As decepções da temporada até aqui

Enquanto teve equipe praticamente novata e piloto jovem surpreendendo, vários medalhões ficaram devendo até aqui na temporada 2018, dentro e fora do cockpit. Aí vai a lista:

 

Falhas de Vettel sob pressão

O alemão poderia muito bem estar liderando o campeonato. Na verdade, deveria, pois tem nas mãos aquele que tem sido o carro mais consistente neste ano. Mas somou três erros capitais, forçando demais uma ultrapassagem em cima de Bottas com freios e pneus frios em Baku, bateu também com o finlandês na França e, é claro, escapou sozinho quando liderava na Alemanha. É difícil prever o que teria acontecido com sua corrida em Paul Ricard, mas dá para calcular mais ou menos 35 pontos jogados fora. É importante para Vettel virar o jogo na segunda metade da temporada, uma vez que mais erros podem minar rapidamente sua posição de força dentro da Ferrari.

 

Falhas da Mercedes sob pressão

Lembro de entrevistar Toto Wolff ainda no testes e notar nele uma grande preocupação em relação à motivação de sua equipe depois de quatro anos em que eles tiveram, salvo no início de 2017, vida fácil. E parece que o temor era justificado: pela primeira vez desde os anos 1950, no GP da Áustria, a Mercedes sofreu um abandono duplo por problemas de confiabilidade, e as estratégias deixaram a desejar por várias vezes, desde o drible da Austrália até a incerteza que quase tirou de Hamilton a vitória na Alemanha.

O poço sem fundo da Williams

Falando com Felipe Massa no começo do ano, perguntei se ele tinha qualquer indicativo da queda de sua Williams nesta temporada e o piloto se mostrou muito surpreso. “Na verdade, o que eu esperava era justamente o contrário!”. Afinal, seria o primeiro projeto com a direção técnica de Paddy Lowe, mas o que se viu até aqui foi um verdadeiro desastre. O carro, além de lento, é imprevisível, e a equipe está tão perdida no desenvolvimento que vê os mesmos problemas se repetirem desde a Austrália. Pelo menos nessa primeira metade, a imagem que fica é do verdadeiro carnaval de flow-viz dos testes de Budapeste, um péssimo indicativo.

 

McLaren de motor novo

Chega até a ser cômico lembrar das declarações dos chefes da McLaren ano passado, garantindo que o GPS comprovava que seu carro estava no nível dos Red Bull em contorno de curva, especialmente em pistas como Hungaroring ou Mônaco, e que os resultados só não vinham por conta da defasagem do motor. Agora o time não apenas é o pior entre os que usam o motor Renault, como também perdeu o bom desempenho nos circuitos de baixa velocidade, com um carro que ao mesmo tempo gera muito arrasto nas retas e não gera pressão aerodinâmica nas curvas. Ou será que Gasly está certo e a dirigibilidade do motor Honda é melhor mesmo?

 

As “negociações a céu aberto” da Liberty

Os exemplos são inúmeros, mas o mais claro foi o caso do GP de Miami. Primeiro foi anunciado que ia acontecer, depois que não seria em 2019 e agora muita gente duvida que vai mesmo sair do papel – e se questiona por que anunciar algo que era apenas um projeto inicial. Isso sem falar no F1 Live, streaming que não está disponível no Brasil e que deu muita dor de cabeça no começo do ano também por ser lançado antes de estar pronto. São desgastes que vão minando a confiança no pulso dos novos donos.

15 comentários sobre “As decepções da temporada até aqui

  1. Vettel sempre errou sobre pressão, vide a vitória de Jenson Button quando o pressionava em um GP (se alguém colocar qual agradeço, me falha a memória em qual foi nesse momento). Se ano que vem o status quo atual da F1 se mentiver e ele perder os dois campeonatos para Lewis, ele vai confirmar o que seus críticos sempre disseram:
    Que era a Red Bull que ganhava os campeonatos e que ele, Vettel, não é tão piloto como se diz. Eperamos para ver.
    Sempre escrevi no blog que era impossível a McLaren avaliar o seu chassi uma vez que eles mal conseguiam andar com os motores Honda e assim conhecer realmente as fraquezas e fortalezas do carro, agora está provado que eles estavam longe de ter uma máquina tão boa quanto afirmavam.
    A saída de Daniel Ricciardo da Red Bull fará falta aos japoneses, ele poderia dizer se a dirigibilidade do motor Renault é realmente tão inferior a do motor Honda, será que Vertappen é bom o suficiente para isso ou é apenas um piloto de velocidade como Lewis Hamilton, que por vezes parece incapaz de dirigir o carro sem os engenheiros?
    Pilotos realmente completos no grid são apenas Fernando Alonso e Daniel Ricciardo.
    Dizer que tudo está pronto quando na realidade são apenas ideias é feio por causa disso, as coisas deixam de ir para frente e perde-se a credibilidade.
    Grande abraço a todos do blog!

    Curtir

    1. “Pilotos realmente completos no grid são apenas Fernando Alonso e Daniel Ricciardo”

      Senti uma ponta de preferência pessoal aí 🙂 Alonso OK, mas o Riccardo, talvez por simpatia e algumas boas ultrapassagens é badalado demais! Na chuva, é uma lástima, raramente em condições de igualdade consegue competir com o próprio companheiro de equipe (VER).

      Um abraço.

      Curtir

      1. Na chuva é uma lástima porque? Que corrida ruim na chuva ele fez pra você chamar de lástima? Agora fiquei curioso. Espero uma resposta.

        Curtir

      2. Você não prestou atenção então, pois Ricciardo estava bem atrás de Stroll quando este rodou e bateu na pista, causando uma bandeira amarela e tendo que abortar a volta lançada.

        Depois a chuva piorou e nem se fosse o Senna ali daria pra melhorar a volta.
        Foi puramente uma questão de azar pois ninguém melhorou volta depois dessa bandeira amarela.

        Curtir

  2. Oi Douglas!
    Tem sim uma pitada de preferência a mais por esses dois, mas deixando as preferências de lado, vamos aos fatos:
    Com um problema no MGU-H Daniel Ricciardo gerenciou os freios, o próprio MGU-H e talvez mais alguns problemas para ir até o final e vencer em Mônaco, tá certo que a pista é de baixa velocidade e a perda de potência nem interferiu muito na vitória.
    Lewis Hamilton com o mesmo problema a alguns anos atrás abandonou (também não lembro o GP). E quem se esqueceu dele perguntando ao engenhario:
    “O que eu faço agora?”
    Além é claro de tomar decisões erradas sobre parada nos boxes em alguns momentos.
    Ele é rápido? Sim. Possui talento acima da média (talvez o mais talentoso do grid atual)? Com toda certeza, mas…
    Gerencia mal as corridas e o carro.
    Sebastian Vettel, gerencia bem as corridas e os carros, mas…
    Todos os seus títulos são com uma Red Bull dominante e ainda erra quando está sobre pressão.
    Max Verstappen, possui talento, parece gerenciar bem as corridas, é jovem, ou seja, tem tempo para crescer, mas…
    Comete erros crassos, os repete e ainda é arrogante.
    Fernando Alonso, gerencia bem demais as corridas, já pediu punição em cima de Vettel por ele cometer um erro durante Safety Car, ou seja, o cara tá ligado em tudo, possui velocidade, mas…
    Seu caráter duvidoso lhe deu um fim de carreira melancólico e com menos títulos do que deveria ter.
    Daniel Ricciardo, faz ultrapassagens fantásticas, gerencia bem o carro, gerencia bem as corridas, mas…
    Ainda não teve um carro próximo dos concorrentes e aparentemente possui menos velocidade natural que os citados.
    É complicado afirmar qual dos cinco é melhor, mas com toda certeza prefiro um mix de piloto completo e velocidade do que apenas velocidade.
    E se colocassem os cinco no mesmo carro, apostaria em Fernando Alonso em primeiro e Daniel Ricciardo em segundo.
    Rs
    Sobre o Daniel não vencer Max em condições de igualdade, também podemos dizer que Max nunca venceu Daniel quando teve algum problema no carro.
    Grande abraço.
    Grande abraço a todos do blog.

    Curtir

    1. Nato,

      Sua opinião é muito parecida com a minha… Gosto *muito* de Ricciardo como piloto e exemplo. Gosto da pilotagem de Alonso, mas como “ser humano” o quero bem distante.

      Discordo apenas na simplificação dos títulos de Vettel. Não acho que a Red Bull foi tão dominante assim nos quatro anos. Mas o carro facilitou as qualidades de Vettel. Largava na frente (merito muito dele) e depois gerenciava com o ar limpo. Algo semelhante nos tempos de hoje?

      Quanto a Ricciardo, eu gostaria de vê-lo bater o companheiro de equipe… 2014 foi “estranho”. Mas também acho difícil ele bater Verstappen na Red Bull de hoje. Muita preferência ao jovem Holandês… assim como era, ou quase, impossível Weber bater Vettel quando eles foram companheiro.

      Curtir

      1. Oi Muguello, como vai tudo bem? Sempre bom trocar palavras com você, não apenas porque temos opiniões bem parecidas, mas também porque é agradável mesmo.
        Então…
        Concordo que simplifiquei demais os títulos de Vettel, um pouco por falta de tempo, um pouco por preguiça e te agradeço por ter complementado.
        Sobre o Ricciardo, ele venceu do Daniel “foguete” Kvyat (um piloto que eu adoraria ver no grid simpatizo com ele) não?
        Grande abraço a todos do blog.

        Curtir

  3. Ju, acho que sendo realista, Vettel perdeu 57 pontos: 20 em Baku (caiu de 1º para 4º e Hamilton venceu), 5 na Áustria (chegou em 5º, enquanto Raikonnen chegou em 3º) e 32 em Hockenhein (25 da liderança, mais 7 porque Hamilton venceu).

    Curtir

  4. Ju

    Faltou mencionar nos erros da Liberty as falhas quanto a tornar as regras de 2021 mais atrativas, tornar o motor mais barato e simples e atrair novos fabricantes… Divulgaram tudo isso às favas, e agora estão abrindo completamente as “pernas” para as duas atuais fabricantes dominantes, recuando em tudo que foi divulgado.

    Curtir

  5. Depois que os carros começaram a ser mais confiáveis, quebram bem menos, a hegemonia dos carros dominantes aumentou.
    Mas os 3 títulos do Hamilton vier com um carro muito melhor que os outros. Assim como Vettel na RedBull, Schumacher na Ferrari. Dois títulos do Senna foram numa McLaren 1s mais rápida que as outras.
    Muito difícil comparar pilotos em períodos diferentes.
    Talvez o Alonso seja o mais completo desta geração. O Hamilton o de mais velocidade pura. O Vettel tem um pouco dos dois, deveria arriscar menos. Principalmente na primeira curva. Já o Riccardo precisaria estar num carro em condições de disputar o campeonato, para ver como ele se sai com pressão.
    Mas no geral, acho que temos mais bons pilotos do que ruins atualmente.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.