“Correndo” nas ruas de Mônaco

É fato que o GP de Mônaco historicamente é ganho até com facilidade com apenas uma parada no box. Mas não deixou de chamar a atenção o fato de, mais uma vez, os pilotos terem corrido com o “freio de mão puxado” para fazer a melhor estratégia na pista funcionar. No caso de Mônaco, esse sempre foi o caso porque se “a” pista em que a posição de pista ganha vantagem em relação a qualquer outra tática. Mas o que estamos vendo é que, em que pese a competitividade do campeonato, o que nos fez ter resultados até aleatórios na temporada até aqui, os carros atuais fazem brotar aqui e ali cada vez mais Mônacos, mesmo com os pneus mais macios que a Pirelli já fez.

Esse está longe de ser um problema novo, mas em 2011 o combo DRS e pneus de alta degradação pareceu ter dado uma nova cara às corridas. A Ferrari, com Alonso, chegou a ganhar uma corrida com quatro paradas no box, em uma performance alucinante do espanhol. Porém, especialmente após as alterações de 2017, esse tipo de tática passou a ser impossível porque simplesmente é preciso uma diferença abismal para sequer tentar uma ultrapassagem.

Sabendo disso, a Pirelli tornou seus pneus mais macios e criou o hipermacio, o que em teoria significa dois degraus acima em termos de degradação em relação ao ultramacio do ano passado. E o que aconteceu? Mais uma vez valeu mais a pena andar devagar e sempre do que efetivamente disputar uma corrida em Mônaco.

Não por acaso, Hamilton saiu do carro dizendo que, se estivesse no sofá de casa, estaria dormindo. Isso não aconteceu por conta de uma excelente pilotagem de Daniel Ricciardo, que superou uma perda significativa de motor de maneira tão brilhante que Vettel sequer chegou a pressioná-lo. O australiano falou que perdeu o MGU-K. Se foi esse mesmo o caso, ele tinha uma desvantagem de cerca de 160 cavalos para Vettel e também não podia usar a oitava marcha para não danificar o motor. Ou seja, no único ponto de ultrapassagem do circuito, estava exposto, mas conseguia se garantir focando no trecho entre o Cassino e a Portier.

Existe, contudo, o outro lado da história. Vettel disse que desistiu de tentar qualquer coisa porque, caso contrário, temia que os pneus ficassem num estado muito ruim. E isso basicamente acabou com suas opções de vitória.

Quem também evitou um sono coletivo foi Max Verstappen, mais pela expectativa gerada do que pelo que ele mesmo conseguiu fazer na pista. No início, passou de maneira limpa os rivais mais lentos e depois passou grande parte da corrida andando no mesmo ritmo de Alonso e tentando levar os pneus ultramacios ao maior número de voltas possível antes de colocar os hipermacios para atacar no fim. Ou seja, estava sendo bem mais lento do que poderia porque ser rápido não adianta quando não se tem posição de pista em Mônaco.

Em mais um final de semana sólido, Pierre Gasly conseguiu fazer os hipermacios – aqueles que deveriam derreter em pouco tempo – durarem até a volta 43: perguntei como e ele disse “boa pergunta”, mas creio que já temos a resposta. É porque ele pilotou bem mais devagar do que poderia.

Isso surpreende em Mônaco? Não. A grande empolgação do Principado é o limite tênue entre ser um Ricciardo e ser um Verstappen: o próprio Gasly disse que tocou a mesma barreira que o holandês na classificação, mas conseguiu se safar. Mas é uma tendência que nem mesmo os pneus chiclete puderam resolver.

9 comentários sobre ““Correndo” nas ruas de Mônaco

  1. Ricardo mereceu muito e fez um ótimo trabalho com o problema que teve, mas na mesma situação Vettel e Hamilton fariam o mesmo e não seriam ultrapassados pq Mônaco não permite isso com carros com desempenho semelhante, simples assim. Mônaco é lindo e tudo mais, mas que pese a tradição as corridas normalmente são chatas. Gostaria de ver a Rede Bull entrar na briga mas acho pouco provável que isso aconteça. No fim das contas acho que fica entre Vettel e Hamilton mesmo pq Bottas e Kimi também não me parecem confiáveis.

    Curtir

  2. Quem assiste o gp de Mônaco pensando numa corrida empolgante, tem que fazer a dança da chuva. Concordo com a Daniela que o título fica entre Hamilton e Vettel. E o Vettel perdeu alguns pontos por não focar nisso.
    E o Verstappen perde mais uma chance de vitória, seria pelo menos segundo colocado.

    Curtir

  3. Algo está errado quando no meio da corrida, Stroll de Williams em último faz uma volta mais de 4 segundos mais rápido que os líderes. O GP foi em Mônaco, é verdade. Mas esse tipo de situação eu nunca vi antes e simplesmente não pode ocorrer.

    Curtir

  4. Todo mundo poupando pneus, poupando unidade de potência, poupando freio, poupando gasolina, poupando carro, poupando piloto, poupando corrida, comida, asfalto, luz, barco, mar, água. Essa corrida é daquelas de dar calo na vista.

    Ju, o que estava fazendo os pneus ultramacios e hipermacios se degradarem tanto era a temperatura, pois o asfalto não é tão abrasivo assim lá. Ou tem outra coisa ?

    Curtir

  5. Imagino a alegria do Ricciardo em lembrar a cada minuto que ele ganha 1/3 do Verstappen.

    A maneira como Ocon saiu da frente do Lewis foi mais que embarrassing. Ali deu para ver que a Mercedes manda em quem tem motor mercedes..idem para Ferrari- Sauber. Ao menos as equipes com motor renault competem de verdade.

    Por que nunca consultam os pilotos na hora de propor alguma mudanca para melhorar a categoria? Sao eles que dao o espetaculo.

    Leclerc descobriu o que significa o ditado ”na formula 1 voce he bom ate a corrida passada”.

    Monaco ja foi melhor com o Ranier e a Grace na premiacao. O filho deles nao esta com nada. Cade a Stephanie?

    Curtir

  6. Ju, boa noite. Como anda a questão da bateria da Ferrari? Está saindo noticiais de que a FIA absolveu ela. Você disse que tem duas vertentes, mas para você a Ferrari tirou o sistema ou conseguiu explicar o funcionamento?

    Curtir

  7. Oi Plow!
    Precisamos dar um desconto ao Leclerc nessa batida, acabaram-se os freios, o que o garoto podia fazer? Virou passageiro do carro, paciência e vida que segue.
    “Imagino a alegria do Ricciardo ao lembrar que ganha 1/3 do Verstappen”
    Melhor comentário sobre a dinamica na RedBull Plow! Ri até ter dor de barriga.
    Oi Alexandre!
    Vettel não perdeu pontos por não focar na briga com Hamilton, perdeu pontos por causa do Verstappen mesmo. Tanto que Hamilton agradeceu ao garoto.
    A pilotagem do Ricciardo foi incrível, inclusive segundo Cristian Horner ele mudou o próprio estilo de pilotar para levar o carro até o fim, me pergunto quantos pilotos no grid teriam capacidade de fazer isso. Não fosse pelo Ricciardo teria sido um GP bem chato.
    Grande abraço a todos!

    Curtir

    1. Nato, ja que o Ricciardo estava super lerdo o Vettel poderia ter adotado o mesmo tempo ao inves de detonar nas retas, gastando os pneus. Assim sobraria pneu no final para atacar o Ricciardo. Foi a unica coisa que me segurou no sofa, no gp mais chato de todos e minha ideia nao deu frutos. O Vettel acabou com os pneus e tchau emocoes.

      PS: Vi a GP2 e como sempre, melhor para assistir.
      Cometi engano, parece que o Ricciardo leva 2/3 do salario do Verstappen para casa..ainda assim, um descalabro.

      SDS

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.