A primeira vitória dos brasileiros na F1

Lá nos idos de 2010, eu comecei um blog totalmente independente. Minha ideia era escrever coisas que eu gostaria de encontrar na internet, mas não conseguia. E não é que tinha mais gente com a mesma “sede” que a minha? Não demorou para o Faster F1 ser notado por profissionais da área e, no final do ano, Luis Fernando Ramos, o Ico, me convidou para escrever um texto no blog dele. E logo depois ele e o Felipe Motta me chamaram para fazer parte do time do TotalRace. Quase dez anos depois, chegou a hora de eu retribuir. Selecionei 12 textos entre as dezenas que me mandaram e espero que curtam o material que vai ser publicado até meados de janeiro por aqui.

Por Thales Oliveira, estudante de jornalismo e criador do blog Fórmula Automobilismo (formulaautomobilismo.car.blog)

Muito graças aos nossos três campeões mundiais, Fittipaldi, Piquet e Senna, o Brasil é um dos grandes países da Fórmula 1. Somos o país não-europeu com mais títulos, e atualmente, um dos maiores públicos da categoria. Para reafirmar um pouco de toda essa história do Brasil com a F1 – que está num hiato – vamos relembrar a primeira vitória de cada um de nossos pilotos na categoria.

Emerson Fittipaldi – GP dos Estados Unidos de 1970

Emerson foi pioneiro para o Brasil no automobilismo internacional. O primeiro brasileiro a ser campeão da F1, foi também o primeiro a vencer uma corrida na categoria. Após ser campeão da F3 britânica em 1969, migrou para a F2 europeia no ano seguinte. Ainda em 1970, depois de um bom começo de temporada, começou a correr pela Lotus na F1.

Em 1970, também tivemos a primeira transmissão televisiva da categoria no Brasil, pela Record. A estreia, Brands Hatch, primeira corrida de Emerson na Fórmula 1. Infelizmente a cobertura do campeonato foi esparsada e o GP dos Estados Unidos de 1970 não foi transmitido.

Nos Estados Unidos, penúltima etapa da temporada, Emerson conquistou sua primeira vitória. Após largar da terceira posição e completar 108 voltas, Emerson e seu Lotus-Ford terminaram a corrida em primeiro. Com a vitória do brasileiro, Jochen Rindt se tornou o primeiro e único (até agora) campeão póstumo da F1.

José Carlos Pace – GP do Brasil de 1975

Exite primeira vitória melhor que aquela em casa? Para Pace, sua primeira e única vitória na Fórmula 1 foi essa. Na quarta edição do GP do Brasil, terceira como etapa válida do campeonato, o autódromo de Interlagos em seu antigo traçado – de quase 8 km – viu a Brabham #8 de José Carlos Pace ser o primeiro carro a completar as 40 voltas da corrida.

No pódio, o atual campeão Emerson completou a dobradinha brasileira em casa. A temporada de 1975 foi a melhor do piloto, terminando em 6º com 24 pontos somados, após pontuar em Kyalami e Zandvoort, além dos pódios em Mônaco (3º) e Silverstone (2º).

Pace morreu em 1977, num acidente de avião. Em sua homenagem, o autódromo de Interlagos, onde teve sua única vitória na Fórmula 1, foi batizado de Autódromo José Carlos Pace, em 1985.

Nelson Piquet – GP do Oeste dos Estados Unidos de 1980

Em sua segunda temporada completa na Fórmula 1, Piquet mostrou ao mundo que ser campeão era questão de tempo. Na temporada anterior, 1979, terminou apenas 5 das 15 corridas. Em 1980, começou a temporada conquistando seu primeiro pódio, um 2º lugar na Argentina, a primeira etapa da temporada.

A primeira vitória veio em 30 de Março, no GP do Oeste dos Estados Unidos, realizado em Long Beach. Nada como a Califórnia como casa da primeira vitória de um carioca.

O fim de semana foi perfeito para Nelson. Na classificação, o melhor tempo, 1:17.694. Único carro na casa dos 17 segundos, com quase 1 segundo de vantagem para o segundo colocado. Na corrida, o Brabham BT49 e seu motor Ford-Cosworth DFV V8 brilharam nas mãos de Piquet, com liderança de ponta a ponta em uma corrida limpa e sem ameaças. Na volta 38, o brasileiro ainda anotou a volta mais rápida da corrida, garantindo que sua primeira vitória fosse um Grand Chelem.

Ao fim da prova Piquet foi ao topo do pódio, acompanhado de Ricciardo Patrese e Emerson Fittipaldi (último pódio de Emerson). No campeonato, empatou com René Arnoux na liderança, com 18 pontos. Ao fim da temporada, Alan Jones se tornou campeão e Piquet foi o vice. O primeiro título ficou para 1981.

Ayrton Senna – GP de Portugal de 1985

Senna é, considerado por muitos, um herói nacional. Mas nem sempre foi assim. Em 1984, era apenas um menino estreante. Claro, houve Mônaco naquele ano, além dos 3º lugares em Brands Hatch e Estoril. Mas ainda assim, um estreante se tornando promessa. Promessa essa, que  começou a se tornar realidade em 21 de Abril de 1985.

Chegando no GP de Portugal, vindo de um pódio no ano anterior (última etapa de 1984) e de um abandono na abertura do campeonato em Jacarepaguá, Senna começou suas conquistas na F1.

Nos treinos, com pista ainda seca, Ayrton garantiu a pole em cima de Alain Prost, seu grande rival histórico e na época, ainda futuro companheiro de equipe.

Para a corrida, chuva. Muita chuva. Senna liderou de ponta a ponta, mostrando ao mundo sua habilidade de baixo d’água. Diversos outros, não tiveram sorte com as águas e Prost e Keke Rosberg foram uns dos que rodaram. O brasileiro também marcou a volta mais rápida da corrida, igualando a marca de Piquet e tendo como sua primeira vitória um Grand Chelem.

Ao fim da corrida, na volta 67, três antes do programado por conta da chuva, menos da metade do grid conseguiu terminar a prova. Ayrton também deu pelo menos uma volta em todos a partir do 3º colocado. O segundo colocado, Michele Alboreto, terminou na volta do líder à 1:02.978 de distância de Ayrton

Senna voltou a vencer no GP da Bélgica do mesmo ano, e terminou a temporada em 4º.

Rubens Barrichello – GP da Alemanha de 2000

Na Fórmula 1 desde 1993, Rubinho teve um começo promissor. Com resultados bons, e em certo nível constantes, para as equipes menores onde corria, em 2000 chegou à Ferrari. Ao longo da temporada, foi, basicamente, escudeiro de Michael Schumacher. Isso, até chegar em Hockenheim.

Na Alemanha, a classificação não foi boa. Barrichello ficou apenas com o 18º lugar no grid. Na corrida, a sorte sorriu para ele. Já na volta de apresentação, o motor de Jenson Button não ligou e o britânico foi forçado a largar do fim do grid. Rubens ganhou uma posição. Na primeira volta, Schumacher e Giancarlo Fisichella bateram e não passaram da primeira curva.

Além da sorte, o brasileiro ainda passou outros cincos carros, totalizando um ganho de oito posições na primeira volta, de 18º para 10º. Na volta 15, já era o terceiro e na volta 17 fez sua primeira parada nos boxes, sendo primeiro a parar.

Um dos fatos mais marcantes da corrida aconteceu na volta 25, quando um homem invadiu e atravessou a pista. O homem era um ex-funcionário da Mercedes que havia sido demitido. O ocorrido causou a entrada do Safety Car na pista e os carros fizeram suas paradas nos boxes. O invasor foi imobilizado pelos fiscais de prova e retirado da pista.

Pouco depois, Jean Alesi e Pedro Paulo Diniz se envolveram e um acidente trazendo o Safety Car de volta à pista. Na corrida, ainda tinha a chuva para chegar e favorecer o paulista acostumado com água na pista.

Após as 45 voltas previstas, Barrichello recebeu a bandeira quadriculada e ganhou sua primeira corrida na F1. Depois, só voltou a vencer em 2002 na Áustria no GP da Europa em Nurburgring.

Felipe Massa – GP da Turquia de 2006

Depois de três temporadas na Sauber, Massa estreou pela Ferrari em 2006, e assim como Rubinho foi companheiro de equipe de Schumacher, em seu último ano na Fórmula 1 (até chegar 2010).

Antes da Turquia, já tinha visitado o pódio em quatro ocasiões na temporada: GP da Europa (3º), GP dos Estados Unidos (2º), GP da França (3º) e GP da Alemanha (2º).

No circuito de Istambul, o sábado foi promissor e Felipe cravou a pole com o tempo de 1:26.907, superando os grandes Alonso e Schumacher que disputavam o título daquele ano. Para a corrida, um domingo de sol quente. Mesmo com um Safety Car por conta de um incidente com Liuzzi, a corrida foi tranquila para Felipe Massa. O brasileiro foi quase coadjuvante na corrida de sua primeira vitória, graças a batalha entre Schumacher e Alonso pelo titulo da temporada 2006.

Massa voltou a vencer ainda em 2006, na última corrida da temporada, o GP do Brasil. E em 2008 teve seu melhor ano na F1, disputando o título da temporada com Lewis Hamilton até o último GP, de novo aqui no Brasil, como todos se lembram.


O Brasil gerou grandes pilotos, não só para a Fórmula 1, e esses foram aqueles que conseguiram subir ao lugar mais alto do pódio em um GP. Hoje nos resta esperar um novo brasileiro alinhando no grid de mais um Grande Prêmio.

2 comentários Adicione o seu

  1. Quanto tempo durou a corrida em que o Emerson venceu pela primeira vez?
    108 voltas é quase um Endurance.

    Curtir

    1. FERNANDO DO AMARAL disse:

      Alexandre, o traçado era então bastante curto: 3,7 kms. Mesmo assim o percurso total foi de 400 kms – cerca de 100 kms a mais do que veio a se tornar o padrão que vigora até hoje. Tempo total de Emerson foi 1h 57 min

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.