Meu muito obrigada

agradecimento

Casa nova para as matérias. Casa nova para o blog. Muito mais corridas in loco, com entrevistas exclusivas e aquela compreensão que só estando na ‘cena do crime’ para poder validar. E a melhor notícia é que é só o começo.

Se o ano de 2015 não foi dos mais empolgantes nas pistas, previsível como não víamos desde o final de 2013 – mas sem o grande números de corridas movimentadas que tivemos naquela temporada – espero ter trazido a vocês informações importantes e análises pertinentes.

Porém, chegando ao último post do ano, a palavra de ordem é o agradecimento por mais uma temporada juntos – a sexta, contando desde os tempos de FasterF1. Mesmo sem nenhum retorno financeiro direto, ganho muito com este espaço. Ganho a chance de abordar os assuntos de que gosto e ainda tenho a sorte de ver que muita gente compartilha da valorização de tópicos que, muitas vezes, ficam à margem da grande mídia.

Muita gente, também, que me ensina bastante. Quem disse que a internet só serve para as pessoas despejarem suas frustrações e atacarem uns aos outros com o benefício do anonimato? Vocês provam diariamente, com respeito e cordialidade em sua imensa maioria, que não precisa ser assim. Deveriam ter orgulho.

Para o ano que vem, já vou adiantando que vem coisa boa por aí, à medida que aquele sonho da menina que acordava cedo para assistir às corridas com o pai já dá quase para ser tocado. Enquanto 2016 não chega, deixo a bola com vocês. Fim de ano não é época de fazer as tais resoluções de ano novo? Pois, bem. O que vocês queriam ver no blog? Algum tipo específico de análise sobre as corridas, alguma curiosidade, mais interatividade, outras mídias… enfim, é com vocês.

Um grande abraço a todos e até 2016!

33 comentários sobre “Meu muito obrigada

  1. Ju, eu que agradeço por você nos trazer informações e análises mais realistas da F1. Se dentro das pistas, o clima anda morno, com seu blog a F1 fica cada vez melhor e mais interessante. E seus seguidores são pessoas educadas e que postam opniões relevantes, não tem o famoso: “o Massa ou o Rosberg são uma porcaria”. Sou avido por informações que ajudem a entender a complicada F1 da atualidade. Seus posts são muito bons, não sei dizer o que falta.
    Desejo a você um bom descanso. A você a amigos deste blog um feliz natal e próspero ano novo. Que você volte logo em janeiro. E que a F1 nos brinde com grandes corridas.

    Curtir

  2. Jú, adoro seu blog e suas análises.
    Para o ano que vem eu gostaria:
    De manter a ou voltar com a cobertura da corrida pelas mídias de países diferentes.
    E como uma velha novidade:
    Análise das corridas por você através de podcast, seria muito bom.
    Um beijo e feliz natal e ano novo.

    Curtir

  3. Grannnnde Julianne que nos presenteia com análises equilibradas e cheias de conhecimento técnico que nos deixam deveras, extasiados! Faço o mesmo pedido do colega Daniel, em providenciar aqui no blog o podcast com análises de todos os GPs ou das novas regras técnicas enfim, com convidados especiais para que possamos nos inteirar cada vez mais nos assuntos da F1. Desejo-lhe cada vez mais sucesso e um feliz 2016!

    Curtir

  4. Ju, parabéns pelo blog e obrigado.
    Gosto muito dos posts em que vc compara os estilos de pilotagens e os mais técnicos, explicando determinadas funções.

    Curtir

  5. Um carinhoso e especial abraço em você, JULIANNE, querida blogueira que soube construir esse espaço ÚNICO (inclusive pelo alto nível dos debates entre os comentaristas em clima de cordialidade). Parabéns por ser, SOBRETUDO, SEMPRE TÃO ATENCIOSA E INTERATIVA COM TODOS. Parabéns também pela sua competência e pela sua imparcialidade, características que se reafirmam a cada ano que passa. Infelizmente não sou dos tempos do FASTER (como muitos daqui), mas tenho uma atenuante, rsrsrs: como sou contemporâneo dos grandes sauros, cheguei tarde a essa festa que é a internet (mas acho que coincidentemente na mesma época em que o FASTER se transformou no Blog da Julianne). Mas aí, pronto: depois que o descobri, seu blog se tornou indispensável para mim. Aqui aprendo muitíssimo com você e com os amigos comentaristas também.

    Receba meus sinceros votos de Feliz Natal e Próspero Novo, com o meu desejo que este Blog melhore cada vez mais (se é que isso ainda é possível) e nos traga cada vez mais novidades – quem sabe um programa semanal/quinzenal/mensal gravado em vídeo, com você respondendo perguntas e fazendo análises, fazendo entrevistas, seria muito bacana!!! Muita paz, muita saúde e muitas realizações para você em 2016, Julianne, extensivos a todos os que lhe são caros.

    Aos amigos ALEXANDRE, ALEX, AUGUSTO, BILLY, CHRYSTIAN DIAS, DVD.BRAZ, FÁBIO MEDEIROS, HERMES LEANDRO, JSPEED, LÚCIO DANTAS, MP23-4, MARCELO DUTRA, MUGUELLO, NATO VELLOSO, PEDRO ARAÚJO, POWER, TRAMARIM, WAGNER, VIDRADO, (perdão se esqueci de citar alguém), e A TODOS os que comentam aqui neste magnífico Blog, ou com quem tive o prazer de trocar opiniões, o meu abraço e um Feliz Natal e Próspero Ano Novo, e uma temporada de 2016 cheia de emoções, de muita competição, e carros o mais nivelados possível, que é o que queremos ver.

    E desculpem, mas a minha prolixidade é realmente incorrigível. . .

    Curtido por 1 pessoa

    1. Grande Aucam, muitíssimo obrigado pela lembrança.

      Um Feliz Natal e Próspero Ano Novo a você também, extensivo a todos os que também fazem esse blog o que é (palavras de nossa competentíssima anfitriã).

      Me sinto privilegiado em poder receber todas essas informações.

      Sabe que tem um tempo, eu queria lhe perguntar Aucam sobre as suas impressões de quem viu ao vivo a temporada de 1958. Já ouvi dizer que Moss deveria ter ganho, que Hawthorn teve sorte. O que você assimilou na época?

      Abs

      Curtir

      1. Meu caro AUGUSTO, você não imagina a dificuldade que era ser um aficionado por automobilismo e “acompanhar” o automobilismo estrangeiro naqueles tempos! No automobilismo nacional, tínhamos as chances de ver provas em Interlagos. Mas, para ver automobilismo no Exterior, era preciso ter grana (ou seja, só para os mais abonados, o que não era o meu caso) e até mesmo disponibilidade de tempo, pois quem cruzava os oceanos ainda eram os lentos aviões de motor a pistão (DC-4, DC-6, DC-7 e Constellations) com escalas. Imagine, sem internet, sem Youtube, sem TV ao vivo: dependíamos de jornais (que publicavam pouca coisa) e mais de revistas estrangeiras e rádios possantes de ondas curtas para tentar sintonizar alguma emissora que trouxesse os resultados. Se quiséssemos uma revista mais “fresquinha” tínhamos que pagar mais caro, pelo porte via aérea, ou, se não, esperar (num preço melhor) por aquelas que chegavam de navio, com 2 ou 3 meses de atraso! No entanto, ainda assim, por mais difícil que seja de acreditar, sentíamo-nos “próximos” dos acontecimentos, nem que fosse psicologicamente, “devorando” avidamente notícias de acontecimentos já velhos! Em 1960 as coisas melhoraram, pois lançaram em edição mensal a AUTO ESPORTE brasileira, que abordava EXCLUSIVAMENTE as corridas de carros, em todas as modalidades, (era radicalmente diferente dessa Auto Esporte de hoje).

        Bom, mas dito isso, de todos os relatos, de tudo o que eu lia, eu tirava as minhas conclusões e, obviamente, entre 1957 e 1958, além de Fangio, dois pilotos me pareciam diferenciados pela sua habilidade inata e velocidade: Peter Collins e Stirling Moss. Por vezes, eu achava que Moss seria até mesmo melhor que Fangio, mas se ele próprio não se reconhecia assim (como vi-o dizendo em vários documentários, na TV), não seria eu que iria desmentí-lo. HAWTHORN, na minha insignificante opinião, foi o campeão – digamos assim – menos arrebatador, menos entusiasmante da História da F 1. Hawthorn, que venceu uma ÚNICA corrida em 1958, foi campeão naquele ano mais pela regularidade e por uma cortesia de Moss, que HOJE EM DIA – com esse egoismo que se vê na Fórmula 1 atualmente – seria até muito mal vista, ou mal interpretada: Moss (o vencedor da corrida), no GP de Portugal viu o carro de Hawthorn parado e alguns espectadores tentando empurrá-lo, o que feria o regulamento e o levaria a uma desclassificação. Moss então sinalizou para ele, avisando-o de que não era permitido. Hawthorne conseguiu sozinho depois fazer sua Ferrari funcionar. Ao final da corrida, Moss intercedeu em favor de Hawthorn e este não foi desclassificado, sagrando-se, assim campeão mundial por apenas um ponto a mais que Moss (na época só eram contados os seis melhores resultados). Hawthorn venceu no ano de seu título – 1958 – apenas uma vez, no GP da França em Reims, (circuito que foi e hoje está abandonado) e Moss quatro GPs! Moss tinha começado a temporada de 58 de Cooper e depois se passou para a VANWALL, maior adversária da Ferrari (equipe de Hawthorn) àquele ano.

        Todo mundo àquela época sempre reportava o arrojo e a extrema velocidade de Stirling Moss ao longo de sua carreira. Mas naquelas décadas iniciais da Fórmula 1 – 50/60 – havia muito cavalheirismo, aliás na década de 50 havia mesmo ALTRUÍSMO entre os competidores (não obstante um Luigi Musso, que era ferozmente competitivo): vide Peter Collins, que em 1957 estava a um passo de ganhar o campeonato mundial e cedeu seu próprio carro para seu companheiro Fangio (cuja Ferrari quebrara) chegar em segundo e ganhar seu quarto título. Perguntado por que motivo tinha tido um gesto de tamanha grandeza, Collins respondeu simplesmente que “era ainda muito novo para ser campeão mundial”. Imagine! Peter Collins morreria no ano seguinte, em trágico acidente no GP da Alemanha, aos apenas 26 anos de idade! A temporada de 1958 foi trágica: em pouco espaço de tempo morreram Luigi Musso e Collins!

        Sir Stirling Moss foi um admirável e excepcional piloto, um verdadeiro campeão sem coroa, como todos sabemos. Duro na queda: vale mencionar, como curiosidade, que ele, já velhinho, há alguns anos atrás, caiu num poço de elevador mas se recuperou bravamente!!! Mas não gosto da avaliação que Sir Stirling Moss fez há algum tempo atrás, quanto à presença feminina na F 1, achando que a categoria, pela sua rudeza, é adequada apenas aos homens, esquecendo-se das vitórias de Michèle Mouton nas duríssimas provas do WRC nos tempos de loucura do insano Group B FIA, da vitória de Jutta Kleinschmidt no duríssimo Paris-Dakar em 2001 e das vitórias consecutivas de Sabine Schmitz (a Rainha de Nurburgring) nas 24 Horas de Nurburgring em 1996 e 1997, (embora em parceria com mais co-pilotos). Sabine corria em 1997 com seu então nome de casada, Sabine Reck. Mas isso já é outra história, rsrsrs. . .

        Grande abraço, Augusto, Boas Festas e Feliz Ano Novo.

        Curtir

      2. Caramba, depois que postei, vi que a última frase do parágrafo final pode até induzir a uma conclusão que não se coaduna com a minha firme opinião sobre a necessária, ou no mínimo desejável, presença feminina na F 1. “Mas isso já é outra história, rsrsrs” refere-se à participação das meninas no automobilismo, e citei o nome Sabine Schmitz – Sabine Reck quando ela estava casada – para quem quiser pesquisar mais sobre a carreira dela (interessantíssima, por sinal). Sabine é a Rainha do Ring e já “virou” lá em Nurburgring num tempo inacreditável numa VAN Ford, isso mesmo, uma VAN de mais de 10 passageiros)!. . . por isso já é outra história! Aliás, está no Youtube!

        Apresso-me, assim, a desfazer algum mal-entendido. E os rsrsrs são por conta da minha incorrigível prolixidade. . .

        Curtir

      3. Nobre Aucam, inicialmente desculpe meus agradecimentos atrasados, andei meio afastado do blog esses dias.

        Gostei da opinião sobre Hawthorn, era exatamente o que queria saber, o que se pensava na época.

        Já li muito sobre F1 e a temporada de 1958 é frequentemente citada. Primeiro título de construtores, primeira de um inglês, primeira de um não latino, última de Fangio, etc.

        Eu gosto de opiniões da época. Lembro que Keke Rosberg era festejado como um grande piloto nos anos de 1983 a 1985, por vezes considerado o mais rápido da época, mas hoje ele nem aparece na maioria das listas dos melhores.

        Em alguns anos aparecerão alguns e dirão que Vettel era muito melhor que Alonso, mas não é assim que vemos hoje.

        Curtir

    2. Grande mestre, obrigado pela lembrança. Um feliz natal e um prospero ano novo para você e a todos os amigos do blog.

      Não posso esquecer também de você Julianne, gostaria de agradecer por esse espaço maravilhoso que que é point obrigatório de qualquer fã de f1.

      Um feliz natal pra você e toda sua família e muito sucesso em 2016.

      Abraços!

      Curtir

    3. Valeu AUCAM, pela lembrança dos comentários que aqui fazemos neste espaço que gentilmente a Julianne nos cede a cada post dela. Feliz natal a você e a todos que enriquecem este espaço que, em tempos de pouca disputa nas pistas, foi neste ano um dos poucos atrativos pra quem curte o esporte. Que 2016 nos reserve surpresas positivas e ou inusitadas pra comentarmos aqui. Quem sabe até o primeiro pódio de Hulkenberg por exemplo🙂. Abraços a todos!

      Curtir

  6. Parabéns pelo trabalho Ju! Espero que em 2016 você possa progredir ainda mais neste sonho de menina, e nós, em nossos sonhos de meninos de estar cada vez mais por dentro da F1.

    O seu blog não realiza apenas o seu sonho. Realiza o nosso tambem.

    Minha sugestão para 2016: Quanto mais você puder escrever sobre a parte técnica dos carros (inovações aerodinâmicas, mecânicas, da unidade de potência, etc.) Melhor! Infelizmente a atenção que a mídia e os blogs que cobrem a F1 dão a parte técnica dos carros ainda é muito baixa.

    Boas festas!

    Curtir

  7. Ju, a recíproca é verdadeira. Estando em um espaço tão animador e profissional, nos resta apenas agradecer a grandiosidade profissional e pessoal! Plagiando nosso amigo ‘Mussum’, kkkkkk, respondo de forma universal: “DINADIS!” KKKKKKKK

    Curtir

  8. Ju, você é uma das jóias preciosas da nova geração de jornalistas especializados em automobilismo.

    Poucas vezes vi (do sexo feminino você é pole position) tantos textos repletos de informações, análises profundas e fundamentadas com absoluto conhecimento de causa.

    Repito o que já lhe disse em outras ocasiões que você faz parte da minha lista dos três maiores jornalistas especializados que conheço e acompanho o trabalho.

    E isso só se conquista com credibilidade, virtude e muita dedicação. Você tem muito disso.

    O “Meu muito obrigada” do título do post, deixe-o pra mim: “O meu muito obrigado”, Ju por estar sempre nos brindando com ótimas análises, estatísticas, a cereja do bolo, o post das transmissões, e tanto mais.

    A extinta revista Grid tinha uma sessão com o seguinte slogan: “O que só grid vê no buraquinho da lona no meio do picadeiro”. Você consegue enxergar com muita precisão o que muitas vezes eu não vejo. E olha que acompanho a Fórmula 1 há 40 anos!

    Um forte abraço, um Feliz Natal e um 2016 repleto de realizações. Parabéns!

    Curtir

  9. Muito obg digo eu Julianne Cerasoli, vc merece esse reconhecimento e merece muito mais do q estas por vim por aí, vc tem competencia , credibilidade e imparcialidae o que é raro nesse meio. Te desejo um 2016 cheio de realizações e muito sussesso.
    Para o blog acho q materias com mas fotos ( e sei q vc tem um talento pra escolher fotos apimentadas e q sempre dizem mas do q a imagem em si ja diz).
    A volta do credencial seria bom.

    E acho q um canal no youtube vc respondendo as perguntas dos leitores digo em video, no meu ver seria fantastico, alem do mas q o youtube rende ate uma graninha legal pra quem tem muitos seguidores e visualizações e com sua competencia tenho certeza q a longo prazo será muito divertido esse lado.
    Aos amigos deste espaço um feliz natal e um 2016 cheio de saúde e muitos pegas na F1 e em todos os outros eventos automobilisticos q vcs acompanham q sei hehehe
    aucam amigo obg pelas palavras e a vc te desejo muita saúde e vida longa e q ninguem cale seus comentarios aqui, eles fazem esse espaço fikar melhor ainda, sempre podemos melhorar em qualquer aréa, e ao blog MUITO OBRIGADO.

    Curtir

  10. Muito obrigado pelos textos durante este ano, Julianne! Muito sucesso para você.

    Só uma sugestão para o blog: um programa igual ao Credencial. Sinto muita falta de um podcast de qualidade sobre a F1.

    Curtir

  11. Eu sinto falta de ver patrocinio serio nesse blog. Eu me beneficio da leitura dele, mas a autora, nao, ao menos financeiramente. E de gra;a fica meio chato de se fazer as coisas toda hora. Ate Jerry Seinfeld ganha um tutu para o webshow dele, que na teoria poderia ser de graca

    Entao que voce obtenha patrocinios, ou sei la qual ajuda financeira para ser recompensada pelo seu trabalho aqui. Boa sorte, obrigado pelo conteudo e dedicacao/ e saude para voce e a quem mais importa na sua vida em 2016.

    Curtir

  12. Ju, Parabéns pelo seu merecido sucesso. Feliz Natal e feliz Ano Novo.

    Sobre as matérias, estão ótimas, então além do que já vem eu sugeriria algumas sobre dados econômicos (Sei que já algumas ótimas, inclusive a primeira vez que li algo seu foi sobre a divisão dos lucros da F1).

    Abs

    Curtir

  13. Muito bom ter esse espaço para compartilhar da nossa paixão pela F1. Me sinto acolhida aqui. Desejo um final de ano cheio de alegrias e saúde para todos.

    Curtir

  14. Ter um lugar como esse pra ler e acompanhar F1 é uma coisa fantástica. Você leva o leitor pra dentro da pista. Espero pela volta do meu podcast preferido e, se puder, por favor poste vídeos.

    Curtir

  15. Se continuar do jeito que está, já é nota dez! Mas a gente sempre quer dez com três estrelinhas.

    Podcasts com convidados, para abordar os fins de semana de corrida, e videocasts para abordar a sua rotina num fim de semana de corrida – já que você aborda o que não é abordado normalmente, saindo da superfície e mergulhando no mundo da F1, deixe a gente saber como é que é este mergulho, não somente através de suas palavras, mas como se estivéssemos lá também.

    Outra coisa que seria legal de ver por aqui: patrocínio.

    Curtir

  16. Valeu Ju, estaremos aqui com certeza lendo seus textos diretos e precisos. Feliz Natal e ótimo 2016 para todos nós.

    Valeu aucam pela lembrança, vc complementa com brilhantismo os post da Ju trazendo sempre um pouco da riquíssima história da F1.

    Como sugestão quem sabe, um podcast via skype ou outra plataforma e quem sabe com a participação de nós, seus leitores. Não é difícil de fazer.

    Cheers!

    Curtir

  17. JuCera, eu não sei como você consegue escrever o seu post com tanta imparcialidade porque, pensa, é muito difícil você simpatizar com o estilo de determinado piloto e não favorece-lo no post.
    Acho que, na mídia, só você consegue esse feito. É fácil saber que determinado jornalista ou narrador tem preferência por um certo piloto. Mesmo ele não afirmando,fica evidente em seus comentários.
    Você não. Ninguém sabe pra quem você torce (EU acho que é Lewis). Você usa de dados técnicos , números e estatísticas para avaliar a prova. Eu já não conseguiria. Já deixo claro que torço pro Lewis e,mesmo quando ele dá uma bundada, vejo um lado positivo nisso.
    Desejo todo o sucesso que, você, pelo seu profissionalismo, merece. Quando digo isso, quero dizer (como já escrevi diversas vezes) você de comentarista na Globo com um salarião. Tenho certeza que o pessoal de lá lê o blog e sabe quem você é.
    Para meus amigos. Isso mesmo. Considero amigos,mesmo , às vezes discordando de determinadas opiniões. Mas, como são opiniões sobre o mesmo assunto e, como fora do blog, não tenho com quem conversar sobre F-1 pois não tenho nenhum amigo que acompanha, é só futebol, desejo tudo do melhor e o tempo necessário para que acompanhem e comentem todas as provas da temporada 2016.
    Abraço.

    Curtir

    1. Julianne, um feliz natal e um ótimo ano novo, que no próximo ano você nos brinde cada vez mais com suas informações e opiniões de altíssimo nível desse esporte fantástico que é F1 tu és um oásis para quem gosta de F1 como eu e todos que participam de seu blog pela sua maneira como você aborda vários temas relacionado ao esporte, principalmente a parte técnica a qual eu gosto muito de me informar, você sai da mesmice de todos profissionais brasileiros que cobrem a F1 para o Brasil.

      Curtir

  18. Nós é que agradecemos, por nos trazer um ótimo blog em que a sua preferência por pilotos não influenciar a análise ou matérias, nos proporcionando matérias sóbrias e muito agradáveis de ler!
    Como estou um pouco atrasado, só me resta lhe dizer:
    Que seja um ótimo 2016 profissional e pessoal para você!
    Abraços a todos do blog e um grande bjo Julianne!

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s