Corridas e análises

Os acidentes de 2017

Não foi um ano de acidentes sérios, mas a temporada de 2017 teve algumas barbeiragens. E outras colisões pelo menos estranhas. Entre os protagonistas, não há muitas surpresas: Lance Stroll começou o ano causando prejuízos para a Williams, e Kevin Magnussen se envolveu em vários toques ao longo do campeonato.

Outro que aparece com certa frequência é Carlos Sainz, piloto rápido mas ainda inconstante. E o quase magnetismo da dupla da Force India.

A batida mais feia do ano, contudo, foi causada por um campeão do mundo em sua despedida: Jenson Button tentou uma manobra bastante otimista em Pascal Werhlein no GP de Mônaco. Mas o acidente mais marcante do ano seria meses depois, “naquela” largada de Cingapura.

Quem foi o barbeiro do ano para vocês?

9 comentários em “Os acidentes de 2017”

  1. Pra mim o pior de todos é o Palmer, que esta empatado técnicamente com o Kvyat … puts, os dois são muito barbeiros. Nem pra dirigir na rua eles não ficariam sem fechar e bater em alguém … hahahahahaha

  2. Fácil! O barbeiro do ano foi Vettel!

    1 – bateu propositadamente em Baku… road rage!
    2 – bateu após a corrida terminar… Stroll não foi 100% isento, mas você só bate depois da corrida acabar se correr riscos *desnecessários*
    3 – A cereja do bolo, a batida na largada de Cingapura. Excesso de agressividade em uma corrida que “já estava no saco”, as conseqüências p/ o campeonato, e a “plasticidade” de toda colisão e número de pilotos afetados.

    Se fosse um piloto inexperiente, poderíamos dar o benefício da dúvida…. mas p/ um tetra-campeão mundial… não. Foi o barbeiro do ano e isso pode ter custado o campeonato. Certamente minou suas chances de conter Hamilton!

  3. ” O quase magnetismo da dupla da Force India”, sensacional!
    Dá para dar eleger algumas categorias.
    Barbeiros: Magnussem e Kvyat.
    O Sainz conviveu muito com o Kvyat, por isso merece um desconto.
    Braço duro: Palmer, Stroll e Ericsson.
    Acidente mais sensacional: Cingapura.
    Até o Hamilton errou no Brasil.

  4. Foram tantas barbeiragens, mesmo que pequenas, que fica complicado escolher um.
    Stroll e Kvyat merecem o prêmio pela constância e quantidade.
    Vettel pela qualidade (que batida em Cingapura!)
    A dupla da Force India merece pela rivalidade, jogou muita graça no campeonato a disputa entre os dois.
    E o Button merece pelo conjunto da obra, se irritou, e resolveu passar na marra aonde não havia espaço.
    Complicado escolher, mas vou de Button!
    Grande abraço a todos!

  5. Difícil escolher o barbeiro do ano…
    Jenson Button; (bateu em 100% das provas disputadas – e daí que este resultado não possui representatividade estatística) 🙂
    Romain Grojean e Esteban Ocon pela “cagada sincronizada”;
    A dupla da Force India pelo “magnetismo”, quase coisa do destino”;
    Lance Stroll;
    Jolyon Palmer;
    Danill Kvyat…

    Um grande abraço do fundo do meu coração vermelho de outubro de 1917,
    Atenágoras Souza Silva.

Deixe uma resposta