Balde de água fria

austria-test-mercedes-ferrari_3318432

Há quem desdenhe, questionando se a Mercedes está se preparando para o Mundial de F-1 ou de Endurance, mas o fato é que a performance – e a quilometragem – do time obtidos no primeiro teste da pré-temporada impressionaram a ponto de desanimarem os que estavam torcendo para uma reação da Ferrari já no início do ano.

É claro que todos os projetos estão em suas configurações iniciais – e o da Ferrari, por ter mas alterações, tem potencialmente mais a crescer do que os demais – mas o fato é que a Mercedes começou demonstrando muita força. E confiança.

O time só encomendou compostos médios à Pirelli, com um propósito claro que chegar o mais próximo de 800km/dia nos primeiros testes. Para se ter uma ideia, trata-se do que se anda por final de semana de corrida.

Mas e os tempos que a Ferrari conseguiu? Fazendo uma comparação com as informações que temos à disposição – e que estão longe de serem todas as que influem nos tempos de volta, os mais de 2s que Vettel colocou no melhor tempo da Mercedes na verdade denotam uma desvantagem entre 0s6 e 0s5. Ou seja, um cenário parecido com o do ano passado.

O melhor tempo de Vettel foi obtido em um stint de 3 voltas, com os ultramacios, enquanto a marca mais forte de Rosberg foi feita em um stint de 17 voltas, com os médios. De acordo com a Pirelli, a diferença dos dois pneus em um circuito como o de Barcelona estaria entre 1s8 e 2s3. E, como a diferença de combustível entre os dois carros deveria estar por volta de 15 a 20kg, deve-se somar mais algo entre 0s5 e 0s8 à conta.

É preciso lembrar, contudo, que há diversas variáveis que pesam muito no tempo de volta, desde o uso de DRS até a configuração do motor. Sempre lembrando daquela listinha básica para acompanhar os testes.

Mesmo levando isso em consideção, quem despontou como grande candidata a surpresa do início do ano foi a Force India, que já vinha em franca ascensão no final do ano passado e agora promete entrar na briga para ser a terceira força com Williams e Red Bull, algo confirmado pelo próprio Felipe Massa, que não escondeu a decepção com o desenrolar deste primeiro teste para o time inglês.

Para se ter uma ideia, nos tempos com correção de combustível, a Force India apareceu até mais forte que a Ferrari, ainda que saibamos que todos aqueles ingredientes listados acima interfiram de maneira bastante significativa. É altamente improvável que o time de Perez e Hulkenberg tenha crescido tanto, ainda mais sendo um cliente, mas entrar na briga do top 3 já seria um belo feito.

Na McLaren, Button e Alonso ficaram no top 3 do último setor a maior parte do tempo em que estiveram na pista, o que, em Barcelona, costuma ser um indicativo de que o chassi é forte. E o inglês afirmou que sentia que os problemas de falta de energia recuperada, grande ponto negativo do motor Honda em 2015, tinham sido solucionados. Ainda assim, ele e Alonso seguiram na lanterna dos speed traps durante a semana. Estaria a Honda trabalhando com uma configuração cautelosa para evitar quebras por enquanto? Isso seria bem lógico. E mais um motivo para esperar para tirar conclusões.

10 comentários sobre “Balde de água fria

  1. “… os mais de 2s que Vettel colocou no melhor tempo da Mercedes na verdade denotam uma desvantagem entre 0s6 e 0s5. Ou seja, um cenário parecido com o do ano passado.”

    “O melhor tempo de Vettel foi obtido em um stint de 3 voltas, com os ultramacios, enquanto a marca mais forte de Rosberg foi feita em um stint de 17 voltas, com os médios. De acordo com a Pirelli, a diferença dos dois pneus em um circuito como o de Barcelona estaria entre 1s8 e 2s3. E, como a diferença de combustível entre os dois carros deveria estar por volta de 15 a 20kg, deve-se somar mais algo entre 0s5 e 0s8 à conta.”

    Pois éh! Não dá pra entender do por que a Ferrari gastou todo este tempo, em “colocar tempo na concorrência” ao invés de fazer como a Mercedes, andar bastante para por a prova a durabilidade de todos os componentes. E a Scuderia precisava dar quilometragem ao seu bólido por justamente ser praticamente novo o carro. E não tem pra ninguém! Pelo menos nestes 04 primeiros GPs, a Mercedes será soberana e a briga pelo campeonato de pilotos ficará restrita entre Hamilton e Rosberg. Talvez a partir da fase européia a Ferrari (no carro #5) possa dar uma reagida e dar um pouco de sofrimento para a dupla da Mercedes.

    Curtir

  2. Julianne boa tarde!

    Veja o que disse um jornalista do site Motorsport Itália que cobre o dia a dia da Ferrari.

    Deve ser dito que o SF16-H sempre disparado com uma carga de combustível decente que nunca tentou uma qualificação real.

    Partindo dessa notícia sendo verdadeira, acho que teremos um campeonato, apesar de eu achar que a Mercedes esteja um pouco a frente da Ferrari, até pelo fato de a Mercedes vim de uma plataforma de desenvolvimento de seu chassi a 3 anos, diferente da Ferrari que mudou tudo e está apenas começando o seu desenvolvimento.

    Curtir

    1. Apenas copiei uma parte do texto do Franco Nuñes jornalista do Motorsport Itália.

      O Livio Oricchio tem a mesma opinião da Julliane.

      Apenas citei essa parte desse texto no meu comentário uma informação que eu achei importante para os debates de comentários no blog e sinceramente espero que a fonte da Ferrari que passou essa informação ao jornalista Franco Nuñes seja quente para que esse ano tenhamos uma temporada mais equilibrada.

      Abraços a todos do blog.

      Curtir

  3. eu acho q a vantagem da mercedes mercedes num é tudo isso naum, talvez 0,4 ou 0,3 e olhe lá, a Ferrari em ritmo de corrida os stinte foram tempos bons muito próximo do da mercedes, quanto de combustível cada uma usou nunca saberemos, vejo a Ferrari procurando melhorar pro treino de classificação, pq sabe q é importante largar na 1 fila , acho q teremos um bom campeonato.

    Curtir

  4. É fato que a Mercedes está a frente da Ferrari e eu não esperava nada diferente disso. O quanto está a frente é a questão. Em ritmo de corrida me parece muito próxima. Basta saber agora em uma volta lançada. Segundo li na imprensa italiana ainda vai haver muitas mudanças no carro da Ferrari inclusive no motor. Espero que as melhorias ajudem e que o campeonato seja mais disputado esse ano. Um ótimo final de semana a todos!

    Curtir

  5. Dentro destas regras, o carro da Mercedes sempre vai estar à frente dos outros. A questão é o quanto. E sob quais condições eles ficam mais vulneráveis. Lembremos que em Cingapura os alemães foram a terceira força do final de semana.
    Acho que de mais importante para a Ferrari é que as mudanças deram certo. Fizeram várias mudanças e tudo funcionou bem, o que nem sempre acontece. E até os Ferraristas sabem que se aproximar da Mercedes é possível, mas igualar ou passar é um sonho distante. Mas acreditar é o que faz que se trabalhe pesado para tentar conseguir, sem essa motivação fica impossível.
    Agora é esperar para ver aonde cada um está de verdade e se um tipo de pneu a mais pode ajudar nas estratégias. E até esse treino maluco pode atrapalhar um pouco os favoritos.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s