Drops dos testes: de volta ao paddock depois de 1 ano

Equipe da Band completa já nos testes

Vocês não imaginam minha felicidade de poder voltar a escrever esta coluna estando, efetivamente, de volta ao paddock, e não mais no “paddock virtual” ao qual todos os jornalistas que não trabalham com TV tiveram que se adaptar ano passado. Não era, na verdade, para eu estar no Bahrein, mas a oferta irrecusável de vacinação do governo barenita mudou o cenário, e acabou sendo um ótimo teste para mim, também, na minha nova função como produtora. 

Essa vacinação, inclusive, se tornou um assunto meio delicado no paddock depois que a F1 (leia-se, Liberty) anunciou que não deixaria seus funcionários aceitarem a oferta do Bahrein, dizendo que eles não poderiam pular a fila da Inglaterra. Mas ficaram praticamente sozinhos nessa leitura. As equipes e a FIA deixaram seus profissionais livres para escolherem tomar ou não, entendendo que trata-se de um dos países mais avançados em número de vacinados e que tem imunizantes suficientes para toda a população, e o circo como um todo se tornaria mais seguro interna e externamente, já que o nível de transmissão de e para vacinados é bem menor. Entre os pilotos, pelo menos Raikkonen, Sainz e Perez aceitaram o convite.

Falando em Sainz, o piloto estava com toda sua comitiva nos testes. A dupla Carlos pai e Carlos primo e empresário estava por lá desde a quinta-feira, antes mesmo de o teste começar, e o treinador Rupert, que tem um trânsito muito bom com gente de tudo quanto é canto da F1, estava buscando conselhos sobre como lidar com o desafio Ferrari, falando com quem já trabalhou por lá. 

Também chamou a atenção a presença de Jos e do empresário de Max, Raymond. Isso porque, desde 2018, tornou-se mais raro ver os dois juntos no circuito. Foi um pedido do próprio comando da Red Bull, entendendo que Max amadureceria mais rápido se ficasse mais sozinho. 

Quem também estava com sua entourage era Fernando Alonso, com o melhor amigo Galle e o treinador e cunhado Edo. Mas eles não estavam sozinhos: Alonso estava com sua equipe de filmagem da Amazon, seguindo-o praticamente o tempo todo. Às vezes, ele mesmo ia chamá-los se queria registrar algo. “Ele é o astro, o diretor, produtor, tudo”, me falou em tom de brincadeira um funcionário da Alpine. Estava simpático, seu Fernando, e pelo menos por enquanto a equipe está empolgada em tê-lo de volta.

Sim, a foto da esquerda é anterior à da esquerda. Ele foi buscar a equipe de gravação.

O clima não era o mesmo na Mercedes. Na sexta-feira, dava para ver um vai-e-vem de engenheiros carrancudos dos boxes para o escritório do time. Se, em outras pré-temporadas, dava para ver na beirada da pista que o carro era muito forte, embora os tempos não mostrassem porque eles nem precisavam usar os melhores modos de motor, desta vez os pilotos estavam tendo trabalho. Não tanto quanto os pilotos da Red Bull na pré-temporada ano passado, mas estavam.

E isso afeta o time todo. A equipe de comunicação já estava trabalhando com uma agenda super apertada para terminar todas as fotos e filmagens que geralmente têm seis ou oito dias de testes para fazer. Mas, assim que Bottas foi para a pista e logo o câmbio quebrou, eles foram convidados a sair do box. Não era hora para Instagram.

Foto: Julianne Cerasoli

Voltando aos sorrisos, Yuki Tsunoda já está criando uma fama dentro da equipe de cara brincalhão. Pode fazer piada à vontade com a altura dele que ele entra na brincadeira. Sabendo disso, quando ouvi a história de que ele só cortava o cabelo no Japão, tínhamos que perguntar a ele. Foi uma explicação de uns dois minutos pelo menos, que estava sendo filmada pelo pessoal da Netflix. Para vocês terem uma ideia, Doug, que segura o microfone, ria tanto que estava se esforçando para não deixá-lo cair em cima de Yuki. Isso porque ele ainda não tinha feito as mil tentativas para falar “F1 é na Band”. 

Aliás, graças a Daniel Ricciardo, acabamos descobrindo como fazer o pessoal falar o nome da nova emissora da F1 no Brasil direito: se pronuncia Band. “Tipo bungee jump”? Isso, Daniel!

8 comentários Adicione o seu

  1. José Carlos disse:

    Agora sim teremos F1 na TV brasileira de verdade, com direito de ver tudo não somente às voltas dos carros ! Era isso que faltava, cobertura total ! Boa sorte a toda equipe Band !

    Curtir

  2. PAULO SERGIO DE SALLES disse:

    Ju, acho que perdi algum post seu, quais são suas novas atribuições? “Caiu pra dentro” do grupo BAND? Produtora? Contaí panóis???

    Curtir

    1. Parabéns pelo novo cargo de produtora.
      A equipe da Band vai ganhar muito com a sua presença.

      Curtir

    2. Oi Paulo, acho que não comentei por aqui no blog. Fui convidada pelo Jayme Brito para fazer parte da equipe da Band que vai para todas as corridas. Com isso, eu só troquei o trabalho na rádio pela TV. O resto (blog, UOL, Catarse) continuo fazendo como antes.

      Curtir

  3. Drunk Tsundere disse:

    “[…] dizendo que eles não poderiam pular a fila da Inglaterra.” – Não seria o contrário? Estão saindo da fila da Inglaterra ao receber a vacina de outro país e deixando uma vacina disponível para outro inglês. Que estupidez da Liberty.

    Curtir

    1. O pensamento é de que a F1 não deveria ter prioridade em relação às outras pessoas na Inglaterra. Mas vamos combinar que alguém que trabalha viajando pelo mundo está muito mais exposto a pegar e espalhar o vírus do que quem pode trabalhar em casa. É mais seguro para todo mundo nós estarmos vacinados.

      Curtir

  4. Willian Rodrigo Ferreira Fabris disse:

    Parabéns pelo cargo de produtora acompanho seu u trabalho a anos com posso afirmar você é a jornalista mais técnica do Brasil! Queria muito ouvir seus comentários também nas transmissões (nada contra mas a Mariana Becker foca muito no entorno tipo namoradas de pilotos ao invés da parte técnica). Enfim espero que essa oportunidade também surja pra você sucesso!

    Curtir

    1. Obrigada, Will. Um dos motivos para a minha contratação é que eu posso contribuir desse lado. E o “segredo” da televisão é que não preciso aparecer na frente da tela para que a informação que eu passo seja usada. TV é puramente trabalho de equipe, ainda que isso não chegue tão claramente ao telespectador.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.