Estratégia do GP da Itália e o massacre na Ferrari

É impressão minha ou sempre que a Ferrari tem pintura comemorativa ela vai mal?

A Fórmula 1 está longe de ser um assunto fácil de ser tratado, e como já abordei algumas vezes nos testes técnicos das quartas-feiras pré-GP, muitas vezes temos de simplificar alguns conceitos para torná-los mais ‘digeríveis’ e isso seja imprecisões que podem interferir na compreensão das corridas.

Vi muitos exemplos disso nos comentários após o GP da Itália, quando todos tentavam entender de onde veio os cerca de 0s5 por volta de vantagem da Mercedes, algo similar ao que acontecera em Silverstone, mas que, com a reação da Bélgica, parecia menos provável em Monza.

Primeiro é preciso entender por que o motor Mercedes é tão melhor em Monza: assim como já havia sido notado em Baku, a eficiência da unidade de potência alemã ainda é superior ao conjunto ferrarista. Ainda que não haja tanta diferença de potência, o motor Mercedes ainda é capaz de usar melhor a energia híbrida, minimizando os episódios de de-rating.

O de-rating acontece quando a UP não consegue gerar potência por toda a reta, perdendo os cavalos a mais da energia híbrida em determinado ponto da aceleração, e é algo que afeta a todos em menor ou maior escala – e é uma palavra com a qual Alonso tem pesadelos. Por terem o motor mais eficiente do ponto de vista energético, os pilotos equipados com Mercedes sofrem menos com isso. E não é coincidência que Force India e Williams andaram bem melhor que os rivais diretos em Monza. A diferença foi em torno de 10km/h no final da reta apenas entre os Mercedes e os Ferrari.

Mas velocidade de reta não é só motor, mas também uma equação em que entra a pressão aerodinâmica x arrasto, ou seja, a força que ‘gruda’ o carro no chão e lhe dá estabilidade especialmente em curvas de alta velocidade, versus aquela que gera resistência na reta.

A Williams, por exemplo, é um carro que gera pouco arrasto normalmente. Mas mesmo um carro que gera muita pressão aerodinâmica, como o Mercedes, pode diminuir o arrasto por meio de um pacote aerodinâmico específico.

Todas as equipes do grid usam esse tal pacote em Monza, e o da Ferrari, talvez por ser menos agressivo, não funcionou a contento. Portanto, eles tinham uma defasagem tanto de eficiência da UP, quanto aerodinâmica.

Para completar, a equipe tentou uma mudança de acerto após os treinos livres de sexta-feira que não pôde ser validada no sábado devido à chuva, e no domingo ambos os pilotos estavam reclamando que o carro se movia muito nas freadas. E não há nada pior para o piloto do que esse tipo de comportamento em Monza.

Tanto, que essa era a grande preocupação da Mercedes antes da prova, e foi algo em que o time focou após Spa porque era justamente a reclamação dos pilotos. Daí a explicação do porquê de Hamilton citar após a prova que o time tinha conquistado uma vitória tão marcante “apenas com mudanças no acerto”.

Isso, e um motor que há quatro anos destrói a concorrência em Monza.

Em termos de estratégia em si, o GP da Itália não costuma ter segredos. Devido à longa reta, o tempo de perda nos boxes é alto e é sempre melhor fazer menos paradas. A única “mágica” possível de inventar é largar os os pneus mais duros e fazer um primeiro stint mais longo, aproveitando a aderência adicional para atacar no fim, algo que Ricciardo conseguiu fazer à perfeição.

O australiano só não conseguiu chegar ao pódio porque Vettel adotou um modo de motor mais forte no final. Aliás, no final das contas, o fato de ter corrido sozinho pela maior parte do tempo permitiu ao alemão não forçar tanto o seu turbocompressor e o ICE que já estão bem rodados. Ainda é difícil de crer na certeza da Ferrari de que o tetracampeão chegará ao final da temporada com apenas dois turbos sendo usados desde a quinta etapa, mas também não dá para colocar nisso uma derrota que não traz motivos para abalar a confiança para a próxima etapa. Na verdade, o que aconteceu em Monza só torna Cingapura ainda mais interessante.

16 comentários sobre “Estratégia do GP da Itália e o massacre na Ferrari

  1. Ju, Vettel pareceu ter enfrentado menos problemas que o Kimi. O finlandes parecia não ter ritmo algum, tanto que sofreu com Ocon e Stroll. Em termos de performance, não da pra entender muito o porque da Ferrari ter renovado com ele. Da para dimensionar o quanto teve de lobby do Vettel na renovação do Kimi?

    Curtir

  2. Ju, saindo um pouco do tema, com as negociações McLaren – Renault – Toro Rosso, podemos vislumbrar as seguintes combinações:
    Renault: Hulkenberg / Sainz
    McLaren: Alonso / Vandoorne
    Toro Rosso: ??? ( Kvyat)

    Abraço

    Curtir

  3. Jú, a mudança de acerto depois dos treinos de sexta foi decorrente da diferença de 1 segundo no primeiro treino? Eu entendo as diferenças entre Spa e Monza, mas não dá pra negar que Vettel e a Ferrari se empolgaram ou passaram essa impressão depois do circuito Belga mesmo sabendo que a Mercedes sempre foi absoluta em Monza? Frase do tipo, “agora podemos brigar, ou não vamos temer nenhum circuito” levou muita gente a acreditar na briga palmo a palmo em Monza. Para Cingapura até espero a Ferrari a frente mas não com toda essa diferença.
    Abraço

    Curtir

  4. No fim das contas o Vettel chegou aonde poderia mesmo. Agora tem que torcer para a RedBull tirar pontos da Mercedes em Cingapura.
    Se a Ferrari tinha problemas nas frenagens, a ultrapassagem do Kimi sobre o Ocon foi sensacional, ele freiou quase na chicane.

    Curtir

  5. Agora vem Cingapura, pista q deve favorecer a Ferrari para uma reação.
    Mas fica a duvida: Nos retões da Malasya, Mexico, EUA e Abu Dhabi, a Ferrari tambem vai sofrer?

    Curtir

    1. Não acho que o raciocínio seja “onde tem reta longa a Ferrari sofre”, mas sim “em um circuito em que é a volta é praticamente toda de pé embaixo a Ferrari sofreu”. Vettel ganhou no Bahrein e quase levou Barcelona, por exemplo, e manteve Hamilton relativamente por perto em Baku mesmo com a maior reta do campeonato. São outros fatores que vão se juntando. Malásia e Abu Dhabi, por exemplo, têm o calor. E também haverá uma evolução de motor apenas do lado ferrarista, que acabou ficando “fora de sintonia” com a Mercedes depois que eles introduziram melhoras em Silverstone e Spa.

      Curtir

  6. Essa bela foto mostra o quanto essas malditas barbanas atrapalham o visual dos carros!!! Você falando em arrasto e eficiência, Ju, me fez lembrar o quanto as linhas harmônicas e bem desenhadas do bico da Mercedes parecem contribuir com a produtividade do conjunto prateado. O único bico que se assemelha ao da Mercedes é o da Toro Roso…

    Curtir

  7. Oi Julianne,
    Somente pintura conta? Pq teve aquele macacão, vencedor, verde e amarelo do Felipe Massa em Interlagos, ou ele não venceu e estou enganado?
    rs
    Ah! O email não está chegando por algum motivo.
    Abraços pros meninos e beijos pras meninas!

    Curtir

  8. Já disse isto em outro post e repito agora: a Ferrari sempre parece confusa quanto ao acerto no começo do fim de semana. Conforme os treinos passam, eles se ajustam. Mas, como choveu pesado em Monza no sa´bado, eles pareceram completamente perdidos no acerto, e o resultado foi um domínio acachapante da Mercedes.

    Não vi em nenhum outro lugar isto, mas achei esquisito: https://it.motorsport.com/f1/news/retroscena-ferrari-lenta-la-mercedes-ha-ridotto-la-potenza-dei-motori-949267/?s=1. “La Rossa era troppo bassa per il bagnato delle qualifiche e troppo alta per avere il carico aerodinamico necessario a sfidare le W08” 😱

    Se isso for verdade, simplesmente cometeram um erro básico de acerto, o que é inadmissível para um equipe que pretende lutar pelo título e para dois pilotos experientes.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s