Voltando ao script

(Clive Mason/Getty Images) // Getty Images / Red Bull Content Pool)

Max Verstappen sabia que teria vida difícil no GP da Cidade do México se não saísse das primeiras curvas na frente, já que a Mercedes, que tinha fechado a primeira fila, tinha mais velocidade de reta e o circuito Hermanos Rodriguez não oferece muitas chances de ultrapassagem. E saiu bem, emparelhou com Valtteri Bottas e Lewis Hamilton na reta, freou mais tarde que os dois, e desapareceu na frente para vencer pela nona vez em 2021 e aumentou sua vantagem na ponta do campeonato para 19 pontos.

O prejuízo de Hamilton só não foi maior porque o inglês conseguiu aguentar a pressão de Sergio Perez e terminou em segundo. Logo nas primeiras voltas, Hamilton sentiu que não conseguia acompanhar Verstappen e focou em segurar o segundo lugar. “Ele tinha pelo menos meio segundo de vantagem, fácil”, disse Hamilton. “Acho que foi porque eles usaram a asa maior deles, e a gente não tem uma dessa, e não dava para competir. Foi difícil, mas pelo menos eu não andei para trás: larguei em segundo e terminei em segundo. Talvez por conta disso não esteja tão desapontado, mas é claro que perdemos muitos pontos.”

A Red Bull até tentou fazer uma estratégia diferente, deixando Perez na pista para que ele tivesse pneus mais novos no final. Quando ele fez sua parada, tirou os 9s de desvantagem que tinha para Hamilton rapidamente, mas não conseguiu usar isso para passar, sofrendo com o superaquecimento gerado pela grande característica da pista do México, a altitude.

Mesmo com o terceiro posto, Perez fez a festa dos cerca de 150 mil torcedores que lotaram o circuito e aplaudiam de pé o piloto cada vez que ele se aproximava de Hamilton, no retorno da F1 ao México depois de dois anos.

A história da corrida acabou sendo mais alinhada com o que se esperava, ao contrário do aconteceu tantas vezes nas últimas corridas: em Monza, a Mercedes era favorita e a McLaren acabou com a dobradinha. Na Rússia, por pouco a história não se repetiu, já que Lando Norris estava na frente até a chuva embaralhar as cartas no final. Na Turquia, foi a Red Bull quem ficou devendo, em uma vitória maiúscula da Mercedes e, duas semanas depois, nos EUA, os alemães perderam uma corrida em Austin pela primeira vez na era híbrida.

Na classificação no México, pista em que a Red Bull historicamente sempre se deu bem, os dois pilotos tiveram dificuldades com os pneus macios no final e se viram em terceiro e quarto lugares. Mas a expectativa era de que, voltando aos pneus mais duros na corrida, os problemas acabassem, e foi isso o que aconteceu, com Verstappen e Perez apresentando um ritmo muito melhor no domingo. “A gente não tinha aderência nenhuma, mas eu sempre estive confiante de que hoje seria um bom dia”, disse Verstappen.

Para piorar a situação para a Mercedes, Valtteri Bottas saiu de combate logo na primeira curva, após toque com Daniel Ricciardo. Mas pelo menos o finlandês ainda foi usado pela equipe para tirar a volta mais rápida de Verstappen, que lhe daria mais um ponto. Com o resultado, a Red Bull encostou na Mercedes na liderança da prova: a diferença entre os dois é de apenas um ponto.

A próxima corrida é no Brasil, já no próximo final de semana.

4 comentários Adicione o seu

  1. Ramon T. Silva disse:

    Estou muito feliz com o Perez, finalmente pegou o jeito do difícil carro da Redbull, tanto classificação quanto corrida

    Curtir

  2. Ramon T Silva disse:

    Esse garoto Max é um gênio mesmo. Um diamante que a Redbull descobriu. Está dando um show de pilotagem. Só foi a Honda fazer um motor super competitivo, que o holandês já está disputando título e está na iminência de ser campeão mundial.

    Curtir

  3. Ramon T Silva disse:

    A Redbull dominou no treinos livres, as Mercedes surpreenderam no qualifying e a Redbull de Verstappen/Perez colocaram às coisas no lugar no domingo.

    Curtir

  4. Wesley Andrade disse:

    É oficial: esse é definitivamente o ano de Max Verstappen. O holandês vem aproveitando todas as oportunidades em sua disputa pelo título com Lewis Hamilton. Independentemente do que acontecer nas próximas etapas, Max já é o piloto do ano. Com um conjunto melhor equilibrado em mãos, Verstappen está melhor do que o heptacampeão em 2021. O que acontecer em São Paulo no próximo fim de semana pode definir os rumos desse campeonato.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.