estrela! E seja lá cquem for o seu futuro-colega de ofício (Hamilton ou Vettel) terá um osso duríssimo de roer!

    Curtir

  5. Hamilton não precisou ser protegido pois quando ele está na frente Rosberg dificilmente chega perto. E se o Rosberg não reclamou problema dele. Mercedes protegendo o alemão para criar uma expectativa de briga para o ano que vem. Quando tinha de ganhar estava atrás até de Vettel no campeonato.

    Curtir

    1. Seu raciocínio éh óbvio kro ED! Hamilton (até em contrato) NUNCA EXIGIU pra ser primeiro-piloto ou pra ter privilégios! Quem sempre gozou da proteção da equipe foi o Niko (sempre pedia aos engenheiros orientação para melhorar a perfomance do carro durante as corridas). E quando precisou ser eficiente-de-verdade, levou uma termenda-sova do Seu-Amilton até a sua conquista do TRI-campeonato. Este Rosberg éh um verdadeiro engenheiro-de-obras-acabadas!

      Curtir

  6. Caros BRAZ e ED:
    Nunca torci tanto para a Ferrari vir babando pra cima da Mercedes como agora para essa temporada de 2016! É que na hora do “vamos ver de verdade”, quem vai ter que dar conta de Vettel vai ser um só: Hamilton.

    “Tá tudo muito bem, tá tudo muito bom”, Nico agora está confiante, sem dúvida é um grandíssimo piloto e coisa e tal, mas para pegar Vettel à unha só Hamilton.

    Não consigo imaginar Rosberg roda a roda com Vettel ao longo de todo o campeonato.

    A Mercedes só precisa tomar cuidado para não deixar seus dois pilotos roubando pontos mutuamente durante muito tempo, pois qualquer vacilo Vettel vai lá e crau!!!

    Curtir

    1. Um amigo meu dell vale do podcast f1 fez uma analisse e disse q se vettel tiver uma ferrari poderosa como a mercedes de lewis ….vettel será penta com 5 ou 6 corridas antes rsrsrsrs achei exagero, mas ele se refiriu a quaestao de largar na frente e dominar a corrida coisa q vettel domina muito bem.

      Curtir

    2. “Nunca torci tanto para a Ferrari vir babando pra cima da Mercedes como agora para essa temporada de 2016! ”

      Certíssimo kro e sagaz AUCAM! Não sou fã da Scuderia mas, estou-louco pra ver em 2016 a batalha: Ferrari vs Mercedes – Vettel vs Hamilton. Isto sim, editaria um senário de um dos duelos mais fantásticos que a F1 já editou! Muitos dizem que, com material semelhante o Vettel “engoliria” o Hamilton! Já outros afirmam que o Seu-Amilton “jantaria” o Fette-boy. Eu só sei que eu, o dvdbraz, nada sei!!!!! Más posso afirmar, que seria uma temporada memorável e sensacional! Este duelito que a Mercedes esta patrocinando neste “final-de-feira” (xepa!), pra mim não passa de um teatrinho (DESCULPE AÊ TORCEDORES DO ROSBERG!!!) pra dizer que o Rosberg terá condições de competir com o Hamilton em 2016. E torço, assim como vc AUCAM, que os Verstappinho venha, a médio prazo sentar num carro-top (Ferrari ou Mercedes) e que venha desafiar os feras do momento porque ele tem demonstrado que éh de uma safra especial!

      Curtir

      1. Amigo BRAZ, um pouquinho de bom humor não faz mal a ninguém! Sabe qual foi a nova grafia para o nome de Nico, que acabei de ver por aí? ERROsberg! Hahahaha. . .

        Vale como brincadeira apenas, porque pessoalmente acho Rosberg muito subestimado. Tenho certeza, por exemplo, que ele é muuuito melhor que Webber!!! Minha impressão é que se tivesse um Hulkenberg ao lado nessa Mercedes – ao invés de Hamilton – Rosberg estaria sendo o bicampeão da F 1.

        Curtir

  7. Vejo a Mercedes favorita para 2016…fica a dúvida: a Ferrari está a 15 segundos de qual Mercedes? Qual o verdadeiro rítmo dos prateados? Estão usando o verdadeiro potencial do carro? Nada pessoal, mas o excelente carro prateado encobre as falhas de Rosberg…acho Verstappen um piloto com futuro, mas parodiarei Galvão Bueno na época que ainda falava coisas racionais e menos ufanistas, kkkkk: “…acelerar um carro sem responsabilidade de ganhar, mas disputando titulo é outra história…” mais ou menos assim, pois apartir do momento que uma escapada, um abandono definem um campeonato, as coisas mudam. Torço para que o moleque de conta do recado, mas ainda ele é uma promessa, com futuro…Ps: hehe, caro Aucam, sabemos que o empate técnico entre Alonso e Hamilton em 2007 não foi muito leal, afinal o dono da equipe dizer que corre contra o “seu” piloto não me parece digno de confiança, kkkk, além do fato que Hamilton era franco atirador, correndo sem responsabilidade e apoiado pelo dono do negocio, kkkkk. http://esportes.terra.com.br/automobilismo/formula12007/interna/0,,OI1971501-EI8276,00.html

    Curtido por 1 pessoa

    1. Grande Wagner! Velho amigo de guerra e de debates (se for sobre Alonso & Hamilton não vamos parar NUNCA, hahahaha)!!!! Alguém até já me espinafrou aqui por minha inegável (hahahaha) prolixidade (principalmente quando é para defender Hamilton, hahaha, então a prudência me recomenda moderação, hahahaha)!!!! Estamos diante de um FATO, hahaha, que vem se confirmando através dos anos – LEWIS no mínimo tem a mesma estatura de Alonso e Vettel como piloto. Todo o resto são opiniões, e cada qual tem o direito de tê-las e vê-las respeitadas.

      Falei em CONTROVÉRSIAS e POLÊMICAS intermináveis porque – para quem é aficionado por F 1 como você é TAMBÉM – ninguém desconhece que Alonso queria a equipe trabalhando apenas para ele, como SEMPRE aconteceu em todos os lugares por onde passou, e com isso Ron Dennis, vendo a grandeza de Lewis, não concordou. A igualdade de condições técnicas entre Alonso e Hamilton, segundo conceituadíssimos jornalistas com trânsito nos bastidores da McLaren, foi ASSEGURADA por Dennis até quase o final, quando aí sim, Dennis passou a tratar o espanhol até como inimigo. Mas, também, com as crocodilagens de Alonso. . . HOJE OS DOIS – ALONSO & DENNIS – VIVEM EM LUA DE MEL! Pode uma coisa dessas? E nós aqui debatendo, hahahaha!!!! Ou seria o abraço de dois desesperados que necessitam VITALMENTE de apoio mútuo para voltarem às glórias? Se for este o caso, eu lhe digo, caro amigo, que eu já tinha visto DEGLUTIÇÃO de SAPOS, mas NÃO DEGUSTAÇÃO DE BATRÁQUIOS, hahahaha!!!! Vixe que aquele ano de 2007 foi mesmo muito MANDRAKE! Ah, ali naquele ano de 2007 eu deixei de acreditar no Coelho da Páscoa, na Mula Sem Cabeça, no Boitatá e em Papai Noel! Fala-se hoje em custos exorbitantes da F 1 e aí eu fico pensando: e a multa de 100 milhões de dólares que a McLaren tomou?

      Mas, sendo você um ferrenho e atento torcedor do Alonso, não se preocupe, o talento de um piloto – ou melhor, sua EXCEPCIONALIDADE, sua GRANDEZA – na minha INSIGNIFICANTE opinião não se mede apenas por números e estatísticas, se mede pela QUALIDADE de sua pilotagem, por suas façanhas. No entanto, ainda acho que você deveria assinar sem mais delongas a ficha para ingressar na torcida do Hamilton. . .

      Forte abraço, Wagner. (Desculpe as minhas brincadeiras, respeito e muito as suas opiniões).

      Curtir

      1. Grande Aucam,

        Não comento muito, mas leio tudo.

        Meu jeito.

        Além dos sempre merecidos parabéns para nossa talentosíssima anfitriã, gostaria de lhe perguntar o que houve com Dan Gurney. Nunca tinha ouvido falar nele e pelo visto tinha talento. Se souberes algo conte-nos o que aconteceu com ele.

        Abs.

        Curtir

      2. Hehe, de forma alguma caro Aucam, sua cordialidade e educação dispensam apresentações…diz-se que boas pessoas atraem boas pessoas, e a Ju, sendo essa profissional dedicada e corretíssima, traz para seu convivio laboral, um nível impar de informação e discussão, respeitosa por sinal, portanto, estamos em casa, kkkkk. Disponha caro amigo!

        Curtir

      3. Caro amigo AUGUSTO, é um prazer tentar lhe dar uma resposta sobre o rapidíssimo americano DAN GURNEY, um piloto que o famoso fotógrafo neozelandês de corridas da F 1 Bill Gavin – que também produziu a melhor biografia de Jim Clark – reputava como de habilidade natural superior mesmo às de John Surtees, Jack Brabham e Graham Hill, situando-a em um patamar próximo à de Jim Clark! E Bill Gavin tinha muito cacife para fazer essa afirmação, pois como fotógrafo posicionava-se bem próximo à pista, em locais e curvas estratégicos, permitindo-lhe avaliar bem o estilo e os limites de cada piloto. Bill Gavin fotografou todos esses grandes nomes e sabia do que estava falando, conhecendo os macetes do esporte a fundo, não apenas pela natureza de seu ofício, como pela convivência com aqueles grandíssimos e hoje lendários nomes. Além da biografia de Jim Clark, Bill Gavin escreveu este outro livro que deve ser um belo e eloquente testemunho do automobilismo na década de 60 (eu ainda não o li, estou tentando obtê-lo):

        https://www.bookdepository.com/Love-Life-Death-Formula-1-Bill-Gavin/9780857330222

        Agora, veja como são as coisas e porque eu sempre digo que não dou demasiada importância a números e estatísticas: GURNEY os tem na Fórmula 1 em quantidade que absolutamente não refletem o seu imenso talento e sua rapidez, esta temida por Jim Clark (aliada a uma grande combatividade). DAN GURNEY correu na F 1 de 1959 a 1970 e só obteve 4 vitórias e 3 poles! Mas SEMPRE FOI CONSIDERADO COMO UM DOS GRANDES, DOS MAIORES NOMES DE SUA ÉPOCA! GURNEY deu à PORSCHE sua ÚNICA vitória como equipe na F 1! Venceu 2 GP’s com Brabham e UM com o famoso EAGLE-WESLAKE V-12 de sua própria fabricação (!) em 1967 – (ele se tornou construtor, assim como Jack Brabham e Bruce McLaren). DAN GURNEY sempre foi velocíssimo e vitorioso em qualquer tipo de carro! E versátil!

        Essa escassez de estatísticas se deve em boa parte a uma série de decisões profissionais equivocadas que GURNEY tomava: estava sempre na equipe errada no momento errado. Ele abandonou a Ferrari e dois anos depois a Rossa foi campeã. Saiu da BRM ANTES desta levantar o título, e foi para a PORSCHE que desistiria da Fórmula 1 com apenas dois anos de presença na categoria. Finalmente, depois de ser contratado e de ter começado a vencer pela Brabham, resolveu abandoná-la para construir seu EAGLE de F 1 na Califórnia! E com o qual venceu um GP, é bom ressaltar!

        A carreira de DAN GURNEY é originária das corridas de carros esportes do SCCA – Sports Car Club of America, clube responsável majoritariamente pela disseminação do esporte motor na América, e que hoje conta com mais de 55.000 pilotos associados! GURNEY correu de TUDO e VENCEU de TUDO, desde DRAGSTERS à Fórmula 1, com vitórias inclusive nos stock cars da NASCAR, nos GT’s da TRANS AM e nos monstros da fabulosa série CAN AM. GURNEY correu na F 1 de 1959 a 1970. Pode-se dizer que GURNEY desbravou o sucesso para os pilotos americanos na Europa, juntamente com Phil Hill e Masten Gregory (este um piloto que o jovem Jim Clark tinha como ídolo).

        Todos três – GURNEY, MASTEN GREGORY e PHIL HILL – venceram as 24 Horas de Le Mans. Em sua vitória em Le Mans, em 1967, DAN GURNEY teve como parceiro o também lendário e campeoníssimo americano A. J. FOYT. Eram dois grandalhões difíceis de acomodar no apertado cockpit do baixíssimo Ford GT-40! (Gurney tem 1,93m de altura). Isso até lhe dava desvantagem nos subpotenciados Fórmula 1 de sua época.

        Ford GT-40 de 7 litros – que beleza, hein? Um carro que mandou ver! Em uma época de glamour no Endurance! Que precisa ser resgatado novamente, e para isso nada melhor que a participação dos grandes nomes da F 1 atual, como acontecia antigamente.

        DAN GURNEY e A. J. FOYT estão agora bem velhinhos, com mais de 80 anos, mas imagino que ainda devem saber e poder revirar pelo avesso qualquer carro! De selvagens TVR’s a VIPER’s animais! Phil Hill, campeão mundial de F 1 em 1961, faleceu em 2008. Não faz tempo, vi no Canal Discovery Turbo o ex-F 1 Bob Bondurant (daquela mesma época, outro grandalhão, ainda em boa forma); e também o lendário PARNELLI JONES, este bem magrinho, e olhando-o em sua postura e fala mansa, não se sabendo quem ele foi, jamais se pode imaginar que aquela figura frágil e idosa foi um monstro das pistas! Que andava e vencia nos ovais a 400 km por hora! Infelizmente, O TEMPO NÃO TIRA FÉRIAS. . . Bob Bondurant ainda mantém sua Escola de Pilotagem e Direção de Alta Performance, que juntamente com a Escola de SKIP BARBER (um americano que andou incursionando algumas poucas vezes pela F 1) são as duas melhores escolas de pilotagem dos Estados Unidos. Tem também uma oficial da PORSCHE, dirigida pelo Hurley Haywood, que é porreta!

        Por falar em A. J. Foyt, como curiosidade, à parte toda a sua notável biografia como piloto de corridas e dono de equipe, ele é dono da maior empresa funerária dos Estados Unidos. Já driblou a morte várias vezes, e também curiosamente, numa dessas vezes ele quase se afogou quando precisou jogar seu trator em um lago para escapar de um ataque de abelhas ferozes. . . Mas isto já é outra história. . .

        Um forte abraço, AUGUSTO.

        Curtir

  8. Ju excelente post como sempre!

    Se possível gostaria de sua opinião acerca da Mclaren, a evolução do time na temporada de 2015. Principalmente na questão do ganho de performasse ao longo da temporada. Não sei porque ? mas tenho certo ceticismo principalmente quando o alonso fala que a Mclaren é o time que a médio prazo poderá vir a bater os alemães da Mercedes.

    Curtir

  9. Quanto a pergunta de JuCera, minha resposta é NÃO.
    Nico estava muito forte e focado, tipo ‘corrida da vida’. Lewis não está com aquele sangue no zóio, aquela faca nos dentes, pelo menos depois do TRI.
    Posso até estar enganado, mas JuCera, por ser mulher, pode confirmar. Visualmente, me parece que Lewis ganhou uns quilinhos do meio do ano pra cá.
    E outra, é uma festa atrás da outra, putaria, bebida, amigos interesseiros, episódios estranhos com carrão em Mônaco e muitos outros fatos que não chegam até nós.
    Esse negócio de querer mudar o traçado de Interlagos porque aqui não dá pra ultrapassar, eu nunca esperava ouvir isso de Lewis afinal, no meu conceito, não tinha pista que Lewis não conseguisse isso. Até na Hungria, com mesmo carro, ele ultrapassou por fora.
    Lembrando que sou Lewis desde criancinha…

    Curtir

  10. Julianne, imagino que você deva ter acompanhado as coisas do GP do Brasil diretamente de dentro do ambiente em Interlagos. Que tal fazer um post sobre as suas andanças, contando o que viu e o que mais impressionou você? Fica a sugestão.
    Grande abraço!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s