Como bater Hamilton

js114719295_pa_abu-dhabi-grand-prix-sport-large_transelezebxryj-zcfvkizsvalrlsnpsp8fys1axsy4o_zm

Últimas voltas do GP dos Estados Unidos. Nico Rosberg liderava uma corrida muito complicada por conta da chuva e estava prestes a adiar a comemoração do terceiro título mundial de Lewis Hamilton. Mas ele comete um erro, sai da pista, e é ultrapassado pelo inglês, que confirma o título.

Era quase impossível que Lewis perdesse aquele campeonato. Afinal, ainda faltavam três corridas para o final da temporada e sua vantagem era enorme. Mas aquele episódio mudou completamente a forma como Rosberg passou a encarar o desafio de bater um dos melhores pilotos que a Fórmula 1 já viu.

A partir do GP dos Estados Unidos de 2015, Rosberg percebeu que tinha que ser perfeito e agressivo na pista. E praticamente anular-se fora dela.

As três vitórias do alemão nas etapas finais daquele campeonato foram vistas por muitos como resultado do relaxamento natural de um Hamilton já campeão, mas acabaram provando ser o início da virada. Afinal, a partir dali, Rosberg mostrou que aproveitaria toda e qualquer brecha dada por Hamilton. Inclusive mentalmente.

Sim, o inglês teve seus problemas técnicos, tanto no começo da temporada, quanto no final, mas não foi tão brilhante quanto nas duas temporadas anteriores. Baku e Cingapura foram dois exemplos claros, assim como Suzuka. E em todos esses momentos Rosberg estava lá para aproveitar.

Curiosamente, toda essa mentalidade que acabou lhe colocando em posição de conquistar o primeiro título da carreira, veio com um custo considerável. O alemão, que havia dado algumas boas histórias para a imprensa no passado – ainda lembro do clima da sala de imprensa quando Hamilton relevou que o companheiro tinha dito que batera nele “para provar seu ponto de vista” na Bélgica em 2014 – resolveu se anular. Virou aquele piloto que desestimula qualquer pergunta, pois sempre responde o mesmo.

Isso, contudo, foi claramente uma tática para bater Hamilton. E a maneira como o alemão reagiu a seu título apenas comprovou isso. “Ele parece não ser humano”, definiu um colega inglês depois de presenciarmos sua coletiva de imprensa logo após a conquista. O olhar perdido, respostas mais vagas e repetitivas do que o normal, o choro que teimava em não deixá-lo raciocinar direito. Vimos hoje um Rosberg que há muito tempo não aparecia. E que fez aquela ferida de Austin se tornar um título mundial.

19 comentários sobre “Como bater Hamilton

  1. Oi Jú, o Rosberg correu muito bem hoje mesmo, soube controlar os nervos e o Hamilton valorizou muito o título dele a forçá-lo ao máximo da direção e d contração hoje.
    Não gostei da atitude da Mercedes pois o título de construtores já estava decidido e desde que estejam dentro das regras o Hamilton tinha o direito de andar mais lento pois exatamente foi o mais rápido nos treinos, por isso pode segurar.
    Jú vi você no link do Sky junto do Ico e mais 2 pessoas falando com o Nasser numa mesa em frente ao Lounge da Sauber. Alguma novidade no caso dele? Piloto de testes ou algo assim?
    Um ótimo fim de ano pra você.

    Curtir

  2. Julianne ,durante a corrida à corrida fiquei com a impressão que Ferrari e Red Bull vacilaram ao não chamarem Raikonen e Ricciardo para os boxes para colocar pneus ultra macios ou super macios quando faltavam 10 voltas,acredito que com o ritmo lento de Hamilton , eles conseguiriam tirar com facilidade mais de 3 segundos por volta , e chegariam nas 2 voltas finais com muito mais ação .
    O que você acha?
    Quanto a mudança de postura, aquele boné custou caro ao Hamilton, que perdeu o campeonato nas largadas ruins , e não na Malásia .
    Agora é torcer para que Red Bull , Ferrari e até Mclaren entre no jogo em 2017.

    Abraço e Parabéns pelas excelentes análises em toda a temporada

    Curtir

    1. Não deixei de peceber o marketing em cima do moleque abusadi vertapen a redbull favireceu o moleque chamando ricciardo na volta 10 para trocar pneu uma injustiça verstapen fez uma cagada na largada mas a redbull armou uma estratégia para ajudar o moleque , mesma coisa digo da ferrari raikkonen bateu tião em classificação r nesmo assim a ferrari so fez estratégia para favorecer o tião, que vergonha essa firmula 1.

      Curtir

  3. constatação

    2014
    19 etapas + 1 , pois a última corrida teve pontuação dobrada

    Hamilton 384
    Rosberg 317

    2015
    19 etapas

    Hamilton 381
    Rosberg 322

    2016

    21 etapas

    Hamilton 380
    Rosberg 385

    Em um campeonato com mais etapas Hamilton fez menos pontos que em seus campeonatos anteriores, enquanto Rosberg mostrou uma curva ascendente.

    Curtir

  4. Seu post me lembra uma entrevista do Button sobre o campeonato de 2014 ou 2015 (não lembro qual):
    “LeWis sempre sai mais forte de discussão mental, ataca-lo fora é fazer dele mais forte.
    A única forma de bate-lo é vencer na pista, apenas isso o desequilibra.”
    Rosberg deve ter prestado muita atenção nessa declaração dele e fez a lição da forma certa esse ano.
    E vou morrer dizendo:
    O campeonato só foi tão difícil para Rosberg pq devido a falta de aquecimento dos pneus deu passagem para Hamilton em Mônaco, ali Luis Amilton tirou uma boa diferença pro Alemão bom moço.
    Quando Lewis teve problema de performance ele não deu passagem pro Rosberg.
    Título mundial merecido!
    Um grande fim de ano pra você Julianne e até Março!
    Abraços pros meninos e bjs pras meninas.

    Curtir

    1. E quando foi que Hamilton teve problema de performance?
      Curisosíssimo você se lembrar de Monaco e se esquecer das 3 quebras e da punição para reposição de motores que Hamilton teve que fazer e Rosberg não.

      Memória seletiva é dose;

      Curtir

  5. Parabéns ao Rosberg. Merecido título. Bater um companheiro de equipe que é melhor, não é para qualquer um. E mostra que o Nico está próximo dos melhores da atualidade.
    Ju, parabéns pela excelente cobertura desta temporada, como sempre. Por nos trazer sempre novas notícias e explicar como funciona a F1.
    O que tem para nós até começarem os testes do próximo ano?

    Curtir

    1. Aproveito para agradecer aqui pelos cumprimentos de todos! Como gosto de ressaltar a cada ano, são vocês que mantêm esse ambiente sadio de troca de ideias.

      Respondendo ao Alexandre, tenho planos de alimentar o blog com mais features fixos ano que vem e na pré-temporada. Infelizmente, com a correria das viagens, é muito difícil fazer o post das transmissões.

      Curtir

  6. Merece o título, mas é extremamente conservador, pragmático… da até dó de ver um piloto tão excepcional como o hamilton perder o título desta forma, eu diria que foi sorte do rosberg, muita sorte, agora outra coisa, eu fiquei admirado como que eles conseguem controlar a distância do de trás.

    Curtir

  7. Rosberg lutou até o fim em 2 de 3 campeonatos contra um dos melhores (e talvez o mais rápido, junto de Senna e Clark) pilotos da história da categoria — em números, sem dúvidas; em opiniões, entra em qualquer top 10 sério, na minha forma de ver — e não se deixou abater com o campeonato de 2015 — ao contrário do que aconteceu com “segundos pilotos”, como o Webber —, no qual ele realmente não foi bem. Poucos pilotos mostraram tanta resiliência ao longo da carreira.

    Na minha forma de ver, Rosberg é muito menosprezado: tem números impressionantes pra uma carreira com apenas 3 temporadas competitivas, enquanto Hamilton teve condições de vencer em todas as temporadas que disputou, mesmo com o domínio da Red Bull; se mostrou um piloto que sempre evolui, tendo melhorado todos os anos em números de pódios e vitórias; e ainda resistiu a uma pressão gigantesca este ano, em especial em Cingapura e hoje.

    Ano que vem será muito interessante: Rosberg sem nada mais a provar e Hamilton mordido devem proporcionar grandes disputas; Verstappen e Ricciardo será uma disputa extremamente interessante de se acompanhar; a ascensão e confirmação de novos talentos, como o Ocon, Sainz, Vandoorne e Wehrlein; um Alonso podendo mostrar muito mais numa provável McLaren mais competitiva; uma baita briga no meio do pelotão entre Haas, Renault, Force India — que infelizmente acho que vai perder terreno ao longo do ano por conta da verba mais reduzida pra atualizações —, Williams — que corre o risco de voltar a ser equipe média após a temporada medíocre —, Toro Rosso — um provável bom chassi e motor atualizado — e McLaren. Mas agora, é ficar naquela tristeza até começar os testes de pré-temporada. Um bom descanso pra você, Julianne, e um abraço a todos.

    Curtir

  8. Francamente, pra mim isso é assunto apenas para gerar um texto, pois o que se viu foi Rosberg menos veloz do que Hamilton e como sempre incapaz de derrota-lo não sendo na largada ou por conta de punições.

    O problema das largadas foi um problema da Mercedes mesmo, visto como largaram mal em várias corridas e Rosberg também sofreu com ele, mas menos. Uma vez resolvido o problema por parte de Hamilton, voltamos a 2015. Rosberg impotente.

    Alguém pode até dizer que ele preferiu não arriscar, mas alguém acha mesmo que se pudesse superar Hamilton na largada como ele cansou de fazer, ele não faria e tentaria ser campeão logo nessas últimas corridas? Hamilton descontou 43 pontos de vantagem e depois 28.

    Diria até que em questão de performance ele foi mais superior do que era em 2015, mas as péssimas largadas cobraram seu preço, e as quebras que Rosberg não teve, também.

    Curtir

  9. Rosberg mereceu o título. Foi inteligente nesta reta final de campeonato. Foi cauteloso pois não precisava vencer para levar o caneco. Até acho que sofreu mais do que deveria, jogou fora alguns pontos no meio do campeonato por besteira como na Áustria e no Canadá.
    Ao contrário dos outros anos em que os dois disputaram. Ele fez corridas fenomenais em Baku, Cingapura e Malásia. O Hamilton sofreu sim com quebras. Mas isto faz parte. F1 não é so o piloto que faz a diferença. Esse chororo todo do Hamilton com a equipe é ridiculo. Ele tinha que agradecer de ter em mãos este foguete que é a Mercedes e que lhe proporcionou os seu últimos dois títulos.

    Curtir

  10. Rosberg mereceu o titulo, lutou pau a pau com Hamilton, talentosíssimo mas que a autoconfiança acabou prejudicando em alguns momentos.
    Julianne, ano que vem sera de muitas novidades, tanto em carros como nos pilotos, vejo muita gente falar que a Mercedes vai ter a companhia de RBR, Ferrari e McLaren nas disputas, mas a McLaren só pode estar sendo cotada pela estrutura que tem, pois o motor Honda ainda está longe dos outros e chassi não tem feito a diferença, você poderia dar sua opinião sobre a equipe?

    Curtir

  11. Como bater Hamilton? O único jeito é como Button disse: Dar pau nele na pista. Ele detesta isso e fica puto da vida. O problema é que Rosberg não consegue fazer isso e só foi campeão por conta das quebras de Hamilton. Não me lembro do Nico ter ultrapassado Lewis na pista, ganhando a posição dele.
    Tomar pau do companheiro desestabiliza a maioria dos pilotos. Tipo o Max fez com o Ricciardo.

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s