Drops dos bastidores do GP da Espanha e a sucessão da Mercedes

Lewis driblando os fotógrafos que o esperavam na outra porta do paddock (Foto: Julianne Cerasoli)

Toto Wolff disse que só vai negociar com outros pilotos depois que o futuro de Lewis Hamilton e Valtteri Bottas na Mercedes estiver decidido, mas nada impede obviamente que ele avalie suas possibilidades no mercado. Então não surpreende as conversas com o pai de Carlos Sainz, outro que está sempre atento às movimentações, no paddock, assim como o rumor cada vez mais barulhento de que a situação contratual de Lando Norris também está sendo checada e inclusive o nome de Esteban Ocon, que é piloto Mercedes emprestado à Alpine, seja citado na lista do austríaco. O fato é que tudo aponta para uma situação em que a troca de Bottas por George Russell não seja tão óbvia.

O inglês não tem se ajudado com as oportunidades que segue perdendo, nem com a empáfia que só cresce nos bastidores. A Williams já percebeu isso logo nas primeiras corridas, quando ele começou a demandar tratamento diferenciado durante as viagens por ser piloto. E com a chance que teve na Mercedes ano passado, a situação só piorou. George é um excelente piloto e provou isso em seu caminho até a F1, mas não se comporta como alguém que Toto (com a experiência que teve com Lewis e Nico juntos) colocaria ao lado do heptacampeão. O mais inteligente no momento seria colocar-se como um cara que faria de tudo pela vaga, que trabalharia para a equipe, e esperar Lewis se aposentar para tomar conta.

Mããe, eu tô na Netflix (Foto: Julianne Cerasoli)

Pelo brilho que ele tem no olhar a cada entrevista, esse dia não parece estar perto de chegar. Lewis parece revigorado pelo desafio desta temporada, e até fez um raro teste com os pneus de 2022. E imagino que não tenha odiado os pneus, já que começou a falar em fechar a renovação até antes do GP da Bélgica.

Na outra ponta do grid, já ficou claro que os pilotos entenderam qual é a de Mazepin. A pista é só dele e, quem se aproximar, que se vire. Dois pilotos disseram no rádio que ele “nunca vai aprender” e se referiam à mesma coisa: ele fica na trajetória quando tem de ceder posição, tenta tirar o máximo de vantagem possível daquele momento para ele, e acaba atrapalhando os outros. De pontinho em pontinho na carteira, pode ser suspenso por uma corrida, mas há dúvidas se ele vai aprender. Na Haas, mesmo sendo estreante, quer as coisas do jeito dele ou invés de ouvir o que os engenheiros têm a dizer. Assim fica mesmo difícil evoluir.

Faltava menos de uma hora para a classificação e o chefe de monopostos da FIA, Nikolas Tombazis foi procurar alguém na Mercedes, e depois foi na Aston Martin. Tentei brincar com ele, que é um cara aberto a conversar, mas ficou claro que ele estava numa missão mais séria. O tempo todo, por mais que esteja parecendo tudo calmo, as equipes estão colocando pressão, tentando conseguir alguma vantagem. E é óbvio que Lawrence Stroll é esse cara no momento. Ele não está investindo tanto para perder.

Aliás, uma coisa que notei no paddock é que não tem motorhome mais limpo que o Aston Martin. Ok, a briga é apertada, mas até os carros que ficam no estacionamento estão sempre brilhando. E como o motorhome deles é cheio de vidros, e o funcionário responsável por limpar ficou um tempão se afastando um pouco para ver se o vidro estava limpo mesmo. Já que o carro por enquanto ainda não anda mesmo com os upgrades, é um consolo…

São dois andares de motorhome com vidro pra tudo o que é lado, sempre impecáveis (Foto: Julianne Cerasoli)

Terminando de um jeito menos sisudo, estávamos em uma parte do paddock que tem uma grama artificial, e Michael Masi veio dizer que estávamos excedendo os limites de pista. Tinha uma linha branca entre o piso do paddock e a grama artificial, então coloquei os dois pés lá e perguntei se ali valia. Ele deu risada, mas pelo menos não fui intimada pelos comissários para me explicar!

2 comentários Adicione o seu

  1. Robson Coimbra disse:

    Caso o George seja preterido na Mercedes a Red Bull deveria traze-lo para a dobradinha campeã !

    Curtir

  2. Fabrício disse:

    Russel e Ocon são excelentes pilotos e já mostraram suas qualidades, mas a Mercedes não quer novamente dois pilotos alfas, visto que o clima dentro da equipe em 2016 era terrível. E como Russel e Ocon são jovens e arrojados, eles não querem fazer o papel de 2° piloto. E aí fica a pergunta: Bottas vai continuar? Acho que não, pois nós vimos como ele agiu quando a equipe deu a ordem para ele deixar o Hamilton ultrapassar no GP da Espanha. Aquilo é um sinal de descontentamento e a equipe não aprovou. E aí fica uma outra pergunta: Quem vai ficar no lugar do Bottas? Pode ser loucura o que vou falar, mas o piloto ideal para a Mercedes e para Hamilton é Nico Hülkenberg. Nós vimos o que ele fez ano passado ao substituir o Perez na Racing Point. Ele consegue entregar o que a Mercedes precisa e não vai atrapalhar o Hamilton. Seria perfeito para a equipe. Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.