Rapidinhas do GP do Canadá

 

Pela maneira como o engenheiro de pista de Sebastian Vettel comemorou a pole position do GP do Canadá, dava para ver quanto a Ferrari precisava de um resultado como este. Eles seguiram a cartilha perfeita na classificação, e estavam até preparados caso Charles Leclerc não conseguisse passar para o Q3 com os médios. Ele estava na pista, com os macios, quando Magnussen bateu, salvando uns, e decretando fim de classificatório para outros.

Mas e na corrida? Houve uma dinâmica interessante neste fim de semana. Tanto Mercedes, quanto Ferrari “desperdiçaram” um carro nos treinos livres. Na Scuderia, Vettel fez a simulação de corrida com o pneu macio, que não deve ser usado pelos três primeiros – e também por Bottas, que sai em sexto. E na Mercedes, Hamilton acabou não fazendo a simulação depois da batida no FP2.

O que temos em termos de dados é uma simulação de Bottas com os pneus duros – já que ele era o único com dois jogos deste composto neste fim de semana – e de Leclerc com os médios. A sequência de Bottas foi mais forte, mas existe a dúvida se ele não estava com menos combustível.

Leclerc, por sua vez, disse que não conseguiu ler bem a melhora da pista em termos de acerto do carro na classificação, mas isso pode significar que ele terá um bom setup na corrida. Então basicamente temos o seguinte cenário: o pole e o segundo colocado não fizeram simulação de corrida com nenhum dos pneus que usará neste domingo e o terceiro acredita ter acertado o carro mais para a corrida.

Saindo em sexto, Bottas também estava confiante no seu ritmo de corrida, mas ele tem de se livrar rapidamente de Ricciardo e Gasly, que largam com os pneus macios e logo nas primeiras voltas começarão a sofrer com desgaste, além de já terem um ritmo mais lento. O finlandês não escondia a frustração por não ter conseguido se recuperar de um erro na primeira tentativa e disse ter feito uma volta “atrapalhada” nos instantes finais da classificação.

No mais, ficou comprovado que o modo de classificação que finalmente foi liberado pela Renault fez diferença, já que os quatro carros foram para o Q3. Melhor para Daniel Ricciardo, que nem sabia explicar de onde tirou a volta que o colocou em quarto no grid. E nem queria pensar no quão difícil será segurar essa posição na corrida, enquanto Lando Norris deu mais um suor em Carlos Sainz, depois de andar atrás por todo o fim de semana.

Quem pode dar uma movimentada na prova, para o bem ou para o mal, é Magnussen, que larga do pitlane. Ele vinha andando muito bem até bater, ou seja, dá para esperar qualquer coisa!

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Alfredo Aguiar disse:

    São esses detalhes da alcova da F1 que a gente não encontra em outros sites. Fica sempre mais fácil entender a corrida depois de ler os teus ótimos textos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.