Turistando na F-1: guia de sobrevivência do GP da Austrália

Apresento-lhes a gloriosa segunda temporada da série turistando, agora dando dicas objetivas para quem já soube mais sobre os destinos da F-1 no ano passado e pode começar a planejar aquela viagem dos sonhos.

Para quem não viu o texto de Melbourne, segue o link.

Compre ingresso para: general admission

Melbourne é um dos casos em que o ingresso mais barato vale a pena, pois dá várias opções de chegar bem perto dos carros, nos gramados do Albert Park. Uma boa estratégia é ver o início da prova do morro da curva 2, depois ir para a 3 e 4, onde acontecem muitas ultrapassagens, e no final ir para o lado de fora da curva 2, tendo acesso mais rápido à festa do pódio. O ingresso custa cerca de 520 reais para os quatro dias. Há pacotes familiares que também valem muito a pena.

 

Hospede-se em: St. Kilda

Claro que você pode ficar no centro de Melbourne e terá acesso muito fácil via transporte público para pista, mas em St. Kilda, que grudado em Albert Park, você fica próximo da praia em uma região mais barata e com muitas opções de restaurantes e bares. É como se fosse uma parte mais hippie da cidade.

 

Vá de: tram

O sistema de transporte de Melbourne é muito bom e é montado um esquema especial para o GP. Não existe a menor necessidade de ir de carro.

 

Não perca: a fan zone

O espaço do parque é muito bem utilizado e conta com diversas atividades para os fãs, em um GP que tem corrida da base até na quinta-feira. Também é possível chegar bem perto dos pilotos, na entrada do paddock, e tentar um autógrafo.

 

Combine com: Perth

Quando se fala em Austrália, é normal pensar em destinos como Sydney ou a Gold Coast, mas vale a pena dar atenção ao lado oeste do país, especialmente para a região de Perth. A cidade tem um clima mais jovial, praias maravilhosas – coloque Mullaloo no Google – trilhas e muita biodiversidade. E tem sol por mais de 3000 horas por ano. Além disso, é a terra de Daniel Ricciardo. Mais cool impossível.

 

Quanto fica?

Considerando cerca de 3500 para a passagem, 520 para o ingresso e 1000 para a hospedagem (que é cara em Melbourne e pode ser barateada com Airbnb), ficaria algo em torno de 5000 + gastos com alimentação. Nesse sentido, é uma cidade com opções para todos os bolsos.

Um comentário sobre “Turistando na F-1: guia de sobrevivência do GP da Austrália

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.