Drops do GP da Inglaterra e o troco de Hamilton

Rolou vingança de Hamilton em cima de parte da imprensa britânica

Um dos motivos para o F1Live em Londres ter sido anunciado apenas pouco mais de 24h antes da data marcada foi a preocupação com atos terroristas. E tal preocupação foi sentida também ao longo do final de semana de corrida. Pela primeira vez, vi cães farejadores sendo usados pela polícia dentro do paddock e até o exército estava presente. Não dá para negar que o Reino Unido passa por um período muito complicado.

 

Mas o clima britânico não é só pesado. Em Silverstone, é preciso pegar um ônibus ou van do estacionamento até o paddock. E neste ano colocaram aqueles vermelhos de dois andares. Todo mundo adorou. Essas viagens pelo circuito sempre vão me lembrar uma ocasião em que tirei uma foto do Alain Prost dentro do ônibus para o colega Felipe Motta publicar no Facebook dele como curiosidade. E choveram elogios ao piloto francês por “usar o transporte público”! Imagens podem valer 1000 palavras, mas às vezes algumas palavras as explicam melhor…

 

Voltando ao evento, foi a grande ação da Liberty Media até agora, e deu um gostinho do que está por vir. Todos apoiaram o F1 Live e começaram a imaginar fazer o mesmo em seus países. Massa em São Paulo ou no Rio, Kvyat em Moscou, Sainz em Madri… e nenhum deles imagina que iria preferir ir de férias para a Grécia bem no dia de um evento desse porte em casa.

 

De fato, a ausência não pegou bem para Lewis Hamilton – e a justificativa de que ele precisava se concentrar no campeonato, menos ainda. O público britânico chegou a vaiar o piloto quando seu nome foi mencionado por um dos grupos que se apresentaram, algo que a parte sensacionalista da imprensa inglesa aumentou 300 vezes. Mas a resposta veio na pista e, após a grande vitória, Hamilton deitou e rolou dizendo que “a forma como me preparei para este final de semana foi fundamental”. Isso, com a bebida energética que leva seu nome em mãos, aproveitando para aparecer diante de todas as TVs fazendo propaganda.

 

Se Hamilton estava se concentrando na Grécia, ninguém sabe, mas ele chegou com a garganta bem ruim na quinta-feira e bastante abatido, enquanto Valtteri Bottas mal conseguia conter o sorriso. Sorriso esse que desapareceu já na hora do almoço na sexta-feira, quando soube de sua punição pela troca do câmbio. A peça já preocupava a equipe desde as 10 voltas finais de sua vitória na Áustria e quebrou no mesmo ponto que o câmbio de Hamilton em Baku. No domingo, contudo, o finlandês voltou a andar confiante pelo cercadinho. Sabe que está fazendo até mais do que se esperava dele.

 

Falando em cercadinho, Vettel irritou os colegas ao falar apenas com alemães e italianos após a corrida. A assessora Britta até chegou a tentar levá-lo para outras TVs, mas ele a puxou para fora de lá. Não sei dizer se foi má vontade ou irritação, mas pelo menos o tom dele era bem tranquilo quando falou com a imprensa escrita, cerca de meia hora depois.

 

Foi uma pena não ter tido oportunidade de conversar com Felipe Nasr durante o final de semana do GP da Inglaterra, mas o piloto esteve no paddock em Silverstone e falou de forma evasiva sobre seu futuro, deixando claro que seu objetivo é voltar à F-1, mas abrindo outras possibilidades. Há tempos que lhe aconselham tentar a Indy, mas ele sempre refutou essa ideia, que começa agora a amadurecer. Ao mesmo tempo, não deixa de ser interessante sua presença logo antes do teste que será realizado depois do GP da Hungria. Ainda assim, mesmo sendo um piloto com certo nome no paddock, seria necessário algum investimento para conseguir uma vaga, e não está claro se Felipe o tem.

8 comentários sobre “Drops do GP da Inglaterra e o troco de Hamilton

  1. Ju é mto bacana a sensação que tenho ao ter sob seu ponto de vista, vc nos passa o que ocorre em bastidores que certamente sao impossiveis de ser captados pela melhor camera q existe, a leitura q vc faz sobre comportamento e espirito dos pilotos é fundamental para observarmos se ha coerencia naquilo q eles nos relatam.
    Com suas palavras pude viajar ate Silverstone e sentir um pouco dessa incrivel atmosfera que esse esporte nos proporciona!
    Obgdo e parabens!

    Curtir

  2. Nao sei se Felipe ainda tem o patrocínio do BB, mas mesmo na Indy penso que teria de trazer um aporte financeiro, bem menor, claro, que na F1. Talvez o Grupo Bandeirantes, que detém os direitos da categoria no brasil, o ajudasse. Até porque, em se confirmando o boato da saída do Castroneves, seria muito ruim para a categoria no Brasil, talvez o país, fora dos EUA, em que a Indy tem mais audiência.

    Curtir

  3. Somente pela curiosidade: Vettel deu entrevista para a TV inglesa Sky , logo depois da corrida, andando pelo paddock sem parar, é verdade, mas respondeu vârias questões da jornalista, até chegar no motorhome da Ferrari. Não parecia muito irritado.

    Curtir

  4. Meus parabéns pelo ótimo trabalho Julianne. Sua página no Facebook é a única que deixo com a configuração para ver primeiro, pois sei que sempre tem conteúdo de qualidade.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s