Turistando na F-1: Ah, o glamour de Mônaco!

“Ah, que glamuroso é o GP de Mônaco!” É meu pensamento toda vez que saio do circuito lá pelas 21h, morrendo de fome, abrindo caminho pela Rascasse cheia de gente bêbada querendo aparecer, com o sapato grudando no chão pela mistura de pista emborrachada e bebida caída no chão, e sabendo que falam algumas ladeiras até chegar em casa.

Mas eu sei que o cansaço causa efeitos colaterais como este. É legal, sim, estar em Mônaco. Talvez não glamuroso se você não tem muita bala na agulha, mas é legal. Um dos pontos altos da temporada é poder olhar aqueles prédios, curvas e cantinhos que você cansou de ver há décadas na TV por seu próprio ângulo. Quando os carros passam, a sensação de velocidade é maior no circuito de média mais baixa do que em qualquer outra pista – pelo menos é o que seu corpo sente. E pequenas diferenças de estilos de pilotagem ficam gigantes. Acho que especialmente no caso de Hamilton, você vai pensar duas vezes antes de criticar um piloto depois de ver o que eles fazem em Mônaco.

Mas como chegar lá? É tão caro assim? Claro que há várias maneiras de curtir o GP de Mônaco. Mesmo não estando lá. Há quem se divirta muito andando ou dirigindo na cidade nas semanas anteriores, quando a pista já está montada. Ainda no esquema mais barato, é perfeitamente possível hospedar-se nas cidades próximas (Nice é a maior) e ir de trem em meia hora.

Dá para ficar em hotéis em Mônaco na época de GP, claro, mas a não ser que haja uma programação com muita antecedência você vai pagar em uma semana o que muita gente não ganha em um ano.

Os ingressos também são um caso especial com vários tipos de pacotes – para um dia, três dias, ou só sábado e domingo – e, quanto mais na parte de cima você fica, mais barato (ou menos caro) é.

Há alguns anos, fui ver um treino livre da La Rocher, onde o acesso é liberado às quintas e cobra-se em torno de 60 euros – pouco mais de 200 reais – para o sábado ou o domingo. Há inconvenientes, claro, como ter de chegar cedo porque a “arquibancada” é um rochedo bem íngreme e não há muito espaço. E, se chover… Se quiser encarar e madrugar, a vista é ótima. Mas meu lugar preferido na pista é nas piscinas, onde os ingressos para o final de semana podem chegar a 760 euros (mais de 2650 reais).

Toda a região tem vista incríveis e muitos lugares a visitar em qualquer época. No verão, o destaque é o litoral, claro, e no inverno, as estações de esqui. Tudo incrivelmente perto. Mas Mônaco em si não tem muitos atrativos fora do GP – e o que eles chamam de praia não é exatamente o lugar confortável para passar o dia como fazemos no Brasil.

Quem gosta de pedalar tem as trilhas mais duras das montanhas e mais fáceis na orla, que vão até a Itália. Quem gosta de comer está feito, especialmente com disposição para abrir a carteira. E quem gosta de vinho…

RAIO-X

Preços: salgados. Para começar, a cerveja long neck é 8 a 10 euros, perto de 30 reais.

Ingressos: de 54 euros para sentar no barranco (no sábado) a quase 800 para a parte com melhor visão nas piscinas (nos três dias)

Melhor época: no GP. Pode não estar tão quente e chover, mas é quando o Principado ganha um ar especial.

Por que vale a pena? Precisa responder?

4 comentários sobre “Turistando na F-1: Ah, o glamour de Mônaco!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s